260 capítulos
Medium 9788520431146

Capítulo 34 - Recuperação de empresas a partir da autogesão

Carlos Alberto Cioce Sampaio Editora Manole PDF Criptografado

Recuperação de empresas a partir da autogestão

34

Maurício Sardá de Faria

Administrador, UFPB

Henrique Tahan Novaes

Economista, Unesp/Marília

Flávio Chedid Henriques

Engenheiro de Produção, UFRJ

Laís Silveira Fraga

Engenheira de Alimentos, Unicamp

INTRODUÇÃO

A autogestão não é um problema exterior ao capitalismo. Não se trata de uma forma de organização ou de luta engendrada pelos trabalhadores fora dos locais do trabalho que seria “transportada” para o interior do processo de produção nos momentos mais agudos de conflito social. Para nós, a autogestão é algo inerente à organização capitalista do processo de trabalho. Sua materialidade é experimentada tanto por meio dos mecanismos informais de articulação dos trabalhadores, no processo de produção de mercadorias, quanto pelas formas autônomas de organização dos conflitos e resistência dos trabalhadores diante da fragmentação, parcelização e infe-

1008

GESTÃO DE NATUREZA PÚBLICA E SUSTENTABILIDADE

Ver todos os capítulos
Medium 9788580553611

Capítulo 7 - A recuperação do serviço

Valarie A. Zeithaml, Mary Jo Britner, Dwayne D. Gremler Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

7

A recuperação do serviço

Os objetivos deste capítulo são:

1. Ilustrar a importância da recuperação após a falha do serviço a fim de conservar clientes e construir fidelidade.

2. Discutir a natureza das queixas dos clientes e os motivos pelos quais as pessoas as apresentam ou não.

3. Fornecer evidências do que os clientes esperam e os tipos de respostas que desejam no momento em que apresentam uma reclamação.

4. Apresentar estratégias para a recuperação eficaz do serviço, incluindo maneiras de “solucionar o cliente” após uma falha no serviço e “resolver o problema”.

5. Discutir as garantias do serviço – o que são, os benefícios relativos e o momento em que devem ser adotadas – como forma especial de estratégia de recuperação do serviço.

A JetBlue e a tempestade de gelo do Dia dos Namorados no

Aeroporto John F. Kennedy

Em 2000, quando a JetBlue Airways iniciou seus voos diários de Nova York para Fort Lauderdale, estado da Flórida, e para Buffalo, estado de Nova York, a companhia aérea prometia tarifas que seriam até 65% mais baratas do que as da concorrência. Naquela época, a JetBlue tinha 300 funcionários e oferecia a seus clientes reserva de poltronas, estofamento em couro e TV via satélite em telas individuais para todos os passageiros. As baixas tarifas foram um sucesso imediato, ao mesmo tempo em que os passageiros gostaram das aeromoças bem-vestidas e gentis que serviam bolachas salgadas, biscoitos Oreo e salgadinhos de batata tingidos com corante azul. Na verdade, já no começo de 2007, a JetBlue tinha 9.300 funcionários e 125 aeronaves, e oferecia cerca de 575 voos diários a

Ver todos os capítulos
Medium 9788597012903

4 - Processo de avaliação e análise dos prazos de recuperação do capital investido

Adriano Leal Bruni, Rubens Famá Grupo Gen PDF Criptografado

4

Processo de avaliação e análise dos prazos de recuperação do capital investido

“Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida.”

Provérbio Chinês

4.1 Objetivos do capítulo

A técnica mais simples e fácil de avaliação de investimentos consiste na obtenção do prazo de recuperação do capital investido, geralmente expresso pelo termo em língua inglesa payback. Para a obtenção do payback, dois procedimentos distintos podem ser empregados e que envolvem a consideração ou não do custo de oportunidade dos recursos.

Este capítulo conceitua e descreve de forma simples o processo de avaliação de investimentos, ilustrando-o mediante o emprego das técnicas com cálculo do payback.

4.2 Processo de avaliação

O processo de avaliação de investimentos envolve três etapas distintas: projeção de fluxo de caixa, cálculo do custo de capital e aplicação de técnicas de avaliação. O processo de construção do fluxo de caixa estimado e de obtenção do custo de oportunidade dos recursos investidos foi discutido nos capítulos anteriores.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597018127

6 - Processo de avaliação e análise dos prazos de recuperação do capital investido

BRUNI, Adriano Leal Grupo Gen PDF Criptografado

6

Processo de avaliação e análise dos prazos de recuperação do capital investido

Assista à videoaula

“Aprender é a única coisa que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende.”

Leonardo da Vinci

6.1 Objetivos do capítulo

A terceira etapa do processo de avaliação financeira de investimentos envolve o uso de técnicas, que geralmente comparam os ganhos dos ativos ou investimentos, mensurados sob a forma de fluxos de caixa livres, com os custos dos financiamentos, mensurados sob a forma da taxa mínima de atratividade.

Três grandes grupos de técnicas podem ser empregadas, envolvendo distintamente cálculos com prazos, valores ou taxas.

As técnicas mais simples e fáceis de avaliação de investimentos consiste na obtenção do prazo de recuperação do capital investido, geralmente expresso pela expressão em língua inglesa payback. Para a obtenção do payback, dois procedimentos distintos podem ser empregados e que envolvem a consideração ou não do custo de oportunidade dos recursos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597018110

3 - Os custos e a contabilidade gerencial

BRUNI, Adriano Leal Grupo Gen PDF Criptografado

3

Os custos e a contabilidade gerencial

“Não existe grandeza quando a simplicidade, a bondade e a verdade estão ausentes.”

Léon Tolstoi

3.1 Objetivos de aprendizagem

A contabilidade gerencial possui o objetivo principal de suprir com informações relevantes o processo de tomada de decisões da empresa. Assim, enquanto a contabilidade financeira costuma conjugar verbos no passado, referentes ao registro do que ocorreu, a contabilidade gerencial conjuga verbos no futuro, preocupando-se com o que ocorrerá, em função de uma decisão tomada.

O foco da contabilidade gerencial é a decisão e a análise das suas consequências.

Assim, outras formas e mecanismos são empregados na compreensão e visão dos gastos. Enquanto para a contabilidade financeira existe a necessidade de distinção entre custos e despesas, para a gerencial existe a preocupação em separar gastos que sofrem os efeitos de uma decisão tomada dos gastos que nada sofrem.

Este capítulo discute a compreensão e a utilização dos custos sob a óptica da contabilidade gerencial. Os objetivos de aprendizagem propostos para este capítulo envolvem:

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos