137 capítulos
Medium 9788582602171

Isto é uma caixa de ferramentas – não um manual

Marc Stickdorn, Jakob Schneider Grupo A PDF Criptografado

Quais são as ferramentas do design de serviços?

ISTO É UMA CAIXA DE FERRAMENTAS –

NÃO UM MANUAL

A COMUNIDADE

Para compilar o conjunto das ferramentas mais utilizadas e eficazes para o design de serviços, pedimos aos membros da comunidade que contribuíssem com suas ideias e sugestões através de um fórum online. Que ponto de partida poderia ser melhor do que as pessoas que vêm usando e desenvolvendo essas ferramentas em seu trabalho diário? Assim, uma variada coleção de materiais foi estruturada, editada e complementada pelos editores. O resultado final é uma caixa de ferramentas lindamente ilustrada para designers de serviços, publicada aqui como fonte de inspiração para quem está embarcando em seus próprios projetos.

COLABORADORES ONLINE, EM ORDEM ALFABÉTICA

Adam Lawrence / Ahmet Emre Acar / Aidan Kenny / Aleinad / Alexander Osterwalder / Alexis Goncalves / Anonymous /

Arandag / Balulu / Bas Raijmakers / Ben Freundorfer / Bernard / Damian Kernahan / Daniel Christadoss / Darby / Dave /

Ver todos os capítulos
Medium 9788577809752

Capítulo 09 - Mensuração e Escalonamento: Técnicas de Escalonamento Não Comparativas

Naresh K. Malhotra Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

9

É importante estabelecer a confiabilidade e a validade de nossas escalas. Se não, não poderemos acreditar em nossos dados.

Chet Zalesky, presidente, CMI

Objetivos

Após a leitura deste capítulo, o aluno conseguirá:

1. Descrever as técnicas de escalonamento não comparativas, distinguindo entre escalas contínuas e escalas itemizadas, e explicar as escalas Likert, de diferencial semântico e Stapel.

2. Discutir as decisões envolvidas na construção de escalas itemizadas em relação ao número de categorias, escalas balanceadas ou não balanceadas, número par ou ímpar de categorias, escalas de escolha forçada ou não forçada, descrição verbal e formato da escala.

3. Discutir os critérios usados para avaliação de uma escala e explicar como obter confiabilidade, validade e capacidade de generalização.

4. Discutir as questões existentes na implementação de escalas não comparativas em um contexto internacional.

5. Entender os problemas de ordem ética envolvidos na elaboração de escalas não comparativas.

6. Discutir o uso da Internet e de computadores na implementação de escalas contínuas e itemizadas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577809011

Ferramentas e técnicas

Barry Purves Grupo A PDF Criptografado

ava s-m ch5_P134-159:5 Tools & techniques 24/11/2009 4:40 PM Page 135

Title: Basic Animation-Stop Motion

Client: AVA Book Pte Ltd Size: 160mmx230mm

134 | 135

Ferramentas e técnicas

No Capítulo 5, veremos como todos os elementos técnicos envolvidos no stop-motion afetam a narrativa e o filme em si, e por que eles são tão importantes quanto a animação.

Preparativos > Ferramentas e técnicas > Movimento e performance

Como precisamos criar absolutamente tudo a partir do zero, é importante extrair o máximo de cada elemento, permitindo que contribuam para o filme, em vez de serem apenas algo secundário, mera decoração ou arquitetura. Tente relacionar cada corte, cada enquadramento, cada música a alguma coisa na narrativa e no tema global.

A animação é mais do que personagens móveis; trata-se de narrativa, e cada elemento pode ajudar a contar essa história.

Wallace e Gromit:

A batalha dos vegetais

2005 animador

Aardman

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605134

Estudos de caso - Cidade de Melbourne

Alina Wheeler Grupo A PDF Criptografado

Estudos de caso

Cidade de Melbourne

Melbourne é uma cidade forte, inspiradora e sustentável, um lugar que promove experimentação, inovação e criatividade e que cultiva líderes de ideia e de coragem.

Melbourne é a capital do estado australiano de Victoria e a segunda cidade mais populosa do país.

Ela tem altos índices de educação, entretenimento, saúde, pesquisa e desenvolvimento, turismo e esporte, conquistando o prêmio de melhor cidade para se viver do mundo da Economist Intelligence

Unit pela sexta vez consecutiva em 2016. O Conselho da Cidade de Melbourne apoia as ofertas de classe mundial da cidade e a representa nacional e internacionalmente.

Metas

Desenvolver uma estratégia de marca e um sistema de identidade coesos.

Identificar e articular uma ideia de marca fundamental.

Promover orgulho.

Estabelecer insights sobre as necessidades de um público global.

Melhorar a relação custo-benefício da gestão da marca.

Metas do Conselho da Cidade de

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605134

Estudos de caso - Ópera de Sydney

Alina Wheeler Grupo A PDF Criptografado

Estudos de caso

Ópera de Sydney

Nossa visão para a Ópera de Sydney reconheceu que a criatividade e as artes poderiam ajudar a inspirar e apoiar a busca da Austrália por uma resposta para quem somos, como país, e quem gostaríamos de nos tornar.

Com suas velas icônicas, a Ópera de Sydney é a atração turística mais visitada da Austrália há décadas, além de ser um dos edifícios mais conhecidos do mundo. Patrimônio Mundial da Unesco, o local é uma fonte de orgulho imenso para os australianos, e deixa maravilhados seus 8,2 milhões de visitantes anuais. A ópera é um centro de artes cênicas com múltiplos palcos e recebe mais de

2.000 apresentações por ano.

Metas

Dar vida à visão que levou à criação do centro.

Posicionar o centro de artes cênicas para o seu novo horizonte de crescimento.

Unificar todas as experiências, ofertas e comunicações.

Expandir o valor de marca.

Comunicar que a magia acontece no lado de dentro.

Mudança de perspectiva

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos