13435 capítulos
Medium 9786587019000

2 Sistema de informação

Clóvis Luís Padoveze, Eduardo Vieira do Prado Editora Almedina PDF Criptografado

2

Sistema de informação

A contabilidade por unidades de negócio é parte integrante da estrutura contábil implantada pela empresa dentro do conjunto de seus sistemas de informações. Uma vez que o conceito de unidades de negócios é claramente um conceito gerencial, a estrutura contábil a ser implantada na empresa tem que ter como referência a implementação de um sistema de informação contábil dentro de uma abordagem gerencial.

De modo geral, as empresas têm adotado como solução básica para estruturação do seu sistema de informação gerencial a tecnologia de informação denominada ERP (Enterprise Resource Planning), que pode ser traduzido como sistema integrado de gestão empresarial (SIGE)1. Adotaremos neste capítulo a estruturação do sistema de informação contábil dentro do ERP.

2.1. Estruturação do sistema contábil no ERP2

A estruturação do sistema contábil gerencial compreende, fundamentalmente, a definição e a determinação de três estruturas informacionais básicas:

Ver todos os capítulos
Medium 9786587019000

3 Preços de transferências gerenciais

Clóvis Luís Padoveze, Eduardo Vieira do Prado Editora Almedina PDF Criptografado

3

Preços de transferências gerenciais

Os preços de transferência estabelecem os valores de produtos e serviços transferidos entre duas unidades de negócio. É o valor pelo qual são transferidos bens e serviços entre as atividades e áreas internas de uma organização.

Esse é um fator essencial do sistema de controle gerencial em empresas descentralizadas, pois um critério adequado de cálculo de preços de transferência pode estimular as unidades de negócio a serem mais eficientes. É a correta definição dos preços de transferência que determinará a correção dos resultados das atividades e áreas internas da organização.

Além desse impacto gerencial, a determinação de preços de transferência para fins fiscais requer um controle dos preços cobrados para garantir o cumprimento da legislação fiscal aplicável (PwC, 2015).

Dessa maneira, temos três modalidades básicas de preços de transferência no mundo dos negócios: a) preços de transferências gerenciais, utilizados internamente para mensuração das transferências entre unidades de negócio da mesma organização, com o objetivo único de avaliação do desempenho dos gestores divisionais, sem vínculo com procedimentos fiscais, decorrente dos conceitos gerenciais adotados pela empresa; b) preços de transferência entre unidades fiscais separadas da organização – estabelecimentos ou filiais – para valorização das notas fiscais de transferências de mercadorias e produtos, para atendimento da legislação fiscal de tributos brasileiros sobre as vendas (IPI, ICMS); c) preços de transferência de mercadorias e serviços transferidos entre subsidiárias de uma organização multinacional, de um país para outro, denominados normalmente transfer pricing, que são objeto de

Ver todos os capítulos
Medium 9786587019000

1 Fundamentos

Clóvis Luís Padoveze, Eduardo Vieira do Prado Editora Almedina PDF Criptografado

1

Fundamentos

A análise financeira ou análise de balanço é o instrumental clássico para avaliação do desempenho do sistema empresa. Este procedimento de avaliação tem duas características básicas: a) é um modelo de avaliação global da companhia, não levando em consideração as partes que a compõem; b) é um modelo de avaliação estritamente financeiro, impessoal, avaliando toda a empresa e não vinculando, de forma explícita, os resultados obtidos a algum gestor responsável dentro da empresa.

A controladoria com enfoque em resultados tem como uma de suas premissas básicas que os gestores são responsáveis pelo lucro das atividades sob sua responsabilidade. Portanto, impõe-se naturalmente a necessidade de um subsistema contábil para o gerenciamento das diversas áreas da empresa. O foco desse gerenciamento é o conceito de gestão econômica, ou seja, baseada em resultados econômicos, lucro ou prejuízo. Consequentemente, a avaliação de desempenho setorial deve ser também parametrizada pelo lucro gerado pelas atividades sob a responsabilidade de um gestor.

Ver todos os capítulos
Medium 9786587019000

6 Modelo genérico – exemplos numéricos

Clóvis Luís Padoveze, Eduardo Vieira do Prado Editora Almedina PDF Criptografado

6

Modelo genérico

– exemplos numéricos

A partir dos conceitos desenvolvidos nos capítulos anteriores, apresentamos a seguir os fundamentos e conceitos para a estruturação dos modelos de evidenciação dos resultados por unidades de negócio, por meio de exemplos numéricos, incorporando também os modelos de avaliação de desempenho.

6.1. Fundamentos para estruturação

O primeiro fundamento é o desdobramento dos valores constantes das demonstrações contábeis básicas, a demonstração do resultado do período e o balanço patrimonial ao final do período, coletando os dados específicos de cada unidade de negócio, unidades estas que foram definidas anteriormente quando da montagem do sistema de informação de contabilidade por unidades de negócios.

Este desdobramento tem como referência o fato de que o sistema de informação contábil da empresa está estruturado pelo conceito de departamentalização, no qual as contas de despesas e receitas são também acumuladas por centros de custos e centros de receitas, tema este desenvolvido no Capítulo 2.

Ver todos os capítulos
Medium 9786587019000

7 Modelos específicos

Clóvis Luís Padoveze, Eduardo Vieira do Prado Editora Almedina PDF Criptografado

7

Modelos específicos

O objetivo deste capítulo é mostrar que o sistema de contabilidade de unidades de negócio presta-se a qualquer tipo de empreendimento, de qualquer segmento de atividade e de qualquer porte.

Faremos uma apresentação, por meio de tabelas, tendo como referência a estrutura da demonstração de resultados segmentada por áreas ou unidades de negócio dos exemplos escolhidos.

Os exemplos escolhidos estão estruturados dentro do modelo de margem de contribuição, considerando, para a maioria dos casos, a unidade de negócio de resultados financeiros. Os números colocados são totalmente arbitrários e aleatórios, sem qualquer vínculo ou referência com empresas do mundo real. O objetivo é unicamente a evidenciação de modelos sugeridos para as atividades exemplificadas.

Em linhas gerais, as áreas que não estão preenchidas indicam que não deve haver rateio das despesas, uma vez que a sugestão é a utilização do modelo da margem de contribuição, alocando diretamente às unidades de negócio apenas receitas e gastos de controlabilidade do gestor responsável.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos