1987 capítulos
Medium 9788563308153

Capítulo 16: Economia política comercial dos Estados Unidos

Dennis R. Appleyard, Alfred J. Field Jr, Steven L. Cobb, André Fernandes Lima Grupo A PDF Criptografado

CAPÍTULO

16

ECONOMIA POLÍTICA E

POLÍTICA COMERCIAL

DOS ESTADOS UNIDOS

OBJETIVOS DE APRENDIZADO

■ Compreender vários conceitos básicos de economia política.

■ Entender desenvolvimentos cruciais na história das negociações

comerciais multilaterais.

■ Familiarizar-se com aspectos recentes da política comercial.

■ Aumentar o conhecimento dos desenvolvimentos atuais da política comercial

norte-americana.

354

Econ Internacional_cap16_I.indd 354

29.04.10 11:03:07

CAPÍTULO 16

ECONOMIA POLÍTICA E POLÍTICA COMERCIAL DOS ESTADOS UNIDOS

355

INTRODUÇÃO

Comentários contrastantes sobre política comercial

Em janeiro de 2004, o representante comercial dos Estados Unidos Robert Zoellick propôs que todos os subsídios de exportação de produtos agrícolas fossem eliminados e que todas as tarifas sobre alimentos e outras importações fossem cortadas drasticamente. Estas e outras propostas foram feitas em uma carta aos 148 países-membros da Organização Mundial do Comércio. A intenção da carta e das medidas propostas era dar vida nova às negociações comerciais multilaterais a fim de reduzir as barreiras comerciais em todo o mundo.…1

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632337

22. Controladores PID

JANERT, Philipp K. Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO 22

Controladores PID

Encontramos os controladores PID já no Capítulo 4. Agora, vamos examiná-los mais de perto usando os métodos de frequência e espaço introduzidos no Capítulo 20.

A Função de Transferência do Controlador PID

Como vimos no Capítulo 4, a saída uPID(t) de um controlador PID em termos de sua entrada e(t) é dada por

Observe que uPID(t) é linear em e(t). (Tanto integração quanto diferenciação são operações lineares.) A linearidade do controlador PID é um motivo para a sua popularidade.

Podemos tomar a transformada de Laplace desta expressão termo a termo para obter a resposta dinâmica de um controlador PID no domínio da frequência. Usando a Tabela 20.1, descobrimos sem di�culdade que

A expressão dentro dos colchetes é a função de transferência do controlador no espaço de frequência. Ela tem uma forma particularmente simples — de fato, apenas os fatores s e 1/s são frequentemente utilizados para indicar os termos correspondentes (veja a Figura 22-1).

Ver todos os capítulos
Medium 9788521618638

Capítulo 2 - UML Básica

PADUA FILHO, Wilson de Paula Grupo Gen PDF Criptografado

14

CAPÍTULO DOIS

CAPÍTULO 2

UML BÁSICA

1 INTRODUÇÃO

Este capítulo apresenta os principais conceitos da UML (Unified Modeling Language), versão 2.1, que são utilizados neste livro.

A UML representa a síntese das notações orientadas a objetos de James Rumbaugh, Ivar Jacobson e Grady Booch, com o aproveitamento de contribuições de outras metodologias.

Em 1997, a versão 1.1 foi adotada oficialmente pelo Object Management Group, um consórcio que visa à padronização de notações orientadas a objetos. Além da UML, o OMG mantém outros padrões, como Meta-Object Facility (MOF – padrão para metamodelagem, isto é, modelagem de notações para modelos), XML Metadata Interchange (XMI – padrão para intercâmbio de dados entre modelos) e Object Constraint Language (OCL – linguagem para expressão formal de restrições).

Depois de várias versões menores, conhecidas como UML 1.x, o OMG adotou em 2004 a versão 2.0, primeira revisão de maior porte, que aumentou significativamente os elementos e o grau de formalismo da notação. O documento que descreve a parte da notação usada normalmente pelos modeladores é o documento de Superestrutura [OMG05]. Outras partes da especificação são formadas pelos documentos que descrevem a Infra-estrutura [OMG04], isto é, os conceitos que são usados na descrição da Superestrutura, e a linguagem OCL [OMG06].

Ver todos os capítulos
Medium 9788580555486

Plug-in G11 - Sistemas globais de informação

Paige Baltzan Grupo A PDF Criptografado

PLUG-IN

G11

Sistemas globais de informação

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

1. Explicar os desafios culturais, políticos e geoeconômicos enfrentados pelas empresas globais.

2. Descrever os quatro direcionadores de negócios de TI global que devem ser incluídos em todas as estratégias de TI.

3. Descrever governança e conformidade e os frameworks associados que uma organização pode implementar.

4. Identificar por que uma organização precisa compreender arquiteturas corporativas globais ao expandir suas operações no exterior.

5. Explicar os diversos problemas globais de informação que uma organização pode encontrar ao operar seus negócios no exterior.

6. Identificar problemas de desenvolvimento de sistemas globais que as organizações devem compreender antes de desenvolver um sistema global.

Introdução

Independentemente de estarem em Berlim ou Bombaim, Kuala Lumpur ou Kansas City,

San Francisco ou Seul, as organizações ao redor do mundo desenvolvem novos modelos de negócio para atuar competitivamente em uma economia digital. Esses modelos são estruturados, porém ágeis; globais, mas locais; e se concentram em maximizar o retorno ajustado aos riscos de ambos os ativos: conhecimento e tecnologia.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521617419

Capítulo 12 - Sistemas de Informação

DALE, Nell; LEWIS, John Grupo Gen PDF Criptografado

12

Sistemas de Informação

A maioria das pessoas interage com computadores no nível de aplicativo. Isto é, mesmo se uma pessoa não souber nada sobre os detalhes dos outros níveis subjacentes de computação, as chances são de que ela já tenha usado software aplicativo. Nosso objetivo, neste nível, é dar a você uma apreciação de como funcionam vários sistemas de aplicativos. Software aplicativo pode ser classificado de diversas maneiras. Neste capítulo, focamos sistemas de informação em geral. No Capítulo 13 discutimos aplicativos no mundo da inteligência artificial e no Capítulo 14 focamos simulações, gráficos e jogos.

Computadores existem para gerenciar e analisar dados. Hoje em dia, eles afetam quase todos os aspectos de nossas vidas. Usamos sistemas de informação em geral para gerenciar tudo, desde estatísticas de esportes até dados de folhas de pagamento. Da mesma maneira, caixas registradoras e caixas eletrônicos são sustentados por grandes sistemas de informação.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos