1995 capítulos
Medium 9788540700826

Capítulo 6 - Controle o andamento das tarefas

Carl S. Chatfield; Timothy D. Johnson Grupo A PDF Criptografado

Capítulo 6

Controle o andamento das tarefas

Neste capítulo, você vai aprender a:

Salvar os valores atuais de um agendamento como uma linha de base.

Registrar o andamento das tarefas por uma data específica.

Registrar a porcentagem concluída de uma tarefa.

Inserir os valores reais de trabalho e duração das tarefas.

Até agora, você enfocou o planejamento de projeto – desenvolvendo e comunicando os detalhes de um plano de projeto antes de o trabalho real começar. Ao iniciar o trabalho, começa também a fase seguinte do gerenciamento de um projeto: o controle do andamento do projeto. Controlar significa registrar os detalhes do projeto, como quem fez qual trabalho, quando o trabalho foi feito e a que custo. Esses detalhes são chamados de valores reais.

O controle dos valores reais é essencial para gerenciar corretamente um projeto. O gerente de projeto deve saber se a equipe está tendo um bom desempenho e quando realizar uma ação corretiva. Controlar adequadamente o desempenho do projeto e compará-lo com o plano original permite que você responda a perguntas como:

Ver todos os capítulos
Medium 9788582604328

Introdução

Carl Chatfield; Timothy Johnson Grupo A PDF Criptografado

Introdução

Bem-vindo! Este livro Passo a Passo foi projetado para ser lido desde o início para você conhecer o Microsoft Project 2016 e desenvolver suas habilidades,

à medida que aprende a executar procedimentos cada vez mais especializados. Ou então, se preferir, você pode pular para onde for necessário a fim de obter orientações para executar tarefas. Os passos do tipo “como fazer” são apresentados de forma vívida e concisa — apenas os fatos. Você também vai encontrar telas coloridas e informativas, que apoiam o conteúdo educacional.

A quem se destina este livro

Este livro foi projetado para ser usado como um recurso de aprendizado e referência por usuários de programas do Microsoft Office, em casa ou em empresas, que queiram utilizar o Project para criar e gerenciar projetos com mais eficiência. O conteúdo é estruturado de forma a ser útil para pessoas que usaram versões anteriores do Project e para as que ainda estão descobrindo o programa.

A abordagem Passo a Passo

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600306

Capítulo 11 - Inteligência Artificial

J. Glenn Brookshear Grupo A PDF Criptografado

CAPÍTULO

Inteligência Artificial

11

Neste capítulo, exploramos o ramo da ciência da computação conhecido como inteligência artificial. Embora essa área seja relativamente nova, tem produzido resultados surpreendentes, como peritos em xadrez, computadores que aprendem a aprender e a raciocinar e máquinas que coordenam suas atividades para atingir um objetivo comum, como ganhar um jogo de futebol. Na inteligência artificial, a ficção científica de hoje pode muito bem ser a realidade de amanhã.

11.1 Inteligência e máquinas

Agentes inteligentes

Metodologias de pesquisa

O teste de Turing

11.2 Percepção

Entendimento de imagens

Processamento de linguagens

Brookshear_11.indd 413

11.3 Raciocínio

Sistemas de produção

Árvores de busca

Heurísticas

11.4 Áreas adicionais de pesquisa

Representação e manipulação do conhecimento

Aprendizagem

Algoritmos genéticos

11.5 Redes neurais artificiais

Ver todos os capítulos
Medium 9788577260454

Bibliografia

Stephen R. Schach Grupo A PDF Criptografado

Bibliografia

A indicação de capítulo entre parênteses mostra o capítulo no qual se fez referência ao item.

(Abrial, 1980) ABRIAL, J.-R, The Specification Language

Z: Syntax and Semantics Oxford University Computing

Laboratory, Programming Research Group, Oxford, Reino

Unido (abr. 1980). (Capítulo 11)

(Ackerman, Buchwald e Lewski, 1989) ACKERMAN, A.

F.; BUCHWALD, L. S. e LEWSKI, F. H. Software

Inspections: An Effective Verification Process, IEEE

Software 6 (maio 1989), p. 31-36. (Capítulo 6)

(Adolph, 1996) ADOLPH, W. S. Cash Cow in the Tar Pit:

Reengineering a Legacy System, IEEE Software 13 (maio

1996), p. 41-47. (Capítulo 15)

(Albrecht, 1979) ALBRECHT, A. J. Measuring Application

Development Productivity, Proceedings of the IBM

SHARE/GUIDE Applications Development Symposium,

Monterey, CA (out. 1979), p. 83-92. (Capítulo 9)

(Alexander, 1999) ALEXANDER, C. The Origins of Pattern

Theory, IEEE Software 16 (set./out.1999), p. 71-82.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632443

13 – Views e Índices

DAMAS, Luís Grupo Gen PDF Criptografado

13 - Views e Índices

Sumário

ß Noção de View ß Comandos CREATE VIEW, DROP VIEW ß Cláusula WITH CHECK OPTION ß O que são Índices ß Comandos CREATE INDEX, DROP INDEX

13.1 Introdução

O capítulo anterior é, sem dúvida, um dos mais importantes, pois aborda todo o contexto em que se faz a criação das estruturas (tabelas) onde são armazenados os dados.

No entanto, surgem outras questões.

Suponhamos, por exemplo, que na nossa tabela Pessoa existam Informações Gerais (Nome,

Endereço, Telefone, etc.), Informações Contábeis (Salário, Subsídios, Impostos, etc.) e Informações Médicas (Hepatite, AIDS, Drogas, etc.).

Embora essas informações estejam todas localizadas fisicamente na mesma tabela, não faz sentido que o departamento de contabilidade tenha acesso aos dados médicos de cada pessoa, da mesma forma que o pessoal de saúde não deverá ter acesso ao salário que cada pessoa ganha.

Apesar desta separação ser absolutamente necessária, ambos os serviços deverão ter acesso aos dados de informação geral para que o cheque com o salário possa ser enviado para o mesmo endereço para onde devem seguir as análises clínicas realizadas pelo serviço médico.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos