Manole (134)
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788520436561

Sumário

Marlene Matias Manole PDF Criptografado

sumário

Apresentação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . XIII

Lista de abreviaturas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . XV

Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. XVII

PARTE 1- FUNDAMENTOS BÁSICOS SOBRE EVENTOS. . . . . . . . . . . 1

Capítulo 1: Origem, evolução, conceitos e tipologia de eventos . . . . . 3

Conceitos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5

Tipologia. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6

Capítulo 2: Noções de planejamento de eventos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13

Concepção. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13

Ver todos os capítulos
Medium 9788520429426

Se a Google fosse dona do mundo

Jeff Jarvis Manole PDF Criptografado

Se a Google fosse dona do mundo

“O mecanismo de busca vai controlar o planeta”, declarou o escritor Paulo

Coelho. Mas certamente nem tudo, não é? A Google não vai querer administrar algo tedioso como um serviço público (apesar de estar investindo na indústria energética) ou uma empresa telefônica (bem, ela quase o fez) ou entrar para o setor da saúde (mas acabou de fazer isso) ou abrir um restaurante (por outro lado, sua cafeteria é mundialmente famosa e seu chef também – ele acabou de escrever o livro Food 2.0). Algumas pessoas desejam que a Google assuma um jornal – o The New York Times muitas vezes é citado –, empresas de entretenimento ou, quem sabe, a Microsoft, gigante do software. Mas não, a Google sabe o que ela é. Sua ambição não é dominar o mundo, e sim organizá-lo.

Então, agora que destilamos o sucesso da Google em uma série de leis e lições, tentaremos aplicá-las a algumas indústrias e instituições. Não vou fingir que consigo consertar uma empresa em poucas páginas. Se fosse tão fácil...

Ver todos os capítulos
Medium 9788520416624

Respostas dos Exercícios Propostos

Adriana Moreira Amado Manole PDF Criptografado

Respostas dos Exercícios Propostos

Capítulo 1

1. (a) A demanda por regulamentação econômica é característica dos keynesianos, para quem o Estado deve regular o mercado.

(b) Os impostos são malvistos pelos que acreditam no mercado como os neoclássicos, por se tratar de algo que aumenta custos para a iniciativa privada, sendo esta vista como eficiente na alocação de recursos. Além disso, para eles o Estado não é importante. Daí a pequena importância dos impostos pelo lado do financiamento estatal.

(c) Tanto keynesianos como marxistas atribuem à liberalização maior instabilidade.

(d) A defesa da retirada do Estado é característica dos que acreditam no mercado como regulador econômico eficiente, como os neoclássicos.

231

Noções de Macroeconomia

2. 1O Artigo

Conforme vimos, o PIB mede o desempenho da economia do ponto de vista produtivo. O artigo fala sobre um desempenho negativo atribuído a juros altos, que aumentam o custo financeiro das empresas e inibem o investimento (I), e fala também de queda das exportações (X), reduzindo a contrapartida de recursos que entram no país por meio da venda de produtos brasileiros ao exterior. Conforme o que aprendemos no Capítulo 1, sobre a mensuração do PIB, vemos que, pelo método do dispêndio, é possível visualizar o impacto das duas variáveis mencionadas, uma vez que, por esse método, temos: PIB = C + I + G + (X - M).

Ver todos os capítulos
Medium 9788520416624

Respostas das Questões para Recapitulação Geral

Adriana Moreira Amado Manole PDF Criptografado

Respostas das Questões para Recapitulação Geral

Série 1

Primeira Parte

1.

VVVVV

6.

FVFFV

2.

VFVFV

7.

FFFVV

3.

FVFVV

8.

VVVVV

4.

FVFFV

9.

VFFFF

5.

VFVVV

10.

VFVFF

Segunda Parte

11. a

16. d

12. d

17. b

13. e

18. d

14. c

19. b

15. c

20. b

227

Noções de Macroeconomia

Série 2

Primeira Parte

1.

VFFFV

6.

VVVVV

2.

VFFVV

7.

VVFVV

3.

VVFFF

8.

FFVVV

4.

FFFVV

9.

VVVVV

5.

VFFVV

10. VVFVV

Segunda Parte

228

11. b

16. e

12. b

17. b

13. e

18. d

14. b

19. c

15. c

20. d

Respostas das Questões para Recapitulação Geral

Série 3

Primeira Parte

1.

VVVFF

6.

VFVFV

Ver todos os capítulos
Medium 9788520416624

Questões para Recapitulação Geral

Adriana Moreira Amado Manole PDF Criptografado

Questões para Recapitulação Geral

Estas questões estão divididas em três séries, para permitir a professores a aplicação de três testes diferentes com o mesmo grau de dificuldade, assim como para fazer os estudantes verificarem mais de uma vez se fixaram os conhecimentos obtidos com o texto.

Série 1

Primeira Parte

Nas próximas dez questões você deve ler com atenção as afirmativas e assinalar em cada uma verdadeiro (V) ou falso (F), conforme convier.

Pode haver qualquer número de alternativas verdadeiras ou falsas.

177

Noções de Macroeconomia

1. Julgue os itens a seguir, assinalando verdadeiro (V) ou falso (F):

(1) O PIB nominal inclui a inflação e impede a comparação de dados de dois anos diferentes, caso se esteja em um contexto inflacionário.

(2) O PIB real corresponde ao PIB nominal depois de deduzida a inflação.

(3) O PIB real inclui a inflação e os juros nominais.

(4) Os índices de preços permitem a elaboração de séries com valores reais.

Ver todos os capítulos

Ver Todos

Grupo Gen (4586)
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788597021226

Vontade ética

DE SÁ, Antônio Lopes Grupo Gen ePub Criptografado

Tudo o que provém do caráter já formado sob as condições da gênese ética; é ato de vontade.

Um complexo de atividades do ser humano, já inserido em seu universo mental, caracteriza o que denominamos “vontade ética”. Ela envolve a ação reflexa, a tendência, o instinto, a atividade ideomotriz, a vontade determinada e a vontade livre.

Cada uma dessas parcelas de que se compõe o todo que denominamos vontade ética tem sua importância e se justifica como conceito dentro do estudo da matéria.

Embora sejam sutis as diferenças entre tais elementos, na realidade, podem ser identificados, e para que se amplie seu estudo, necessário se faz que sejam delimitados, nessa proveitosa análise do ser perante a Ética.

O estado de consciência ética está em interação com a vontade ética.

O ato volitivo, a espontaneidade aparente no cumprimento dos princípios das virtudes morais e éticas, provém de uma consciência formada, mas dela se distingue pela forma e pela prática efetiva ou ação do estado consciente mental.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597021226

Virtudes complementares profissionais

DE SÁ, Antônio Lopes Grupo Gen ePub Criptografado

Além das virtudes básicas ou imprescindíveis a uma conduta eficaz fundamental, diversas outras, também, se fazem necessárias para que se alcance uma posição integral, no campo da convivência profissional.

Existem, pois, ampliações das virtudes básicas, como derivações delas e outras adicionais que completam ou complementam o fundamental.

Portanto, são complementares as virtudes que completam o valor da ação do profissional e ampliam as virtudes básicas, sendo, a transgressão delas, infração e perda da qualidade ética. Elas não são dispensáveis sob nenhum pretexto e só se classificam como complementares porque representam uma derivação importante na dilatação das virtudes básicas, notadamente daquelas do zelo e da honestidade.

Cuidaremos de algumas, genéricas, importantíssimas aos ramos profissionais liberais. Não abrangeremos a todas, pois demandariam uma prolixidade que não se enquadra dentro dos objetivos da presente obra. Todavia, as tratadas neste capítulo, por si só, conseguirão oferecer uma noção válida sobre a importância que representam.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597021226

Virtudes básicas profissionais

DE SÁ, Antônio Lopes Grupo Gen ePub Criptografado

Muitas são as virtudes que um profissional precisa ter para que desenvolva com eficácia seu trabalho. Em verdade, múltiplas exigências existem, mas entre elas, destacamse algumas, básicas, sem as quais se impossibilita a consecução do êxito moral.

Quase sempre, na maioria dos casos, o sucesso profissional se faz acompanhar de condutas fundamentais corretas. Tais virtudes básicas são comuns a quase todas as profissões, mas destacam-se, ainda mais, naquelas de natureza liberal.

Virtudes básicas profissionais são aquelas indispensáveis, sem as quais não se consegue a realização de um exercício ético competente, seja qual for a natureza do serviço prestado.

Tais virtudes devem formar a consciência ética estrutural, os alicerces do caráter e, em conjunto, habilitarem o profissional ao êxito em seu desempenho.

Uma vez mais destaco que não se confundem, em nosso estudo, o enriquecimento, nem a posse de cargos ou destaques sociais, com a verdadeira qualidade ética, embora tudo isto possa ser conseguido conjuntamente.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597021226

Virtude como substância ética

DE SÁ, Antônio Lopes Grupo Gen ePub Criptografado

Com relatividade, entendo, deve analisar-se a expressão isolada, de Aristóteles: “aos hábitos dignos de louvor chamamos virtudes”.1

Nessa expressão quis o genial pensador, parece-nos, ressaltar o efeito (louvor) como causa determinante e não a virtude, em si, ou seja, o que ela de fato representa.

Sabemos, inclusive, que virtuosos não são dignos de louvor em meios nos quais o vício prevalece, o que não invalida o teor da virtude.

Entendo que nossa observação torna-se, pois, evidente, quando imaginamos que o louvor pode ser efeito de uma forma particular de ver as coisas, relativa a um grupo de pessoas, ou, também, uma ótica particular de conduta grupal.

A virtude não é apenas o que se pode louvar, pois isto dependeria de parametrias variáveis e incertas; para um grupo de assassinos pode ser louvável o atirador impiedoso e veloz, mas, para homens de conduta humana correta, tal comportamento seria reprovável.

A conduta virtuosa, como a entendo, é algo essencial e estriba-se na qualidade do ser em viver a vida de acordo com a natureza da alma, ou seja, na prática do amor, em seu sentido pleno de não produzir malefícios a si e nem a seu semelhante.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522496242

Unidade IV (Apêndices) –  Alterações Principais da Lei nº 11.638, de 2007 (Comunicado da CVM) /  A Lei das Sociedades por Ações (1976)

IUDÍCIBUS, Sérgio de Grupo Gen PDF Criptografado

Unidade IV

(Apêndices)

– �Alterações Principais da Lei nº

11.638, de 2007 (Comunicado da

CVM)

– �A Lei das Sociedades por Ações

(1976)

Apêndices aos Capítulos 3, 4 e 5

Introdução

O mundo da teoria nem sempre é totalmente coincidente com a realidade das normas e procedimentos emanados de órgãos reguladores.

Na estruturação dos Postulados, Princípios e Convenções apresentados nos

Capítulos 3, 4 e 5, já vistos, preferimos manter o formato já exaustivamente testado e que vem da formulação original, com adaptações, de Hendriksen.

Entretanto, outros autores (como os que aparecem no Apêndice) e os órgãos reguladores seguem uma formação diferenciada, mais detalhada em alguns itens e menos em outros.

Nem todas as estruturas conceituais do tipo FASB, IASB e CPC/CVM contêm todos os postulados, princípios e convenções estudados nos capítulos passados.

No entanto, como a contabilidade brasileira convergiu para as normas do

Ver todos os capítulos

Ver Todos

Grupo A (1965)
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788577806164

Voxiva: Alertas de Saúde para Todos

C.K. Prahalad Grupo A PDF Criptografado

PARTE IV

Estudos de Caso e Comentários de CEOs

Voxiva: Alertas de

Saúde para Todos

Conseguimos começar porque arrecadamos dinheiro junto a pessoas que acreditavam que o que fazíamos era importante para o mundo e também que havia um negócio a ser explorado.

— Paul Meyer

Nas duas últimas décadas, a propagação de doenças como a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), a Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS), a hepatite C e a febre hemorrágica causada pela dengue, além dos surtos de enfermidades tradicionais como o tifo e a difteria, renovaram a conscientização da sociedade quanto às ameaças globais representadas pelas doenças infecciosas. Com efeito, enfermidades contagiosas como cólera, meningite e sarampo são responsáveis por 63%

A ameaça da rápida das mortes infantis e 48% das mortes prematudisseminação regional, ras no mundo, sendo no mínimo 300 milhões o nacional e global dessas número de pessoas que sofrem de casos agudos

1 enfermidades impõe de malária, 90% das quais na África subsaariana . um novo desafio: sua

Ver todos os capítulos
Medium 9788577806164

Universidade de Maastricht

C.K. Prahalad Grupo A PDF Criptografado

PARTE III

Reações dos CEOs ao Conceito e ao Livro

Universidade de Maastricht

Educação Gerencial para os Pobres:

A História da Escola de Administração de Maastricht

Em países em desenvolvimento com sólidos mercados na BP, a qualidade dos sistemas de ensino superior têm sido tradicionalmente precária. Em tais países, quase nunca há recursos suficientes disponíveis para a educação escolar primária e secundária das crianças. Não é de admirar, portanto, a escassez de recursos para um ensino superior de qualidade. Em muitos países da África, por exemplo, as faculdades de administração inexistem ou fundamentam-se em materiais teóricos ocidentais ultrapassados sem qualquer relevância prática para os alunos. Desses livros didáticos de administração constam exemplos de empresas com as quais a maioria dos estudantes não tem a menor familiaridade ou das quais sequer ouviu falar. Mais significativo talvez seja o fato de que muitas de suas abordagens teóricas avançadas assumem já ter sido alcançado certo nível de infraestrutura e desenvolvimento econômico, pois isso corrobora sua aplicação nos mercados e países em desenvolvimento. Em muitos casos, mesmo a menor infraestrutura de mercado imaginável ainda não existe. Está claro, no entanto, que a educação, e em particular a educação gerencial, é decisiva para o desenvolvimento da comunidade local de negócios

Ver todos os capítulos
Medium 9788577806164

Unilever

C.K. Prahalad Grupo A PDF Criptografado

PARTE III

Reações dos CEOs ao Conceito e ao Livro

Unilever

Fazendo o Bem, Fazendo Bem

Fazer negócios de maneira responsável e bem-sucedida – ou, se preferir, fazer o bem e fazer bem – são dois lados da mesma moeda.

— Patrick Cescau, em discurso proferido no

Business as an Agent of World Benefit,

Cleveland, Ohio, outubro de 2006

A filantropia corporativa goza de uma longa e magnífica história. A Unilever deve sabê-lo. Hoje em dia, fazer doações de caridade e apoiar atividades comunitárias ainda é uma forma importante de as empresas ajudarem a enfrentar os desafios sociais. Mas, nas últimas décadas, a agenda sofreu uma mudança significativa. Cada vez mais se admite que a responsabilidade das empresas para com a sociedade em geral vá muito além dos gestos filantrópicos – por mais generosos que sejam. A responsabilidade social e a sustentabilidade ambiental converteram-se na divisa das organizações que querem prestar uma contribuição mais relevante às comunidades em que atuam. Muitos fatores explicam essa mudança de ênfase. Por exemplo, é crescente o reconhecimento de que os desafios sociais e ambientais com que nos deparamos neste século XXI são tão complexos e multidimensionais que não podem ser solucionados exclusivamente pelos governos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788565848312

Texto

Frederico de Mello Brandão Tavares; Reges Schwaab Grupo A PDF Criptografado

10

Texto

O aprofundamento como caminho da reportagem de revista

Thaís Furtado

O TEMPO DA REPORTAGEM

Se você acompanhou a Copa do Mundo de

1998, deve se lembrar da expectativa dos brasileiros na partida final entre Brasil e França.

Até o dia do jogo, como em qualquer evento desse porte, jornalistas faziam matérias sobre os mais diversos assuntos: os jogadores, os resultados, as torcidas, os hábitos dos franceses, os locais que poderiam ser visitados no país sede do espetáculo.

Na hora de o Brasil entrar em campo contra a França, no entanto, surgiu uma notícia: Ronaldo, o fenômeno, não estava na escalação, e Edmundo foi anunciado em seu lugar. Minutos mais tarde, uma nova mudança: Ronaldo tinha, sim, condições de jogar. Jogou, mas sua atuação foi apagada.

O resultado foi uma derrota de três a zero e um vice-campeonato cheio de dúvidas sobre o que teria acontecido com um dos maiores jogadores brasileiros de todos os tempos.

Até aquele momento, durante a

Ver todos os capítulos
Medium 9788536323022

Termos importantes nas áreas de gerenciamento da qualidade e segurança dos alimentos

Marco Túlio Bertolino Grupo A PDF Criptografado

Termos importantes nas

áreas de gerenciamento da qualidade e segurança dos alimentos

T E R M O S I M P O RTA N T E S N A S Á R E A S D E G E R E N C I A M E N TO D A Q U A L I D A D E E S E G U R A N Ç A D O S A L I M E N TO S

274

AÇÃO CORRETIVA

Ação implementada para eliminar as causas de uma não conformidade, de um defeito ou de outra situação indesejável existente, a fim de prevenir sua repetição.

AÇÃO PREVENTIVA

Ação implementada para eliminar as causas de uma possível não conformidade, um defeito ou outra situação indesejável, a fim de prevenir sua ocorrência.

ACREDITAÇÃO

Procedimento de avaliação periódico e confidencial realizado por terceiros (via auditoria de terceira parte), com o objetivo de garantir a implantação e a manutenção do sistema de gestão por meio da observação de padrões previamente aceitos (como as Normas ISO 9001:2015, ISO 22000:2005, ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:200-).

Pode-se dizer que uma instituição é acreditada quando a organização dos processos e as atividades condizem com padrões preestabelecidos.

Ver todos os capítulos

Ver Todos

Editora Saraiva (885)
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788547209582

Um tema de muitas faces ede importância central

VELOSO, Renato Editora Saraiva PDF Criptografado

Introdução

Um tema de muitas faces e de importância central

Pense rapidamente. O que lhe vem à mente quando você se refere a direitos humanos? O que costuma ouvir em sua vida cotidiana, no transporte para o trabalho, para a escola, para o lazer, quando está na academia, no mercado, na praça, nas reuniões entre família e amigos?

Quando nos questionamos sobre isso, em geral as respostas que recebemos são diversas. Aqueles que participaram de manifestações de rua em junho de 2013 poderiam pensar em Amarildo, morador do bairro da Rocinha, no Rio de Janeiro, que

“desapareceu” após abordagens policiais — legítima e corajosa lembrança de um fato que mobilizou o Brasil e o mundo naquele momento. Talvez, contudo, se surpreendessem ao saber que desaparecimentos como o de Amarildo se contam aos milhares ao ano no Brasil.

Outras pessoas poderiam se lembrar de alguns de seus livros de história e falar das comissões da verdade que buscam, no momento em que este texto é escrito, reconstituir violações de direitos humanos ocorridas no Brasil. Assim como na

Ver todos os capítulos
Medium 9788547204952

sobre o autor

MOYSÉS, Carlos Alberto Editora Saraiva PDF Criptografado

sobre o autor

Clóvis Luís Padoveze é doutor em Contabilidade e Controladoria pela USP-SP e mestre em Ciências Contábeis pela PUC-SP. Leciona no Mestrado Profissional e Doutorado em Administração da Faculdade de Gestão e Negócios da Universidade Metodista de

Piracicaba, onde é responsável pelas linhas de pesquisa em Finanças e Controladoria.

Profissionalmente, atua há mais de 30 anos como controller, consultor e instrutor de treinamentos profissionais, passando por empresas importantes como Indústrias Romi

S.A. e Grupo Nelson Paschoalotto, no qual trabalha atualmente. Autor muito renomado, tem diversos títulos publicados na área de Contabilidade, Finanças, Custos e Gestão de

Riscos, além desta obra, Administração Financeira: uma abordagem global, que chega às mãos de profissionais e estudantes da área pela Editora Saraiva Educação.

V

ADM financeira - miolo.indd 5

16/03/16 09:56

ADM financeira - miolo.indd 6

16/03/16 09:56

Ver todos os capítulos
Medium 9788547217464

Respostas e comentários

RIBEIRO, Osni Moura; COELHO, Juliana Moura Ribeiro Editora Saraiva PDF Criptografado

Respostas e comentários

Questão 1: “c”

Solução:

Ver Artigo 10 da Resolução CFC n. 750/1993, na Seção A.4 do Apêndice.

Questão 2: “c”

Solução:

Os conhecimentos necessários para solução desta questão foram estudados nos Capítulos

4 e 6.

Sabemos que o Método das Partidas Dobradas tem como princípio fundamental que “para cada débito lançado na escrituração, haverá um crédito de igual valor”. Assim, quando elaboramos uma relação de Contas Extraídas do livro Razão, a soma dos saldos devedores será igual à soma dos saldos credores. Se nessa relação estiver faltando uma conta de saldo devedor, para encontrar o seu valor bastará calcular a diferença entre o total do débito e o total do crédito da referida relação, veja:

Contas de saldos credores:

Capital..................................................$ 1.300,00

Receitas ................................................$ 1.000,00

Dívidas .................................................$ 1.800,00

Ver todos os capítulos
Medium 9788547215125

Respostas dos exercícios

MARIANO, Jefferson; CARMOS. Edgar Editora Saraiva PDF Criptografado

Respostas dos exercícios

Capítulo 1 – Economia e Constituição das Teorias de Comércio Internacional

1. De acordo com o argumento mercantilista, para que as nações aumen-

tassem suas riquezas deveria haver ênfase no comércio internacional, privilegiando principalmente as exportações, com o intuito de promover a acumulação de metais. Para a manutenção da riqueza do país, também seria imprescindível que o Estado atuasse na defesa dos interesses internos.

2. Adam Smith, tendo como referência o mercantilismo, demonstra que não

é mais a ênfase no acúmulo de divisas que explica a origem da riqueza das nações. Ele acredita que nações que possuam mais habilidade em desenvolver processos fabris se tornem mais ricas. Smith enfatiza que, no âmbito da produção, o processo de divisão do trabalho é condição necessária para que haja aumento de produtividade.

3. De acordo com Adam Smith, uma das condições necessárias para a ocorrência de comércio entre duas nações seria a existência de algum produto para o qual houvesse uma vantagem absoluta na produção, ou seja, o país deve possuir algum produto cuja produtividade seja mais elevada. Por exemplo, um produto para o qual haja menor mobilização de mão de obra em relação ao país vizinho.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547217464

Respostas

RIBEIRO, Osni Moura; COELHO, Juliana Moura Ribeiro Editora Saraiva PDF Criptografado

Respostas

Testes de concursos e de exames de suficiência

Capítulo 10

1) Resposta: “a”

2) Resposta: “d”

Observar que, sendo a empresa comercial, suas mercadorias serão vendidas com incidência do ICMS e não do IPI. Assim, o valor do

IPI integra o custo de aquisição e o do ICMS não.

3) Resposta: “c”

4) Resposta: “a”

5) Resposta: “a”

Ao avaliar os itens em estoque para fins de levantamento de Balanço, deve-se aplicar a regra “Custo ou valor realizável líquido, dos dois o menor”, estudada na Seção 10.6.6.

Diante das informações contidas na presente questão, faremos:

Livro_Contabilidade para Concursos.indb 497

a)

Cálculo do valor realizável líquido do item ALFA

500 ϫ $ 3,50 ϭ $ 1.750,00

(Menos) Despesas: 10% de 1.500) ϭ $  150,00

(ϭ) Valor Realizável Líquido $ 1.600,00

Valor a ser atribuído ao estoque: $ 1.500,00

b)

Cálculo do valor realizável líquido do item BETA:

100 ϫ $ 10,00 ϭ $ 1.000,00

Ver todos os capítulos

Ver Todos

Editora Manole (231)
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788520433485

Parte 8 – Figuras

SABA, Fabio Editora Manole PDF Criptografado

PARTE 8

Figuras

Figura 1 

Modelo de descrição das aulas em grupo

LOGO DA

ACADEMIA

Programa de atividades

Abdominal: aula com exercícios específicos para a região abdominal, melhorando a resistência muscular localizada. Indicada para alunos iniciantes, intermediários e avançados. Duração: 30 minutos.

Alongamento: visa melhorar a flexibilidade com exercícios de alongamento com uma amplitude adequada a cada aluno, não esquecendo do relaxamento e das funções terapêuticas. Indicada para alunos iniciantes, intermediários e avançados. Duração: 30 minutos.

Bike indoor: programa de ciclismo indoor que visa melhorar a capacidade cardiovascular e o condicionamento físico por meio de diferentes treinos de forma intervalada ou contínua, de acordo com a periodização das aulas, havendo um alto gasto calórico. Indicado para alunos intermediários e avançados. Duração: 60 minutos.

GAP: aula que visa fortalecimento e aumento da resistência muscular dos glúteos, pernas e abdômen.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520433485

Parte 7 – Manual de limpeza

SABA, Fabio Editora Manole PDF Criptografado

PARTE 7

Manual de limpeza

LIMPEZA

Limpeza, segundo o dicionário, tem como definição: qualidade do que é limpo, pureza, asseio, perfeição e bom acabamento.

A limpeza e a organização são aspectos que influenciam diretamente na sensação de bem-estar e conforto dos clientes internos e externos.

Nas academias elas têm uma grande importância, visto que estamos trabalhando com pessoas que praticam atividades físicas e que se expõem a todo o momento ao contato com aparelhos e materiais usados por outras mais. A proliferação de germes e bactérias pode e deve ser evitada com uma limpeza constante e de boa qualidade. Uma academia limpa e organizada causa uma excelente impressão aos seus alunos e futuros clientes. As pessoas se sentem bem em locais que “brilham”! Isto se torna essencial para o bom funcionamento de toda a Academia.

Os responsáveis devem acompanhar como a limpeza está sendo efetuada e analisar cuidadosamente cada parte da Academia. É importante elaborar um horário de limpeza para cada dia da semana, o que irá depender das aulas em cada sala. Esse cronograma deve ser minucioso, contendo o dia da semana, o horário, a sala, o que deve ser limpo e como. O

Ver todos os capítulos
Medium 9788520433485

Parte 6 – Manual de lideranças

SABA, Fabio Editora Manole PDF Criptografado

PARTE 6

Manual de lideranças

GERENTE

Função

Responsável por toda a Academia, prezando pelo ótimo funcionamento, atendimento ao cliente e seus colaboradores.

Tarefas

Planejamento estratégico

■■ Acompanhamento do atendimento ao cliente.

■■ Acompanhamento indireto da equipe técnica e auxílio aos coordenadores por meio de informações.

■■ Atuação, com o supervisor de vendas, diretamente nas ações de prospecção de clientes novos, visitando empresas e estabelecimentos da região, em busca de clientes corporativos.

■■ Auxílio nas negociações estratégicas.

■■ Avaliação de processos (recepção de clientes, integração entre as áreas).

■■ Avaliação da frequência dos clientes.

■■ Busca de patrocinadores, anunciantes, parceiros e permutas.

parte 6 - manual de lideranças

■■ Captação de informações de mercado, clientes, consumidores e abastecimento do marketing, relatando os itens levantados.

■■ Controle do departamento de personal training.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520433485

Parte 5 – Manual técnico: vendas e recepção

SABA, Fabio Editora Manole PDF Criptografado

PARTE 5

Manual técnico: vendas e recepção

VENDAS E RECEPÇÃO

Consultor de vendas

■■ Vender utilizando a metodologia da empresa – alcançando suas metas e garantindo sempre o faturamento máximo.

■■ Prospectar o maior número possível de clientes (novos, ex-alunos e renovações), agendando suas visitas e garantindo que compareçam ao agendamento (telemarketing).

■■ Reter e fidelizar ao máximo sua carteira de clientes, sempre com o objetivo de aumentá-la.

■■ Conhecer muito bem o produto que está vendendo, todas as opções de serviços.

■■ Empenhar-se e dedicar-se ao máximo para alcançar o mais alto nível do plano de carreira.

■■ Seguir todas as rotinas, processos e procedimentos do cargo.

76

gestão em atendimento: manual prático para academias e centros esportivos

Recepcionista

■■ É a porta de entrada do cliente na Academia.

■■ A partir do momento que você entra na recepção, responderá pela Academia.

ATENDIMENTO AO CLIENTE

Ver todos os capítulos
Medium 9788520433485

Parte 4 – Manual técnico: programação infantil (kids)

SABA, Fabio Editora Manole PDF Criptografado

PARTE 4

Manual técnico: programação infantil (kids)

EQUIPE

Professores

O professor tem como função ensinar, tirar dúvidas e atender as crianças. Controlar sua assiduidade, motivar para que não haja desistência e tornar a atividade física prazerosa.

Monitores

O monitor tem como função acompanhar, de maneira responsável, as crianças na transição entre as atividades, dando o apoio necessário durante o lanche e no banho.

Assistentes (kids room)

O assistente tem como função acompanhar, de maneira responsável, as crianças durante sua permanência na sala das crianças (kids room).

64

gestão em atendimento: manual prático para academias e centros esportivos

ATENDIMENTO AO CLIENTE

Judô e balé

Atendimento inicial (cliente novo)

■■ Cumprimentos:

–– Cumprimente e apresente-se à criança e ao acompanhante de forma simpática e acolhedora. Se possível, apresente-a a outras crianças.

–– Todas as crianças e acompanhantes devem ser cumprimentados, independente do tempo que frequentam a academia. Seja simpático e educado, causando boa impressão. Chame-os pelo nome, sempre que possível.

Ver todos os capítulos

Ver Todos

Carregar mais