32 capítulos
Medium 9788520456446

2. Comportamento alimentar em pediatria

Andréa Gislene do Nascimento... [et al.]. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 2

Comportamento alimentar em pediatria

Glauce Hiromi Yonamine

Carla Aline Fernandes Satiro

Introdução

O comportamento alimentar envolve as ações relacionadas ao ato de se alimentar, isto é, o que se come, como, com quem, onde e por que comemos1. Esse comportamento começa a ser formado logo após o nascimento, e sabe-se que os hábitos alimentares adquiridos na infância estão relacionados com a alimentação ao longo da vida.

Neste capítulo, discutiremos os principais aspectos envolvidos no comportamento alimentar em pediatria. Para abordar didaticamente esse tema, o capítulo foi dividido em tópicos: “Divisão de responsabilidades na alimentação”; “Aspectos relacionados aos cuidadores”; “Aspectos relacionados às crianças e adolescentes”; e “O papel do nutricionista”.

Divisão de responsabilidades na alimentação

As crianças têm uma habilidade inata para se alimentar. Por isso é fundamental que elas participem ativamente da sua alimentação.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520439081

Seção 4 – Amamentação

WAKSMAN, Renata Dejtiar; SCHVARTSMAN, Cláudio Editora Manole PDF Criptografado

Seção 4

AMAMENTAÇÃO

Coordenadoras

Alice D'Agostini Deutsch

Maria Fernanda Pellegrino da Silva Dornaus

179

21

Anatomia e fisiologia das mamas

Maria Fernanda Pellegrino da Silva Dornaus

Introdução

Muitas mulheres que engravidam de gêmeos pensam que não conseguirão amamentar e que não terão leite em quantidade suficiente para seus filhos. Conhecendo melhor a anatomia e a fisiologia das mamas, é possível compreender que o organismo faz todos os ajustes necessários para atender à demanda dos bebês.

É importante destacar que o leite materno é o melhor alimento e propicia melhores condições de saúde aos bebês. O sucesso da amamentação está vinculado ao compromisso e ao desejo materno de amamentar os bebês, favorecendo que dificuldades iniciais sejam superadas.

Desenvolvimento das mamas

No feto, a glândula mamária começa a se desenvolver na sexta semana de vida intrauterina. No momento do nascimento, os principais ductos mamários já estão formados. Logo após o nascimento, as mamas de meninos e meninas podem excretar um líquido em razão da estimulação

181

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435144

2. Atividades de fortalecimento muscular e resistência cardiorrespiratória

CANALES, Lindsay K; LYTLE, Rebecca K. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 2

Atividades de fortalecimento muscular e resistência cardiorrespiratória

As 10 atividades deste capítulo enfocam o fortalecimento muscular geral e a resistência cardiorrespiratória. Essas atividades envolvem movimento corporal constante, como caminhada, corrida, impulsão de cadeira de rodas e o movimento contínuo dos membros superiores e inferiores. Atividades de treinamento de força por meio do uso de equipamentos como faixas elásticas e o peso do próprio corpo, assim como atividades cujo objetivo é sustentar o movimento por um determinado período, são desenvolvidas para manter ou aumentar a força muscular e a resistência cardiorrespiratória.

23

Atividade física 02.indd 23

26/4/13 9:15 AM

24  Atividades físicas para jovens com deficiências graves

Foguetes de balões

Conceitos primários

Fortalecimento muscular e resistência cardiorrespiratória.

Conceitos secundários

Movimentação criativa; habilidades locomotoras; movimentação espacial.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520456446

7. Educação nutricional em hospital

Andréa Gislene do Nascimento... [et al.]. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 7

Educação nutricional em hospital

Camila Pugliese

Adriana Hidelfonso Zampolo

Maria Aparecida Carlos Bonfim

Introdução

Hábitos alimentares saudáveis devem ser estimulados desde a infância, pois ajudam no desenvolvimento adequado dos indivíduos e auxiliam na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis. É na infância, durante o processo de socialização, que as crianças aprimoram a percepção para sabores, começam a ter suas preferências por determinados alimentos e iniciam o desenvolvimento do seu comportamento alimentar1.

É consenso que as crianças comem o que gostam e que nem sempre suas preferências são compatíveis com uma dieta saudável. Elas são predispostas a rejeitar alimentos novos (neofobia) e a associar os sabores aos contextos sociais e às consequências fisiológicas pós-ingestão.

O hospital configura-se como uma instituição complexa na qual pacientes e familiares e/ou acompanhantes convivem com a dor e a doença, exigindo-se um esforço para se adaptarem à nova situação, imposta pelo processo de adoecimento. O paciente e sua família passam a vivenciar os limites impostos pela hospitalização, que pode desconsiderar suas subjetividades, tendo que adaptar-se às regras, fazendo-os assumir uma postura passiva diante dos profissionais da saúde e das situações que enfrentam nesse contexto2.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520426555

Recém-nascido

LOPEZ, Fabio Ancona; CAMPOS JR., Dioclécio Editora Manole PDF Criptografado

Recém-nascido

Recém-nascido

1

Guia das mães Parte 1 Cor- .indd 1

7/7/11 5:31:13 PM

2

Guia das mães Parte 1 Cor- .indd 2

7/7/11 5:31:14 PM

Recém-nascido

0 a 28 dias

Capítulos

1 - Vacinação do recém-nascido........................................................11

2 - Preparando-se para receber seu bebê.........................................12

3 - Atendimento pediátrico na sala de parto ..................................17

4 - Cuidados nos berçários hospitalares...........................................22

5 - Testes de triagem neonatal: metabólica, auditiva e visual . ....23

6 - Alojamento conjunto.....................................................................27

7 - Situações que podem adiar a alta hospitalar do seu bebê........31

8 - Quais as principais características do recém-nascido?.............34

9 - Vínculo pais-filho...........................................................................47

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos