579 capítulos
Medium 9788582604304

Capítulo 32 - Espaços esportivos: ginásios e esportes ao ar livre

Pamela Buxton Grupo A PDF Criptografado

Espaços esportivos: ginásios e esportes ao ar livre

32

Philip Johnson e Tom Jones

Philip Johnson e Tom Jones são arquitetos da Populous

PONTOS-CHAVE:

• Todos os esportes são praticados em uma área demarcada, que pode ser um campo, uma pista, uma quadra, um rinque, uma piscina, entre outras. O órgão fiscalizador ou regulamentador de cada modalidade esportiva é quem, em geral, definirá as exigências dimensionais

• Existem quadras ou campos de esportes que, dentro de certa variação nas dimensões, podem atender a várias modalidades esportivas

• No planejamento de espaços fechados, o arquiteto deverá levar em conta a altura do ambiente exigida para a prática de cada esporte. Às vezes, essa altura varia conforme o nível das competições feitas no local, assim é preciso consultar o

órgão fiscalizador em questão

• Para o cálculo das linhas de visão dos espectadores, o arquiteto deverá determinar o que deve ser visto, que pode ser as linhas laterais de um campo, a altura provável na qual uma bola de rúgbi seria chutada para o alto, ou a posição do árbitro sentado em uma cadeira elevada. Também devemos nos recordar de que nem sempre é possível que se veja todo um campo ou quadra em quaisquer posições assumidas pelos espectadores

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605110

Tiahuanaco

Francis D.K. Ching; Mark Jarzombek; Vikramaditya Prakash Grupo A PDF Criptografado

800 d.C.

Cajamarca

Chan Chan

Chavín

Pachacamac

Império Huari

Cuzco

Nazca

Lago Titicaca

Tiahuanaco

Império Tiahuanaco

Oceano Pacífico

10.78  Os impérios Huari e Tiahuanaco

TIAHUANACO

Tiahuanaco situa-se em um vale elevado no sul dos Andes, 3.660 metros acima do nível do mar, perto da margem sul do Lago Titicaca. Habitada de aproximadamente 1000 a.C. até 500 d.C., foi não apenas a capital de uma rede de cidades, mas também o centro cerimonial da região, e manteve sua posição proeminente até cerca de

1000 d.C. O importante não era tanto a cidade, mas o lago, considerado o sítio original do qual o casal primevo fora enviado para evocar a humanidade das fontes, dos rios, das rochas e das árvores. O Lago Titicaca era conhecido como o taypi, ou zona de convergência entre os princípios do urco (o oeste, alto, seco, pastoral, celestial, masculino) e da uma (o leste, baixo, agrícola, subterrâneo, feminino). Se Tiahuanaco era a representação central do taypi, a elite ali residente era considerada a guardiã e representante dessa ordem sagrada.

Ver todos os capítulos
Medium 9788540701908

Capítulo 7 - Vistas de Linhas Paralelas

Francis D. K. Ching Grupo A PDF Criptografado

7

Vistas de Linhas

Paralelas

As vistas de linhas paralelas (também chamadas de paralines ou perspectivas paralelas) incluem o subconjunto de projeções ortogonais conhecidas como perspectivas ou projeções axonométricas – as perspectivas ou projeções isométricas, dimétricas e trimétricas –, bem como a classe completa de projeções oblíquas. Cada tipo oferece um ponto de observação levemente distinto e enfatiza diferentes aspectos do objeto ou tema sendo representado. Todas elas, no entanto, combinam a precisão das medidas e do uso das escalas dos desenhos de vistas múltiplas e a natureza pictórica das perspectivas cônicas.

As vistas de linhas paralelas exprimem a natureza tridimensional de um objeto ou relação espacial em uma única imagem. Por isso, também são denominadas desenhos com vista única, para diferenciá-las das vistas múltiplas relacionadas de planta, corte e elevação. Distinguem-se também de outro tipo de desenho com vista única, a perspectiva cônica, pelo seguinte efeito pictórico: as retas paralelas, independentemente de sua orientação com referência ao tema, se mantêm paralelas na vista desenhada e não convergem a pontos de fuga, como na perspectiva cônica – esta é a razão pela qual são chamadas vistas de linhas paralelas. Além disso, qualquer medida linear paralela aos três eixos principais pode ser identificada e desenhada em escala.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600511

Apêndice A

Chan Kou Wha; Marcelo Tuler Grupo A PDF Criptografado

Apêndice A

PADRÃO

NOME

Como destacado no início deste livro, para que os exercícios sejam realizados, é necessário um conhecimento prévio dos comandos a serem utilizados. Existe, no mercado editorial, um vasto número de títulos que tratam do manuseio do software AutoCAD. Este assunto também é amplamente apresentado em apostilas na internet. No caso dos exercícios serem aplicados em sala de aula, caberá ao professor ensinar o comando necessário para o exercício proposto.

Outra fonte de consulta importante é o próprio “help – F1” do AutoCAD, que apresenta de forma detalhada todos os comandos do AutoCAD.

A seguir, serão descritas as funções dos principais comandos do CAD, a partir dos ícones que compõem as barras de ferramentas. As principais barras de ferramentas escolhidas e consideradas aqui como básicas para o aprendizado são:

• Padrão (Standard)

• Camadas (Layer)

• Propriedades (Properties)

• Desenhar (Draw)

• Zoom (Zoom)

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600443

Exercício 10: Simetria e assimetria

Simon Unwin Grupo A PDF Criptografado

EXERCÍCIO 10: Simetria e assimetria

Enquanto você coletava (para o exercício anterior em seu caderno de croquis) exemplos orientados pela geometria ideal, provavelmente percebeu diferentes estratégias dividindo as plantas em recintos ou espaços constituintes. Já exploramos a geometria do planejamento no Exercício 8, mas aqui temos outras questões a considerar, relativas à hierarquia espacial, ao movimento e às relações com o mundo externo.

A tendência ao longo de toda a história tem sido associar a geometria ideal com a simetria axial.

Esta pode ser facilmente confundida com o eixo da porta, pois muitas vezes estão ligados. Porém, a simetria axial, tanto em elevação quanto em planta,

é diferente, no sentido de que constitui uma ideia intelectual expressa primeiramente nos desenhos abstratos que os arquitetos fazem – plantas e elevações

– e, como tal, é distinta de um efeito fenomenológico; isto é, somente quando você olha a planta de um arquiteto é que pode ver se ela é ou não organizada de forma simétrica em relação a um eixo, mas consegue sentir a força do eixo de uma porta quando se posiciona diante dele.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos