15992 capítulos
Medium 9788547217075

7. Regras de comportamento e regras de estrutura

CARVALHO, Paulo de Barros Editora Saraiva PDF Criptografado

Vilém Flusser, de fato, não admite a possibilidade de uma tradução perfeita, mesmo em se tratando de línguas flexionais, com organizações parecidas. Torna-se possível aproximadamente, graças às semelhanças existentes entre as estruturas dos idiomas. Daí o adágio consagrado: tradutore, traditore. Entre as realidades criadas e formadas por duas línguas diferentes, ainda que semelhantes, há um abismo que tem de ser transposto, momento em que surgem as inevitáveis distorções.

Ora, se o Direito (tomado aqui como Ciência) e a Economia são dois sistemas cognoscentes distintos, entre eles somente poderá haver uma tradução aproximada, com a presença de termos e expressões intraduzíveis que determinam frequentes descompassos. Podem, contudo, manter uma conversação ampla, que envolva também o saber a respeito de outros segmentos do tecido social, como a Ciência Política, a Sociologia (em sentido estrito), as Ciências Contábeis, a Psicologia Social, a História etc.

7. Regras de comportamento e regras de estrutura

Ver todos os capítulos
Medium 9788547228422

12.3 Demonstração do Resultado do Exercício

RIBEIRO, Osni Moura Editora Saraiva PDF Criptografado

(continuação)

COMPANHIA: MOURA RIBEIRO S/A

BALANÇO PATRIMONIAL,

EXERCÍCIO FINDO EM 31/12/X1

CONTAS

$

CAPITAL SOCIAL

Capital……………………………………………………………………………

2.640.000

RESERVAS DE LUCROS

Reserva legal……………………………………………………………………

Total do Patrimônio Líquido……………………………………………………

Total Geral do Passivo…………………………………………………………

122.923

2.762.923

3.908.600

12.3 Demonstração do Resultado do Exercício

A Demonstração do Resultado do Exercício evidencia o resultado que a empresa obteve (lucro ou prejuízo) no desenvolvimento de suas atividades durante um determinado período, geralmente igual a um ano. Veja o que estabelece o artigo 187 da Lei n.o 6.404/1976:

A demonstração do resultado do exercício discriminará:

I. a receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos;

II. a receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos e o lucro bruto;

Ver todos os capítulos
Medium 9788547213572

Capítulo VI - Massificação e Vulnerabilidade Contratual. Condições Gerais dos Contratos

LOBO, Paulo Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo VI

Massificação e Vulnerabilidade Contratual.

Condições Gerais dos Contratos

Sumário: 6.1. Massificação contratual. 6.2. Condições gerais dos contratos. 6.3.

As condições gerais dos contratos na legislação brasileira. 6.4. Contrato de adesão. 6.5. Formação e eficácia das condições gerais dos contratos. 6.6. Integração das condições gerais nos contratos de adesão. 6.7. Cláusulas abusivas.

6.8. Vulnerabilidade contratual. 6.9. Poder negocial e proteção do contratante vulnerável.

6.1. Massificação Contratual

A sociedade de massas multiplicou a imputação de efeitos negociais a um sem-número de condutas, independentemente da manifestação de vontade dos obrigados. Não há como negar que o modelo paradigmático do liberalismo, de liberdade de escolhas para autocomposição de interesses, em igualdade de condições, teve seu espaço reduzido substancialmente, em razão da massificação contratual e da crescente concentração de capital. Esse fenômeno real, mais que a intervenção legislativa, foi a causa efetiva da crise da autonomia privada contratual. As massas são os “conjuntos humanos nos quais o homem se revela como um ser anônimo e despersonalizado” (Lôbo, 1991, p. 12).

Ver todos os capítulos
Medium 9788547222949

FERRAMENTA 11 - AS BARREIRAS DA NEGOCIAÇÃO

MOUTON, Jean Editora Saraiva PDF Criptografado

FERRAMENTA

AS BARREIRAS DA NEGOCIAÇÃO

IDENTIFICAR O QUE BLOQUEIA A NEGOCIAÇÃO

11

Barreira semântica

(Significado das palavras)

Barreiras nas negociações

Barreira organizacional

(Interna/externa)

Barreira individual

(Sistema de valores)

Fonte: © STERN P., Curso de Negociação ESCP Europe.

resumo Esta ferramenta permite identificar as barreiras que atrasam ou, até mesmo, que podem vir a bloquear definitivamente a negociação.

• Barreira semântica: quando o significado das palavras e das frases não é idêntico entre todos e provoca incompreensão.

• Barreira organizacional: quando a organização interna da negociação foi mal preparada, ou mal concebida, e quando a organização externa (imposta externamente) criou restrições difíceis de ultrapassar.

• Barreira individual ou dos sistemas de valores: quando os valores veiculados pelo outro são tão diferentes que dão a impressão de que nunca se chegará a um acordo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547213626

PRIMEIRAS REFLEXÕES SOBREORGANIZAÇÃO CRIMINOSA LXVIII

BITENCOURT, Cezar Roberto Editora Saraiva PDF Criptografado

PRIMEIRAS REFLEXÕES SOBRE

ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

LXVIII

Sumário: 1. Considerações preliminares. 2. Criminalidade organizada, criminalidade moderna e criminalidade de massa. 3 A definição legal de organização criminosa no Brasil. 3.1. Organização criminosa estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas. 3.2. Com objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagem de qualquer natureza. 3.3. Mediante a prática de infrações penais com penas superiores a quatro anos. 3.4. Mediante a prática de infrações penais de caráter transnacional. 4.

Conflito entre as Leis n. 12.694/2012 e n. 12.850/2013: haveria dois tipos de organização criminosa. 5. Lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa: inaplicabilidade da causa de aumento prevista no § 4º do art. 1º da Lei n. 9.613/98.

Art. 1º Esta Lei define organização criminosa e dispõe sobre a investigação criminal, os meios de obtenção da prova, infrações penais correlatas e o procedimento criminal a ser aplicado.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos