358 capítulos
Medium 9788521630227

45 Olhando para o Futuro

BREMER, Carlos; Espôsto, Kleber; TORRES, Paulo; FREITAS, Paulo Grupo Gen PDF Criptografado

45

118

Olhando para o Futuro

Ao procurar o seu assento no avião rumo à conferência ­anual de supply chain, desta vez acompanhado por Demerval e

Danyelle, Samuel lembrou‑se de como estava ansioso no ano anterior.

Os dois foram escolhidos para irem ao evento com o di‑ retor de supply chain por terem concluído a certificação e terem um bom nível de inglês, já que não havia tradução si‑ multânea no evento.

Carla iria chegar na noite seguinte para fazer a apresenta‑

ção da Bandeirantes no segundo dia do evento.

“É impressionante como a nossa companhia evoluiu tão rápido”, pensou Samuel.

“Agora que já conseguimos resolver muitos dos nossos problemas com a cadeia de suprimentos, eu tenho muito mais perguntas para serem respondidas nessa conferência”, conti‑ nuou a refletir enquanto ajeitava a sua mala no bagageiro.

Já acomodado, ele comentou sobre as suas ideias com De‑ merval.

“Nossa, Samuel! Você parece que está muito entusiasma‑ do para continuar a propor mudanças na Bandeirantes”, disse o diretor industrial.

Ver todos os capítulos
Medium 9788540701656

Capítulo 15 - Pesquisa de mercado e sua influência no desenvolvimento de novos produtos

Paul J. Trott Grupo A PDF Criptografado

Capítulo 15

Pesquisa de mercado e sua influência no desenvolvimento de novos produtos

Introdução

Em geral, o papel e o uso da pesquisa de mercado para o desenvolvimento de novos produtos é compreendido e aceito. Há ocasiões, no entanto, que os resultados obtidos na investigação mostram reações negativas a novos produtos

(inovadores), que, mais tarde, tornam-se lucrativos para a empresa. Como comprovação, há exemplos famosos, como a máquina de fax, o videocassete e o aspirador de pó sem saco da James Dyson. Apesar disso, as empresas continuam querendo saber a opinião de consumidores sobre suas ideias de novos produtos.

O debate sobre o uso da pesquisa de mercado e, principalmente, em que molde ela deve ser utilizada para o desenvolvimento de novos produtos é antigo e controverso. Este capítulo tratará disso e de outros assuntos relacionados. Também apresentará um estudo de caso que demonstra como a Dyson adotou projetos

“impopulares” que, mais tarde, se transformaram em padrão na indústria.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582603284

Capítulo 6 - Estratégia e planejamento de operações

Edward S. Pound, Jeffrey H. Bell, Mark L. Spearman Grupo A PDF Criptografado

Capítulo 6

Estratégia e planejamento de operações

Conforme prometido, dispomos agora de uma estrutura que pode ser usada estratégica e quantitativamente para determinar o plano operacional mais produtivo para um empreendimento.

Estratégia operacional

Essa estrutura envolve o seguinte:

1. Um fluxo de valor/cadeia de suprimentos é composto de demanda e transformação.

2. Os componentes de desempenho da transformação são estoque e produção.

3. Buffers de estoque, capacidade e tempo são necessárias para sincronizar a demanda e a transformação na presença de variabilidade.

4. Limites de desempenho podem ser determinados para estoque e produção, conhecendo-se a média e a variância do tempo de reabastecimento e da demanda.

5. O desenvolvimento de um conjunto de buffers proporciona um desempenho previsível para uma configuração de estoque, produção e serviço (tempo de resposta), mesmo na presença de variabilidade.

6. Os desempenhos de estoque, produção e serviço estão diretamente vinculados aos demonstrativos financeiros.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597014358

12 - Casos em Programação Linear

COLIN, Emerson C. Grupo Gen PDF Criptografado

12

Casos em Programação Linear

N

este livro, a abordagem referente aos casos é um pouco diferente das tipicamente usadas em livros de Pesquisa Operacional. Em geral, muitos dos casos apresentados nos livros da área se assemelham mais a problemas grandes do que a casos reais.

Aqui, procuramos ir além dos problemas grandes, apresentando e discutindo pontos que dificultam a utilização de modelos de PO no mundo real e até como entender as percepções do executivo que não é especialista no assunto. A visão ingênua de colocar a técnica acima do problema foi evitada ao máximo. São discutidas questões como dificuldades de implantação, resultados limitados alcançados por modelos, preparação da administração da empresa para o entendimento de modelos, forma de comunicar resultados, sugestões para desdobramento de implantações bem-sucedidas etc.

É possível que o leitor acostumado com livros tradicionais, ou que seja um pouco mais “purista” no sentido de não misturar matemática com outras questões de administração, estranhe a abordagem.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597013771

5 - Medidas e Avaliação de Desempenho em Produção e Operações

CORRÊA, Henrique L.; CORRÊA, Carlos A. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo 5

Medidas e Avaliação de Desempenho em

Produção e Operações

Objetivos de aprendizagem

■■ Compreender a importância estratégica das medidas de desempenho e dos sistemas de avaliação de desempenho em produção e operações

■■ Entender como medir os principais aspectos do desempenho em produção e operações: qualidade, velocidade, confiabilidade, flexibilidade e custo/produtividade

■■ Entender como foi a evolução do pensamento sobre medidas de desempenho em produção e operações

■■ Ser capaz de fazer ambos: desenvolver/melhorar e julgar a qualidade e a adequação de sistemas de avaliação de desempenho em produção e operações

Correa-Correa.indb 107

8/22/17 10:38 AM

[ 108 ]  Capítulo 5

5.1 Introdução

Neste capítulo, será tratada a questão da avaliação de desempenho em operações.

Como a atividade de medir e acompanhar se o desempenho operacional encontra-se em níveis desejados? Os temas tratados referem-se, genericamente, às partes enfatizadas em preto no quadro geral apresentado e descrito no Capítulo 1 e reproduzido a seguir.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos