71 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788584290376

A. Preguiçosos: Ler antes da aula economiza tempo

Claudio de Moura Castro Grupo A PDF Criptografado

51

A. Preguiçosos: ler antes da aula economiza tempo

Imaginemos uma situação hipotética em que um aluno deve aprender algum conceito importante apresentado na aula. Suponhamos que ele esteja disposto a gastar uma hora do seu tempo lendo sobre o assunto. Ele tem duas opções.

Na primeira, passa uma hora lendo, antes da aula, os materiais indicados pelo professor. Na segunda, lê a mesma hora, mas depois da aula.

Pergunta: em qual das duas alternativas ele aprende mais?

Hoje, sabemos com segurança que a primeira alternativa é mais eficaz.

Ao familiarizar-se com o material, antes da aula, o nível de aprendizado obtido é amplamente superior – embora seja o mesmo tempo de estudo.

As pesquisas sobre o processo de aprendizado mostraram que é mais vantajoso ler antes o que foi indicado. Apesar disso, a maioria dos alunos assiste à aula e somente depois faz as leituras indicadas, se é que faz. Mas isso é burrice.

Quem leu antes, já sabe o que virá e não será surpreendido pelo fluxo das ideias apresentadas pelo professor. O desenrolar de uma aula não é como em um conto policial em que não se sabe quem é o culpado e tateamos no escuro, sem saber em que direção a narrativa nos conduzirá. Lendo antes, já entramos na sala com uma imagem mental da estrutura lógica do assunto. A aula não traz surpresas. Pelo contrário, consolida ideias que já estavam presentes, pelo menos, de forma incipiente.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291038

Capítulo 2. As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infatil: brincar e interagir

Maria da Graça Souza Horn Artmed PDF Criptografado

2

As Diretrizes Curriculares

Nacionais para a Educação Infantil: brincar e interagir

O

documento que norteia e estabelece os princípios para a educação infantil no Brasil é o Parecer CNE/CEB nº 20/09 (BRASIL,

2009), que define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEIs). Esse documento destaca que a organização dos espaços e dos materiais deverá prever estruturas que facilitem a interação das crianças, permitindo-lhes construir sua cultura de pares.

Destaca, ainda, que é indispensável o contato com a diversidade de produtos culturais (livros de literatura, brinquedos, objetos e outros materiais), com manifestações artísticas e com elementos da natureza.

Para tanto, existe a necessidade de uma infraestrutura e de formas de funcionamento da instituição que garantam, ao espaço físico, constituir-se como um ambiente que permita o bem-estar promovido pela estética, pela boa conservação dos materiais, pela higiene, pela segurança e, principalmente, pela possibilidade de as crianças brincarem e interagirem − eixos fundamentais que perpassam toda a estrutura das DCNEIs. Nesse aspecto, é importante ressaltar que os espaços destinados às crianças de diferentes faixas etárias não podem ser considerados como uma sala de aula na perspectiva tradicional, mas como um espaço de referência para os grupos de crianças.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290376

C. Segredos dos bons fazedores de provas

Claudio de Moura Castro Grupo A PDF Criptografado

169

C. Segredos dos bons fazedores de provas

Além dessa providência momentânea e muito útil para relaxar, há também outras técnicas que ajudam a melhorar nossas chances de obter bons resultados nas provas.

Basicamente, trata-se de evitar comportamentos que aumentam o estresse.

Há conselhos muito óbvios, mas é tarde demais para serem aplicados. Nada mais fundamental do que estudar bastante e dominar os conhecimentos que serão exigidos. Mas, se esse conselho for cumprido à risca, provavelmente, o estresse será bem menor.

No momento da prova, não é hora de se sentir culpado pela malandragem durante o ano. Nesse momento, isso só pode atrapalhar. É preciso tirar partido do que você sabe, muito ou pouco.

Seja com muito, seja com poucos estudos, há procedimentos que sempre ajudam. Por exemplo, não adianta fazer uma grande seção de relaxamento e, depois, afobar-se de novo, por causa de estratégias erradas.

Voce-sabe-estudar-miolo.indd 169

2/26/15 11:00 AM

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291083

Apêndice 6

Fernanda Leopoldina Viana, Iolanda Ribeiro, Sylvia Domingos Barrera Grupo A PDF Criptografado

Apêndice 6

ALGUNS VERBOS QUE DESIGNAM VOZES DE ANIMAIS

ABELHA: zumbir

LEÃO: rugir

ANDORINHA: chilrear

LOBO: uivar

BODE/CABRA: balir

MACACO: guinchar

CANÁRIO: trinar

MOSCA: zunir

BOI/VACA: mugir

OVELHA: balir

BURRO: zurrar

PARDAL: piar, pipilar

CÃO: ladrar, latir, uivar

PATO: grasnar

CARNEIRO: balir

PERIQUITO: palrar

CAVALO: relinchar

PERU: grugulejar

CIGARRA: cantar.

PINTO: piar

CISNE/GANSO/ABUTRE: grasnar

POMBO: arrulhar

COBRA: assobiar, silvar

POUPA: arrulhar, gemer

COELHO: chiar, guinchar

RÃ: coaxar

CORUJA: crocitar

RAPOSA: rezougar

ELEFANTE: bramir, urrar

RATO: chiar

GALINHA: cacarejar

ROUXINOL: cantar, trinar

GALO: cantar

TOUPEIRA: chiar

GATO: miar, ronronar

URSO: rugir, bramir

HIPOPÓTAMO: grunhir

ZEBRA: zurrar

JAGUAR: rugir

Apendice_6.indd 167

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290376

B. Vale a pena tomar boas notas na aula

Claudio de Moura Castro Grupo A PDF Criptografado

52

Na universidade na qual é reitor, o educador chileno Ernesto Schiefelbein encomendou aos professores um resumo de apenas uma página das aulas que dariam. Essas páginas foram então distribuídas para serem lidas pelos alunos, antes das aulas correspondentes. Foi possível verificar um ganho substancial de aprendizagem por parte daqueles que leram antes a tal página. Não nos esqueçamos: um leitor fluente lê uma página em menos de dois minutos. Portanto, um ínfimo investimento de tempo resulta em um ganho expressivo de aprendizagem.

Repetindo, ler antes é mais vantajoso. Para um mesmo dispêndio total de tempo, aprenderá mais quem ler antes da aula. É simples assim.

pratique!

Determine um certo número de horas para estudar um assunto.

Assista à aula e depois leia os materiais indicados pelo professor, gastando para isso o tempo que você definiu.

Em seguida, faça o mesmo com um assunto de dificuldade equivalente. Porém, leia antes da aula.

Dá para notar uma diferença no grau de profundidade do aprendizado obtido das duas maneiras?

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291243

Capítulo 8 - Fixe o Conhecimento

Peter C. Brown, Henry L. Roediger III, Mark A. McDaniel Grupo A PDF Criptografado

8

FIXE O CONHECIMENTO

Não importa o que você queira fazer ou se tornar, se quiser ser um competidor sério, só uma coisa vai colocá-lo e mantê-lo no jogo: dominar a sua capacidade de aprender.

Nos capítulos anteriores, resistimos à tentação de sermos abertamente prescritivos, sentindo que, se lançássemos as ideias principais das pesquisas empíricas e, com exemplos, as ilustrássemos bem, você poderia chegar a suas próprias conclusões sobre a melhor forma de aplicá-las. Mas os primeiros leitores daqueles capítulos nos solicitaram que fôssemos mais específicos e déssemos conselhos práticos. Então é isso que vamos fazer aqui.

Começamos com dicas para os alunos, pensando especialmente em alunos do ensino médio, de graduação e pós-graduação. Em seguida, dirigimo-nos aos eternos aprendizes, aos professores e, por fim, aos instrutores. Embora os princípios fundamentais sejam consistentes entre esses grupos, há uma diferença de contextos, estágios de vida e conteúdos de aprendizagem. Para ajudá-lo a entender como aplicar essas dicas, vamos contar as histórias de várias pessoas que, de um jeito ou de outro, já conseguiram dominar essas estratégias e as estão utilizando com resultados excelentes.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290376

Para que servem os mapas mentais

Claudio de Moura Castro Grupo A PDF Criptografado

88

organizar apresentações brainstorming

tarefas compras atividades

listas

bagagem roteiro

viagens festas

reuniões eventos palestras

planejamento

livros textos organizar apostilas

resumos

estruturar

redação

branco horizontal

papel

coloridas

canetas

tema folha centro itens principais

Voce-sabe-estudar-miolo.indd 88

utilização

estudos

materiais

associações forma a, b, c, .... A, B, C, ...

profissional

1.

2.

3.

símbolos

secundárias

pessoal

chave letra

imagens

receita palavras

raiz tronco

ideias

galhos

detalhes

ramos

estrutura

2/26/15 11:00 AM

89 anotações ferramenta

organização classificação síntese

o que é?

criatividade direito

simbólico visão global

estímulo

hemisférios cerebrais

lógico esquerdo

analítico detalhes

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290376

I. Sem entender, não nos lembramos

Claudio de Moura Castro Grupo A PDF Criptografado

136 pratique!

Escolha um romance de ficção famoso, de preferência algum do seu gosto.

Pense em responder às seguintes perguntas (vale folhear o livro ou procurar no Google, não é para verificar se decorou): Em que

época se passa a história? Qual o assunto principal do romance?

Como se chamam os personagens principais?

Responder a essas perguntas é fazer um voo de avestruz, ou seja, não sair do chão. Você não cresce, não se educa respondendo a tais indagações bobas.

Pense agora nestas outras: A que escola literária esse romance pertence? Que características permitem dizer isso? Que tipo de pessoa é o personagem principal? Como você descreveria o estilo do autor?

Agora você está dando voos galináceos!

E se as perguntas forem as seguintes: Como Freud descreveria a personalidade deste personagem? Pelo estilo e acabamento da narrativa, parece uma obra de juventude do autor? Ou é um texto possível somente com muita experiência de vida?

Não sei quem é você. Mas se for o estudante típico, as terceiras perguntas lhe estão pedindo que faça um voo de gavião, para o qual você não está preparado. Não vale a pena se perder em cogitações tão estratosféricas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291083

Capítulo 4. Desenvolvendo competências de letramento emergente na pré-escola: como a investigação sustenta a prática

Fernanda Leopoldina Viana, Iolanda Ribeiro, Sylvia Domingos Barrera Grupo A PDF Criptografado

4

Desenvolvendo competências de letramento emergente na pré-escola: como a investigação sustenta a prática

Fernanda Leopoldina Viana, Iolanda Ribeiro, Adriana Baptista,

Sara Brandão, Irene Cadime e Sandra Santos

O programa Desenvolvendo Competências de Letramento Emergente (DECOLE) consiste em uma adaptação para o Brasil do programa Falar, Ler e Escrever: Propostas Integradoras para Jardim de Infância – FLE-JI (VIANA; RIBEIRO, 2014), o qual resultou da integração e reflexão de dois projetos de intervenção no âmbito do letramento emergente

– Melhor falar para melhor ler (VIANA, 2002) e uma linha de ação do projeto Litteratus

(RIBEIRO et al., 2007). Tem como objetivo proporcionar aos professores da educação infantil um conjunto estruturado de atividades que contribuam para o desenvolvimento das competências de letramento emergente. A importância de um trabalho sistemático nessa área é justificada pelo impacto dessas competências na aprendizagem da leitura e da escrita, amplamente confirmado pela investigação (COYNE; MCCOACH; KAPP,

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290376

A. Se acho que posso, posso, se acho que não, fracasso

Claudio de Moura Castro Grupo A PDF Criptografado

115

(2) Lembrar-se e entender são coisas que se aprendem ao mesmo tempo.

Pensava-se que primeiro vinha a tarefa de encher a memória com nomes e datas. Só depois é que ocorreria o desenvolvimento do raciocínio. Mas descobriu-se que o mundo não é tão árido. Quando aprendemos sobre triângulos retângulos, ficamos conhecendo senhores chamados catetos e mais a senhora hipotenusa. Sem saber esses nomes, não há como aprender o teorema de Pitágoras. Mas não se trata de ficar repetindo os nomes até decorar. Vamos em frente para conhecer o que Pitágoras disse sobre as relações entre catetos e hipotenusa. Ao lutar com a demonstração do teorema, as palavras serão devidamente memorizadas. Ou seja, aprendemos tudo ao mesmo tempo.

Para cada uma dessas etapas, as técnicas que podem ajudar encontram-se neste livro.

Mas, antes, vale a pena repassar alguns conceitos gerais.

A. Se acho que posso, posso, se acho que não, fracasso

Sabemos que alguns alunos aprendem mais rápido, esquecem menos e entendem com mais profundidade. Para os pesquisadores da área, essa afirmativa não é uma conclusão, mas um ponto de partida para entender porque é assim. E, como resultado de muitos estudos, fatos bem interessantes foram descobertos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290376

B. O importante e o urgente: Inimigos mortais!

Claudio de Moura Castro Grupo A PDF Criptografado

36

B. O importante e o urgente: inimigos mortais!

Falemos do venerado conflito entre o importante e o urgente. Algumas coisas são mais importantes, isto é, se não as fizermos, as consequências negativas serão mais sérias.

Outras coisas são urgentes, pois na prática, há pressões para que sejam logo feitas.

À primeira vista, são ideias irmãs e aliadas.

Na prática, o urgente é o maior inimigo do importante.

O urgente clama, os interessados reclamam, os prazos estão vencendo! São sempre tarefas tangíveis e concretas: atender o telefone, lidar com a crise ou cuidar do encanamento entupido. Sabemos que alguém vai cobrar ou coisa boa não vai resultar.

O problema é que, de urgente em urgente, o tempo vai se escoando. Ao fim e ao cabo, fazemos o urgente. Mas e o importante?

Limpar o carro antes de encontrar a namorada é urgente. Trocar o óleo é importante, embora não seja urgente. Porém, se não for trocado, funde o motor!

Para a nossa carreira futura, entender bem estatística é mais importante do que lavar o carro, ir ao aniversário do amigo ou aproveitar aquela liquidação para comprar a camisa sonhada. Porém, o importante costuma não ser urgente. Portanto, é empurrado para o futuro, pela sucessão dos urgentes. Acaba não sendo feito. Daí a regra de estabelecer prioridades claras e um planejamento realista do tempo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290376

Uma forma visual de apresentar ideias

Claudio de Moura Castro Grupo A PDF Criptografado

74

F. Mapas mentais: o poder dos desenhos

Nos últimos anos, foram desenvolvidos métodos gráficos para mostrar teorias ou sequências de pensamentos. Esses métodos foram chamados de mapas conceituais ou mapas mentais.

Trata-se de uma estratégia para a organização visual das ideias, por meio de palavras-chave, cores, imagens, símbolos e figuras.

Tudo acontece em torno de um desenho que tem, ao centro, uma ideia, um conceito. Vale a pena aprender a manejar mapas conceituais, pois favorecem o aprendizado e melhoram a criatividade e a produtividade pessoal, tanto na escola quanto no trabalho. Quem aprendeu a usar, fica viciado.

Uma forma visual de apresentar ideias

No fundo, os mapas conceituais são desenhos criados para ajudar a compreender alguma ideia. Na verdade, não passam das mesmas ideias e palavras, apresentadas fora da disciplina linear do texto tradicional e, se desejado, enriquecidas com imagens.

A justificativa teórica dos mapas mentais nos levaria a teorias da cognição, algo complicadas. No entanto, podemos viver sem elas, pois a utilidade dos desenhos usados

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291083

Apêndice 1

Fernanda Leopoldina Viana, Iolanda Ribeiro, Sylvia Domingos Barrera Grupo A PDF Criptografado

Apêndice 1

Ficha de registro e de opinião

Nome:

Idade:

Tipo de documento:

Nº de páginas: _______

Outro

Nº de minutos: _______

Título:

Autor:

Editor:

Opinião:

Gostei muito

Gostei um pouco

Não gostei

Crie uma frase, um pequeno texto, ou um desenho sobre o livro que acabou de ouvir.

Responsável pela recepção

__________

Apendice_1.indd 147

Data de saída: ____/____/____

Data de entrada: ____/____/____

19/05/2017 09:28:45

Esta página foi deixada em branco intencionalmente.

Apendice_1.indd 148

19/05/2017 09:28:46

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291083

Apêndice 4

Fernanda Leopoldina Viana, Iolanda Ribeiro, Sylvia Domingos Barrera Grupo A PDF Criptografado

Apêndice 4

Em loja.grupoa.com.br, acesse a página do livro por meio do campo de busca e clique em Conteúdo Online para baixar as imagens deste Apêndice coloridas e em tamanho maior.

Apendice_4.indd 163

Canário

Galinha

Gato preto

Vaca castanha

Ganso

18/05/2017 09:37:32

Esta página foi deixada em branco intencionalmente.

Apendice_4.indd 164

18/05/2017 09:37:32

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290383

Depois das conversas escritas, propondo novas conversas

Paulo Fochi Grupo A PDF Criptografado

Depois das conversas escritas, propondo novas conversas

A escrita deste livro deu-se em torno da partilha de um propósito já anunciado de antemão: contribuir para os estudos das pedagogias para a pequena infância. Ao me perguntar sobre as ações dos bebês nos contextos de vida coletiva, escolhê-los como companheiros da minha pesquisa, receber a acolhida da professora e de sua auxiliar, assim como conversar com as interlocuções teóricas produzidas ao longo do trabalho, percebo que os aspectos descritos foram elementos que considero estruturantes desse percurso.

Para além das conclusões que logo tratarei de expor, devo dizer que este estudo me serviu como um importante “andaime” em relação ao conhecimento e ao desejo de me aprofundar mais em alguns autores e conceitos. Em virtude disso, durante a escrita, e mesmo no momento de fazer esta conclusão, percebi a potência que alguns trechos do trabalho, algumas obras e alguns autores produziam e, daqui, tenho certeza de que está aberta a possibilidade de ampliação deste trabalho a ser realizado em oportunidades futuras.

Ver todos os capítulos

Carregar mais