80 capítulos
Medium 9788566103281

6. A Atividade Prática Supervisionada (APS)

SADAO, Edson Editora Empreende PDF Criptografado

A Atividade Prática

6

Supervisionada (APS)

Coordenadora Thayze Pinto Cândido Padilha

Resumo

A Atividade Prática Supervisionada (APS) é constituída por atividades acadêmicas desenvolvidas pelos estudantes, sob a orientação, supervisão e avaliação de professores, em horários diferentes dos que são destinados às atividades presenciais. Trata-se de um componente que tem por objetivo principal proporcionar o diálogo entre teoria e prática, imprescindível à adequada formação acadêmica. Assim, apoia-se nos saberes desenvolvidos a partir do contributo de cada disciplina do período, tendo-os como fundamentação para o trabalho de pesquisa de campo a ser desenvolvido. Para além desse diálogo, a APS, em cada período, está relacionada a um tema transversal. Tal temática advém da necessidade de atrelar a formação acadêmica

às necessidades socioambientais, à formação de um profissional ético e mais humano, características de uma educação efetivamente integradora. Outros objetivos são: diminuir a evasão; incentivar a produção científica; motivar os alunos; e proporcionar a eles, o quanto antes, contato com o mercado de trabalho. A APS começou em 2015.1 no 1º período, e apenas em 2017.1 no 2º, isso porque foi necessário um tempo de maturação, ajustes e correções da metodologia e objetivos para que este se tornasse modelo para os demais. Seguindo a mesma premissa, se iniciou em 2018.1 no 3º período. O principal problema encontrado na implantação da atividade foi a resistência de alguns professores de trabalharem em conjunto. Depois alguns aceitaram participar, mas sem atribuir nota. Atualmente estão envolvidos todos os professores do 1º ao

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103281

9. Estágio Vivo – PREMIADO COM DISTINÇÃO

SADAO, Edson Editora Empreende PDF Criptografado

Estágio Vivo –

9 PREMIADO COM

DISTINÇÃO

Coordenador Antonio Ferreira Lima

Resumo

Os alunos de Administração devem desenvolver um perfil generalista. Contudo, apesar de vários momentos de promoção da interdisciplinaridade, a IES vinha percebendo que os estágios colocados à disposição dos alunos de Administração não possibilitavam a vivência necessária de funções de chefia e de tomada de decisão. Em muitas situações, os estagiários eram reduzidos a mão de obra barata e exerciam apenas funções secundárias, como auxiliares de administração ou secretárias de executivos ou auxiliares de serviços bancários. Os principais objetivos do

Estágio Vivo são: superar a realidade perversa descrita acima e integrar os alunos de Administração com os de outros cursos, que atuarão em conjunto, na vida real, como os futuros advogados e contadores. A Mauá criou um centro de estágios, chamado Escola de Experiência, no qual os alunos são apresentados a exercícios guiados, a partir dos quais são desenvolvidas as competências da profissão. Trata-se de uma metodologia de ensino ativa, denominada Aprendizagem Baseada em Problemas – APB. Montou-se um ambiente virtual de produção em forma de arranjo produtivo local, no qual alunos de Direito, Contabilidade e Administração desempenham vários “papéis” simulados. Os exercícios são produzidos pelos professores, sob orientação do

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103021

Capítulo 2 - A POBREZA E A BASEDA PIRÂMIDEA

RUFIN, Carlos Editora Empreende PDF Criptografado

Capítulo 2

A POBREZA E A BASE

DA PIRÂMIDE

A fim de desenvolver iniciativas bem-sucedidas na BP, sua primeira tarefa é compreendê-la – compreender a vida dos vários bilhões de pessoas na Terra que por uma variedade de padrões podem ser chamadas de “pobres”. Empresas, aspirantes a empreendedores, estudantes de MBA ansiosos e outras pessoas bem-intencionadas querem trabalhar com a BP, mas falham porque não fazem a lição de casa e simplesmente veem a BP como um grupo de pessoas de baixa renda.

A realidade é que a pobreza é um fenômeno complexo, e baixa renda

é apenas um aspecto da pobreza. Por isso, não podemos definir a

BP sem definir a pobreza. Este capítulo apresenta essa definição, ou talvez mais precisamente uma descrição, do que constitui pobreza.

Mas ser capaz de reconhecer a pobreza quando você a vê é apenas o começo. Também é necessário ter algum conhecimento sobre as causas da pobreza. Finalmente, os empreendimentos da BP não são os primeiros a tentar combater a pobreza, nem eles operam em um vácuo. Há uma longa história de programas para reduzir a pobreza, e uma vasta indústria além do “setor” BP que continua a trabalhar na redução da pobreza. Porque tal história e experiência fornecem lições muito importantes para empreendimentos da BP, e também porque os programas de combate à pobreza estão muitas vezes presentes em locais onde estão os empreendimentos da BP, causando potenciais contradições para os beneficiários, são essenciais algumas noções de história e de atuais programas de redução da pobreza em todo o mundo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103212

1. Empreendedorismo em uma era de transformação e mudanças

DORNELAS, José Editora Empreende PDF Criptografado

1

Empreendedorismo em uma era de transformação e mudanças

Capítulo 1

1.1 Empreender nos dias atuais

é um pouco diferente

Empreendedorismo já não é uma palavra desconhecida no vocabulário do brasileiro há algum tempo. Jovens e adultos, homens e mulheres, e até crianças, já ouviram falar, leram ou de alguma forma empreendem no seu dia a dia. Empreender é a realização máxima dos sonhadores que almejam ver seus sonhos concretizados.

Alguns empreendem por meio do próprio negócio; outros, em grandes empresas.

Há aqueles que empreendem coletivamente, outros, sozinhos, e há ainda os que participam de organizações não governamentais. Empreender pode estar relacionado com o fazer acontecer em várias fases da vida do ser humano.

No mundo atual, empreender continua tendo o mesmo significado que no passado. Quem empreende está sempre visando ao futuro e à construção de algo novo que vai melhorar a vida das pessoas, de preferência com soluções criativas, inovadoras e sustentáveis. O resultado maior da atividade empreendedora leva

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103021

Capítulo 4 - O PROCESSODE INOVAÇÃO

RUFIN, Carlos Editora Empreende PDF Criptografado

Capítulo 4

O PROCESSO

DE INOVAÇÃO

As iniciativas da BP devem ser concebidas como projetos de inovação. O envolvimento na BP requer reconfigurações radicais dos custos do produto e lidar com grandes diferenças no ambiente cultural e institucional, mesmo em comunidades na mesma cidade. Para atender a essas condições com sucesso, os empreendedores da BP devem ser altamente inovadores. Portanto, este capítulo apresenta alguns conceitos-chave em matéria de inovação, a fim de ajudá-lo a incorporar uma perspectiva de inovação para empreendimentos da

BP. O capítulo começa definindo a inovação, pois se trata de um conceito amplamente usado, mas ambíguo; em seguida, descrevem-se os desafios-chave da inovação na BP, oferecem-se algumas orientações para inovar (o núcleo do capítulo) e então se abordam outros aspectos importantes: a avaliação da sua inovação e a proteção contra os concorrentes. A última parte do capítulo oferece alguns exemplos específicos de inovação na BP.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos