6336 capítulos
Medium 9788520439616

4. Educação profissional técnica de nível médio em enfermagem: legislação e história

OGUISSO, Taka; FREITAS, Genival Fernandes de Editora Manole PDF Criptografado

4

Educação profissional técnica de nível médio em enfermagem: legislação e história

Taka Oguisso

Tomoko Matsui

Solange Cezario Gomes Ribeiro Cruz

PONTOS A APRENDER

1. Descrever quando, como e por que foi criado o Curso de Auxiliar de

Enfermagem.

2. Relatar o histórico da criação do curso de Técnico de Enfermagem, a motivação de enfermeiros e consequências decorrentes.

3. Analisar a importância do estágio ou prática de enfermagem para a formação profissional dos técnicos e auxiliares de enfermagem.

4. Enumerar diferenças entre prática em laboratório e prática em estágio supervisionado.

PALAVRAS-CHAVE

Educação profissional de nível médio; história da criação do curso de auxiliar de enfermagem; inserção do técnico em enfermagem na equipe de enfermagem; estágio profissional como condição para a formação de auxiliares e técnicos em enfermagem.

ESTRUTURA DOS TÓPICOS

Introdução. Atualidades sobre formação profissional técnica de nível médio em enfermagem. Diretrizes para o estágio supervisionado em nível técnico médio profissional. Considerações finais. Propostas para estudo. Para saber mais. Referências.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520430514

1. Alertas e conceitos iniciais

GHIRALDELLI JR., Paulo Editora Manole PDF Criptografado

aletica_01.indd 21

capítulo 1

alertas e conceitos iniciais

1.1 Leituras com tropeços

O leitor do livro Dialektik der Aufklärung deve evitar certos direcionamentos. Primeiro: a tentação de buscar, nesse livro, informações sobre a sociedade, como se tivesse em mãos uma obra de sociologia, uma espécie de coroamento da teoria social iniciada por Marx,

Durkheim e Weber. Segundo: a impressão de que está diante de um produto neomarxista, ou seja, uma forma de renovação e ampliação do pensamento de Marx e Engels, dedicado a avaliar fenômenos da cultura de massas, não vividos pelos fundadores do marxismo.

Essas expectativas, um tanto grosseiras, às vezes fazem que o leitor não apenas não compreenda o livro, mas realmente perca a chance definitiva de entrar no mundo dos filósofos da Escola de Frankfurt. Não é frutífero acreditar que o capítulo sobre a “indústria cultural” é o centro do livro, ou o que há de melhor nele.

7/20/16 7:40 PM

aletica_01.indd 22

Ver todos os capítulos
Medium 9788520431863

Responsabilidade Civil

PIVA, Rui Carvalho Editora Manole PDF Criptografado

Responsabilidade Civil

1

Responsabilidade civil (CC, arts. 927 a 943)

1. Conceito

Responsabilidade civil é a teoria que tem por objeto o estudo do fundamento e do alcance da obrigação de indenizar, representada por uma reparação pecuniária. Em outras palavras, responsabilidade civil é a obrigação imposta a quem deixa de cumprir uma obrigação.

Lembre-se: Teoria significa converter um determinado assunto (a responsabilidade civil, por exemplo) em um problema em torno do qual formularemos perguntas e faremos pesquisas a fim de compreendê-lo melhor.

2. Natureza jurídica

Se o instituto jurídico da responsabilidade estiver vinculado à categoria jurídica do direito civil, ou seja, se o ilícito decorrer do descumprimento de uma lei civil ou um contrato, diz-se que essa responsabilidade é de natureza civil.

Se estiver vinculado ao direito penal, diz-se que a responsabilidade é de natureza penal. E assim por diante.

3. Espécies

Responsabilidade aquiliana ou extracontratual  É a decorrente da prática de um ato ilícito, ou seja, do descumprimento de alguma disposição de lei e consequente caracterização de dano. Exemplo: deixar de dirigir a criação e a educação dos filhos menores conforme imposto aos pais no art. 1.634, I, do CC ao disciplinar o poder familiar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435359

1. Introdução à bandagem terapêutica

KEIL, Anne Editora Manole PDF Criptografado

1

Introdução à bandagem terapêutica

Os efeitos terapêuticos que se deseja obter com a bandagem terapêutica incluem a estabilização das articulações, modificação e controle da postura em uma articulação, inibição da atividade muscular, redução da dor, aumento da excitabilidade dos neurônios motores e aumento do torque articular. Há também relatos de que a bandagem terapêutica pode melhorar a propriocepção. Benefícios potenciais incluem melhora do esforço muscular, melhora do controle sensório-motor, estimulação cutânea, modulação da dor e facilitação ou inibição da atividade muscular (Lewis, Wright e

Green, 2005).

Os livros sobre bandagem terapêutica focam basicamente o uso da fita adesiva esportiva e suas técnicas destinam-se a profissionais e estudantes de educação física. Alguns livros explicam também as técnicas de kinesio taping (bandagem elástica terapêutica). Bandagem terapêutica no esporte e na reabilitação demonstra o uso da fita adesiva para bandagem (marrom) com uma fita base (branca), produtos usados com maior frequência por fisioterapeutas no tratamento e na prevenção de lesões, mas disponíveis para o público em geral. As técnicas de bandagem terapêutica mais comuns na fisioterapia foram desenvolvidas pelos fisioterapeutas

Ver todos os capítulos
Medium 9788520433027

10. Treinamento com faixa elástica

FRANKLIN, Eric Editora Manole PDF Criptografado

CAPÍTULO10

Treinamento comfaixa elástica

O

treinamento com faixa elástica constitui uma série completa para o condicionamento de dançarinos. Os movimentos são derivados de técnicas de dança moderna e de balé, e proporcionam uma relação entre a construção de força e flexibilidade e os padrões de movimentos para a dança. A chave para o sucesso na sequência de exercícios a seguir é o bom alinhamento, respiração com relaxamento e iniciação correta de movimento.

Preparando para a sequência

Idealmente, você deve vestir calça ou meias longas, para que não seja atrapalhado pela fricção da faixa elástica contra a perna. Selecione uma faixa que tenha pelo menos 3 m de comprimento. Para determinar se a faixa tem o comprimento correto para a sua altura, coloque o centro da faixa elástica na cabeça. Ela deve ser longa o suficiente para tocar o solo em ambos os lados do corpo.

Faça um grande laço em uma extremidade da faixa e amarre-o com um nó (Fig. 10.1a). Você pode ter de experimentar o tamanho do laço que melhor serve no seu pé. Coloque o laço sobre o pé e faça o número oito com a faixa para criar um segundo laço (Fig. 10.1, b e c). Puxe o segundo laço para cima sobre o seu pé, para que o nó fique voltado para a frente. A faixa não deve ser muito apertada no pé ou restringirá o fluxo de sangue. Por outro lado, se estiver muito solta, escorregará durante os exercícios.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos