Grupo A (237)
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788580551457

Capítulo 4 - Dinâmica cultural na avaliação dos mercados globais

Philip R. Cateora; Marcy C. Gilly; John L. Graham Grupo A PDF Criptografado

Ambiente cultural dos mercados globais

Pa r t E d o i s

Perspectiva global ações e eBay – interposição cultural

Dois trilhões de dólares! Isso equivale a aproximada‑ mente 200 trilhões de ienes. Seja em que moeda for, é muito dinheiro. Casas de corretagem americanas como a

Fidelity Investments, a Goldman Sachs e a Merrill Lynch providenciaram depressa novos produtos e serviços de investimento para introduzir no Japão e tentar atrair o imenso fluxo de capital esperado dos depósitos a prazo de dez anos mantidos no sistema postal japonês. A libe‑ ralização dos mercados de capitais japoneses nos últi‑ mos anos agora oferece aos consumidores japoneses maior liberdade de opção quanto aos seus investimentos.

Os depósitos a prazo pelo correio ainda rendem em torno de 2% no Japão, e as poupanças bancárias não têm ren‑ dido nada. Para os padrões de trading eletrônico ameri‑ canos, isso significa uma torrente eletrônica de dinheiro escoando dos correios e entrando nos mercados acioná‑ rios. Correto?

Mas o Japão não é os Estados Unidos. Entre os investi‑ dores japoneses, a cultura de assumir riscos ao estilo ame‑ ricano não tem espaço. O volume do comércio de ações no

Ver todos os capítulos
Medium 9788580551457

Capítulo 2 - Ambiente do comércio internacional dinâmico

Philip R. Cateora; Marcy C. Gilly; John L. Graham Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

2

Ambiente do comércio internacional dinâmico

SUMÁRIO

objetivos de aprendizagem

■■ Perspectiva global

OA1

Barreiras comerciais: campo minado para o profissional de marketing internacional

Alicerce para o restabelecimento do comércio mundial após a Segunda Guerra Mundial

OA2

Importância dos números do balanço de pagamentos para a economia de um país

OA3

Efeitos do protecionismo sobre o comércio mundial

■■ Balanço de pagamentos

OA4

Vários tipos de barreiras ao comércio

■■ Protecionismo

OA5

Cláusulas da Lei Geral de Comércio e Competitividade

OA6

Importância do Gatt e da Organização Mundial do Comércio

OA7

Surgimento do Fundo Monetário Internacional e do Grupo Banco Mundial

■■ Do século XX ao XXI

■■ Comércio mundial e multinacionais americanas

■■ Após a primeira década do século XXI

■■ Proteção lógica e ilógica

■■ Barreiras comerciais

■■ Abrandamento das restrições comerciais

■■

■■

■■

■■

Lei Geral de Comércio e Competitividade

Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio

Organização Mundial do Comércio

Contornando o espírito do Gatt e da OMC

Ver todos os capítulos
Medium 9788577807154

Jornais e revistas

Ken Burtenshaw; Nik Mahon; Caroline Barfoot Grupo A PDF Criptografado

Anatomia de um anúncio de jornal/revista

Jornais e revistas

Os anúncios de jornal e revista são uma excelente oportunidade de treinar a criatividade. Como acontece com muitas mídias publicitárias, a equipe de criação precisa ser rápida para convencer o público a ler o anúncio, pois não chamar a atenção significa que a página será virada ou a mensagem, ignorada. Tradicionalmente, a combinação de chamada, imagem, texto principal, slogan e logotipo diferencia essa mídia dos cartazes. Além disso, o leitor em geral está sentado em casa ou no transporte coletivo, lendo o jornal ou revista, e não passando apressado por um cartaz a caminho do trabalho ou do supermercado.

Embora não exista uma fórmula pronta para criar um anúncio impresso de sucesso, em geral, as equipes de criação combinam uma chamada inteligente com uma imagem complementar que atrai a atenção do leitor e o leva diretamente ao texto principal. Na chamada, o redator pode utilizar fatos interessantes ou inusitados para gerar interesse e curiosidade em relação ao texto principal do anúncio, que apresenta as vantagens da marca ou produto. Em geral, o texto é seguido pelo logotipo da marca, um slogan e as informações de contato da empresa ou fabricante (ver Redação, p. 106).

Ver todos os capítulos
Medium 9788582602171

Agência NL e DesignThinkers

Marc Stickdorn, Jakob Schneider Grupo A PDF Criptografado

222 / 223

Casos

DesignThinkers

Agência NL

AGÊNCIA NL E

DESIGNTHINKERS

Agência NL (Ministério da Fazenda da Holanda)

Agência NL é um departamento do Ministério da Fazenda da Holanda que implementa políticas governamentais para sustentabilidade, inovação, negócios internacionais e cooperação. É o ponto de contato para negócios, centros de excelência e órgãos governamentais que estejam em busca de informações e aconselhamento, questões financeiras, de networking e de regulamentação.

A Agência NL busca criar uma comunidade de negócios inovadora em uma sociedade segura, solidária e sustentável, e promove o crescimento econômico sustentável criando um elo entre mercado e governo, tanto no nível nacional quanto no internacional. Ela oferece a empresas, centros de excelência e autoridades governamentais aconselhamento, conhecimento e apoio financeiro.

DesignThinkers

DesignThinkers é uma empresa cooperativa constituída por vários associados.

Ver todos os capítulos
Medium 9788540701779

Capítulo 10 - Produção de Roupas e Pesquisa e Prospecção Global

Gini Stephens Frings Grupo A PDF Criptografado

10

Produção de Roupas e Pesquisa e

Prospecção Global

Foco de carreira

Existem várias possibilidades interessantes de trabalhos técnicos nas áreas de produção de vestuário e de pesquisa e prospecção global. A formação técnica em modelagem e conhecimentos de informática são pré-requisitos para os cargos de modelista. Os interessados em materiais podem considerar o cargo de comprador de tecidos e aviamentos. Aqueles que se dão bem com números talvez gostem de trabalhar com pesquisa e prospecção, análise de custos e planejamento de produção. A maioria desses trabalhos, porém, atualmente é feita em fábricas no exterior. Para serem bons profissionais, os gerentes de pesquisa e prospecção precisam entender o processo de produção e viajar muito para fábricas em várias partes do mundo.

Objetivos do capítulo

Neste capítulo, você vai aprender a:

1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

Explicar o custo de uma peça de roupa

Descrever as etapas da produção de vestuário

Ver todos os capítulos

Ver Todos

Editora Manole (8)
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788520435649

A lingerie desde os anos 1960 até os dias de hoje

SCOTT, Lesley Editora Manole PDF Criptografado

A lingerie desde os anos

1960 até os dias de hoje

Enquanto na década de 1950 era inadmissível que uma mulher decente saísse de casa sem um sutiã de firme sustentação – possivelmente um bustiê – e uma cinta para controlar e achatar a barriga, nos anos 1960 houve uma mudança radical em relação ao uso da roupa íntima. O corpo da moda era mais infantil, com modelos que quase não tinham seios, tais como Twiggy, ao passo que o surgimento do movimento feminista significava que muitas mulheres não estavam mais dispostas a se achatar em nome da moda.

Mais tarde, ainda que os avanços na tecnologia de tecidos e desenhos tenham conduzido a uma nova gama de roupas

íntimas modeladoras confortáveis, outras mulheres optavam por dietas e exercícios aeróbicos para tonificar o corpo, o que tornava as vestimentas de contenção em parte redundantes.

105

IW Lingerie 104-121 Ch4 UK.indd 105

25/4/13 8:28 AM

Cena do filme Boneca de carne

(1956) de Elia Kazan

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435649

A lingerie na cultura popular: cinema, música e dança

SCOTT, Lesley Editora Manole PDF Criptografado

A lingerie na cultura popular: cinema,música e dança

O poder dos filmes de transformar um visual em uma tendência mundial data dos anos 1920 e 1930, e o desenvolvimento da máquina de Hollywood se aplica tanto à lingerie quanto

à roupa de cima. Os filmes também usaram a lingerie para representar as mulheres como uma vasta gama de arquétipos, da pureza virginal a deusas vulgares do sexo e de vítimas a predadoras. Dançarinas e artistas da música usaram o simbolismo da lingerie para criar uma série de personalidades no palco, bem como para fazer protestos em relação à sociedade,

à cultura e à política. A mais recente, e uma das mais poderosas, representante dessa tendência é a polêmica Lady Gaga.

123

IW Lingerie 122-163 Ch5 UK.indd 123

25/4/13 8:38 AM

Lingerie: da antiguidade à cultura pop

A lingerie e a mulher ultramoderna

A forma como Madonna, definitivamente uma Material Girl, não apenas fez uso da sua sexualidade, mas também a exibiu para ganhar importante fama e fortuna, desafiou as noções feministas sobre o que poderia – e deveria

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435649

A lingerie no século XIX

SCOTT, Lesley Editora Manole PDF Criptografado

A lingerie no século XIX

A Revolução Francesa de 1789 sinalizou uma grande mudança política e social. Saias amplas, corpetes exagerados, anáguas e paniers complexos foram jogados fora com o antigo regime, e estilos românticos mais simples com cinturas largas foram adotados, exigindo o mínimo de roupas íntimas.

Porém, em meados da década de 1820, o tamanho da cintura diminuiu novamente, e o espartilho, que depois passou a se chamar corset, entrou de novo na moda, dessa vez criando uma forma mais parecida com a “ampulheta”.

O século XIX presenciou uma série de avanços tecnológicos no desenho dos corpetes, incluindo uma renda elástica, bem como elaborações complicadas, como as crinolinas e anquinhas, desenvolvidas para dar suporte às elegantes saias da época.

53

IW Lingerie 052-069 Ch2 UK.indd 53

25/4/13 8:27 AM

Neste retrato da Madame Récamier do início do século XIX, de François

Gérard, as roupas eram minimalistas

Vestidos delicados e esvoaçantes, com um evidente toque do século XIX

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435649

A lingerie nas artes gráficas e na cultura pop

SCOTT, Lesley Editora Manole PDF Criptografado

A lingerie nas artes gráficas e na cultura pop

Bem justa no corpo, a lingerie tem o poder de provocar fantasias melhor do que qualquer outra peça do vestuário.

Super-heroínas como a Mulher-Maravilha usam trajes que não são muito diferentes das roupas íntimas exóticas usadas orgulhosamente por heróis da ficção científica e, em tempos mais recentes, por habitantes de um mundo virtual – os avatares. Modelos vestindo lingeries têm sido uma inspiração para fotógrafos como Helmut Newton e

Guy Bourdin, cujas representações muitas vezes acabam declinando para o voyeurismo. Na cultura popular, o encanto associado à habilidade da lingerie em transformar um corpo fez ressurgir recentemente o interesse pelos corpetes e pela técnica de redução de medidas.

165

IW Lingerie 164-195 Ch6 UK.indd 165

25/4/13 8:39 AM

Milla Jovovich em figurino desenhado por Jean Paul

Gaultier

166

IW Lingerie 164-195 Ch6 UK.indd 166

25/4/13 8:39 AM

A lingerie nAs Artes gráficAs e nA culturA pop

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435649

Escolha, compra e cuidados com a lingerie

SCOTT, Lesley Editora Manole PDF Criptografado

Escolha, compra e cuidados com a lingerie

É verdade que uma lingerie bem certinha no corpo pode tanto empobrecer quanto valorizar uma roupa – e, hoje em dia, pode literalmente transformar a imagem de uma mulher e aumentar a gama de roupas que ela pode usar.

Uma grande variedade de tamanhos (existem na Europa sutiãs desde o tamanho AAA ao KK) significa que quase todo mundo poderá encontrar um sutiã que vista bem e favoreça a mulher. Lingeries bonitas se tornaram o foco principal das lojas atualmente, e até mesmo lojas com produtos mais acessíveis possuem conjuntos de sutiã e calcinha atraentes.

Na seção de peças luxuosas de uma loja, observa-se uma enorme variedade de lingeries elaboradas com requinte, que combinam os mais novos modelos com os mais finos tecidos.

207

IW Lingerie 206-221 Ch8 UK.indd 207

25/4/13 8:43 AM

Dicas para a escolha do sutiã

Para escolher a lingerie correta e cuidar dela de maneira apropriada, siga algumas das dicas da estilista Tina Gill.

Ver todos os capítulos

Ver Todos