279 capítulos
Medium 9788597013085

4 - Proteção nas Operações Perigosas

AYRES, Dennis de Oliveira; CORRÊA, José Aldo Peixoto Grupo Gen PDF Criptografado

4

Proteção nas

Operações Perigosas

4.1  Operações perigosas

De acordo com a legislação, as atividades e operações perigosas são aquelas que envolvem agentes explosivos, inflamáveis, radiação ionizante, energia elétrica, segurança pessoal e patrimonial e motocicleta.

O art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) define atividades ou operações perigosas com explosivos e inflamáveis:

São consideradas atividades ou operações perigosas, na forma da regulamentação aprovada pelo Ministério do Trabalho, aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem o contato permanente com inflamáveis ou explosivos em condições de risco acentuado.

§ 1o O trabalho em condições de periculosidade assegura ao empregado um adicional de 30% (trinta por cento) sobre o salário sem os acréscimos resultantes de gratificações, prêmios ou participações nos lucros da empresa.

§ 2o O empregado poderá optar pelo adicional de insalubridade que porventura lhe seja devido.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597022285

1 Introdução à Logística

Hamilton POZO Grupo Gen ePub Criptografado

A logística empresarial trata de todas as atividades de movimentação e armazenagem que facilitam o fluxo de produtos desde o ponto de aquisição da matéria-prima até o ponto de consumo final, assim como dos fluxos de informação que colocam os produtos em movimento, com o propósito de providenciar níveis de serviço adequados aos clientes a um custo razoável (POZO, 2014).

A abordagem logística tem como função estudar a maneira como a administração pode otimizar os recursos de suprimento, estoques e distribuição dos produtos e serviços com que a organização se apresenta ao mercado por meio de planejamento, organização e controle efetivo de suas atividades correlatas, flexibilizando os fluxos dos produtos. A logística é vital para o sucesso de uma organização. Ela é uma nova visão empresarial que direciona o desempenho das empresas, tendo como meta reduzir o lead time entre o pedido, a produção e a demanda, de modo que o cliente receba seus bens ou serviços no momento que desejar, com suas especificações predefinidas, o local especificado e, principalmente, principalmente, o preço desejado.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521630227

5 Beco sem Saída em Nova Iorque

BREMER, Carlos; Espôsto, Kleber; TORRES, Paulo; FREITAS, Paulo Grupo Gen PDF Criptografado

5

14

Beco sem Saída em

Nova Iorque

Samuel chegou ao aeroporto J.F.K. em Nova Iorque e foi di‑ reto para o Jacob K. Javits Convention Center, espaço onde seria realizada a conferência, localizada na 5a Avenida e pró‑ ximo ao Empire State Building. Lá fez a inscrição, baixou o aplicativo com a programação do evento e seguiu para o ho‑ tel onde ficaria hospedado.

Fez o check‑in e resolveu dar uma caminhada para conhe‑ cer a cidade. Andou pela 5a Avenida na tentativa de conhecer alguns edifícios famosos da redondeza como o Empire State

Building, a Catedral de St. Patrick, a Biblioteca Pública e o

Rockefeller Center. Também passou em frente ao Metropoli‑ tan Museum of Art e só entrou no Museu Solomon R. Gug‑ genheim porque havia uma exposição temporária do Picasso, possível de ser vista rapidamente.

Depois de caminhar por horas, sentou em um café para comer alguma coisa. Pediu um sanduíche, um refrigerante e checou os e‑mails no seu smartphone. As notícias não eram nada animadoras e, por um momento, desejou não ter aces‑ sado o e‑mail.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597021998

Capítulo 9 Gestão e coordenação de estoques na cadeia global de suprimentos

Henrique Luiz CORRÊA Grupo Gen ePub Criptografado

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

■ Sintetizar o que são estoques e suas funções principais.

■ Descrever os tipos de estoques envolvidos em gestão global de cadeias de suprimentos.

■ Entender as principais técnicas de gestão de estoques e quando elas são mais indicadas.

■ Explicar o impacto de se ter uma cadeia de suprimentos sem coordenação entre sistemas locais de gestão de estoques.

■ Saber o que e como fazer para estabelecer uma gestão de estoques coordenada na cadeia global de suprimentos.

Este capítulo trata da gestão de estoques na cadeia global de suprimentos, um assunto que continua no alto da lista de prioridades dos executivos. Gestão de estoques afeta a percepção e satisfação do cliente tanto em cadeias de produtos físicos como de serviços. Um cliente em busca de um telefone celular de sua preferência ficará insatisfeito ao perceber que o aparelho não se encontra disponível, da mesma forma que, numa linha aérea, o cliente não apreciará o fato de seu voo sofrer atraso substancial por uma peça sobressalente necessária a sanar um problema identificado não estar disponível de imediato. Gestão de estoques também afeta o resultado financeiro da organização. Excesso de estoques de matérias-primas, material em processo e produtos acabados significa substancial custo de oportunidade e valioso capital de giro indisponibilizado, que afetam a lucratividade e a saúde financeira da operação, além de “esconderem” problemas. Entretanto, em cadeias de suprimentos, uma boa gestão local de estoques não é suficiente. Como será discutido neste capítulo, além de boas práticas de gestão de estoques, a coordenação entre os vários sistemas de estoques envolvidos nas relações fornecedor-cliente da cadeia tem papel essencial para que se evitem desperdícios por redundância de estoques e também que se evitem oscilações e volatilidade da demanda (o chamado “efeito chicote” – ver Capítulo 8), que podem ocorrer na cadeia quando os vários sistemas de gestão de estoques envolvidos operam de forma independente, elevando custos e pondo níveis de serviço ao cliente em risco.

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103199

7. Administração da Qualidade

YUH CHING, Hong Editora Empreende PDF Criptografado

Capítulo 7

Administração da Qualidade

ADMINISTRAÇÃO EM PRODUÇÃO E OPERAÇÕES

| 94 |  

7. ��Administração da Qualidade

Ao final deste capítulo, o aluno deverá ser capaz de:

• Compreender as diferentes abordagens da qualidade.

• Diferenciar os modelos de gestão da qualidade.

• Compreender o processo de melhoria contínua por meio do ciclo PDCA.

• Construir cartas de controle estatístico do processo.

Ouça a síntese deste capítulo em menos de 5 minutos.

Professor, acesse www.empreende.com.br para obter material complementar com sugestões de atividades e suas aplicações.

O que é Qualidade?

Apesar de a qualidade ser muito falada e discutida no mundo dos negócios, percebe-se que o tema nem sempre é entendido por todos da mesma maneira. Há muitas interpretações possíveis quando se afirma que um produto ou serviço tem ou não qualidade. Diferentes empresas se referem a qualidade usando significados diferentes para o termo. Então, afinal, o que é qualidade? As cinco diferentes abordagens usadas para defini-la são:

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos