345 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788582604229

Capítulo 12 - Nota sobre materiais

Francis D. K. Ching Grupo A PDF Criptografado

12

NOTAS SOBRE MATERIAIS

12.2

12.4

12.6

12.8

12.9

12.10

12.11

12.14

12.15

12.16

12.17

12.18

12.19

12.20

12.21

12.22

Materiais de construção

O concreto

A alvenaria

O aço

Metais não ferrosos

A pedra

A madeira

Painéis de madeira

Plásticos

O vidro

Produtos de vidro

Pregos

Parafusos comuns e parafusos de porca

Fixações diversas e adesivos

Tintas

A preparação de superfícies para pintura

12.2

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

Este capítulo descreve os principais tipos de materiais de construção, suas propriedades físicas e seus usos na construção de edificações. Os critérios para seleção e uso de um material de construção são listados a seguir.

Cada material possui propriedades distintas de resistência, elasticidade e rigidez. Os materiais estruturais mais eficientes são aqueles que combinam elasticidade e rigidez.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582603246

Capítulo 3 - Elementos Horizontais

Francis D. K. Ching, Barry S. Onouye, Douglas Zuberbuhle Grupo A PDF Criptografado

3

Elementos Horizontais

ELEMENTOS HORIZONTAIS

Os apoios verticais de uma edificação (seus pilares e suas paredes portantes) marcam o espaço e estabelecem um ritmo e uma escala mensurável que tornam as dimensões espaciais compreensíveis. Os espaços arquitetônicos, porém, também exigem elementos horizontais para estabelecer a estrutura do piso que sustenta o nosso peso, as nossas atividades e o mobiliário, bem como o plano da cobertura que protege o espaço e delimita as dimensões verticais.

Vigas

Todas as estruturas de piso e cobertura são formadas por elementos lineares e planos, como caibros, vigas e lajes, projetados para sustentar e transferir as cargas transversais até os elementos de apoio vertical. Para compreender o comportamento estrutural desses elementos horizontais, começaremos com um panorama geral das vigas, que também se aplica aos caibros, às longarinas e às treliças.

• O vão se refere ao espaço horizontal entre dois apoios de uma estrutura.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582604281

Capítulo 14 - Climatização

Francis K. Ching, Ian M. Shapiro Grupo A PDF Criptografado

14

Climatização

Os sistemas de climatização (calefação e resfriamento, principalmente, mas também o controle da umidade relativa do ar nos interiores) muitas vezes representam desafios para o projeto, a construção e a operação de um prédio. Eles podem ser complexos, custar caro, causar problemas de desconforto, emitir ruídos, consumir muita energia, exigir manutenção elevada e ocupar muito espaço físico, impactando no projeto de arquitetura.

Em última análise, os melhores sistemas de climatização são aqueles que passam despercebidos: não são vistos, ouvidos, nem causam desconforto.

A climatização é o último recurso de uma série de camadas de proteção térmicas de que dispomos em nossos ambientes internos. Ainda assim, o aquecimento e o resfriamento podem ser totalmente obtidos do interior do fechamento térmico de uma edificação.

Tradicionalmente, os equipamentos de climatização eram instalados em locais em que grande parte do calor ou frio gerado era perdida, ou seja, perto ou além do perímetro térmico do prédio: no exterior, na cobertura, nos pavimentos de subsolo ou cobertura, nas cavidades de parede ou piso e junto a janelas e paredes externas. Contudo, cada vez mais chega-se ao consenso de que esses sistemas funcionam melhor se forem colocados perto do núcleo da edificação, não em sua periferia.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582604229

Capítulo 2 - A edificação

Francis D. K. Ching Grupo A PDF Criptografado

2

A EDIFICAÇÃO

2.2

2.3

2.5

2.6

2.7

2.8

2.9

2.10

2.11

2.12

2.13

2.14

2.15

2.16

2.17

2.18

2.19

2.20

2.21

2.22

2.24

2.25

2.26

2.27

2.28

2.29

2.30

A edificação

Sistemas de edificações

Códigos de edificações

Tipos de construção

Classificação por ocupação

Cargas impostas às edificações

Cargas de vento

Cargas de terremoto

Forças estruturais

O equilíbrio estrutural

Pilares

Vigas

Vãos de vigas

Treliças

Pórticos e paredes

Placas

Módulos estruturais

Vãos estruturais

Padrões estruturais

A estabilidade lateral

Edificações altas

Arcos e abóbodas

Cúpulas

Cascas

Estruturas de cabos estaiados

Membranas

Juntas e conexões

2.2

A EDIFICAÇÃO

A arquitetura e a construção não são necessariamente a mesma coisa. Durante o projeto e a construção de uma edificação, é necessário um conhecimento dos métodos de montagem de vários materiais, elementos e componentes.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Exercício 14 – Folhas de impressão

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

9. Em seguida, insira luminárias e vegetação. Veja que nas famílias de luminárias temos luminárias de parede, de pé, e de forro. Para inserir as baseadas em forro, é necessário criar o forro. Você poderá editar o grupo do pavimento tipo e inserir o forro e as luminárias no ambiente. No modo de visualização Realista

Realista, podemos visualizar a vegetação de forma rápida, sem a necessidade de renderizar a vista.

Figura A.97 – Perspectiva externa com vegetação.

Salve o arquivo. Você pode permanecer com ele para o próximo exercício. Ele tem o nome de Exercicio12.rvt

Exercicio12.rvt.

Exercício 13 – Texto, Cotas e Simbologia

1. Com o projeto definido, partimos para a inserção de cotas, texto, símbolos de nível em corte, ambientes e outros elementos de detalhes para preparar a impressão e a apresentação. Neste exercício, você pode treinar livremente as ferramentas de anotação e ambiente, as quais estão descritas no Capítulo 15. Neste exemplo, inserimos cotas e ambiente no pavimento tipo. A Figura A.98 exibe um detalhe do resultado. Não se esqueça de que você pode duplicar vistas para gerar outras com detalhes diferentes em outras escalas. Também pode desligar elementos que não deseja ver em uma determinada vista em Visibilidade/Sobreposição de gráficos, na janela Propriedades ficos

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Exercício 13 – Texto, Cotas e Simbologia

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

9. Em seguida, insira luminárias e vegetação. Veja que nas famílias de luminárias temos luminárias de parede, de pé, e de forro. Para inserir as baseadas em forro, é necessário criar o forro. Você poderá editar o grupo do pavimento tipo e inserir o forro e as luminárias no ambiente. No modo de visualização Realista

Realista, podemos visualizar a vegetação de forma rápida, sem a necessidade de renderizar a vista.

Figura A.97 – Perspectiva externa com vegetação.

Salve o arquivo. Você pode permanecer com ele para o próximo exercício. Ele tem o nome de Exercicio12.rvt

Exercicio12.rvt.

Exercício 13 – Texto, Cotas e Simbologia

1. Com o projeto definido, partimos para a inserção de cotas, texto, símbolos de nível em corte, ambientes e outros elementos de detalhes para preparar a impressão e a apresentação. Neste exercício, você pode treinar livremente as ferramentas de anotação e ambiente, as quais estão descritas no Capítulo 15. Neste exemplo, inserimos cotas e ambiente no pavimento tipo. A Figura A.98 exibe um detalhe do resultado. Não se esqueça de que você pode duplicar vistas para gerar outras com detalhes diferentes em outras escalas. Também pode desligar elementos que não deseja ver em uma determinada vista em Visibilidade/Sobreposição de gráficos, na janela Propriedades ficos

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Exercício 8 – Corte e Elevações e Modelos de Vista

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Exercício 8 – �Corte e Elevações e Modelos de Vista

1. Nessa etapa, vamos gerar algumas vistas do modelo e um modelo de vista.

2. Ative a vista do Pav 1.

1 Na aba Vista

Vista, selecione Corte e clique em dois pontos para gerar o corte longitudinal. Em seguida, gere outro corte transversal.

Procure passar esse corte na região onde será a esprojeto renomeie os Cortes cada. No Navegador de projeto,

1 e 2 para Corte AA e Corte BB clicando com o botão direito do mouse sobre o nome dos cortes.

Figura A.55 – Remoção do segmento/grid.

20.

20. Vamos substituir o painel pela porta, que precisa ser carregada. Selecione a aba Inserir > Carregar família; depois, na pasta Portas família

Portas, escolha Parede-Cortina-Vitrine-Duplo e Porta Parede-cortina-frente de loja-Dupla. loja-Dupla

21. modelo, selecione o painel (use Tab

21. No

Tab) até surgir o pino. Clique no pino para liberar o painel.

Depois de liberado, selecione em Propriedades a

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

15.1 Texto

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

15

Anotações – Cotas e Texto

Introdução

Este capítulo aborda as ferramentas usadas para inserir texto, cotas, símbolos, identificadores e chamadas de vistas de detalhe no desenho. As categorias de anotação de texto, cotas, símbolos e identificadores são elementos específicos da vista na qual foram inseridos. Isso significa que eles só são exibidos na vista em que foram criados. Já os dados, símbolos de eixo, níveis e chamadas de detalhe aparecem em todas as vistas em que forem pertinentes. Os elementos anotativos são apresentados de acordo com a escala da vista. Quando se altera a escala de uma vista, esses elementos mudam de tamanho na tela, porém terão o mesmo tamanho ao serem impressos.

Objetivos

  Aprender a inserir texto no desenho.

  Inserir cotas e símbolos.

  Aprender a inserir identificadores de objetos – Tags.

  Inserir indicadores de ambientes.

As ferramentas de anotação se encontram na aba Anotar (Figura 15.1).

Figura 15.1 – Aba Anotar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Introdução

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

15

Anotações – Cotas e Texto

Introdução

Este capítulo aborda as ferramentas usadas para inserir texto, cotas, símbolos, identificadores e chamadas de vistas de detalhe no desenho. As categorias de anotação de texto, cotas, símbolos e identificadores são elementos específicos da vista na qual foram inseridos. Isso significa que eles só são exibidos na vista em que foram criados. Já os dados, símbolos de eixo, níveis e chamadas de detalhe aparecem em todas as vistas em que forem pertinentes. Os elementos anotativos são apresentados de acordo com a escala da vista. Quando se altera a escala de uma vista, esses elementos mudam de tamanho na tela, porém terão o mesmo tamanho ao serem impressos.

Objetivos

  Aprender a inserir texto no desenho.

  Inserir cotas e símbolos.

  Aprender a inserir identificadores de objetos – Tags.

  Inserir indicadores de ambientes.

As ferramentas de anotação se encontram na aba Anotar (Figura 15.1).

Figura 15.1 – Aba Anotar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

19.1 Informações de projeto

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Para inserir outros componentes, clique na aba Inserir e selecione Carregar Família,

Família e selecione uma família de

Componente nas pastas do Revit.

Figura 18.73 – Aba Inserir – Carregar Família.

Cada tipo de componente terá suas propriedades de tipo e de instância de acordo com o tipo de objeto. Em geral, eles podem ser duplicados para a criação de um novo tipo e as famílias podem ser editadas por meio do editor de famílias.

Para inserir outros tipos de elemento no projeto que você não tenha encontrado nas bibliotecas instaladas com o Revit, sugerimos o portal BIM Object . Alguns fabricantes de móveis e outros elementos disponibilizam famílias em seus sites.

322

Autodesk® Revit® Architecture 2020 – Conceitos e Aplicações

19

Trabalho em Equipe e Dados do Projeto

Introdução

Este capítulo explica como tirar o máximo proveito do Revit em trabalhos em equipe, por meio do uso de worksets e vínculos. Os worksets permitem que uma equipe divida o projeto entre seus membros de forma que todos trabalhem no mesmo arquivo central. Essa é uma das principais vantagens do Revit, pois, ao definir uma boa estratégia de projeto, o coordenador pode aumentar a produtividade de toda a equipe.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Objetivos

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

16

Tabelas

Introdução

Este capítulo mostra como extrair informações do projeto em tabelas de quantitativos e de materiais. Uma das maiores qualidades de um software BIM e paramétrico é a extração de quantitativos. As tabelas são, na verdade, outra vista do projeto, só que em forma de dados. Ao alterar-se qualquer elemento construtivo no projeto, as tabelas são atualizadas automaticamente. Também é possível alterar um elemento selecionando-o na tabela; a modificação ocorre ao mesmo tempo no projeto em todas as vistas, plantas, cortes, elevações e vistas 3D.

Objetivos

  Aprender a criar uma tabela de quantitativos.

  Fazer uma tabela de materiais.

  Criar uma tabela de dados de corte e aterro de terrenos.

  Configurar a forma de apresentação da tabela com filtros e somas de totais.

16.1 Tabela/Quantidades

Aba Vista > Criar > Tabelas > Tabela/Quantidades

Cria uma vista com tabela de quantitativos de esquadrias, paredes, vigas, pilares etc. As tabelas no Revit são geradas como vistas e inseridas no Navegador de projeto. Depois, para inserir em uma folha para impressão, basta arrastar a tabela até a folha. Tudo que estiver no projeto pode ser listado. Neste exemplo, vamos gerar uma tabela de portas com o arquivo Bloco A, que pode ser baixado na plataforma da Editora.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

Exercício 3 – Inserção de paredes no Pav Tipo

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Exercício 2 – �Início do projeto – vínculo de arquivo do AutoCAD

(DWG)

1. No menu Arquivo, selecione Novo > Projeto.

Projeto Na janela Novo projeto, projeto escolha em Procurar o modelo/template criado anteriormente, arquitetura arquitetura, e clique em OK

OK. Agora, ao iniciar, já temos as configurações básicas definidas. Estamos trabalhando com metros, e os nomes dos pavimentos já estão definidos, como pode ser visto no

Navegador de projeto. projeto

2. Vamos utilizar como base da planta do pavimento tipo um desenho do AutoCAD (.DWG). O Revit permite a inserção de um arquivo DWG para servir de base com o uso de snaps de pontos adquiridos do DWG. Iniciaremos com a planta do pavimento tipo inserida no Pav 1.

3. Ative a vista Pav 1 clicando nela no Navegador de projeto.

4. Na aba Inserir

Inserir, selecione Vínculo de CAD. Selecione o arquivo ED_pav_tipo.dwg

ED_pav_tipo.dwg, utilize as configurações da

Figura A.7, e clique em Abrir

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

16.2 Combinação de parâmetros em tabelas

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Figura 16.9 – Filtro de portas pela largura.

Classificar/Agrupar: nessa aba, fazemos o agrupamento de itens de acordo com tipo, largura e altura, ou seja, conforme os campos selecionados.

¤ Cabeçalho: liga um cabeçalho.

¤ Rodapé: liga um rodapé que insere o contador de itens.

¤ Linha em branco: deixa uma linha em branco entre os itens.

¤ Total geral: soma todos os itens. O título é o texto na folha.

¤ Itemizar cada instância: exibe cada instância dos elementos.

Com a configuração da tabela de acordo com a

Figura 16.10, ela é exibida na Figura 16.11, com todos os itens (portas) do projeto.

Devemos desmarcar Classificar em itens cada instância para agrupar os itens do mesmo tipo (Figura 16.12).

Figura 16.12 – Tabela com itens de portas agrupados por tipo.

Formatação: nessa aba, formatamos os campos selecionados no início e habilita­mos a contagem total de itens de uma coluna. Por exemplo, em uma tabela de áreas, é preciso somar todas as áreas dos ambientes.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

19.2 Criação de um parâmetro de projeto

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Em seguida, surge a janela Propriedades do projeto, projeto na qual inserimos as informações em cada campo. Algumas dessas informações podem ser utilizadas nas folhas de impressão; então, ao alterarmos o nome do projeto, ele já se modifica em todas as folhas. As informações de Configuração de energia podem ser utilizadas para que façamos análises de energia de acordo com o projeto.

Figura 19.2 – Janela Propriedades do projeto.

A Figura 19.3 exibe o carimbo da folha da família A1_metrico.rfa com as propriedades do projeto. Os dados são inseridos em todas as folhas, de forma que, se houver alteração de uma informação, basta alterá-la nos parâmetros de projeto e ela será alterada em todas as folhas. A família da folha pode ser alterada para que fique de acordo com os padrões de seu escritório. Se forem necessárias mais informações do projeto, com parâmetros que não se encontram aqui, você poderá criar os parâmetros necessários. A seguir, veremos como criar novos parâmetros de projeto.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532905

16.4 Tabela para volume de corte e aterro de terreno

Claudia Campos Netto Editora Saraiva PDF Criptografado

Vamos ver um exemplo. Para agrupar os valores ao criar ou editar uma tabela de janelas na aba Campos

Campos, selecione Combinar Parâmetros,

Parâmetros como mostra a Figura 16.16.

Combinado digite o nome que será o nome da

Na janela Combinar parâmetros no campo Nome do Parâmetro Combinado,

Coluna, por exemplo Medidas

Medidas. Em seguida, na coluna Parâmetros da tabela, tabela selecione os parâmetros que deseja inserir na mesma coluna e clique na seta verde para adicionar na coluna da direita. Em seguida, você pode adicionar um prefixo ou sufixo no parâmetro e ainda um separador para os campos. Neste exemplo, vamos adicionar o separador × para as medidas e o sufixo m para metros. Clique em OK duas vezes para inserir a tabela. O resultado deve ser semelhante à Figura 16.17.

Figura 16.16 – Configurar uma combinação de parâmetros

Figura 16.17 – Tabela com parâmetros combinados.

16.3 �Tabela para levantamento de materiais

Aba Vista > Criar > Tabela > Levantamento de material

Ver todos os capítulos

Carregar mais