7936 capítulos
Medium 9788547217945

9.2 Estratégia de construção do currículo

GOLD, Miriam Editora Saraiva PDF Criptografado

REDAÇÃO EMPRESARIAL

profissionais anteriores, inclua apenas o que for mais interessante e pertinente para seus objetivos de carreira.

Vale a pena lembrar que seu currículo servirá de base para as entrevistas. As‑ sim, domine realmente o conteúdo e, principalmente, seja verdadeiro, pois o en‑ trevistador dispõe de técnicas que podem identificar informações falsas.

Quanto à forma do currículo, é importante atentar­‑se para questões como extensão do documento; tamanho, estilo e cor da fonte; margens da folha; organi‑ zação e, sobretudo, correção gramatical. No Quadro 9.1, você encontra uma análi‑ se detalhada desses pontos.

QUADRO 9.1 Pontos importantes sobre a forma do currículo

Extensão do currículo

É preferível que o currículo seja apresentado em duas folhas, embora em situações excepcionais ele possa ter apenas uma ou até três páginas.

Vale a pena ressaltar que o número ideal de duas páginas se refere à apresentação final das informações e que, não raro, é preciso refletir e relatar ideias que podem atingir seis, sete ou mais laudas para só depois realizar a seleção a ser apresentada na forma final.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547217976

18.16 O ônus do questionamento tributário nolucro real

CREPALDI, Silvio Editora Saraiva PDF Criptografado

dentro dos parâmetros legais, o ônus tributário. A competitividade existente no mercado brasileiro atual, decorrente do crescente ingresso de novos competidores globais, exige o aperfeiçoamento de práticas empresariais voltadas ao planejamento tributário e ao contencioso fiscal.

Com o objetivo de auxiliar a condução das atividades empresariais, há uma variedade de serviços destinados a viabilizar o desenvolvimento da atividade empresarial, propiciando uma adequada e eficaz redução de custos tributários, sendo:

• Contencioso Tributário (administrativo e judicial) – o contencioso administrativo consiste na defesa contra autuações lavradas pelo Fisco federal (inclusive

INSS) e pelos diversos Fiscos estaduais e municipais. O contencioso judicial compreende a oposição de embargos a execuções fiscais, a propositura de ações preventivas para a sustentação de teses que impliquem economia fiscal e a atuação perante Tribunais de Justiça, Tribunais Regionais Federais e Tribunais Superiores — ajuizamento de ações originárias e produção de memoriais e sustentações orais. A atuação no contencioso fiscal é pautada por uma conduta proativa e pessoal junto aos órgãos administrativos e judiciais, buscando conferir eficácia e agilidade às demandas patrocinadas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547217976

18.7 Programa de Apoio ao DesenvolvimentoTecnológico da Indústria de Semicondutores(Padis)

CREPALDI, Silvio Editora Saraiva PDF Criptografado

18.6 Programa de Apoio ao Desenvolvimento

Tecnológico da Indústria de Equipamentos para a TV Digital (PATVD)

É beneficiária do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de

Equipamentos para a TV Digital (PATVD) a pessoa jurídica que realize investimento em pesquisa e desenvolvimento (P&D), na forma do art. 17 da Lei n. 11.484/2007, e que exerça as atividades de desenvolvimento e fabricação de equipamentos transmissores de sinais por radiofrequência para televisão digital, classificados no código 8525.50.2 da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM).

Consiste em redução a zero do PIS, da Cofins, do IPI, da Contribuição de Intervenção no

Domínio Econômico (Cide) e do Imposto de Importação sobre determinadas operações.

18.7 Programa de Apoio ao Desenvolvimento

Tecnológico da Indústria de Semicondutores

(Padis)

É beneficiária do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de

Semicondutores (Padis) a pessoa jurídica que realize investimento em P&D na forma do art. 6º da Lei n. 11.484/2007 e que exerça isoladamente, ou em conjunto, dispositivos eletrônicos semicondutores classificados nas posições 85.41 e 85.42 da NCM e mostradores de informação (displays).

Ver todos os capítulos
Medium 9788547217976

18.14 IRPJ, CSLL, PIS e Cofins — Não incidência —Redução de multa e juros

CREPALDI, Silvio Editora Saraiva PDF Criptografado

quais devem ser observados sob pena de cobrança da diferença relativa às contribuições em questão, com os acréscimos legais cabíveis (multa e juros).

Por fim, o benefício de redução das alíquotas será aplicado pelo prazo de cinco anos, contado a partir do dia 1o de setembro de 2009, podendo esse prazo ser prorrogado pelo

Poder Executivo.

18.14 IRPJ, CSLL, PIS e Cofins — Não incidência —

Redução de multa e juros

A Lei n. 11.941/2009 permite o parcelamento dos débitos das pessoas físicas e jurídicas com a União. Pela lei, os débitos inscritos ou não em Dívida Ativa da União, mesmo em fase de execução, poderão ser parcelados em até 180 meses.

O novo programa permite que qualquer dívida com o Fisco vencida até novembro de

2008 seja paga em até 180 meses, com abatimento de multas e juros de mora e prestações mínimas de R$ 50,00 (pessoas físicas) e R$ 100,00 (jurídicas). Para beneficiários de programas anteriores, a prestação mínima deve ser equivalente a 85% da atual ou, para inadimplentes, da mais recente.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547217976

17.22 Terceirização e mudanças tributárias

CREPALDI, Silvio Editora Saraiva PDF Criptografado

17.21 Revisão do planejamento tributário e alterações na legislação

Um dos pontos pouco observados por consultores é a questão das mudanças na legislação fiscal, que implicam mudanças no próprio planejamento ou oportunizam novas formas de economia.

Se, por exemplo, uma Medida Provisória aumentar determinada alíquota de tributo, vigorando a partir de 90 dias de sua publicação, então se deve considerar:

• a possibilidade de antecipar ações, promovendo o fato gerador antes de 90 dias, para pagar o tributo com a alíquota “antiga”;

• o efeito de tais alterações no planejamento já em curso (terceirizações, coligadas etc.).

Nem sempre essas possibilidades serão tão óbvias, daí a necessidade de planejadores e consultores estarem sempre atualizados sobre a legislação e atentos às novidades.

17.22 Terceirização e mudanças tributárias

A opção de terceirizar parte das operações de uma empresa, além dos aspectos operacionais e trabalhistas, pode propiciar uma redução de custos fiscais em função das diferenças de tratamento da legislação previdenciária. Observe também que o planejamento é “atropelado” por constantes mudanças nas regras do jogo promovidas pelo Governo Federal, o que dificulta uma avaliação dos ganhos objetivos.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos