18527 capítulos
Medium 9788536320991

Capítulo 3. Desenvolvendo rapport

James Morrison Grupo A PDF Criptografado

3

Desenvolvendo rapport

O rapport é o sentimento de harmonia e de confiança que deve existir entre o paciente e o clínico. Como um dos objetivos de uma boa entrevista, um bom rapport tem consequências práticas. Essa questão é especialmente relevante se você for tratar esse paciente no futuro. A confiança que você começa a desenvolver mesmo nos minutos iniciais da primeira sessão pode aumentar imensamente a sua capacidade de lidar com a terapia. De fato, o quanto você consegue transmitir o seu interesse é o fator mais provável de manter o paciente em tratamento.

Além disso, o rapport também é vital para obter informações. Durante a fase da avaliação da sua relação, o rapport positivo ajuda a motivar o paciente a falar espontaneamente e revelar dados pessoais importantes.

A base para o rapport costuma já estar pronta. A maioria dos pacientes chega procurando ajuda e espera obtê-la com o clínico. Você pode explorar essa expectativa com suas palavras e sua linguagem corporal, que devem expressar interesse verdadeiro pelo paciente. Embora seja possível que você diga algo incômodo inadvertidamente, existe pouca coisa que possa dizer ou fazer que não possa ser recuperada se você se mantiver interessado e sensível à experiência do paciente.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577807505

5. DAS e Introdução a SCSI

Somasundaram, G. Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

5

DAS e Introdução a SCSI

O DAS (Direct-Attached Storage) é uma arquiteCONCEITOS-CHAVE tura na qual o armazenamento se conecta direDAS interno e externo tamente aos servidores. Os aplicativos acessam dados do DAS a partir de protocolos de acesso

Arquitetura SCSI em nível de bloco. O HDD interno de um host,

Endereçamento SCSI bibliotecas de fitas e pacotes de HDDs externos conectados diretamente são alguns exemplos de DAS.

Embora a implementação de tecnologias de rede de armazenamento esteja se tornando mais popular, o DAS permanece ideal para o acesso e compartilhamento de dados localizados em ambientes que tenham um número pequeno de servidores. Por exemplo, empresas de pequeno porte, departamentos e grupos de trabalho que não compartilham informações entre companhias consideram o DAS uma solução apropriada. Empresas de médio porte usam o DAS para file serving e e-mail, enquanto as maiores ampliam o DAS com SAN e NAS.

Este capítulo descreve os dois tipos de DAS, bem como suas vantagens e limitações. Uma parte importante dele é dedicada ao detalhamento dos tipos de dispositivos de armazenamento usados em ambientes DAS e SCSI – o protocolo mais proeminente usado em DAS.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582714324

PARTE IV – O Encéfalo em Mudança

Mark F. Bear; Barry W. Connors; Michael A. Paradiso Grupo A PDF Criptografado

PARTE IV

781

O Encéfalo em Mudança

CAPÍTULO 23

Conectando o Encéfalo

783

CAPÍTULO 24

Sistemas de Memória

823

CAPÍTULO 25

Mecanismos Moleculares do Aprendizado e da Memória

865

Esta página foi deixada em branco intencionalmente.

CAPíTUlO 23

Conectando o Encéfalo

INTRODUÇÃO

A GêNESE DOS NEURÔNIOS

Proliferação Celular

QUADRO 23.1

DE ESPECIAL INTERESSE: A Neurogênese em Seres Humanos Adultos (Ou Como os Neurocientistas

Aprenderam a Apreciar a Bomba)

Migração Celular

Diferenciação Celular

Diferenciação de Áreas Corticais

QUADRO 23.2

A ROTA DA DESCOBERTA: Construindo um Mapa da Mente, por Pasko Rakic

A GêNESE DAS CONEXÕES

O Axônio em Crescimento

Orientação dos Axônios

Sinais de Orientação

Estabelecendo Mapas Topográficos

QUADRO 23.3

DE ESPECIAL INTERESSE: Por Que os Axônios de Nosso SNC Não Se Regeneram?

Ver todos os capítulos
Medium 9788577801145

10. Construindo Formulários

Adobe Creative Team Grupo A PDF Criptografado

10 Construindo Formulários

Nesta lição, você aprenderá a criar formulários para sua página e a fazer o seguinte:

• Inserir um formulário

• Incluir campos de texto

• Trabalhar com componentes de formulário Spry

• Utilizar botões de opção

• Aplicar caixas de seleção

• Inserir listas

• Adicionar botões de formulário

• Incorporar conjuntos de campos e legendas

• Formatar formulários com estilos de CSS

Esta lição levará aproximadamente 120 minutos para ser concluída. Certifique-se de você copiou Lessons/Lesson10 do CD do Adobe Dreamweaver

CS3, Classroom in a Book para sua unidade de disco antes de iniciar. Ao trabalhar nesta lição, você sobrescreverá os arquivos iniciais. Se for necessário restaurar os arquivos iniciais, copie-os novamente do CD.

Visualize seu arquivo final

Para ter uma idéia do arquivo em que você trabalhará na primeira parte desta lição, vamos visualizar a página final no navegador.

1 Inicie o Adobe Dreamweaver CS3.

2 Se necessário, pressione F8 para abrir o painel Files e escolha DW CIB

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899958

Estratégia 13 - Círculos conceituais

Barbara Moss; Virginia S. Loh Grupo A PDF Criptografado

Estratégia 13

Círculos conceituais

3a série do ensino fundamental – 3o ano do ensino médio

Começando

Ganhando prática

Vocabulário

Compreensão

Escrita

O QUE É ISSO?

Um Círculo Conceitual (Vacca e Vacca, 1999) é um modo de os estu­ dantes estudarem palavras e relacionarem-nas umas às outras. Círculos

Conceituais são círculos que foram divididos em seções. Palavras e/ou frases podem ser colocadas em cada seção do círculo. Os estudantes exa­ minam as palavras em cada seção do círculo e nomeiam ou descrevem a relação conceitual entre as seções.

Círculos Conceituais são uma estratégia muito versátil e útil com alunos de todas as idades. Os professores podem usar Círculos Conceituais para que seus alunos identifiquem personagens em uma história, conceitos geográficos como planalto, tundra ou estepe, ou termos científicos como fotossíntese ou mitose. Essa é uma estratégia motivadora que pode ser modificada para que fique mais desafiadora. Além disso, Círculos Con­ceituais são uma estratégia simples para os alunos criarem por conta própria.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos