32 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788520456446

12. Educação nutricional em casa

Andréa Gislene do Nascimento... [et al.]. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 12

Educação nutricional em casa

Marina Morgado Simões de Campos

Introdução

Na infância, o comportamento alimentar é comumente adquirido por meio da observação1 e é influenciado por diversos fatores, entre eles os ambientais, sociais, econômicos, culturais e cognitivos2.

Assim, tanto o ambiente domiciliar quanto os hábitos alimentares da família e a forma pela qual os pais oferecem os alimentos vão influenciar diretamente as escolhas e o comportamento alimentar da criança3,4 e também do futuro adulto5.

Portanto, a inclusão e o suporte à família no processo de educação nutricional são muito importantes para garantir resultados significativos na melhora da alimentação e no manejo da obesidade infantil, em vez de promover uma dieta saudável e educação nutricional voltada apenas para a criança6-8.

A educação nutricional para crianças é muito importante para ajudar a formar hábitos alimentares mais saudáveis a longo prazo9 e, nesse contexto, estratégias de educação nutricional em família, trabalhadas tanto com os pais (cuidadores) quanto com as crianças, trazem resultados mais satisfatórios10.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520426555

Lactente

LOPEZ, Fabio Ancona; CAMPOS JR., Dioclécio Editora Manole PDF Criptografado

Lactente

Lactente

171

Guia das mães Parte 2 Cor- .indd 171

7/8/11 11:49:53 AM

172

Guia das mães Parte 2 Cor- .indd 172

7/8/11 11:49:54 AM

Lactente

Lactente

29 dias a 2 anos

Capítulos

1- Vacinação do lactente ..................................................................180

2- Vínculo mãe-filho .........................................................................186

3- Aleitamento materno do lactente . .............................................192

4- Desmame .......................................................................................218

5- Alimentação do lactente ..............................................................219

6- Consultas com o pediatra ............................................................239

7- Crescimento e desenvolvimento .................................................241

8- Visão e audição .............................................................................258

Ver todos os capítulos
Medium 9788520456446

11. Educação alimentar e nutricional em escolas

Andréa Gislene do Nascimento... [et al.]. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 11

Educação alimentar e nutricional em escolas

Julliana Augusto Sanches Bonato

Rachel Helena Vieira Machado

O que é educação alimentar e nutricional e por que ela precisa ser realizada na infância

A educação alimentar e nutricional (EAN) é uma estratégia preconizada pelas políticas públicas em alimentação e nutrição, sendo considerada um importante instrumento para promoção de hábitos alimentares saudáveis. No Brasil, pratica-se EAN desde a década de 1940, a princípio voltada para adultos e através de divulgação de materiais informativos e/ou medidas que privilegiavam a suplementação alimentar e atividades de combate a carências nutricionais específicas. Dada a ausência de diretrizes específicas que norteiem a prática em EAN, foi desenvolvido em 2012 o documento intitulado Marco de referência de educação alimentar e nutricional para as políticas públicas, lançado com objetivo de promover um campo comum de reflexão e orientação da prática, no conjunto de iniciativas de EAN1.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435144

1. Atividades de equilíbrio e flexibilidade

CANALES, Lindsay K; LYTLE, Rebecca K. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 1

Atividades de equilíbrio e flexibilidade

As 10 atividades neste capítulo enfocam o aumento e a manutenção de equilíbrio e flexibilidade. Essas atividades envolvem estender os membros superiores e inferiores para alcançar algum objeto, mantendo uma posição de alongamento ou determinada postura corporal por um período prolongado, ou manipular um objeto equilibrando-o adequadamente em uma parte específica do corpo.

1

Atividade física 01.indd 1

26/4/13 9:14 AM

2  Atividades físicas para jovens com deficiências graves

Desafio do saquinho de feijão

Conceitos primários

Equilíbrio e flexibilidade.

Conceitos secundários

Conceitos preposicionais; identificação de partes do corpo.

Objetivo da atividade

Equilibrar um saquinho de feijão em uma parte específica do corpo enquanto mantém o equilíbrio.

Equipamento

Saquinhos de feijão (um por aluno).

Preparação

Posicione os alunos em círculo e dê a cada um deles um saquinho de feijão.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520439081

Seção 6 – O dia a dia

WAKSMAN, Renata Dejtiar; SCHVARTSMAN, Cláudio Editora Manole PDF Criptografado

Seção 6

O DIA A DIA

Coordenador

Sulim Abramovici

283

36

O sono dos gêmeos ou múltiplos

Graziela de Almeida Sukys

Introdução

O sono, que pode ser definido como um estado comportamental transitório que se alterna com a vigília (período acordado), é fundamental para o bem-estar fisiológico e psíquico de crianças e adultos.

Desde a 24ª semana de gestação, já é possível identificar a existência de sono no feto, ainda que de maneira primitiva. Sabe-se que, em gestações de gêmeos e múltiplos, os fetos podem estar em diferentes estágios de amadurecimento neurológico, porém, ao nascimento, esses estágios se aproximam e os bebês já apresentam respostas semelhantes.

Do ponto de vista do ciclo sono-vigília, os múltiplos já estão muito parecidos ao nascer.

Para que os pais possam se adaptar com mais facilidade aos bebês, conseguir organizar a vida e ensinar os filhos a dormir, seguem algumas informações sobre o que é o sono normal.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520439081

Seção 5 – A nova família

WAKSMAN, Renata Dejtiar; SCHVARTSMAN, Cláudio Editora Manole PDF Criptografado

Seção 5

A NOVA FAMÍLIA

Coordenadora

Maria Fernanda Pellegrino da Silva Dornaus

247

32

Como lidar com a ansiedade e o desafio de ser pais de gêmeos ou múltiplos

Ana Merzel Kernkraut

Introdução

Ser pais de bebês múltiplos é fascinante sob determinada ótica, mas também pode ser fonte de medo e insegurança com o que está por vir.

O nascimento de um bebê causa um grande impacto na vida de um casal, pois sua estrutura de vida é modificada. A partir do nascimento do primeiro filho, os novos pais passam do status de casal para assumirem o status de família. Todos os preparativos, como a arrumação do quarto, o enxoval do bebê, além do preparo psicológico e financeiro dos pais, podem ser fonte geradora de certa ansiedade. Em caso de gêmeos ou múltiplos, essas questões citadas são obviamente multiplicadas.

As transformações de aspectos práticos que muitas vezes ocorrem são a mudança de casa, de veículo e a contratação de funcionários para auxiliar com o cuidado dos bebês, por exemplo. Adicionalmente, a chegada de múltiplos faz surgir nos pais dúvidas de aspecto emocional, como:

Ver todos os capítulos
Medium 9788520456446

6. Aleitamento materno: orientação na prática

Andréa Gislene do Nascimento... [et al.]. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 6

Aleitamento materno: orientação na prática

Analisa Gabriela Zuchi Leite

Renata Hyppolito Barnabe

Vanessa Camargo Trida

Introdução

O aleitamento materno consiste no melhor alimento para o recém-nascido, sendo uma fonte cujos benefícios reverberam desde o início da vida até a idade adulta1.

A amamentação tem conhecida relevância do ponto de vista biológico, nutricional, imunológico, econômico, psicológico e também ecológico, e interfere de maneira positiva no crescimento e desenvolvimento da criança. É considerada uma das estratégias que mais contribuem para evitar a desnutrição e a hospitalização, e auxiliam na prevenção da mortalidade no primeiro ano de vida, sendo recomendada sua prática, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de forma exclusiva até os

6 meses e complementada até os 2 anos ou mais1,2.

Existem evidências de que crianças amamentadas ao seio apresentam melhores resultados em testes de inteligência, desenvolvimento cognitivo, maturação gastrintestinal e imunológica, além de criarem um melhor vínculo mãe-filho3.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520456446

1. Educação nutricional em pediatria

Andréa Gislene do Nascimento... [et al.]. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 1

Educação nutricional em pediatria

Andréa Gislene do Nascimento

Fernanda Ferreira dos Santos

Introdução

Inserida no âmbito das políticas públicas direcionadas à promoção da saúde e da segurança alimentar e nutricional (SAN), a educação alimentar e nutricional (EAN) constitui o campo do conhecimento transdisciplinar em constante construção que tem seu referencial histórico caminhando juntamente à criação e desenvolvimento da categoria de nutricionistas no país1,2.

A EAN passa a ser discutida no Brasil em meados de 1930, a partir da instalação do parque industrial nacional e do surgimento de organizações de trabalhadores urbanos. Paralelamente, Josué de Castro apresenta importantes ponderações quanto à predominante desnutrição e desigualdade social entre indivíduos de diferentes classes econômicas, dentre os quais se encontravam os atendidos pelos programas assistenciais difundidos no período e especialmente aqueles que estavam fora dessa cobertura. Observa-se então que as ações em EAN estavam centradas na atenção às necessidades dos trabalhadores e seus familiares, tendo como foco o binômio saúde-doença, prevalente na ocasião1,3-5.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435144

2. Atividades de fortalecimento muscular e resistência cardiorrespiratória

CANALES, Lindsay K; LYTLE, Rebecca K. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 2

Atividades de fortalecimento muscular e resistência cardiorrespiratória

As 10 atividades deste capítulo enfocam o fortalecimento muscular geral e a resistência cardiorrespiratória. Essas atividades envolvem movimento corporal constante, como caminhada, corrida, impulsão de cadeira de rodas e o movimento contínuo dos membros superiores e inferiores. Atividades de treinamento de força por meio do uso de equipamentos como faixas elásticas e o peso do próprio corpo, assim como atividades cujo objetivo é sustentar o movimento por um determinado período, são desenvolvidas para manter ou aumentar a força muscular e a resistência cardiorrespiratória.

23

Atividade física 02.indd 23

26/4/13 9:15 AM

24  Atividades físicas para jovens com deficiências graves

Foguetes de balões

Conceitos primários

Fortalecimento muscular e resistência cardiorrespiratória.

Conceitos secundários

Movimentação criativa; habilidades locomotoras; movimentação espacial.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520426555

Recém-nascido

LOPEZ, Fabio Ancona; CAMPOS JR., Dioclécio Editora Manole PDF Criptografado

Recém-nascido

Recém-nascido

1

Guia das mães Parte 1 Cor- .indd 1

7/7/11 5:31:13 PM

2

Guia das mães Parte 1 Cor- .indd 2

7/7/11 5:31:14 PM

Recém-nascido

0 a 28 dias

Capítulos

1 - Vacinação do recém-nascido........................................................11

2 - Preparando-se para receber seu bebê.........................................12

3 - Atendimento pediátrico na sala de parto ..................................17

4 - Cuidados nos berçários hospitalares...........................................22

5 - Testes de triagem neonatal: metabólica, auditiva e visual . ....23

6 - Alojamento conjunto.....................................................................27

7 - Situações que podem adiar a alta hospitalar do seu bebê........31

8 - Quais as principais características do recém-nascido?.............34

9 - Vínculo pais-filho...........................................................................47

Ver todos os capítulos
Medium 9788520456446

4. A importância do brincar

Andréa Gislene do Nascimento... [et al.]. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 4

A importância do brincar

Aide Mitie Kudo

Priscila Bagio Maria Barros

Mariana de Paiva Franco

Renata Sloboda Bittencourt

Resgate histórico

Desde os tempos mais remotos, o ato de brincar estava presente no cotidiano das crianças em todas as culturas. Muitos jogos e brincadeiras que temos hoje eram praticados nas civilizações antigas, destinados ao entretenimento de adultos durante reuniões e festividades locais.

Achados arqueológicos e descrições iconográficas mostram que bonecas e marionetes eram usadas como brinquedos e divertimento no Egito antigo há mais de 5 mil anos. Crianças naquela época construíam barcos em miniaturas, imitando as embarcações que navegavam pelo Nilo; em escavações em templos egípcios, foi encontrado um jogo da velha datado de 1400 ou 1333 a.C.; os primeiros dominós foram construídos de ossos de marfim por um soldado chinês que viveu em 243 a 181 a.C.1.

Foi a partir da Idade Média, na Europa, que os brinquedos começaram a ser fabricados, ainda que artesanalmente e comercializados nos grandes entrepostos de vendas existentes, principalmente nos grandes povoados. E foi no período das transformações econômicas e sociais da

Ver todos os capítulos
Medium 9788520439081

Seção 2 – A experiência no hospital

WAKSMAN, Renata Dejtiar; SCHVARTSMAN, Cláudio Editora Manole PDF Criptografado

Seção 2

A EXPERIÊNCIA NO HOSPITAL

Coordenadoras

Alice D'Agostini Deutsch

Maria Fernanda Pellegrino da Silva Dornaus

95

11

Sala de parto

Rosa Maria Neme

Mariano Tamura Vieira Gomes

Romy Schmidt Brock Zacharias

Introdução

O nascimento é um momento muito especial e dotado de bastante ansiedade e preocupação por parte dos pais e da equipe médica. Nesse momento tão esperado, a sequência dos eventos pode acontecer de forma tão rápida que é difícil explicar em detalhes todos os procedimentos e solucionar todas as dúvidas dos pais imediatamente. Além do mais, por representar um momento tão único, muitas vezes os próprios pais não conseguem expressar todos os seus questionamentos nessa hora. Portanto,

é recomendável aos pais de gêmeos que conversem com o obstetra e o pediatra antes do momento do parto e se informem de todos os cuidados que serão realizados com cada um dos recém-nascidos.

Como já vimos no capítulo 10, “O papel do pai e da família”, da

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435144

4. Atividades de movimentação espacial

CANALES, Lindsay K; LYTLE, Rebecca K. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 4

Atividades de movimentação espacial

As 12 atividades descritas neste capítulo abordam a movimentação dentro de limites determinados de forma segura, sem esbarrar uns nos outros. Muitas atividades que envolvem a movimentação espacial permitem que o aluno se desloque livremente enquanto segue sinais específicos ou orientações preposicionais (p. ex., pare, ande, por baixo, em volta, para cima). Outras habilidades que podem ser identificadas dentro dessa categoria incluem perseguir, fugir e esquivar-se. Essas habilidades relacionadas ao movimento muitas vezes são vistas em jogos do tipo “pega-pega”, em que a pessoa precisa ou pegar alguém ou evitar ser pega por outro jogador.

83

Atividade física 04.indd 83

26/4/13 9:30 AM

84  Atividades físicas para jovens com deficiências graves

Pisoteando o plástico bolha

Conceito primário

Movimentação espacial.

Conceitos secundários

Movimentação criativa; ritmo e compasso.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520431252

Escolar

LOPEZ, Fabio Ancona; CAMPOS JR., Dioclécio Editora Manole PDF Criptografado

Escolar

Escolar

Escolar

6 a 10 anos

Capítulos

1- Vacinação .......................................................................................122

2- Consultas pediátricas....................................................................124

3- Alimentação...................................................................................128

4- Crescimento e desenvolvimento .................................................133

5- Visão, audição e cuidados com os dentes...................................152

6- Comportamento.............................................................................159

7- Ambiente .......................................................................................164

8- Brincadeiras, brinquedos, lazer e esporte .................................167

9- Alertas de segurança.....................................................................175

10- Necessidades especiais...............................................................178

Ver todos os capítulos
Medium 9788520456446

13. Atividades práticas de educação nutricional em pediatria

Andréa Gislene do Nascimento... [et al.]. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 13

Atividades práticas de educação nutricional em pediatria

Andréa Gislene do Nascimento

Fernanda Ferreira dos Santos

Mayara Freitas de Oliveira

Introdução

A infância traz aspectos relevantes para a formação de hábitos e práticas comportamentais, especialmente as alimentares. No ambiente familiar, a criança inicia a formação e incorporação dos padrões de comportamento alimentar a partir da escolha de alimentos, sua quantidade, horário e ambiente em que acontecerão as refeições. Trata-se de um processo que começa nessa fase e se estende por todas as demais fases do ciclo de vida1. Os hábitos alimentares inadequados nesse estágio podem levar a problemas nutricionais a curto e longo prazos2. Assim, esse momento é fundamental para o desenvolvimento da consciência crítica, de forma a propiciar a aplicação de práticas para promoção, manutenção e recuperação da saúde1.

As estratégias de educação alimentar e nutricional voltadas a crianças devem ser prioritárias no atendimento nutricional ambulatorial e hospitalar, não apenas por serem consideravelmente influenciadas por fatores ambientais, mas também por comporem um grupo que tomará decisões quanto a hábitos alimentares no futuro3.

Ver todos os capítulos

Carregar mais