44 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788582605257

Capítulo 6 - O sistema de certificação de edificações Green Globes

Charles J. Kibert Grupo A PDF Criptografado

O sistema de certificação de edificações Green Globes

6

G

reen Globes (www.thegbi.com) é um sistema de certificação de edificações originário do

Reino Unido e do Canadá que vem sendo adotado nos Estados Unidos como uma alternativa ao sistema LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, do US Green

Building Council (USGBC). Ele resulta em uma classificação que varia entre um e quatro green globes (globos verdes) para um projeto, conforme o percentual de pontos máximos que o projeto alcance (veja a Figura 6.1). A Green Building Initiative (GBI), a proponente norte-americana do

Green Globes, descreve esse sistema de certificação como uma ferramenta revolucionária de gestão da sustentabilidade ao incluir um protocolo de avaliação, um sistema de certificação e um guia para a adoção do projeto ecológico nos prédios comerciais. O protocolo de avaliação baseado na web preenchido pela equipe de projeto facilita o trabalho de verificação por terceiros. Foi elaborado para ser uma abordagem interativa, flexível e de baixo custo para avaliação e certificação de edificações projetadas ou já construídas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605257

Capítulo 5 - O sistema de certificação de edificações LEED, do U.S. Green Building Council

Charles J. Kibert Grupo A PDF Criptografado

O sistema de certificação de edificações LEED, do U.S. Green

Building Council*

O

s sistemas de avaliação e certificação de edificações são muito utilizados para analisar o desempenho de um projeto com base em um conjunto específico de critérios ecológicos ou sustentáveis. O Capítulo 4 aborda em detalhes esse tópico e cobre os sistemas internacionais mais comuns para esse fim. Nos Estados Unidos, há três grandes sistemas de uso frequente. O sistema mais conhecido e aplicado é o Leadership in Energy and Environmental Design – LEED, que será descrito em detalhes neste capítulo. O sistema LEED cobre vários sistemas de certificação que foram desenvolvidos para tipos de edifício específicos. Além de seu uso generalizado nos Estados

Unidos, o LEED vem sendo aplicado em projetos de 150 países. O Green Globes, sistema cuja aplicação está crescendo rapidamente, será descrito no Capítulo 6. O terceiro sistema principal, o Living

Building Challenge (veja o Capítulo 4), atualmente não está sendo aplicado a um elevado número de projetos, mas está estimulando significativamente a melhoria dos demais sistemas de certificação.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521625278

PARTE I - Capítulo 5 - Comparação das Estratégias para Melhorar o Desempenho do Sistema

Carl D. Martland Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

5

Comparação das Estratégias para Melhorar o Desempenho do

Sistema

A ideia básica é definir as alternativas em um nível de detalhe apenas suficiente para permitir que as diferentes partes interessadas as classifiquem pelo menos em termos de conveniência, segundo cada critério identificado.

Theodor J. Stewart, “Thirsting for Consensus: Multicriteria Decision Analysis

Helps Clarify Water Resources Planning in South Africa,”

OR/MS Today (Abril de 2003): 30−34

CONCEITOS DO CAPÍTULO

Seção 5.1 Introdução

Seção 5.2 Apresentação de Todos os Resultados em Termos Monetários

Vantagens de utilizar uma métrica monetária para vários critérios

Dificuldade de expressar todas as medidas em termos monetários

Seção 5.3 Valor Presente Líquido: Comparação dos Custos e Benefícios Atuais e Futuros

Desconto dos custos e benefícios futuros

Valor presente líquido dos custos e benefícios

Seção 5.4 Medição da Eficiência em Termos de Custo

Ver todos os capítulos
Medium 9788577804436

O Planejamento de Emergência

Sue Roaf, David Crichton, Fergus Nicol Grupo A PDF Criptografado

A Batalha Continua

369

Figura 15.3

As edificações resilientes, como este dormitório de estudantes do Keble College, em Oxford, projetado por Rick Mather, são extremamente apreciadas por seus usuários. (Fonte: Sue Roaf)

As prefeituras, que dispõem de bons conhecimentos práticos sobre os locais em que a infra-estrutura é insuficiente em eventos climáticos extremos, deveriam ter a obrigação de planejar a redução dos impactos das mudanças climáticas de curto e longo prazo.6 A redução da vulnerabilidade das parcelas mais frágeis da população deveria ser prioridade tanto de indivíduos como de organizações e governos, exigindo ações imediatas, como a instalação de brises e toldos em todas as janelas voltadas para o sul e o oeste (no hemisfério norte) das casas de idosos e jovens ou criar

áreas totalmente protegidas do sol nos parques de recreação infantil das escolas.

O PLANEJAMENTO DE EMERGÊNCIA

No curto prazo, é vital o planejamento e a educação para sistemas de alerta, evacuação e apoio de empresas e comunidades em caso de emergência. Grande parte da perda de vidas e da destruição de bens causadas por um desastre climático resulta da falta de sistema de alerta e ação eficazes, como ficou evidente nas ondas de calor de Chicago, em 19957, e da França, em 2003. Em ambos os casos, a culpa foi jogada, principalmente, nas costas dos políticos, por não responderem prontamente à crise que se desenvolvia, e à falta de preparo das prefeituras para lidarem com a crise.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605110

O Túmulo de Teodorico, o Grande

Francis D.K. Ching, Mark Jarzombek, Vikramaditya Prakash Grupo A PDF Criptografado

Europa

Burgúndios

Ostrogodos

Visigodos

Vândalos

Mar Mediterrâneo

8.57  Os territórios dos ostrogodos, burgúndios e visigodos

O TÚMULO DE TEODORICO,

O GRANDE

Os ostrogodos, uma tribo das estepes russas, haviam entrado na Europa e se estabelecido no

Norte da Itália. Eles fundaram um estado relativamente efêmero sob o reino de Teodorico, o

Grande (454–526 d.C.). Seu território abarcou, em sua máxima extensão, a Itália e os Bálcãs; e a capital era Ravena. Em 402 d.C., Ravena havia se tornado a capital do Império Romano do

Ocidente. A transferência foi feita por motivos de defesa: a cidade era circundada por pântanos e charcos. Mesmo com a mudança, não foi possível conter os germanos, que tomaram a cidade, o que levou o imperador bizantino Zênon a convidar Teodorico a conquistar a Itália. Contudo, uma vez no poder, Teodorico fundou seu próprio reino e trabalhou diligentemente para resgatar ao máximo a cultura e a estadística romanas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605110

O Complexo de Solimão, O Magnífico

Francis D.K. Ching, Mark Jarzombek, Vikramaditya Prakash Grupo A PDF Criptografado

Á sia Ocidental

Áustria

França

Polônia

O COMPLEXO DE SOLIMÃO,

O MAGNÍFICO

Rússia

Budapeste

Mohacs

Ma

Nápoles

Bursa

Sínope

Angora

Trezibonda

Império Otomano

Esmirna

io

T’bilisi

Constantinopla

ásp rC

Mar Negro

Roma

Tabriz

Alepo

Argel

Túnis

Mar Mediterrâneo

Damasco

Trípoli

Bagdá

Jerusalém

Alexandria

Cairo

14.78  Império Otomano

Asilo

Cozinha

Madrasa

Recinto da mesquita

Pátio interno

Madrasa

Hospital

Mesquita

Hamman

Mausoléu de Solimão I

Madrasa

Madrasa

Mausoléu de Haseki Hurrem

Madrasa

Escola de hadiths

0

O sultão otomano Solimão I (que reinou entre

1494 e 1566), também conhecido como Solimão, o Magnífico, não apenas ampliou o âmbito de ação dos exércitos islâmicos, como também procurou transformar Istambul no centro da civilização islâmica, por meio de uma série de projetos de construção de pontes, mesquitas, palácios e várias instituições de caridade e ação social. Para isso, pôde contar com um arquiteto extraordinariamente talentoso, Mimar Sinan

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605110

O Palácio de Potala

Francis D.K. Ching, Mark Jarzombek, Vikramaditya Prakash Grupo A PDF Criptografado

1600 d.C. do poder espiritual e político do mundo budista.

Esse era o Palácio de Potala, um vasto e majestoso palácio e mausoléu, com uma localização espetacular: uma colina no meio do Vale de Lhasa, a “cidade proibida” do Tibete.

O Rio Lhasa é um afluente do Tsangpo, que se torna o Brahmaputra ao girar para o sul, ao redor dos Himalaias, e ingressar na Índia. A uma altura de 130 metros em relação ao vale, encontram-se dois afloramentos rochosos íngremes sobre o leito alargado do rio, em um desfiladeiro.

No maior e mais alto deles, conhecido como Colina Vermelha, encontra-se o Palácio de Potala, com 360 metros de comprimento e 110 de largura, atingindo a altura máxima de 170 metros.

Sua orientação é leste-oeste, com a frente voltada para o sul (Hemisfério Norte), na direção da cidade interna. O cenário é deslumbrante. Uma grande cordilheira denteada forma uma cavidade extremamente alta. O afloramento rochoso e o

Rio Lhasa, muito caudaloso, estão no centro do que parece ser, literalmente, o teto do mundo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605110

O Santuário de Itsukushima

Francis D.K. Ching, Mark Jarzombek, Vikramaditya Prakash Grupo A PDF Criptografado

Leste da Á sia

Há dois santuários: o honsha (o principal, que abriga as divindades femininas), voltado para a água, e, a leste, em uma posição quase perpendicular, o mero-do jinja (o santuário das divindades masculinas hóspedes), voltado para o oeste, ou seja, para a terra. Todas as colunas de madeira são revestidas com laca de cor escarlate e são extremamente despojadas.

Os portais chamados torii têm associações tanto budistas quanto xintoístas. O torii é uma reinterpretação do torana, ou portão budista.

No xintoísmo, ele também simboliza a invocação para que o deus se manifeste e atenda às orações do fiel. A palavra torii significa também

“poleiro de pássaros”, termo que se refere ao mito de que os deuses usaram os cantos dos pássaros para atrair Amaterasu, a deusa do Sol, para fora da caverna onde ela havia se escondido.

12.24  Santuário de Itsukushima, município de Hiroshima, Japão

O SANTUÁRIO DE ITSUKUSHIMA

O xintoísmo não estava de modo algum enfraquecido nesse período. Pelo contrário, Taira no

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605110

O Templo de Salomão

Francis D.K. Ching, Mark Jarzombek, Vikramaditya Prakash Grupo A PDF Criptografado

Á sia Ocidental

4.45  Planta, corte e vista artísticas do Templo de Salomão, Jerusalém

O TEMPLO DE SALOMÃO

Nenhum outro prédio desse período antigo se compara ao Templo de Salomão, e a razão para isso não é exatamente seu esplendor ou tamanho. Havia algumas edificações maiores do que ele e mais elaboradas em termos de arquitetura.

O motivo de seu prestígio é a detalhada descrição do templo que se encontra no Livro dos

Reis, na Bíblia. Uma das grandes contribuições do judaísmo para o mundo foi seu conceito de monoteísmo ético, que se tornou a base tanto do cristianismo como do islamismo.

A concepção judaica do espaço religioso

é complexa. O Jeová israelita é uma entidade invisível, irrepresentável, uma força puramente

ética, que sequer se permite chamar pelo nome.

A imagem mental com a qual os israelitas se identificavam era a de uma tribo do deserto que vivia em tendas, para a qual as construções permanentes nada significavam. Na verdade, alguns especialistas sustentam que Moisés se recusou a atravessar o Jordão e a conduzir seus protegidos até Canaã por receio de que se fixassem ali e se prendessem à propriedade e à agricultura.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605110

O Movimento de Stijl

Francis D.K. Ching, Mark Jarzombek, Vikramaditya Prakash Grupo A PDF Criptografado

Europa

17.134  Projeto de cores de Theo van Doesburg para o Saguão da Universidade de Amsterdã, Países Baixos

O MOVIMENTO DE STIJL

Após a Primeira Guerra Mundial, o Expressionismo nos Países Baixos deu lugar a uma vibrante cultura vanguardista, que focava as questões da abstração e da cor, em cujo centro encontravam-se Piet Mondrian e Theo van Doesburg. Este

último ainda mantinha laços com a causa expressionista, uma vez que defendia uma forma de ambiente colorido tridimensional. Como Van

Doesburg esclareceu em vários ensaios publicados no periódico de Stijl entre 1926 e 1928, a essência do contraponto era sua oposição ao caráter ortogonal da arquitetura e da natureza.

Ele afirmava que a arte, ao aspirar a uma expressão espiritual, devia oferecer à arquitetura outra dimensão, baseada no oblíquo, que a arquitetura mesma não era capaz de criar, uma vez que estava amarrada a peso e gravidade. Nesse sentido, para ele, a arte se contrapunha à funcionalidade, assim como à construção.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605110

O Templo de Mahabodhi

Francis D.K. Ching, Mark Jarzombek, Vikramaditya Prakash Grupo A PDF Criptografado

400 d.C.

Juntamente com o Templo de Bhitargaon, o de Mahabodhi está entre os mais antigos templos de múltiplos pavimentos construídos em tijolo do Sul da Ásia. Embora os templos de tijolos tivessem saído de moda na índia depois que foi iniciada a construção dos templos de pedra, também é possível que o desenvolvimento dos pagodes da China possa ter sido em parte inspirado na descrição desse templo por Hsuan

Tsang, que foi amplamente difundida. O templo

é semelhante ao templo hindu de Bhitargaon

(400–50 d.C.), e, na verdade, o uso budista das formas hindus demonstra a sobreposição experimental de formas durante esse período.

8.35  Templo de Mahabodhi, Bodh Gaya, Índia

Estupas votivas

O TEMPLO DE MAHABODHI

Bodh Gaya (o “Jardim de Gaya”), perto de Patna, onde se diz que o Buda alcançou a iluminação sentado sob uma árvore chamada pipal, é um dos locais de peregrinação mais venerados de todo o mundo budista. O Templo de Mahabodhi

(literalmente, “Grande Buda”) ali existente foi iniciado por Ashoka, que ordenou a construção de uma simples plataforma de pedra, conhecida como Vajrasana (ou “Trono do Diamante”), para assinalar o lugar onde se acreditava que o

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605110

O Mosteiro de Foguang

Francis D.K. Ching, Mark Jarzombek, Vikramaditya Prakash Grupo A PDF Criptografado

800 d.C.

10.53  Salão principal do Templo de Nanchan, Wutaishan, Província de Shanxi, China

O MOSTEIRO DE FOGUANG

Os mosteiros de Nanchan e Foguang, construídos nos períodos Sui e T’ang e situados no extremo norte da capital, na Montanha Wutai, província de Shanxi, são dois dentre os poucos mosteiros de madeira remanescentes. O Templo de Foguang (857 d.C.) foi o mais ambicioso dos dois. Ao contrário do salão de Nanchan, com três vãos e um telhado de quatro águas bastante simples (xieshan), o salão de Foguang tem sete por quatro intercolúnios e possui uma cobertura conhecida como estilo de quatro águas de primeira categoria. Suas colunas dividem o salão em cao

(“espaço”) interno e externo. Como ocorreu com a transformação da estupa em ta (pagode), os chineses também transformaram o formato do mosteiro. Nesse caso, ele derivava claramente da arquitetura palaciana da época. Os mosteiros em geral consistiam em um salão do Buda no meio de um pátio configurado por uma colunata, com um portão norte e outro sul. Os mosteiros maiores também tinham portões leste e oeste.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577804436

O Planejamento de Cenários

Sue Roaf, David Crichton, Fergus Nicol Grupo A PDF Criptografado

Riscos, Cenários e Mercado de Seguros

83

O RISCO E O IMPACTO

O risco basicamente se traduz (ou não) em prejuízos para pessoas, instituições, paisagens, países ou para o planeta. O risco é o potencial de que esse prejuízo ocorra. Os prejuízos podem se manifestar em um amplo espectro de impactos e, em alguns capítulos deste livro são descritos os níveis de calor, vento e chuva que o mundo pode alcançar e, na discussão sobre o setor de seguros a seguir, observaremos não só quais mudanças climáticas enfrentamos, mas também exploraremos a idéia de como as diferentes pessoas, cidades e construções têm estado vulneráveis e expostas a tais ameaças climáticas no passado, para ter uma idéia de como seremos afetados por elas no futuro. Tudo está interligado no planeta, sendo assim, impactos climáticos em uma região poderão afetar, por exemplo, o setor de seguros que, por sua vez, terá impacto no desenvolvimento regional e no futuro das edificações e cidades em tais regiões. Nosso entendimento de risco futuro ainda tem como base as experiências passadas de impactos relacionados.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605110

O Reino de Pagan

Francis D.K. Ching, Mark Jarzombek, Vikramaditya Prakash Grupo A PDF Criptografado

1200 d.C.

Arimaddapura situava-se em uma curva do Rio

Irrawaddy, a oeste de um vulcão extinto que tinha significativa importância simbólica. Os primeiros edifícios foram estupas construídas em terraços sucessivos, derivadas de protótipos indonésios. O Paya de Shwezigon (a palavra paya pode ser traduzida como “pagode”, “estupa” ou

“zedi”), por exemplo, é uma estupa de núcleo sólido que se ergue em um ângulo acentuado, como uma pirâmide escalonada, por meio de cinco terraços quadrados, e culmina em uma estupa a tal ponto fundida com os guarda-sóis do chattri acima dela que a base acaba assumindo formato quase cônico. Escadas íngremes no centro de cada um dos quatro lados da base permitem aos peregrinos o acesso a terraços que, como os de

Borobudur, contêm painéis didáticos para ilustrar histórias da vida do Buda e de outros textos budistas. Embora a estupa seja, em tese, maciça, dentro dela há uma rede complexa de corredores

12.16  Vista de Pagan, perto de Nyangu, Mianmar (Templo de Ananda no primeiro plano, à esquerda; Pagode de Shwezigon ao fundo)

Ver todos os capítulos
Medium 9788577804436

O Setor de Seguros

Sue Roaf, David Crichton, Fergus Nicol Grupo A PDF Criptografado

A Adaptação de Edificações e Cidades às Mudanças Climáticas

Emissões globais de carbono (Gt/ano)

88

40

40

35

35

30

30 A2

A1Fl

25

25

20

20

15

15

10

10

5

5

0

2000

2020

2040

2060

2080

B2

B1

0

2100

Figura 3.4

As emissões globais de carbono de 2000 a 2100 para os quatro cenários de emissões SRES escolhidos, com dados obtidos até o ano 2000. (Fonte: UKCIP02 Briefing Report, p. 6)

ses ao redor do mundo estão trabalhando para ajudar a desenvolver estratégias com as quais lutar pelo futuro.

Realmente deveríamos tomar essas previsões de mudanças climáticas muito a sério, especialmente porque, após o verão de 2003, o mais quente já registrado na Europa, receia-se que aquele tenha sido um sinal de que não só as mudanças climáticas estão acelerando como também a “experiência do calor escaldante [do verão de 2003] poderia ser consistente com um pior cenário [de aquecimento global] que ninguém quer que seja verdade”. Estas são as palavras do professor John

Ver todos os capítulos

Carregar mais