5 capítulos
Medium 9788521624356

4 - Camada de Enlace

MAIA, Luiz Paulo Grupo Gen PDF Criptografado

4

4.1

Camada de Enlace

Introdução

A principal função da camada de enlace é garantir a comunicação entre dispositivos adjacentes.

Enquanto a camada física trabalha com bits, a camada de enlace trabalha com blocos de bits, chamados quadros. É função da camada de enlace criar e interpretar corretamente os quadros, detectar possíveis erros e, quando necessário, corrigi-los. A camada de enlace deve também controlar o fluxo de quadros que chegam ao destino, de forma a não o sobrecarregar com um volume excessivo de dados.

Este capítulo trata de características comuns às camadas de enlace de redes ponto a ponto e multiponto. Os detalhes relativos às redes multiponto são tratados no próximo capítulo, Arquitetura de Redes Locais. Para mais informações sobre a camada de enlace, consultar [Black,

1993].

4.2

Quadros

Enquanto a camada física trabalha com bits, a camada de enlace trabalha com blocos de bits, chamados quadros ou frames. Na grande maioria dos protocolos de enlace os quadros são formados por três estruturas básicas: cabeçalho, dados e CDE (Fig. 4.1).

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600245

Capítulo 4 - Relações

Paulo Blauth Menezes Grupo A PDF Criptografado

capítulo

4

relações

O conceito intuitivo de relação é muito próximo do conceito formal e pode ser facilmente inferido a partir de exemplos do cotidiano.

Basicamente, uma relação é um conjunto de pares ordenados.

Possui importantes aplicações na computação e informática como banco de dados relacional e rede de Petri.

Diversos conceitos correlatos são estudados: relação dual, composição de relações e tipos de relações

(funcional, injetora, total, sobrejetora, monomorfismo, epimorfismo e isomorfismo).

■ ■

82

Matemática Discreta para Computação e Informática

O conceito intuitivo de relação é muito próximo do conceito formal de relação. Os seguintes exemplos do cotidiano são relações:

parentesco;

“maior ou igual” (como estatura de pessoas);

“igualdade” (como de números reais); lista telefônica que associa a cada assinante o seu número (ou números) de telefone;

Ver todos os capítulos
Medium 9788521609490

4. Processos e Threads

MACHADO, Francis Berenger; MAIA, Luiz Paulo Grupo Gen PDF Criptografado

4

PROCESSOS E THREADS

4.1

IntroduçÃo

A gerência de um ambiente multiprogramável é função exclusiva do sistema operacional que deve controlar a execução dos diversos programas e o uso concorrente do processador e demais recursos. Para isso, um programa, ao ser executado, deve estar sempre associado a um processo. O conceito de processo é a base para a implementação de um sistema multiprogramável.

A gerência de processos é uma das principais funções de um sistema operacional, possibilitando aos programas alocar recursos, compartilhar dados, trocar informações e sincronizar suas execuções. Nos sistemas multiprogramáveis, os processos são executados concorrentemente, compartilhando o uso do processador, memória principal e dispositivos de E/S, entre outros recursos. Nos sistemas com múltiplos processadores não só existe a concorrência de processos pelo uso do processador como também a possibilidade de execução simultânea de processos nos diferentes processadores.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577807659

Capítulo 4 - Propriedades das linguagens regulares

Paulo Blauth Menezes Grupo A PDF Criptografado

capítulo

4

propriedades das linguagens regulares

Linguagens regulares são representadas por formalismos muito simples, sendo possível desenvolver algoritmos de pouca complexidade, de grande eficiência e de fácil implementação.

Entretanto, possuem fortes limitações de expressividade.

É por isso que o estudo de algumas das principais propriedades das linguagens regulares, assunto tratado nesse capítulo,

é muito importante.

■ ■

114

Linguagens Formais e Autômatos

Uma das principais características das linguagens regulares é o fato de serem representadas por formalismos de pouca complexidade, grande eficiência e fácil implementação. Entretanto, por ser uma classe relativamente simples, é restrita e limitada, sendo fácil definir linguagens não regulares. Assim, algumas questões sobre linguagens regulares necessitam ser analisadas: a Como determinar se uma linguagem é regular? b A Classe das Linguagens Regulares é fechada para operações de união, concatenação e intersecção (ou seja, a operação de duas linguagens regulares resulta em uma linguagem regular)? c Como verificar se uma linguagem regular é infinita ou finita (ou até mesmo vazia)? d É possível analisar duas linguagens regulares quaisquer e concluir se são iguais ou diferentes?

Ver todos os capítulos
Medium 9788521622871

Parte I - Capítulo 4 - Estrutura do Sistema Operacional

MACHADO, Francis B.; MAIA, Luiz Paulo Grupo Gen PDF Criptografado

4

Estrutura do Sistema

Operacional ff 4.1 Introdução

O sistema operacional é formado por um conjunto de rotinas que oferece serviços aos usuários e às suas aplicações. Esse conjunto de rotinas é denominado núcleo do sistema, ou kernel. A maioria dos sistemas operacionais é fornecida acompanhada de utilitários e linguagem de comandos, que são ferramentas de apoio ao usuário, porém não são parte do núcleo do sistema. Na

Fig. 4.1 é apresentado um modelo de camadas detalhando a estrutura do sistema operacional e suas interfaces.

Há três maneiras distintas de os usuários se comunicarem com o kernel do sistema operacional.

Uma delas é por intermédio das chamadas rotinas do sistema realizadas por aplicações. Além disso, os usuários podem interagir com o núcleo mais amigavelmente por meio de utilitários ou linguagem de comandos. Cada sistema operacional oferece seus próprios utilitários, como compiladores e editores de texto. A linguagem de comandos também é particular de cada sistema, com estruturas e sintaxe próprias.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos