61 capítulos
Medium 9788584291199

Estratégia 9 - Construindo um muro

Fausto Camargo, Thuinie Daros Grupo A PDF Criptografado

A sala de aula inovadora   41

Problema/tema/assunto/desafio:

Sessão

Ideia 1

Ideia 2

Ideia 3

EL

O

Participante 1

Participante 4

M

Participante 3

OD

Participante 2

Participante 5

Participante 6

Figura 6 Modelo de folha a ser entregue aos alunos para a prática do brainwriting.

•• lembrem que as ideias de­vem proporcionar va­lor ao usuário;

•• foque nas características que o produto deve ter.

ESTRATÉGIA 9:

Construindo um muro

A estratégia construindo um muro permite que os alunos considerem quais pontos são mais relevantes na construção de uma questão ou na resolução de um problema.

Os alunos devem priorizar ideias e informações, bem como discutir e justificar suas escolhas acerca do problema/questão.

Esta atividade pode ser precedida de um brainstorm com post-its, a fim de gerar ideias antes de se fazer a priorização.

Camargo_Parte_02.indd 41

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291199

Estratégia 2 - Análise de todos os fatores ou ideias

Fausto Camargo, Thuinie Daros Grupo A PDF Criptografado

24  Camargo & Daros

RECOMENDAÇÕES

Para crianças menores, ainda é possível realizar a lista de combinados da turma, lembrando que, de modo geral, os professores tendem a trazer as regras já prontas, e essa atitude representa um grande erro, capaz de colocar toda a negociação de modo sem sentido para os alunos.

Deixe as crianças dizerem o que podem e não podem fazer, construa juntos uma lista de atitudes que um bom aluno deve ter, combine as consequências que devem ocorrer quando não se cumpre o que combinou e aplique-as, caso seja necessário.

O debate, a lista de combinados e as regras de funcionamento da disciplina também podem ocorrer com alunos do ensino médio e da educação superior, caso o professor não queira aplicar um contrato de fato.

ESTRATÉGIA 2:

Análise de todos os fatores ou ideias

A análise de todos os fatores ou ideias (ATF/I) incentiva os alunos a pensarem sobre os fatores ou ideias relevantes acerca de um tema, problema ou assunto. Isso porque a estratégia oportuniza aos alunos discutirem, debaterem e considerarem a importância de cada fator ou ideia na tomada de decisão em questão.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290482

Capítulo 5. Espaços de aprendizagem — Glauco de Souza Santos

Lilian Bacich, Adolfo Tanzi Neto, Fernando De Mello Trevisani Grupo A ePub Criptografado

GLAUCO DE SOUZA SANTOS

A palavra escola vem do grego e significa “espaço do ócio” (ALVES; PRETTO, 1999), ou seja, para os gregos este espaço deveria ser local de lazer, descontração e, portanto, prazer. Definitivamente, o espaço denominado “escola” pelos gregos era bem diferente do que entendemos como escola hoje. Qualquer local onde eles pudessem se reunir e debater ideias poderia ser considerado uma escola. Era um espaço livre, onde o sujeito ia quando queria, permanecia o tempo que julgasse necessário e debateria temas que fossem definidos em conjunto com seu mestre. A prática escolar, para os gregos, estava mais associada ao livre interesse do aluno do que à prática repetitiva e orientada a uma determinada formação técnica.

Foi na Idade Média que o espaço escolar começou a adquirir a conotação que tem hoje. O homem medieval saía de sua casa para se dirigir a outro local específico, onde obteria conhecimentos específicos sobre determinada técnica de produção, fabricação ou conhecimentos orientados para o trabalho (KOSMINSKY, 1990). Com o surgimento da burguesia mercantil, já no final desse período, a escola e a universidade passam a ser espaços privilegiados de obtenção do conhecimento. Os debates perdem espaço para a instrumentalização do ensino. O espaço escolar passa a ser local de aquisição de saberes e técnicas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291199

Estratégia 10 - Construção de situações-problema (cenário de aprendizagem)

Fausto Camargo, Thuinie Daros Grupo A PDF Criptografado

A sala de aula inovadora   43

5. Em seguida, os grupos devem oferecer um feedback, justificando as escolhas e decisões na construção do muro. Enquanto um grupo se justifica para os demais, os outros podem anotar e sugerir novas ideias.

6. Como atividade complementar a esta, sugerem-se as estratégias mapeamento de causas, ou a árvore de problemas para se explorar mais os pontos considerados relevantes no muro.

ESTRATÉGIA 10:

Construção de situações-problema

(cenário de aprendizagem)

Na aprendizagem baseada em problemas, o “[...] disparador principal do processo ensino-aprendizagem é o problema ou situação-problema” (AQUILANTE et al.,

2011, p. 148). O problema coloca o aluno no centro do processo, como protagonista. No entanto, é necessário construir situações-problema que vão estruturar essa aprendizagem, de modo que esses cenários ou problemas sejam situações que se caracterizem como um problema para os alunos. Trata-se, portanto, de construir um cenário de aprendizagem, com início e fim bem definidos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291199

Estratégia 3 - Aplicabilidade de um conceito por representação visual com envolvimento de estudo de caso ou unidade de aprendizagem

Fausto Camargo, Thuinie Daros Grupo A PDF Criptografado

A sala de aula inovadora   25

Como alternativa, os alunos podem permanecer sentados e passar uma folha de flip-chart para o grupo ao lado, após determinado tempo. Assim, em vez de o grupo circular, a folha passa a movimentar-se pelos grupos.

SEQUÊNCIA DIDÁTICA

1. O professor promove o debate e a discussão com os alunos sobre a importância de considerar todos os fatores na tomada de decisão e no planejamento. Os fatores referem-se ao tema da aula; a situação-problema que está sendo tratada. Com a movimentação dos grupos ou das folhas, outros fatores, ainda não considerados, podem ser mais adequados do que aqueles antes pensados e mudar a tomada de decisão ou o planejamento que inicialmente acreditava-se que fossem os ideais ou corretos.

2. Em grupo, os alunos devem preencher o modelo de ATF/I (Fig. 1).

Exemplo de cenário de ATF/I

Foi realizado o planejamento para a construção de um novo terminal e pista no aeroporto de Foz do Iguaçu, para lidar com o número crescente de turistas e o acentuado interesse comercial na região da tríplice fronteira. No entanto, a comunidade local e os ambientalistas se opõem.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos