1044 capítulos
Medium 9788597012736

5 - Custos Gerais

DUTRA, René Gomes Grupo Gen PDF Criptografado

5

CUSTOS GERAIS

Prova_Final_DUTRA_Custos.indd 197

28/08/2017 08:21:11

Capítulo 5

5.1 Conceituação

Os Gastos Gerais são definidos no Capítulo 1 como os que não se classificam como de material ou de pessoal, embora alguns destes, cujo valor seja pouco expressivo, possam classificar-se, na prática, como gerais. Os que estão ligados às áreas de elaboração de bens e serviços podem ser subdivididos em custos gerais fabris – os ocorridos nas áreas de fabricação da empresa – e em custos gerais não fabris – aqueles que, embora não ocorridos nas áreas de fabricação propriamente ditas, ocorrem nos departamentos de administração, de apoio e auxiliares da produção e são indispensáveis ao funcionamento harmonioso da atividade-fim da empresa.

Além dos custos gerais, fabris ou não fabris, os gastos gerais englobam também um grupo expressivo denominado contabilmente como despesa, e que está dissociado das atividades de elaboração de bens e serviços. Tal dissociação pode, por vezes, rotular a despesa como improdutiva, mas não deve, no entanto, torná-la menos importante: este rótulo indica tão somente que as despesas são gastos não ligados às atividades de produção. Como cita Mott,1  de que valeria toda a produção do mundo se não houvesse as atividades de vendas e de administração das demais atividades indispensáveis a uma organização e que consomem recursos?

Ver todos os capítulos
Medium 9788597021431

14 Análise dos Fundamentos das Empresas

Juliano Pinheiro Grupo Gen ePub Criptografado

14.1 Introdução

14.2 Análise da situação financeira

14.2.1 Análise da liquidez

14.2.2 Análise da estrutura patrimonial

14.2.2.1 Análise da estrutura de capitais

14.2.2.2 Análise da estrutura de imobilização

14.2.3 Análise do ciclo operacional

14.3 Análise da situação econômica

14.3.1 Análise do comprometimento do lucro (cobertura)

14.3.2 Análise do retorno

14.3.3 Índices para análise de desempenhos específicos

Questões para consolidação

Ver todos os capítulos
Medium 9788597010725

8 - Método de Custeamento RKW

CREPALDI, Silvio Aparecido; CREPALDI, Guilherme Simões Grupo Gen PDF Criptografado

Método de

Custeamento RKW

8

�� Objetivos

»» Identificar o Método de Custeio RKW ou Método dos Centros de

Custos.

»» Entender que o RKW busca uma melhor distribuição dos custos indiretos em determinados períodos da produção.

»» Saber e justificar que a distribuição de custos indiretos nos departamentos permite melhor distribuição dos produtos fabricados, reduzindo a probabilidade de erros e a transferência indevida de custos indiretos de um produto para outro.

CREPALDI.indb 359

3/9/17 9:11 AM

360 | Capítulo 8

8.1 Introdução

Uma forma de alocação de custos e despesas é o RKW (Reichskuratorium für Wirtschaftlichkeit), sistema alemão de custeamento. Para melhor compreensão desse sistema de custeio industrial, é preciso conhecer o sistema de direcionadores de custo ABC, o qual consiste no rateio não só dos custos de produção, como também de todas as despesas da empresa, inclusive financeiras, a todos os produtos. Ou seja, tudo com base na alocação dos custos e despesas aos diversos departamentos da empresa para depois proceder às várias séries de rateio, de forma que, ao final, todos os custos e despesas estejam recaindo exclusivamente sobre os produtos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597010848

1 - Contabilidade Geral – Rodrigo de Souza Gonçalves e Fernanda Fernandes Rodrigues

SILVA, César Augusto Tibúrcio; NIYAMA, Jorge Katsumi (orgs.) Grupo Gen PDF Criptografado

1

Contabilidade Geral

Rodrigo de Souza Gonçalves

Fernanda Fernandes Rodrigues

Objetivos

ÖÖ Discutir os itens que compõem a estrutura do Balanço Patrimonial

ÖÖ Discutir e apresentar os aspectos de reconhecimento e mensuração dos ativos e passivos

ÖÖ Apresentar as demonstrações contábeis e sua finalidade

Introdução

As companhias abertas subordinam-se às disposições da Lei 6.404/1976 e suas atualizações, as Leis 11.638/2007 e 11.941/2009. Companhias abertas são as sociedades anônimas que podem negociar seus títulos mobiliários (ações, debêntures) no mercado aberto, desde que devidamente registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

As sociedades de grande porte também devem observar os preceitos dessas leis, de maneira que deverão elaborar suas demonstrações contábeis e submetê-las à auditoria independente, realizada por auditor registrado na Comissão de

Valores Mobiliários.

Por sociedade de grande porte a lei conceitua as sociedades ou conjunto de sociedades sob controle comum que, mesmo não constituídas sob a forma de sociedades por ações, possuam, no exercício a que se refira o balanço, um ativo

Ver todos os capítulos
Medium 9788597013610

3 - Custos com materiais diretos e indiretos

CREPALDI, Silvio Aparecido; CREPALDI, Guilherme Simões Grupo Gen PDF Criptografado

Custos com materiais diretos e indiretos

3

�� Objetivos

»» Conhecer e saber calcular os custos diretos dos produtos e seus respectivos controles.

»» Elaborar e justificar os métodos de controle de estoque de materiais.

»» Discutir os diversos métodos de avaliação de estoques e suas implicações nos custos da empresa.

»» Identificar e efetuar a alocação dos custos indiretos, justificando os critérios de rateio empregados para sua distribuição aos departamentos.

3.1 Custos diretos

São os custos que podem ser apropriados diretamente aos produtos e variam com a quantidade produzida. Exemplos: material direto (MD) e mão de obra direta (MOD).

Sem eles o produto não existiria. Sua apropriação pode ser direta, bastando que exista uma medida de consumo, como kg, horas-máquina, horas-homem trabalhadas etc.

Matéria-prima e material de embalagem são custos diretos, pois podem ser perfeitamente apropriados aos produtos elaborados.

3.2 Material direto

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos