Grupo Almedina (21)
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9789724418933

ARTE CONCRETA

Kandinsky, Wassily Grupo Almedina PDF Criptografado

ARTE CONCRETAPublicada em março de 1938, na revista XX. Siècle, nº 1.Kandinsky regressa à ideia de que todas as artes têm uma mesma raiz e que apenas os meios de expressão diferem. Mas até esta diferença entre os meios de expressão é destruída pelas leis enigmáticas da composição, que são as mesmas para todas as artes.Deste modo, o parentesco entre a música e a pintura é evidente.A música organiza os seus meios no tempo e a pintura organiza-os no plano, mas o tempo e o plano são medidos exatamente pela mesma intuição. A diferença entre tempo e plano parece de resto exagerada.Num tom muito próximo da sua obra Do Espiritual na Arte, Kandinsky desenvolve este parentesco que para ele se encontra na origem da invenção da arte abstrata. Se existe uma identidade entre os impulsos criativos, existe também uma correspondência entre os efeitos artísticos. Recordamo-nos das correspondências entre sons e cores definidas na referida obra. Estes efeitos são correspondentes porque a pintura não é exclusivamente recebida pelo olho nem a música exclusivamente pelo ouvido, sendo que ambas as artes se dirigem aos cinco sentidos (tocar – impressão de picada ou de suavidade; odor – a violeta possui um «odor» diferente do «odor» do amarelo; gosto – pintura saborosa...). A arte produz, também efeitos psicológicos: podemos falar de pintura «fria», de música «glacial», os tons e os sons podem ser «quentes».

Ver todos os capítulos
Medium 9789724417134

História da arte e história universal

Riegl, Alois Grupo Almedina PDF Criptografado

História da arte e história universalO meu médico de família conta-se entre aquela minoria dos seus colegas que não se dedica exclusivamente à clínica, mas que consagra também uma atenção constante às grandes questões teóricas da história da natureza. Tais paixões puramente científicas dos médicos nem sempre costumam ser profícuas para o sucesso da prática clínica; permita-se-me, pois, que realce o facto de que eu enquanto paciente fiquei sempre completamente satisfeito com o trabalho do meu médico. Menos satisfeito está ele comigo, ou antes, estava até há bem pouco tempo. O meu métier não lhe agrada. Não via na história da arte nada mais que uma tentativa votada ao fracasso de descrever, com meios secos e estéreis, o indescritível, nada mais que o decalque sóbrio do que foi criado na embriaguez do supremo entusiasmo e que, por conseguinte, se devia fruir igualmente em tal estado. Não compreende aquilo que outros gostariam de encontrar numa enumeração ordenada cronologicamente das datas externas das criações artísticas, e assim, para aclarar as suas ideias sobre isso, resolveu-se por fim a frequentar durante um semestre um curso sobre história da arte.Este versava por acaso a pintura holandesa. Não faltou a uma única

Ver todos os capítulos
Medium 9789724418933

TODA A ÉPOCA ESPIRITUAL

Kandinsky, Wassily Grupo Almedina PDF Criptografado

TODA A ÉPOCA ESPIRITUALTexto publicado na revista XX. Siècle em 1943, um ano antes da morte de Kandinsky.As nove primeiras linhas são retomadas de uma publicação de luxo, 10 Origin, editada em 1942 por Max Bill, na Allianz Verlag deZurique e que oferecia xilogravuras de Kandinsky e de muitos outros artistas. Kandinsky escreveu a este propósito uma curta introdução.Ele retoma a ideia segundo a qual todos os domínios espirituais de uma época estão ligados por um mesmo conteúdo, que eles procuram exprimir seguindo uma forma perfeitamente adequada.O conteúdo espiritual da nossa época é a luta contra o materialismo puro.A arte possui além disso uma virtude profética que lhe permite exprimir o conteúdo da época futura. Este conteúdo é o advento da ideia sintética na qual se unirão o espírito e a matéria.O texto continua com um grande extrato do texto anterior a este(«O valor de uma obra concreta»), no qual ele liga a obra de um determinado pintor a essa fisionomia geral de uma época, ao seu conteúdo presente e futuro.

Ver todos os capítulos
Medium 9789724417134

2. A relação do valor de memória com o cultodos monumentos

Riegl, Alois Grupo Almedina PDF Criptografado

o culto moderno dos monumentosdo curso natural, regular, a que toda a obra humana está certa e infalivelmente sujeita. Os sinais de uma destruição violenta fazem que as ruínas de um castelo, mesmo proporcionalmente, pareçam menos apropriadas para evocar no espectador moderno uma pura disposição harmoniosa do valor de antiguidade; se recorremos a este exemplo, contudo, num passo anterior, para ilustrar o valor de antiguidade, tal só sucedeu porque, a partir das ruínas, um tal valor torna-se sonora e nitidamente perceptível, demasiado sonoro para proporcionar ao homem afectivamente impressionável moderno a redenção perfeita.2. A relação do valor de memória com o culto dos monumentosDistinguimos nos monumentos três valores de memória diferentes e temos agora de investigar que exigências ao culto dos monumentos resultam da índole de cada um destes valores individualmente. Seguidamente, cumpre considerar os restantes valores que um monumento pode oferecer ao homem moderno; enquanto valores de actualidade, podem contrapor-se em globo aos valores de passado ou de memória.

Ver todos os capítulos
Medium 9789724417134

A disposição harmoniosa como conteúdo da arte moderna

Riegl, Alois Grupo Almedina PDF Criptografado

A disposição harmoniosa como conteúdo da arte modernaSentei-me no cume solitário de uma montanha. A terra abre-se a meus pés de tal modo alcantilada, que nenhuma coisa me está próxima de forma palpável, não podendo excitar o meu tacto.Fica entregue somente aos olhos a tarefa de fazer o relato delas, e muitas e variadas coisas têm eles a relatar. Formam-se então ondas no chão verde de ervas, variegadamente salpicado de flores que a primavera faz brotar e que desaparecerão com a próxima primavera. Limitado está o prado muito abaixo do bosque de pinheiros com as suas inúmeras copas que se erguem; mas uma leve cintilação está por cima delas como um sopro, pois o verão está no seu início e nascem novos rebentos que aumentam diariamente o volume do bosque. À beira do renque de árvores pastam vacas, bem sei que nunca estão quietas, mas agora só minúsculos pontos brancos anunciam a sua existência. Se levantar o olhar para o muro de rochas, ele encontra primeiro a queda de água que se precipita sobre paredes do tamanho de uma casa e a cujo trovejar furioso nenhum som se pode sobrepor; via-a e escutei-a junto a mim, e senti então uma reverência temerosa perante uma força

Ver todos os capítulos

Ver Todos

Grupo A (157)
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788577801107

5. Adicionando Animação

Adobe Creative Team Grupo A PDF Criptografado

LIÇÃO 5 155

Adicionando Animação

Sobre animação

Animação é o movimento, ou deslocamento, dos objetos ao longo do tempo. A animação pode ser tão simples como mover uma caixa no Stage de um frame para o frame seguinte, mas também pode ser muito mais complexa. Como veremos nesta lição, você pode animar muitos aspectos diferentes de um único personagem: os membros, por exemplo, e também os olhos, as orelhas ou a língua. Você pode mover objetos através do espaço, alterar a cor ou transparência, modificar o tamanho e até transformá-los em formas diferentes.

Para animar objetos no Flash, crie keyframes na Timeline. Você já utilizou keyframes nas lições anteriores. Em cada keyframe, o Flash registra o estado atual do Stage: posição, cor, tamanho, forma e outros atributos dos objetos. Para criar uma animação gradual, crie um keyframe para cada frame e altere um pouco os objetos para cada um. No Flash, porém, é mais fácil e mais rápido tirar proveito dos tween motion e shape: você cria o primeiro e o

Ver todos os capítulos
Medium 9788577806188

2. EXPLORANDO O ADOBE ONLOCATION CS4

Adobe Creative Team Grupo A PDF Criptografado

40 ADOBE PREMIERE PRO CS4

Classroom in a Book

Introdução

Agora disponível para as plataformas Mac e Windows, o Adobe OnLocation permite que você grave o vídeo da câmera diretamente no disco, pulando o processo lento de gravar em fita e então capturar. Como os editores estão frequentemente lutando contra prazos apertados, essa capacidade representa um aumento de produtividade. O Adobe OnLocation também poupa tempo e melhora a qualidade das suas filmagens, oferecendo ferramentas e escopos de controle profissionais enquanto você filma.

Configure o Adobe OnLocation

O Adobe OnLocation comunica-se com câmeras de vídeo e outros dispositivos compatíveis com OHCI utilizando o padrão IEEE 1394. Você pode conectar a câmera à área de trabalho ou a um computador notebook, como será descrito posteriormente, via um cabo IEEE 1394, exatamente como você faria para capturar o vídeo que já foi gravado em fita.

No entanto, em vez de capturar o vídeo para o Adobe Premiere Pro, você vai gravar o vídeo ao vivo diretamente no computador. Isso requer que o computador esteja “no local” com a câmera de vídeo. Eis os passos básicos:

Ver todos os capítulos
Medium 9788536321318

Capítulo 2 - TRANSTORNOS COGNITIVOS

Landeira-Fernandez, J. Grupo A PDF Criptografado

capítulo 2

TRANSTORNOS

COGNITIVOS

O termo cognição deriva da palavra latina cognitione, que significa conhecer. Representa o conjunto das funções mentais responsáveis pela aquisição, organização, interpretação e armazenamento de informações do mundo externo que possuem algum valor significativo para o indivíduo. São as habilidades cognitivas que nos permitem representar o mundo à nossa volta, prevendo e alterando o curso de eventos futuros. Dentre o grande número de funções cognitivas, destacam-se a consciência, a atenção, a orientação, a sensopercepção, a memória, o pensamento, a inteligência e as funções executivas. A seguir, discutiremos algumas dessas funções cognitivas.

A consciência é, sem dúvida, a mais complexa de todas as funções mentais. A própria palavra consciência é utilizada em nossa língua para expressar, pelo menos, dois processos mentais relativamente distintos. Assim, o termo consciência pode ser empregado para indicar a vivência subjetiva da atividade mental, o dar-se conta das vivências internas (pensamentos, sentimentos, recordações), dos estímulos corporais e do mundo externo (a sensopercepção). Nesse sentido, ela representa a integração de todos os processos psíquicos em determinado momento.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577806348

7. TRABALHANDO COM MÁSCARAS

Adobe Creative Team Grupo A PDF Criptografado

204 ADOBE AFTER EFFECTS CS4

Classroom in a Book

Sobre máscaras

Uma máscara (mask) no Adobe After Effects é um caminho (path), ou uma linha de contorno, utilizado para modificar os efeitos e as propriedades de uma camada. O uso mais comum de máscaras é modificar o canal alfa de uma camada.

Uma máscara consiste em segmentos e vértices. Segmentos são linhas ou curvas que conectam vértices. Vértices definem onde cada segmento de um caminho começa e termina.

Uma máscara pode ser um caminho aberto ou fechado. Um caminho aberto tem um ponto inicial que não é o mesmo que o ponto final; uma linha reta é um caminho aberto. Um caminho fechado é contínuo e não tem início ou fim, como um círculo. Máscaras de caminho fechado podem criar áreas transparentes para uma camada. Caminhos abertos não podem criar áreas transparentes para uma camada, mas são úteis como parâmetros para um efeito. Por exemplo, você pode gerar uma luz direcional em torno de uma máscara utilizando o efeito Vegas.

Uma máscara pertence a uma camada específica e cada camada pode conter múltiplas máscaras.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577806188

18. GERENCIANDO PROJETOS

Adobe Creative Team Grupo A PDF Criptografado

342 ADOBE PREMIERE PRO CS4

Classroom in a Book

Introdução

Se for do tipo que “faz tudo”, monitorar projetos provavelmente é algo muito fácil para você. Mas depois de começar a incorporar outras pessoas ao mix de produção, é necessário descobrir maneiras de gerenciar seus conteúdos. O Adobe

Premiere Pro CS4 tem uma ferramenta de gerenciamento de projetos eficiente, chamada Project Manager, que reduz o tamanho de armazenamento de um projeto e consolida os arquivos associados a ele.

O recurso Clip Notes no Adobe Premiere Pro simplifica um fluxo de trabalho colaborativo facilitando o feedback de clientes e colegas. É possível embutir uma sequência renderizada como um arquivo de vídeo dentro de um arquivo PDF ou armazená-la em um servidor e adicionar um link a esse arquivo no arquivo PDF.

Nos dois casos, um revisor pode abrir o arquivo PDF, reproduzir o filme e inserir comentários diretamente no arquivo PDF. Mais tarde você pode ler esses comentários de dentro da Timeline.

O Project Manager permite salvar ou consolidar um projeto para arquivamento fácil, e seus recursos de importação permitem compartilhar projetos completos ou partes de projetos.

Ver todos os capítulos

Ver Todos

Editora Manole (16)
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788520432273

5. Entrevistas

NACCACHE, Andréa Editora Manole PDF Criptografado

ENTREVISTAS

Da Vinci e o moldureiro 137 fernando cocchiarale

O verdadeiro brasileiro 141 roberta cosulich

Vida independente, mundo sem dono 147 joão marcello bôscoli

Remixando vidas 153 reinaldo pamponet

O desejo em rede 161 fernando cocchiarale

Luzes, câmeras, indústria! 165 paulo borges

O mundo na ponta dos dedos 171 ricardo guimarães

Design, experiência humana 177 paula dib

Escola sem ficção 185 elenice lobo e gilson domingues

Realidade inventada 191 alceu baptistão

A importância econômica da criação 199 stephen rimmer

O imperativo da presença 207 ana carmen longobardi

Para se sentir vivo 213 charles watson

5

1

DA VINCI E O MOLDUREIRO

SOBRE A SEPARAÇÃO E O REENCONTRO DA

ARTE E DO ARTESANATO

FERNANDO COCCHIARALE, ARTISTA DE MÍDIA, FILÓSOFO E

PROFESSOR DE CRIAÇÃO

138

CRIAÇÃO

Este termo começou a ser usado para o trabalho do artista apenas no século 19. Surgiu como consequência do Romantismo, movimento intelectual e artístico do século 18, que pregava a ideia de originalidade e genialidade pessoal, e de separação entre arte e artesanato. Até então, arte e artesanato tinham sido sempre indiferenciados. A partir daquele momento, os produtos utilitários foram considerados atribuição exclusiva do artesão, e o artista, por outro lado, era quem elaborava os objetos destinados à contemplação.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435007

4. Mecanismos estaduais de incentivo à cultura

CESNIK, Fábio de Sá Editora Manole PDF Criptografado

4

Mecanismos estaduais de incentivo à cultura

Alguns estados brasileiros possuem legislação de incentivo à cultura, como

é o caso do Acre, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso do Sul, de Minas Gerais, da Paraíba, do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Norte, do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e de São Paulo.

Parte dessas leis data do início da nova estrutura de incentivos fiscais no

Brasil; a lei do Rio de Janeiro, por exemplo, data de 1992 e permanece em vigor até hoje.

Do mesmo modo que o incentivo federal se baseia no benefício de imposto de renda, os incentivos estaduais baseiam-se no imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias sobre prestação de serviços e de comunicação de transporte interestadual e intermunicipal (ICMS), tributo de competência dos estados federados.

A mais recente lei, comentada nessa nova edição do livro, é o programa de apoio à cultura do governo do estado de São Paulo, recentemente bastante aprimorado. A seguir, serão mantidas atualizadas as últimas alterações da lei de incentivo do estado da Bahia.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435007

6. Penalidades

CESNIK, Fábio de Sá Editora Manole PDF Criptografado

6

Penalidades

As legislações de incentivo à cultura autorizam que pessoas físicas ou ju­ rídicas, de natureza cultural, movimentem recursos oriundos de renúncia fis­ cal de impostos. Justamente por isso, todas as leis de incentivo exigem a pres­ tação de contas como forma de verificar a correta aplicação dos recursos, além do resultado cultural proveniente do projeto incentivado.

Por esta mesma razão, todas as leis de incentivo à cultura devem prever penalidades para os patrocinadores e proponentes do projeto que agirem com fraude na administração dos recursos.

Como forma de esclarecer e contribuir para que burlas a este sistema dei­ xem de existir, é que dedicamos este capítulo ao tema das penalidades, sendo certo que essas fraudes têm o efeito pernicioso de desviar recursos de uma área carente por investimentos, além de tornar os mecanismos de incentivo uma forma mal vista de parceria entre o setor privado e o setor público. Pretende­ mos, com esse capítulo, apresentar um quadro das condutas que são caracteri­ zadas como infrações à legislação de incentivo à cultura, com as sanções previs­ tas no âmbito de cada lei, com tipificação até de crime, com pena de reclusão.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520432273

2. Presente – Fernando e Humberto Campana e Jum Nakao

NACCACHE, Andréa Editora Manole PDF Criptografado

41

PRESENTE

FERNANDO E HUMBERTO CAMPANA

E JUM NAKAO

Nakao: “A Costura do Invisível” 44

/Campana: para mostrar a rua 47

/Da ideia ao objeto ou do objeto à ideia 50

/Egoísmo e generosidade 52 /Para si

ou para o outro, para si e para o outro 54

/O máximo: um trabalho de dar raiva! 56

/Entre o “outro” e o “eu” 57 /Inventores de convívios 59 /Maleável como o ar 59

/Resultados diferentes 61 /O tempo da dúvida 63 /O começo e o fim 64 /De porta em porta: sorte e persistência 65

/Coffee break 66 /A qualquer hora: a inspiração 67 /Extimidade 69

/Parcerias comerciais 70 /Educação

criativa: liberdade compartilhada 71

/Fama e reconhecimento 72 /O futuro:

o alcance econômico e social da criação 73

/De mãos dadas 73

44

NAKAO: “A COSTURA DO INVISÍVEL”

É nosso primeiro encontro aberto a convidados. A proposta foi reunir debatedores de diversas áreas, diferentes bases culturais, para investigarem juntos, em uma edição ao vivo, as histórias que os autores nos contariam sobre suas vidas, seus trabalhos, sua visão da criação atual. Quem estava na sala

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435007

2. Aspectos constitucionais e tributários do incentivo fiscal

CESNIK, Fábio de Sá Editora Manole PDF Criptografado

2

Aspectos constitucionais e tributários do incentivo fiscal

Incentivos fiscais são estímulos concedidos pelo governo, na área fiscal, para a viabilização de empreendimentos estratégicos, sejam eles culturais, econômicos ou sociais. Eles têm ainda a função de melhorar a distribuição de renda regional. A frase abaixo, extraída do prefácio do livro Incentivos fiscais para o desenvolvimento, organizado por Antônio Roberto Sampaio Dória1, inspira a compreensão do significado do incentivo fiscal:

Velho instrumento de vitalização econômica dirigida, o estímulo tributário desdobrou-se no Brasil, na década passada, num leque de alternativas que em originalidade, amplitude e ambição de propósitos, não encontra símile no mundo contemporâneo. Programas de desenvolvimento lastreados em análoga instrumentação, como o do Mezzogiorno na Itália meridional e o de Porto Rico nas

Antilhas, apequenam-se diante da experiência brasileira que, ainda quase só potencial, entremostra apenas seus primeiros frutos.

Ver todos os capítulos

Ver Todos