3359 capítulos
Medium 9788536320809

Estudos de questionário 1: frequência média ponderada, testes não paramétricos

Rafael Perera Grupo A PDF Criptografado

Estudos de questionário 1: frequência média ponderada, testes não paramétricos

Questão: quais são os sinais e sintomas clínicos iniciais de doença meningocócica em crianças?

Thompson et al. Lancet 2006;367:397-403.

Os dados sobre sintomas foram coletados incluindo o momento de início do dia, utilizando uma lista de verificação.

Foi utilizada uma frequência média ponderada. Foi realizado o bootstrapping não-paramétrico para calcular os ICs de 95% em torno das frequências médias.

O início da doença foi considerado como sendo o momento em que os pais notaram o primeiro sintoma. O momento no qual cada sintoma subsequente se desenvolveu foi então calculado a partir do momento do início da doença, e arredondado para a hora mais próxima. Foram usados o tempo mediano de início e a faixa interquartil para cada sintoma.

Frequência média ponderada

As frequências dos sinais e sintomas de doença meningocócica foram obtidas usando todos os casos de doença meningocócica (DM) como referência.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522466030

1 INTRODUCÃO AO ENSINO DA METODOLOGIA DA ClÊNCIA

DEMO, Pedro Grupo Gen PDF Criptografado

1

INTRODUCÃO AO ENSINO DA

METODOLOGIA DA Cl tNCIA

1.1 . CONSIDERAÇOES INTRODUTóRIAS

Não nos referi mos aqui às ciências ditas exatas e naturais. O que se julga válido para estas também é válido, pelo menos em parte, para as outras, ditas ciências humanas e sociais. Todavia, constituem um espaço também próprio de construção científica.'

Tudo isto é polêmico e aí já começam divergências, que é preferível enfrentar, a camufl ar . Talvez prevaleça, na prática, a crença de que deve va ler para qualquer objeto científico o mesmo método, a saber, o método típico das ciências exatas e naturais. No outro extre· mo. estão os que acham ser o fenômeno humano tão sui generis que necessita de método próprio, totalmente diferente do outro.

Vamos defender aqui uma posição intermediária. Muito do que se diz dos objetos naturais vale igualmente para os objetos humanos.

Regras lógicas do conhecimento, por exemplo, são as mesmas. como

é a mesma a matemática para "gregos e troianos". No entanto, jus ti· fica-se uma metodologia relativamente específica para as ciências humanas, porque o fenômeno humano possui componentes irredutíveis

Ver todos os capítulos
Medium 9788565848824

Capítulo 10 - Psicologia social e comunitária

Josiane Carolina Soares Ramos do Amaral Grupo A PDF Criptografado

Janaína Turcato Zanchin

capítulo 10

Psicologia social e comunitária

Neste capítulo, serão abordadas as concepções de psicologia, psicologia social e psicologia comunitária, buscando dar a você a capacidade de compreender de que forma se estruturam esses campos de saber e como compreendem o homem no mundo. No campo da psicologia social, entende-se que o estudo de algumas instituições é fundamental para compreender como o sujeito se constitui, são elas: a família, o trabalho e a escola. Ao abordar a temática da escola, serão indicadas algumas ferramentas importantes para compreender os processos de escolarização e pensar como é possível atuar nessa instituição.

Objetivos deste capítulo

Distinguir as definições de psicologia, psicologia social e psicologia comunitária.

Reconhecer a forma como a psicologia social concebe o homem em interação com a sociedade.

Conhecer as noções das instituições família, trabalho e escola e aplicá-las às atividades educacionais.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536324845

Capítulo 6.17 - Osteoartrose do Joelho

Sizinio H. Hebert Grupo A PDF Criptografado

6 MEMBROS INFERIORES

CAPÍTULO 6.17

OSTEOARTROSE

DO JOELHO

FRANCISCO CONSOLI KARAM

LUIZ ANTÔNIO SILVEIRA SIMÕES PIRES

RICARDO DA ROCHA GOBBO

A osteoartrose do joelho é consequência de eventos mecânicos e biológicos que provocam um desequilíbrio na complexa estrutura articular. Essa situação causa liberação de enzimas degradadoras, levando a deterioração da cartilagem articular.

Tendo em vista que a cartilagem do adulto é desprovida tanto de vascularização quanto de inervação, seu potencial cicatricial é limitado. O risco de desenvolver a osteoartrose aumenta com a idade, principalmente para mulheres, que são as mais acometidas. A osteoartrose atinge em geral indivíduos acima dos 60 anos, sendo que, nos Estados Unidos, 37,4% dessa população possuem alterações degenerativas visíveis na radiografia e 12,1% possuem degeneração associada a sintomas. Outros fatores envolvidos na gênese da osteoartrose são obesidade, lesões prévias no joelho, excessos em atividade física e história familiar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536306513

Capítulo 12. Solução dos testes

Yasser Seirawan Grupo A PDF Criptografado

12

Solução dos testes

TESTE 1: na partida real, as pretas apegam-se cegamente a sua Dama com 9...Dg6?? e pagam o preço depois de 10.Td8+ Rf7 11.Bc4+ Be6 12.Cxe5 xeque-mate. Em vez de exibir essa ganância suicida, deveriam ter apostado no desenvolvimento com 9...Bxc3+ (na verdade, esse lance não é necessário, mas não faz mal nenhum enfraquecer a estrutura de peões do inimigo). Em seguida, depois de 10.bxc3

Cf6! 11.Txd6, cxd6, as brancas ficariam sem ameaças e as pretas ainda estariam

à frente com uma Torre extra.

TESTE 2: as brancas deveriam trocar as Damas, é claro! O lance 1.Dd2!, encaminhando para g5 ou h6, embora seja aparentemente muito ruim, mostra-se superior às forças das pretas. Em resposta a 1...Bf5, as brancas decidem que têm o jogo sob controle e devoram mais um pouco com 2.Txa6 antes de fazer a troca.

Depois de 2...Txa6 3.bxa6 Ta8 4.Dg5+ Dxg5 5.Bxg5 Txa6 6.gxf3 gxf3 7.Cxf3, as brancas ganham em mais alguns lances.

TESTE 3: trocar peças com 1...Dg1+ 2.Rc2 Dxb1+ 3.Rxb1 é o mais simples. Se jogarem 1...h3, as pretas também forçam as brancas a abandonarem a partida.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos