275 capítulos
Medium 9788582600733

Superfícies e texturas

Ericson Luiz Straub, Marcelo Ferreira de Castilho, Hélio Félix Maciel de Queiroz, Paulo Adriano Biondan Grupo A PDF Criptografado

Superfícies e texturas

Superfícies e texturas

Cada material ou superfície específica possui uma expressão própria, muitas vezes somente visual, em outras envolvendo aspectos tridimensionais ou sensoriais. Este é o desafio na representação de texturas e superfícies: não apenas retratar o material ou o produto, mas demonstrar a sensação tátil ou tridimensional de um material. A representação do design com a finalidade de apresentar a ideia deve comunicar para o interlocutor de maneira clara qual é a superfície, o material ou a textura de determinado objeto.

Nesse processo de representação, são utilizados materiais como marcadores, pastéis, lápis de cor, guache, aquarela e papéis de texturas diferenciadas, tudo com o objetivo de demonstrar de modo rápido e claro a natureza de uma superfície ou textura. O que se busca é capturar o detalhe que define uma superfície, buscando o estereótipo de representação de determinado material. Por exemplo, a representação de superfícies cromadas

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605134

Processo - Fase 3 – Design de identidade

Alina Wheeler Grupo A PDF Criptografado

Fase 3 – Design de identidade

Visão geral

A investigação e a análise foram concluídas; houve um acordo com relação ao briefing de marca; começa então o processo criativo de design na Fase 3. O design é um processo iterativo, que busca integrar o significado com a forma. Os melhores designers trabalham com a intersecção de imaginação estratégica, intuição, excelência de design e experiência.

3

design de identidade

Nunca sabemos o que o processo vai revelar.

Hans-U. Allemann

Cofundador

Allemann, Almquist & Jones

Forma e contraforma.

Luz e tensão. O significado que se expande e não se exaure no primeiro olhar. Você precisa conhecer o empreendimento por dentro e por fora.

Malcolm Grear

O design é feito para ter durabilidade, função, utilidade, correção, beleza.

Paul Rand

Os melhores designers de identidade sabem se comunicar de forma eficaz com o uso de sinais e símbolos, têm um senso aguçado da forma e das formas das letras e entendem da história do design.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577809752

Capítulo 21 - Escalonamento Multidimensional e Análise Conjunta

Naresh K. Malhotra Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

21

Muitas vezes, as relações são vistas com mais facilidade quando são mostradas em imagens ou por meio de um gráfico... e esse

é o objetivo do escalonamento multidimensional. A análise conjunta, por sua vez, ajuda a traçar o perfil dos atributos que mais contribuem para que a pessoa faça sua opção por uma das inúmeras ofertas entre as diversas combinações desses mesmos atributos.

Kunal Gupta, vice-presidente/consultor sênior,

Ciências da Decisão, Burke, Inc.

Objetivos

Após a leitura deste capítulo, o aluno conseguirá:

1. Discutir o conceito básico e o escopo do escalonamento multidimensional (EMD) em pesquisa de marketing e descrever suas várias aplicações.

2. Descrever as etapas envolvidas no escalonamento multidimensional de dados de percepção, incluindo formulação do problema, obtenção de dados de entrada, escolha de um procedimento de EMD, decisão quanto ao número de dimensões, rotulação das dimensões, interpretação da configuração e avaliação da confiabilidade e validade.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600733

A evolução dos meios de representação do design

Ericson Luiz Straub, Marcelo Ferreira de Castilho, Hélio Félix Maciel de Queiroz, Paulo Adriano Biondan Grupo A PDF Criptografado

A evolução dos meios de representação do design

O ato da representação visual faz parte da evolução do homem. Mais do que apenas a caracterização de crenças, o desenho tem um papel fundamental como elemento de comunicação entre os povos. Tem sido assim desde a evolução das antigas formas de escrita, que nasceram da necessidade de registro e de transmissão do conhecimento adquirido, estabelecendo uma ligação entre o emissor e o receptor e permitindo o compartilhamento de códigos comuns ao longo das gerações.

A representação no design – apesar de utilizar alguns códigos específicos que, muitas vezes, diferenciam-se de outras formas de representação visual – tem um papel similar ao da escrita porque também parte da necessidade de comunicar uma ideia. Desde a Antiguidade, o ato da representação tem uma estreita ligação com as artes, mas foi somente no final da Idade Média, quando arquitetos e projetistas começaram a ser chamados pela Igreja para projetar e renovar catedrais e edifícios, que surgiu a real necessidade de se estabelecer um diálogo efetivo entre o projetista, o cliente e os operários que deveriam executar a obra. Filippo Brunelleschi, um dos mais importantes arquitetos daquele período, foi um dos primeiros a desenvolver seus projetos com base na transferência de ideias para o papel, tendo sido responsável pelo projeto da cúpula da Igreja Santa Maria Del Fiore, em Florença, na Itália.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582602171

Mapa de jornada do usuário

Marc Stickdorn, Jakob Schneider Grupo A PDF Criptografado

Quais são as ferramentas do design de serviços?

EXPLORAÇÃO

VISUALIZAÇÃO HOLÍSTICA DOS PROCESSOS DE SERVIÇOS

MAPA DE JORNADA

DO USUÁRIO

O que é?

O mapa de jornada do usuário oferece uma visualização vívida, porém estruturada, da experiência do usuário de um serviço. Os pontos de contato por meio dos quais o usuário interage com o serviço são muitas vezes usados para construir uma “jornada” – uma narrativa envolvente baseada na experiência dos usuários. Essa narrativa detalha suas interações com o serviço e as emoções que acompanham essas interações de modo altamente acessível.

Como é feito?

228

274

É essencial identificar os pontos de contato em que os usuários interagem com o serviço. Esses pontos de contato podem assumir diversas formas, desde o contato face a face entre indivíduos até interações virtuais com um site, ou deslocamentos físicos a determinado local. Construir um mapa de jornada do usuário envolve definir esses pontos de contato com a geração de insights dos usuários. Entrevistas funcionam bem aqui, mas os mapas de jornada também podem ser construídos pelos próprios usuários – blogs e vlogs oferecem insights a partir da perspectiva do próprio usuário, o que sempre fornece um conjunto envolvente de materiais para a construção do mapa.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos