19 capítulos
Medium 9788520459850

15. A vida de casal não acaba com a chegada do bebê

Jane Nelsen, Kristina Bill, Joy Marchese Editora Manole ePub Criptografado

15

Simon e Sarah nos contam como as pressões decorrentes do trabalho e dos filhos chegaram ao limite e levaram a um colapso no relacionamento. Simon se lembra de uma conversa específica: “Não quero trabalhar em nosso relacionamento! Eu já tenho que trabalhar demais no meu emprego!” Simon se lembra de sentir-se cansado. Sarah havia sugerido mais uma vez que eles deveriam fazer um curso de casais para “se aproximar”. Certamente os relacionamentos eram bons ou ruins – eles funcionavam ou não. Não era o bastante que ele trabalhasse sessenta horas por semana e ainda encontrasse tempo para levar as crianças ao tênis e ao teatro aos sábados? Sarah, por outro lado, sentia-se desanimada: “Por que você não consegue ver que parte do problema é exatamente isso – você parece não perceber que, com tão pouco tempo para nós, precisamos de ajuda para reacender a chama?”

Criar um relacionamento saudável e duradouro

Para criar bem-estar duradouro na vida, a chave é ver e aplicar ferramentas e atitudes semelhantes em todos os relacionamentos e situações. A mágica da Disciplina Positiva é que ela é aplicável a todas as relações humanas. Os princípios que discutiremos neste capítulo se aplicam não apenas aos nossos parceiros, mas também a todos os nossos relacionamentos próximos. Nossa perspectiva para este capítulo se volta para parceiros que moram e criam os filhos juntos. Se sua vida parece diferente, veja se alguma coisa aqui ressoa em você e pode ajudá-lo a dar sentido aos relacionamentos passados, e talvez prepará-lo para o seu próximo. Ao longo deste capítulo, encorajamos você a refletir também sobre como esses comportamentos se refletem em sua vida profissional.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520459850

10. Ajudar as crianças a prosperar

Jane Nelsen, Kristina Bill, Joy Marchese Editora Manole ePub Criptografado

10

Jane compartilhou: “Em nossa família, tínhamos o que chamamos de síndrome de três semanas do plano de tarefas domésticas. Na reunião de família, criávamos juntos uma rotina de tarefas que as crianças seguiriam com entusiasmo por uma semana. Elas seguiam o plano sem entusiasmo por mais uma semana. Na terceira semana, havia reclamação e ranger de dentes sobre o plano de tarefas. Então, de volta à programação das tarefas. Nós, então, elaborávamos outro plano, que seguiria um padrão semelhante de três semanas.” Isso significa que o quadro de rotina não estava funcionando? Longe disso! Como Jane diz: “Eu me sentia muito melhor nessa síndrome de três semanas do que nas batalhas diárias em que costumava me envolver. Não sei o que teríamos feito sem as reuniões de família.”

Reuniões de família

Estresse, desorganização, frustração e raiva – fazem parte da sua rotina matinal? Fazer com que crianças sonolentas e não cooperativas saiam de casa a tempo pela manhã pode testar a paciência de qualquer pai, mas é especialmente difícil quando ambos os pais também precisam sair de casa ao mesmo tempo para trabalhar. E por que essas mesmas crianças sonolentas estão bem acordadas e cheias de energia depois de um dia inteiro de trabalho e bem na hora de dormir? Você já murmurou: “Deve haver uma maneira melhor?” Bem, existe. Imagine o seguinte: seus filhos acordam sozinhos, se vestem sozinhos, se revezam para preparar o café da manhã (incluindo o seu) e pegam seus lanches (que deixaram preparados na noite anterior) na geladeira. Eles então pegam seu material escolar e roupas de ginástica (no local onde eles mesmos deixaram arrumados na noite anterior) e lhe dão um beijo enquanto saem para a escola com tempo de sobra. Parece bom? Essa poderia ser sua casa – ou algo bem parecido com isso.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520459850

03. Lidar com a culpa

Jane Nelsen, Kristina Bill, Joy Marchese Editora Manole ePub Criptografado

3

Karen chegou em casa tarde – de novo! Seu trabalho como executiva no banco era emocionante e preenchia todos os seus objetivos profissionais, mas significava chegar em casa tarde em muitas noites e preocupações sobre seu filho Laurence, de 5 anos, passar muito tempo com a babá. Laurence correu para a porta da frente assim que ouviu a mãe chegando. “Mamãe, mamãe, venha, eu preciso lhe mostrar o que Sue e eu encontramos no parque hoje!” Sue, a babá, estava na porta já calçando suas botas. Ela tinha planos para aquela noite, então Karen prometera a Sue que chegaria mais cedo. Sue começou a contar a Karen sobre as refeições de Laurence e o dever de casa enquanto Laurence puxava o casaco de Karen. Karen esbravejou: “Laurence, você não consegue ver que eu estou conversando? Vá para o seu quarto e espere por mim lá!” Os lábios de Laurence começaram a tremer e ele correu para o quarto. Karen ficou com o coração partido e furiosa consigo mesma por ter brigado com seu garotinho.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520459850

04. Integração trabalho-vida

Jane Nelsen, Kristina Bill, Joy Marchese Editora Manole ePub Criptografado

4

Anne se lembra de quando teve seu grito de alerta: “Anne, você pode vir ao meu escritório, por favor?” Ela não gostou do tom que percebeu na voz do sócio sênior. Não precisava de outro sermão! Ela havia acabado de desligar o telefone com o marido, Richard, que dissera com toda a clareza que, de agora em diante, ele precisava que ela buscasse a pequena Cindy, de 6 anos, na escola todas as quintas e sextas-feiras. O chefe de Richard estava pressionando-o muito, e ele não queria colocar sua carreira em segundo plano por mais tempo. Anne estava trabalhando oitenta horas por semana e acabara de entregar outro caso de sucesso para seu escritório de advocacia. Tudo bem, Richard não estava feliz, mas certamente os sócios seniores deveriam estar satisfeitos, Anne pensou.

“Anne, nós sabemos que você está fazendo um trabalho fantástico e conquistando sucesso para a empresa”, Penélope começou. “Mas nós temos recebido repetidas reclamações sobre seu relacionamento com a equipe júnior e, como resultado, tivemos duas demissões. Contratar e treinar juniores é muito caro, e a empresa simplesmente não pode perder sua reputação no mercado. Manter os melhores talentos em todos os níveis é uma prioridade, Anne, mas você está dificultando isso para nós. O sucesso não pode ser alcançado a qualquer preço!” Anne se lembra de ter ficado chocada. Em vez de ser admirada por toda a sua dedicação, ela estava sendo repreendida. Então, percebeu que também estava sendo muito exigente com seu marido. E como sua carga de trabalho estava afetando a filha deles? Ela estava disposta a pagar o preço de perder a família pelo sucesso no trabalho?

Ver todos os capítulos
Medium 9788520459850

Apêndice 1: Resolução de problemas

Jane Nelsen, Kristina Bill, Joy Marchese Editora Manole ePub Criptografado

Os vinte maiores desafios e as ferramentas para corrigi-los

Nesta seção, listaremos os vinte maiores desafios (sem ordem específica de importância) dos pais com seus filhos que surgem de maneira mais frequente em nosso trabalho com pais de todo o mundo. Se você não encontrar seu desafio listado aqui, procure um semelhante, ou volte e revise os cinco critérios da Disciplina Positiva no Capítulo 2 e pense em como você pode aplicá-los na criação dos seus filhos. O quadro dos objetivos equivocados, reproduzido no Apêndice 2, também é uma ferramenta abrangente muito boa para você consultar regularmente, a fim de reavaliar desafios e progresso. É importante lembrar que não existe uma ferramenta que funcione para todas as crianças em todas as situações. É por isso que oferecemos tantas ferramentas da Disciplina Positiva.

Todas as ferramentas atendem aos cinco critérios da Disciplina Positiva. Além disso, existem alguns princípios fundamentais que sustentam esses critérios. Antes de se envolver em qualquer tipo de ação corretiva, pergunte a si mesmo se o comportamento que pretende ter se baseia nesses princípios: “Estou sendo gentil e firme? Lembre-se de conectar antes de corrigir. Essa solução estimulará a cooperação? Estou buscando uma solução em curto prazo ou uma que exija treinamento e que assegure benefícios em longo prazo? Compreendi plenamente a crença do meu filho por trás do comportamento?” Há muitas possibilidades de ajudar as crianças a se sentirem melhor para que ajam melhor. As ferramentas da Disciplina Positiva não são técnicas, mas sim ferramentas baseadas em princípios. As técnicas são muito limitadas e geralmente não funcionam em longo prazo. Um princípio é mais amplo e profundo e há muitas maneiras de aplicá-lo.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos