345 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788582604304

Capítulo 28 - Templos e locais de culto

Pamela Buxton Grupo A PDF Criptografado

Templos e locais de culto

28

Leslie Fairweather, Ian Brewerton, Atba Al-Samarraie, David Adler e Derek Kemp

CI/Sfb: 6

A seção sobre a Igreja Anglicana foi revisada por Maurice Walton em 2011

PONTOS CHAVE:

• Os arquitetos que projetarem edificações religiosas e locais de culto sempre deverão estudar as tradições e os rituais em um nível mais profundo do que seria necessário para o trabalho com outros tipos de prédio

• Em igrejas e outras edificações cristãs, muitas vezes as intervenções arquitetônicas implicam a inclusão de alguns espaços seculares ou comunitários que permitem à paróquia aumentar sua participação na sociedade e, em certos casos, melhorar o angariamento de receitas

Conteúdo

1 Introdução

PARTE A Um guia para grupos religiosos cristãos

2

3

4

5

6

7

8

9

Igreja anglicana

Igreja católica romana

United Reformed Church

Exército da salvação

Igreja metodista

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

18.2 Vista 3D cortada

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Ao primeiro contato, é exibida a tela da Figura 18.31 com o ícone de uma chapa circular, em que podemos usar o modo de navegação completo ou resumido.

Figura 18.31 – Círculo de Navegação.

Apertando o botão direito do mouse, abre-se o menu de contexto, também será possível escolher outro modo de visualização do ícone com menos opções.

As opções do Círculo de navegação são:

Zoom: aperte o botão esquerdo do mouse com o cursor em Zoom para acioná-lo.

Pan: aperte o botão esquerdo do mouse com o cursor em Pan para acioná-lo.

Órbita: aperte o botão esquerdo do mouse com o cursor em Órbita para acioná-lo e gire o cursor.

Centro: permite mudar o centro do foco. Aperte o botão esquerdo do mouse com o cursor em Centro e clique em um ponto do desenho que deseja usar como novo centro.

Figura 18.32 – Resultado quando pressionamos o botão direito do mouse.

Olhar: aperte o botão esquerdo do mouse com o cursor em Olhar para acionar os ícones que permitem virar para a esquerda/direita do desenho.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

18.5 Renderização

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Plano de fundo: configura o fundo da vista. Poderá ser um fundo liso, gradiente ou uma imagem.

¤ Nenhum:: não insere fundo na vista.

¤ �Céu:: insere uma cor com efeito de céu. Você poderá alterar a cor.

¤ Gradiente: insere três cores com efeito de linha do horizonte para a vista. Você poderá alterar as cores.

¤ �Imagem: permite selecionar uma imagem de fundo para a vista. Nesse caso, o mais indicado é uma foto do local do projeto na mesma perspectiva da vista, dando efeito de realismo a ela. Ao usar essa opção, selecione o botão Personalizar imagem para selecionar a imagem.

Salvar como Modelo de Vista: permite salvar as configurações criadas para um modelo de vista que poderá ser aplicado em outras vistas.

poderá renderizar uma vista de elevação ou planta, mas as perspectivas são mais usuais.

Com a vista em perspectiva aberta, selecionamos o comando Render (chaleira) na barra de status, como mostra a Figura 18.49.

Figura 18.49 – Seleção de Render.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Objetivos

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Para inserir outros componentes, clique na aba Inserir e selecione Carregar Família,

Família e selecione uma família de

Componente nas pastas do Revit.

Figura 18.73 – Aba Inserir – Carregar Família.

Cada tipo de componente terá suas propriedades de tipo e de instância de acordo com o tipo de objeto. Em geral, eles podem ser duplicados para a criação de um novo tipo e as famílias podem ser editadas por meio do editor de famílias.

Para inserir outros tipos de elemento no projeto que você não tenha encontrado nas bibliotecas instaladas com o Revit, sugerimos o portal BIM Object . Alguns fabricantes de móveis e outros elementos disponibilizam famílias em seus sites.

322

Autodesk® Revit® Architecture 2020 – Conceitos e Aplicações

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Introdução

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Para inserir outros componentes, clique na aba Inserir e selecione Carregar Família,

Família e selecione uma família de

Componente nas pastas do Revit.

Figura 18.73 – Aba Inserir – Carregar Família.

Cada tipo de componente terá suas propriedades de tipo e de instância de acordo com o tipo de objeto. Em geral, eles podem ser duplicados para a criação de um novo tipo e as famílias podem ser editadas por meio do editor de famílias.

Para inserir outros tipos de elemento no projeto que você não tenha encontrado nas bibliotecas instaladas com o Revit, sugerimos o portal BIM Object . Alguns fabricantes de móveis e outros elementos disponibilizam famílias em seus sites.

322

Autodesk® Revit® Architecture 2020 – Conceitos e Aplicações

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

19.1 Informações de projeto

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Para inserir outros componentes, clique na aba Inserir e selecione Carregar Família,

Família e selecione uma família de

Componente nas pastas do Revit.

Figura 18.73 – Aba Inserir – Carregar Família.

Cada tipo de componente terá suas propriedades de tipo e de instância de acordo com o tipo de objeto. Em geral, eles podem ser duplicados para a criação de um novo tipo e as famílias podem ser editadas por meio do editor de famílias.

Para inserir outros tipos de elemento no projeto que você não tenha encontrado nas bibliotecas instaladas com o Revit, sugerimos o portal BIM Object . Alguns fabricantes de móveis e outros elementos disponibilizam famílias em seus sites.

322

Autodesk® Revit® Architecture 2020 – Conceitos e Aplicações

19

Trabalho em Equipe e Dados do Projeto

Introdução

Este capítulo explica como tirar o máximo proveito do Revit em trabalhos em equipe, por meio do uso de worksets e vínculos. Os worksets permitem que uma equipe divida o projeto entre seus membros de forma que todos trabalhem no mesmo arquivo central. Essa é uma das principais vantagens do Revit, pois, ao definir uma boa estratégia de projeto, o coordenador pode aumentar a produtividade de toda a equipe.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

19.2 Criação de um parâmetro de projeto

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Em seguida, surge a janela Propriedades do projeto, projeto na qual inserimos as informações em cada campo. Algumas dessas informações podem ser utilizadas nas folhas de impressão; então, ao alterarmos o nome do projeto, ele já se modifica em todas as folhas. As informações de Configuração de energia podem ser utilizadas para que façamos análises de energia de acordo com o projeto.

Figura 19.2 – Janela Propriedades do projeto.

A Figura 19.3 exibe o carimbo da folha da família A1_metrico.rfa com as propriedades do projeto. Os dados são inseridos em todas as folhas, de forma que, se houver alteração de uma informação, basta alterá-la nos parâmetros de projeto e ela será alterada em todas as folhas. A família da folha pode ser alterada para que fique de acordo com os padrões de seu escritório. Se forem necessárias mais informações do projeto, com parâmetros que não se encontram aqui, você poderá criar os parâmetros necessários. A seguir, veremos como criar novos parâmetros de projeto.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

19.3 Ponto base do projeto e coordenadas

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Figura 19.15 – Novo parâmetro inserido em Informações do projeto.

Os parâmetros compartilhados que ficam armazenados no arquivo .TXT podem ser inseridos em outros projetos, desde que você tenha o arquivo .TXT que os contém. Esses parâmetros também podem ser usados na criação de templates de projetos, como estudado na Seção 4.1.1 do Capítulo 4.

Figura 19.16 – Arquivo parametros.txt.

19.3  Ponto base do projeto e coordenadas

Há dois sistemas de coordenadas no Revit: as coordenadas internas do projeto – Ponto base do projeto – e as geográficas – Levantamento Topográfico –, que definem um ponto físico geográfico conhecido. Cada sistema tem suas peculiaridades e limitações.

 �Ponto base do projeto: projeto são as coordenadas internas do projeto, referidas em vários lugares como Projeto

Projeto. Cada projeto possui um ponto base, que é a origem do sistema de coordenadas (0,0,0). Para visua­lizar essa origem, devemos ativar o seu ícone nas vistas, pois ele vem desativado. Em uma vista de planta qualquer, selecione, nas propriedades da vista, Visibilidade/Sobreposição de gráficos > Editar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

19.4 Links – Vínculos

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Dê um Zoom no Ponto de pesquisa, pesquisa clique no Clip para dar um Un-clip e arraste-o para o ponto do marcador das coordenadas geográficas do arquivo DWG. O Ponto de pesquisa está no ponto correto e o próximo passo é definir suas coordenadas.

Figura 19.28 – Ponto de pesquisa desprendido.

Figura 19.29 – Ponto de pesquisa na coordenada.

Passo 5: definição das coordenadas. Para definir as coordenadas, NÃO clique no ícone para entrar com os valores. Na aba Gerenciar

Gerenciar, selecione Especificar coordenadas no ponto e clique no ponto central do ícone do Ponto de pesquisa; pesquisa a janela de diálogo Especificar coordenadas compartilhadas é exibida. Entre com os valores das coordenadas geográficas obtidas do marcador de coordenadas do arquivo da topografia do AutoCAD (DWG):

X = Leste/Oeste = 339974.4587

Y = Norte/Sul = 7402140.8305

Ângulo = 27.59°

Em seguida, pode acontecer de o projeto parecer desaparecer; dê um Zoom

Fit – ZF – para visualizá-lo novamente.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

19.5 Trabalho com Worksets

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

!

Dica

O compartilhamento do projeto deve ser muito bem planejado antes de sua realização, para evitar conflitos e retrabalho com novas configurações e definições.

Roteiro para ativação do compartilhamento e criação das disciplinas – Worksets

1. Crie um arquivo novo ou utilize um projeto existente e reparta os elementos do projeto entre a equipe. Por exemplo, podemos deixar o pavimento térreo com um membro da equipe e o pavimento tipo com outro membro.

Esse arquivo novo será a base do projeto, ou seja, a parte comum a todos os membros da equipe. Esse arquivo deve ter os níveis do projeto e, de preferência, eixos que serão compartilhados por todos como referência no projeto. Os outros elementos construtivos e famílias já devem estar nesse arquivo; alguns exemplos são o terreno e a estrutura do edifício.

2. Em seguida, vamos iniciar a colaboração pela aba Colabo­rar >

Colaborar. Ao selecionarmos Colaborar

Colaborar

Colaborar, surge a janela de diálogo da Figura 19.51 que nos indica duas opções de Colaboração:

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

18.6 Inserção de componentes

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Ao acessar o A360, surge a janela da Figura 18.64, na qual verificamos três etapas.

Figura 18.63 – Acesso a conta Autodesk.

Figura 18.64 – Janela Renderizar no Cloud.

1. Selecionar a vista a renderizar.

2. O serviço notificará quando as imagens estiverem prontas; você receberá um e-mail avisando que as imagens estão prontas para baixar do A360.

3. Você poderá visualizar sua imagem renderizada na galeria de imagens.

Na próxima tela, você deve configurar todos os campos de acordo com sua necessidade de apresentação da imagem. Veja que você poderá escolher mais de uma vista para renderizar de uma só vez e, na parte inferior, poderá controlar seus gastos de “cloud credits”, além de ter uma estimativa de tempo de espera da renderização.

Figura 18.65 – Janela de configuração da renderização.

Em seguida, clique em Iniciar a Renderização e aguarde até que a imagem seja renderizada; você receberá um e-mail notificando que ela está pronta para ser baixada ou visualizada na galeria do A360 da sua conta.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

20.3 Exportação de arquivos em IFC

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Na aba Propriedades DWF

DWF, indicamos as características do arquivo DWF a seguir:

Figura 20.29 – Definição das características do DWF.

Exportar dados do objeto

Propriedades do elemento: exporta as propriedades do tipo e da instância dos elementos do Revit.

Ambientes e áreas em uma camada delimitante separada: exporta as propriedades de ambiente e área para uma camada separada da geometria. Dessa forma, é possível visualizar os dados de ambiente e de área separadamente.

Configurações de textura para as aparências de renderização de materiais: inclui as informações da imagem na exportação.

Configurações gráficas

Utilizar formato padrão: usa o formato PGN para exportar imagens que estiverem no projeto.

Utilizar formato raster comprimido: usa o formato JPG para exportar as imagens que estiverem no projeto.

Configuração de impressão: define as configurações da impressão do arquivo. Clique para mudar. Elas são as mesmas estudadas no Capítulo 17, sobre montagem de folhas e impressão.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Objetivos

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

A

Tutorial Projeto Completo

Introdução

Neste exercício, vamos realizar o projeto de um edifício desde o início, usando como base o que foi abordado nos capítulos anteriores. Você pode seguir esse tutorial conforme estuda os capítulos, pois ele tem uma sequência lógica, sendo possível aplicar os conhecimentos em cada etapa do projeto. Mas, se preferir, pode deixar para elaborá-lo após a leitura do livro. Todos os arquivos utilizados e gerados neste tutorial estão disponíveis na plataforma da Editora e no blog para que você possa conferir seu exercício ou tirar dúvidas.

Objetivos

  Guiar o leitor em um projeto que use as ferramentas, as técnicas e os conceitos estudados ao longo dos capítulos.

  Sugerir uma ordem lógica de projeto, tendo em vista o melhor aproveitamento das ferramentas e dos conceitos paramétricos.

Exercício 1 – Criação de um modelo/template

1. Para começar o projeto, vamos criar um modelo de arquitetura de acordo com padrões inicialmente definidos, como as unidades e os nomes iniciais dos pavimentos mais usados em projetos. Para facilitar a tarefa, você pode criar vários modelos/templates de acordo com as características mais comuns de cada tipo de projeto, incluindo nele as famílias mais usadas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Introdução

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Em seguida, todos os avisos do projeto são exibidos na janela Avisos

Avisos, como mostra a Figura 19.95. Revendo os avisos, você poderá solucionar os problemas ou ignorá-los.

Figura 19.95 – Janela de revisão de avisos.

358

Autodesk® Revit® Architecture 2020 – Conceitos e Aplicações

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Bibliografia

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Figura 20.45 – Classes de exportação de IFC.

Para abrir um arquivo IFC no Revit, selecione Abrir > IFC no menu de aplicação. Ele é aberto com base no formato IFC da última versão IFC2x3 AIA. Se o arquivo a ser aberto for de uma versão anterior a essa (IFC 2x2), o Revit o abrirá corretamente. Ele usa um template para arquivos IFC, e o arquivo é criado a partir dele. Você pode utilizar outro mapa de classificação IFC por meio da opção Opções IFC.

IFC É recomendado carregar somente as entidades que serão utilizadas no projeto para não sobrecarregar o arquivo.

Figura 20.46 – Abertura de um arquivo IFC.

Ao selecionar Opções IFC ao abrir um arquivo IFC, temos a tabela com o mapa de classificações IFC para RVT.

Em Modelo Padrão para importar IFC,

IFC você pode escolher o modelo/template (arquivo.RTE) do Revit a ser utilizado.

Figura 20.47 – Mapa de classificação de abertura de IFC.

Depois de abrir um arquivo IFC, você pode salvá-lo como um projeto .RVT e continuar a trabalhar com os elementos do Revit.

Ver todos os capítulos

Carregar mais