55 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788520432846

Alertas de segurança para a adolescência

Fabio Ancona Lopez, Dioclécio Campos Junior Editora Manole PDF Criptografado

Alertas de segurança para a adolescência

Essa é uma idade em que é comum se achar capaz de tudo, o que frequentemente leva o jovem a assumir riscos conscientes; isto é, ele sabe que algo é perigoso, mas acredita que sempre saberá lidar com qualquer situação.

Além disso, seu comportamento e os riscos a que se expõe são influenciados fortemente pelas pressões sociais, gerando frequentemente atitudes de desafio a regras. Nessa idade, os jovens ainda ganham mais liberdade, ficam mais tempo longe de casa e sem supervisão de adultos. Todos esses fatores tornam essencial que os pais alertem seus filhos sobre as diversas situações de risco a que podem estar sujeitos.

Principais alertas de segurança para os adolescentes

ATENÇÃO

• O uso de bebidas alcoólicas é mais um fator condicionante de situações de perda de controle pelo adolescente.

• �Os riscos principais para o adolescente são desastres de automóvel e motocicleta, atropelamento, quedas de bicicleta, afogamento e traumatismos nos esportes. O homicídio e a intoxicação por abuso de drogas também são uma realidade palpável.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520462508

3 – Criar filhos resilientes, positivos, felizes e com uma boa autoestima

Magda Gomes Dias Dias Editora Manole ePub Criptografado

 

Num mundo em constante mutação e aceleração, pode tornar-se angustiante educar uma criança. Saber que não conseguimos, nem tampouco podemos controlar tudo na vida dos nossos filhos, torna a tarefa educativa um desafio ainda maior. Por isso, é determinante que as crianças saibam fazer boas escolhas. E boas escolhas são não só um processo de sorte, mas também o reflexo de um pensamento saudável sobre si e sobre o mundo. E por quê? Porque as escolhas são processos emocionais. Uma autoestima saudável abrange uma série de competências que vão desde a autoconfiança até a capacidade de autorregulação. Na verdade, uma autoestima saudável é muito mais do que a capacidade de gostar de si próprio. Trabalhar a autoestima dos nossos filhos vai além do simples “Isso mesmo, eu acredito em você, meu amor!” Quer saber como? Vire a página!

 

O QUE VOCÊ TEM DE SABER ANTES DE LER ESTE CAPÍTULO

É importante que saiba que a palavra “resiliência” está na moda e tem origem na Física. Resiliência significa que os materiais resilientes podem ser sujeitos a um estresse considerável sem se romperem. Quando esse estresse passa, voltam ao seu estado normal.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520439081

Seção 8 – Situações especiais

Renata Dejtiar Waksman, Cláudio Schvartsman Editora Manole PDF Criptografado

Seção 8

SITUAÇÕES ESPECIAIS

Coordenadora

Tânia M. R. Zamataro

437

56

Gêmeos ou múltiplos e prematuridade

Marcia de Freitas

Maria Regina Guillaumon

Rogério Pereira da Fonseca

Introdução

A gestação múltipla é frequentemente interrompida por um parto prematuro. Cerca de 50% das gestações duplas, 76% das triplas e 90% das quádruplas. Quanto mais prematuros forem os bebês, mais cuidados irão exigir, tanto na maternidade quanto em casa após a alta hospitalar.

Particularidades dos bebês prematuros

Respiração

Quanto mais prematuros, maior será a dificuldade de manter uma respiração adequada, seja por imaturidade do cérebro – eles podem

“esquecer de respirar” –, pela musculatura do tórax mais frágil ou pela falta de uma substância no pulmão que auxilia na ventilação, o surfactante.

Poderá ser necessário oferecer oxigênio por um certo tempo, dentro da incubadora, pelo nariz dos bebês ou até pela traqueia, nesse caso utilizando um aparelho de ventilação mecânica. Algumas medicações específicas, como surfactante exógeno, poderão ser utilizadas. O bebê

439

Ver todos os capítulos
Medium 9788520462508

1 – Educação e parentalidade positiva

Magda Gomes Dias Dias Editora Manole ePub Criptografado

Os seus pais até o educaram à maneira antiga, com muita palmada, castigos, pouco mimo e nenhum desenvolvimento emocional durante o processo… e o que é certo é que você sobreviveu.

Mas hoje, com filhos, é muito possível que tenha uma visão diferente da vida e não queira educar com base no “porque sim!”, ou usar o castigo e a palmada. Mas como fazer tudo isso sem que os filhos queiram dominar tudo?

Será que esta coisa da Educação Positiva é uma moda?

Para descobrir a resposta a essa e a outras questões, vire a página.

O QUE VOCÊ VAI APRENDER NESTE CAPÍTULO

■Vai conhecer os diferentes tipos de educação e o que acontece quando escolhe cada um deles.

■Vai saber como levar a Educação e a Parentalidade Positiva para o seu dia a dia e, com base nestas estratégias, conseguir resultados imediatos.

■Vai confirmar que os pais não nascem ensinados.

Todos já dissemos ou ouvimos dizer que ser pai ou mãe é talvez a tarefa mais dura, mais difícil e, ao mesmo tempo, a mais compensadora de todas. Mas as pressões do dia a dia, as correrias, as atividades ou até as chatices no trabalho tornam as nossas vidas agitadas demais. Não querendo cair no discurso do “antigamente é que era bom”, a verdade é que os nossos pais tinham uma quantidade de estresse muito mais reduzida do que nós e parecia que tinham mais tempo. E toda esta tensão torna o nosso papel como pais muito mais difícil, porque é preciso ter tempo, paciência e calma para se exercer bem a tarefa. Quantas e quantas vezes não deixamos os nossos filhos na escola e fomos para o trabalho pensando: “Por que temos sempre de nos aborrecer logo de manhã uns com os outros? Por que é que as coisas não correm bem?” E percebemos logo ali que não é isso que queremos. Prometemos que, quando formos buscá-los, as coisas serão diferentes. Planejamos atividades para fazermos no final do dia, idealizamos os momentos que queremos viver, para depois esbarrarmos no cansaço deles (e no nosso), e tudo fica na mesma. Aborrece-nos, gritamos, nos afastamos e sentimos o nosso coração ficar pequeno, porque sabemos que não é nada daquilo que desejamos... mas não conhecemos outra maneira.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520440933

5. Laços familiares adultos

Tracy Hogg, Melinda Blau Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo cinco

Laços familiares adultos

Por opção e por acaso

Pare de brigar com os seus familiares, cônjuge ou amigos.... Curta cada um deles. Pare de olhar para as falhas do outro. Comece a apreciar as qualidades de cada um. A vida é curta.... Quando a pessoa vai embora, você pode apreciar a qualidade de vida que tinham juntos, em vez de lamentar que você desperdiçou o tempo, que poderia ter feito melhor. Isso o confortará. E irá ajudá-lo a superar a perda e a tristeza.

– Gelek Rimpoche, em Tricycle [“Triciclo”]

118

Cap05.indd 118

31/10/14 5:52 PM

Laços familiares adultos

Pense nos adultos presentes em seu último jantar importante de família

(um feriado, uma ocasião especial ou uma data importante). Do outro lado da mesa, talvez na cabeceira, está o seu parceiro – o único relacionamento que você de fato escolheu. Em torno da mesa estão vários outros adultos, mais jovens e mais velhos que você. Alguns sempre fizeram parte de sua vida, foram destinados a você pelo acaso – os pais que o conceberam ou o adotaram, os irmãos que vieram antes e depois de você. Outros são parte de toda uma rede de pessoas que você herdou quando escolheu um companheiro – os pais e os irmãos dele ou dela, os parentes do seu parceiro.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520439081

Seção 4 – Amamentação

Renata Dejtiar Waksman, Cláudio Schvartsman Editora Manole PDF Criptografado

Seção 4

AMAMENTAÇÃO

Coordenadoras

Alice D'Agostini Deutsch

Maria Fernanda Pellegrino da Silva Dornaus

179

21

Anatomia e fisiologia das mamas

Maria Fernanda Pellegrino da Silva Dornaus

Introdução

Muitas mulheres que engravidam de gêmeos pensam que não conseguirão amamentar e que não terão leite em quantidade suficiente para seus filhos. Conhecendo melhor a anatomia e a fisiologia das mamas, é possível compreender que o organismo faz todos os ajustes necessários para atender à demanda dos bebês.

É importante destacar que o leite materno é o melhor alimento e propicia melhores condições de saúde aos bebês. O sucesso da amamentação está vinculado ao compromisso e ao desejo materno de amamentar os bebês, favorecendo que dificuldades iniciais sejam superadas.

Desenvolvimento das mamas

No feto, a glândula mamária começa a se desenvolver na sexta semana de vida intrauterina. No momento do nascimento, os principais ductos mamários já estão formados. Logo após o nascimento, as mamas de meninos e meninas podem excretar um líquido em razão da estimulação

181

Ver todos os capítulos
Medium 9788520462508

2 – O que se passa na cabeça do seu filho?

Magda Gomes Dias Dias Editora Manole ePub Criptografado

 

Se, de repente, o seu anjinho vira diabinho, este capítulo é para você.

Se não consegue entender por que, de repente, ele começou a chorar e você quer driblar aquela birra em menos de um piscar de olhos, sente-se confortavelmente no seu sofá e leia o que se segue. Você está a um passo de acabar com essas birras! Seja bem-vindo ao cérebro do seu filho!

 

ANTES DE CONTINUAR, RESPONDA A ESTE QUESTIONÁRIO E TESTE OS SEUS CONHECIMENTOS

1. Com que idade podemos considerar que o cérebro humano está maduro?

•1 ano

•6 anos

•23 anos

•60 anos

2. Em quantas áreas se divide o cérebro?

•Uma

•Duas

•Três

•Quatro

3. Quando seu filho está fazendo uma birrinha malandra, daquelas que passam assim que o desejo é satisfeito, convém saber que:

•Se eu quero que ele se cale, é melhor fazer-lhe já a vontade!

•Não se negocia com terroristas.

•Uma cara feia ou uma ameaça para ele perceber quem manda aqui.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520431252

Escolar

Denise Chinem, Priscila Pereira Mota Hidaka, Fabio Ancona Lopez, Dioclécio Campos Junior Editora Manole PDF Criptografado

Escolar

Escolar

Escolar

6 a 10 anos

Capítulos

1- Vacinação .......................................................................................122

2- Consultas pediátricas....................................................................124

3- Alimentação...................................................................................128

4- Crescimento e desenvolvimento .................................................133

5- Visão, audição e cuidados com os dentes...................................152

6- Comportamento.............................................................................159

7- Ambiente .......................................................................................164

8- Brincadeiras, brinquedos, lazer e esporte .................................167

9- Alertas de segurança.....................................................................175

10- Necessidades especiais...............................................................178

Ver todos os capítulos
Medium 9788520432846

Crescimento e desenvolvimento na adolescência

Fabio Ancona Lopez, Dioclécio Campos Junior Editora Manole PDF Criptografado

A adolescência é o período intermediário entre a infância e a fase adulta. Embora biologicamente considerada pela Organização

Mundial da Saúde (OMS) como o período de 10 a 20 anos, tem variações etárias para os diferentes padrões legais das diversas nações. No Brasil, o Estatuto da Criança e do Adolescente considera adolescente aquele que tem entre 12 e 18 anos .

Às profundas transformações psicossexuais que ocorrem na adolescência, somam-se as transformações biológicas, destacando-se o aparecimento de caracteres sexuais (características específicas da sexualidade de meninos e meninas).

Por puberdade se entendem as variações no organismo (somáticas) que ocorrem na adolescência. Mesmo após ter sido atingida a maturação biológica, o fenômeno “adolescência” ainda pode persistir por vários anos.

Mudanças no corpo

O QUE VOCÊ

DEVE SABER

Os primeiros sinais da puberdade na menina ocorrem entre 8 e 12 anos de idade; nos meninos, entre 10 e 14 anos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520431733

3. Técnicas descritas na literatura

Cláudia Marchetti V. da Cruz, Fátima A. Caromano Manole PDF Criptografado

3

Técnicas descritas na literatura

E

xistem poucas técnicas de massagem para bebês utilizadas e divulgadas na literatura. A mais conhecida é a Shantala, e sua variação mais recente, associada à utilização dos fundamentos das cadeias musculares fisiológicas, ainda é pouco conhecida. No sul da Ásia existe uma técnica semelhante à Shantala, que apresenta um aspecto cultural bem característico e que denominamos Massagem do sul da Ásia.

Na China, bebês e crianças recebem a Tui Na com base nas teorias da

Medicina Tradicional Chinesa.

No Ocidente, com fins terapêuticos, utiliza-se a massagem clássica ou sueca. Uma técnica variante da massagem clássica, e utilizada com objetivos psicoterapêuticos, é denominada O toque da borboleta9.

De modo geral, essas técnicas têm muitos pontos em comum.

A seguir, faremos uma breve caracterização e proporemos uma rotina simplificada de cada técnica.

Shantala

No princípio, Shantala era apenas o nome da mulher indiana que o ginecologista e obstetra francês Frédérick Leboyer observou, sentada no chão, massageando seu bebê. Mas o fato é que essa técnica é uma tradição da Índia e baseia-se nos princípios da medicina ayurvédica que, grosso modo, significa

Ver todos os capítulos
Medium 9788520431252

Pré-escolar

Denise Chinem, Priscila Pereira Mota Hidaka, Fabio Ancona Lopez, Dioclécio Campos Junior Editora Manole PDF Criptografado

Préescolar

Pré-escolar

21

Pré-escolar

2 a 6 anos

Capítulos

1- Vacinação.........................................................................................28

2- Consultas pediátricas.....................................................................30

3- Alimentação....................................................................................33

4- Crescimento e desenvolvimento...................................................51

5- Visão e audição...............................................................................66

6- Cuidados com os dentes.................................................................69

7- Cuidados com a pele.......................................................................73

8- Comportamento..............................................................................79

9- Ambiente.........................................................................................87

Ver todos os capítulos
Medium 9788520440933

10. Briga entre irmãos

Tracy Hogg, Melinda Blau Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo dez

Briga entre irmãos

Como lidar com os Eus mais implicantes

Éramos um pequeno e estranho grupo de figuras caminhando penosamente pela vida, compartilhando doenças e pasta de dente, cobiçando a sobremesa uns dos outros, escondendo o xampu, pedindo dinheiro emprestado, trancando uns aos outros para fora do quarto, causando dor e beijando para sarar no mesmo instante, amando, rindo, defendendo e tentando descobrir o traço comum que nos une.

— Erma Bombeck

281

Cap10.indd 281

31/10/14 5:54 PM

A Encantadora de Famílias

“Quando Tina nasceu, o nosso filho Jamie ficou feliz com a ideia de ter uma irmã”, lembra-se Kara Guarini sobre seus dois filhos mais velhos. “Ele ficava na creche, com uma família, então estava acostumado a dividir a atenção. Mas quando fiquei grávida de Robyn, Tina, que tinha então 4 anos e meio, me falou: ‘Eu já disse que não precisamos de um novo bebê’. Alguns meses depois, quando a sua escola trabalhou o tema adoção, ela chegou em casa e disse: ‘Já sei o que podemos fazer com o bebê.’”

Ver todos os capítulos
Medium 9788520440933

8. A guerra das tarefas domésticas

Tracy Hogg, Melinda Blau Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo oito

A guerra das tarefas domésticas

O pensamento de família como solução

Ninguém pode voltar atrás e ter um novo início, mas todos podem começar hoje um novo final.

— Maria Robinson

É para onde vamos e o que fazemos quando chegamos lá que nos diz quem somos.

— Joyce Carol Oates

220

Cap08.indd 220

4/11/14 9:45 AM

A guerra das tarefas domésticas

“Você ainda não chamou o encanador?”

“Por que a sala está uma bagunça?”

“Por que não pendurou seu casaco quando entrou?”

“Por que não coloca suas meias no cesto em vez de largá-las no chão?”

“Por que você nunca faz o que lhe peço já na primeira vez”?

“Por que a louça ainda não foi lavada?”

Todos já passamos por isso, você também. Os detalhes podem ser diferentes, mas é a mesma história em muitas, se não na maioria, das casas.

Brigas começam por causa da louça, das meias sujas, quem está fazendo o quê e como está sendo feito. Desde a década de 1970, quando as famílias tiveram de se reajustar aos novos papéis desempenhados pela mãe e pelo pai, escritores e pesquisadores se referem ao problema como “guerra das tarefas”. E os artigos que continuamos a ler sobre essas briguinhas irritantes do dia a dia nos dizem que elas não desapareceram.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520432846

Alimentação na adolescência

Fabio Ancona Lopez, Dioclécio Campos Junior Editora Manole PDF Criptografado

Alimentação na adolescência

O QUE

OBSERVAR

Este período de desenvolvimento apresenta também várias alterações psicológicas, sociais e comportamentais, e caracteriza-se por:

No pico de crescimento durante a puberdade (estirão puberal), um adolescente pode crescer de

10 a 14 cm em um ano.

Esse aumento de estatura tão intenso ocorre paralelamente a marcantes modificações corporais, que resultam em:

• �busca crescente de independência, autonomia e pela definição da própria identidade;

• �diminuição da autoestima, possível isolamento, maior risco de comportamentos agressivos ou contrários à ordem familiar ou social;

• maior influência da opinião dos amigos;

• aumento das exigências escolares e, em muitos casos, do trabalho;

• �aumento da massa magra (livre de gordura);

• �pressões familiares, que interferem e podem modificar profundamente o comportamento alimentar do adolescente, colocando-o em um grupo de risco nutricional.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520439081

Seção 5 – A nova família

Renata Dejtiar Waksman, Cláudio Schvartsman Editora Manole PDF Criptografado

Seção 5

A NOVA FAMÍLIA

Coordenadora

Maria Fernanda Pellegrino da Silva Dornaus

247

32

Como lidar com a ansiedade e o desafio de ser pais de gêmeos ou múltiplos

Ana Merzel Kernkraut

Introdução

Ser pais de bebês múltiplos é fascinante sob determinada ótica, mas também pode ser fonte de medo e insegurança com o que está por vir.

O nascimento de um bebê causa um grande impacto na vida de um casal, pois sua estrutura de vida é modificada. A partir do nascimento do primeiro filho, os novos pais passam do status de casal para assumirem o status de família. Todos os preparativos, como a arrumação do quarto, o enxoval do bebê, além do preparo psicológico e financeiro dos pais, podem ser fonte geradora de certa ansiedade. Em caso de gêmeos ou múltiplos, essas questões citadas são obviamente multiplicadas.

As transformações de aspectos práticos que muitas vezes ocorrem são a mudança de casa, de veículo e a contratação de funcionários para auxiliar com o cuidado dos bebês, por exemplo. Adicionalmente, a chegada de múltiplos faz surgir nos pais dúvidas de aspecto emocional, como:

Ver todos os capítulos

Carregar mais