21588 capítulos
Medium 9788580556254

Capítulo 6. Diagnóstico por imagem: seleção e interpretação dos exames

Diana Nicoll, Chuanyi Mark Lu, Stephen J. McPhee Grupo A PDF Criptografado

6

Diagnóstico por imagem: seleção e interpretação dos exames

Zhen Jane Wang, MD, e Benjamin M. Yeh, MD

Como usar esta seção

As informações contidas neste capítulo estão organizadas anatomicamente, em ordem decrescente (superior para inferior). Seria inviável incluir todos os exames de imagem em um único capítulo de um livro deste porte, mas tentamos resumir os aspectos essenciais dos exames solicitados com mais frequência na prática clínica moderna ou aqueles que possam estar associados a dificuldades ou riscos. O capítulo apresenta as indicações, as vantagens e as desvantagens, as contraindicações e a preparação do paciente. Os custos* dos exames são fornecidos em valores aproximados, que representam as médias relatadas por diversos centros médicos de grande porte.

    $ = < $250

   $$ = $250-$750

$$$ = $750-$1.000

$$$$ = > $1.000

RISCOS ASSOCIADOS AO USO DE CONTRASTE IODADO INTRAVENOSO

PARA TC

Embora o contraste iodado intravenoso para tomografia computadorizada

Ver todos os capítulos
Medium 9788582711422

Capítulo 1 - Introdução

Daniel Martins de Barros, Eduardo Henrique Teixeira Grupo A PDF Criptografado

capítulo

INTRODUÇÃO

Eduardo Henrique Teixeira

Daniel Martins de Barros

A

1

s perícias em psiquiatria são cada vez mais comuns – seja em processos criminais, cíveis, trabalhistas ou de família, a sociedade está cada vez mais atenta às interações entre saúde mental e justiça.

A área de atuação específica da psiquiatria que se volta para tais questões é a psiquiatria forense, ramo da medicina legal, que, acompanhando o ritmo da ciência médica, vem se modernizando junto com as tendências e os avanços da psiquiatria geral. Como acontece com todas as especialidades, o acúmulo de informações em psiquiatria exige do profissional que pretende atuar na interface com a justiça não só a atualização em sua área, mas também o conhecimento das leis e de suas reformas. Isso ocorre porque a função do perito é exatamente aproximar a linguagem médica da linguagem jurídica, possibilitando o esclarecimento das questões legais decorrentes de estados mentais alterados ou relacionadas a eles.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536702353

Capitulo 53 - Alterações cutâneas no diabetes

Evandro A. Rivitti Grupo A PDF Criptografado

53

Alterações Cutâneas no Diabetes

A maioria dos diabéticos sofre alterações cutâneas, das quais algumas têm mecanismos patogênicos conhecidos, enquanto outras, não.

Alterações cutâneas associadas ao diabetes de patogenia desconhecida

2 anos, mas outras continuam a surgir em surtos. A fre­ quên­cia dessa alteração nos diabéticos tem sido registrada variavelmente de 20 a 40% e admite-se que a presença de dermopatia se associe a complicações maiores do diabetes, como nefropatia, neuropatia e retinopatia.

Necrobiose lipoídica

Essa dermatopatia (referida no Capítulo 45) consiste em áreas de degeneração do colágeno com eventual depósito secundário de lipídeos. Em dois terços dos casos, há diabetes, embora seja uma complicação rara dessa doença, pois apenas três em cada mil diabéticos a desenvolvem. O tratamento do diabetes, quando presente, não altera a evolução da necrobiose lipoídica; a granulomatose disciforme de Miescher é uma variante na qual predomina, no quadro histopatológico, o aspecto granulomatoso.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536324470

Apêndice B - Registro do pensamento disfuncional

Frank M. Dattilio Grupo A PDF Criptografado

Descreva:

1. evento real que está conduzindo a uma emoção desagradá‑ vel; ou

2. corrente de pensa‑ mentos, devaneios ou lembranças que estão conduzindo a uma emoção desagradá‑ vel; ou

3. sensações físicas estres‑ santes.

Situação

1. Escreva os pensamentos automáticos

(PA) que precederam as emoções.

2. Avalie a sua convicção imediata nos pensamen‑ tos automá‑ ticos de 0 a

100%.

Pensamentos automáticos

Descreva:

1. especifique

(triste, ansioso, zangado, etc.);

2. avalie o grau de intensi‑ dade de 0 a

100%.

Emoções

1. Pensamento tudo ou nada.

2. Supergenerali‑ zação.

3. Filtro mental.

4. Desquali‑ ficação do positivo.

5. Conclusões precipitadas.

6. Magnificação ou minimiza‑

ção.

7. Raciocínio emocional.

8. Afirmações do tipo “deveria”.

9. Rotulação.

10. Personalização.

11. Leitura mental.

12. Catastrofiza‑

ção.

Distorção

1. Escre‑ va uma resposta alternativa aos pen‑ samentos automáti‑ cos.

2. Avalie a convicção na resposta alternativa de 0 a

100%.

Reação alternativa

1. Reavalie a convicção nos pen‑ samentos automáti‑ cos de 0 a

Ver todos os capítulos
Medium 9788582713952

Capítulo 4 - Percepção, movimento e ação

Michael W. Eysenck, Mark T. Keane Grupo A PDF Criptografado

Percepção, movimento e ação

INTRODUÇÃO

A maioria das pesquisas sobre percepção discutidas até aqui neste livro envolveu a apresentação de estímulos visuais e a avaliação de aspectos de seu processamento. O que ainda está faltando (mas é um tema fundamental neste capítulo) é a dimensão do tempo. No mundo real, nós nos movimentamos e/ou as pessoas ou objetos do ambiente se movimentam. As mudanças resultantes nas informações visuais disponíveis são muito úteis para garantir que percebamos o ambiente com precisão. A ênfase na mudança e no movimento necessariamente leva a uma consideração da relação entre percepção e ação. Em suma, o foco deste capítulo está em como processamos (e respondemos a) um ambiente em constante mudança visual.

O primeiro tema abordado refere-se à percepção de movimento. Isso inclui a habilidade de nos movimentarmos de forma eficiente dentro do ambiente visual e de prevermos com precisão quando os objetos em movimento nos alcançarão.

O segundo tema refere-se a questões mais complexas: como atuamos de forma apropriada sobre o ambiente e sobre os objetos dentro dele? São relevantes as teorias

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos