7835 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788577809103

5. LEMBRE-SE DAS PESSOAS

Jim Champy; Harry Greenspun Grupo A PDF Criptografado

LEMBRE-SE DAS PESSOAS

135

Mudar o comportamento alheio nunca é fácil. Mas alguns profissionais do mundo da saúde de hoje estão criando as circunstâncias necessárias ao liderarem seus colegas em direção a um futuro mais eficiente e eficaz.

Mudar o comportamento alheio nunca é fácil. Mas alguns profissionais do mundo da saúde de hoje estão criando as circunstâncias necessárias ao liderarem seus colegas em direção a um futuro mais eficiente e eficaz. Além de valiosas, as lições aprendidas com esses reformadores também são replicáveis. Nas próximas páginas, explicamos como você pode seguir o seu exemplo.

♦ Inspire seu pessoal com o sucesso alheio

Quando Zeev Neuwirth começou sua iniciativa de reengenharia na Harvard Vanguard Medical Associates, ele introduziu suas reformas discretamente e apenas no setor de medicina interna. Além dos problemas tecnológicos e de processos em nível organizacional, ele não queria ter de lidar com uma clínica cheia de médicos e gerentes céticos. Mais tarde, Neuwirth foi nomeado Vice-Presidente de Inovação e Eficácia Clínica, com a missão explícita de provocar mudanças. Foi então que percebeu que não chegaria a lugar algum sem o apoio e entusiasmo dos líderes clínicos e administrativos da organização.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536307442

Capítulo 1 - Trabalho e qualificação: questões conceituais e desafios postos pelo cenário de reestruturação produtiva

Borges-Andrade, Jairo E. Grupo A PDF Criptografado

1

Trabalho e qualificação: questões conceituais e desafios postos pelo cenário de reestruturação produtiva

Antonio Virgílio Bittencourt Bastos

Objetivos

Ao final deste capítulo, o leitor deverá:

• Descrever o processo de reestruturação produtiva, problematizando os desafios postos às organizações e trabalhadores na contemporaneidade.

• Identificar os principais marcos na trajetória de construção da vertente de estudo sobre qualificação do trabalhador.

• Discutir o conceito de qualificação no trabalho, identificando as suas dimensões constituintes e as principais perspectivas teóricas que contribuíram para as definições desse conceito.

• Comparar as diferentes teses sobre a qualificação no capitalismo contemporâneo, considerando o processo de reestruturação produtiva.

• Analisar a realidade brasileira em termos do processo de reestruturação produtiva e qualificação no trabalho.

• Refletir sobre as implicações dos debates sobre qualificação no trabalho para as ações de TD&E em contextos organizacionais.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536307442

Capítulo 2 - Formação profissional

Borges-Andrade, Jairo E. Grupo A PDF Criptografado

2

TREINAMENTO, DESENVOLVIMENTO E EDUCAÇÃO EM ORGANIZAÇÕES E TRABALHO

41

Formação profissional

Luciana Mourão e Katia E. Puente-Palacios

Objetivos

Ao final deste capítulo, o leitor deverá:

Identificar os principais fatores que influenciam a formação profissional.

Discutir sobre o papel dos cursos técnicos e dos cursos universitários na formação profissional.

Apontar os principais avanços e as principais defasagens da formação profissional no Brasil.

Identificar os principais programas públicos relativos à formação profissional.

Apontar diferenças e semelhanças entre os programas públicos e os privados.

Apontar os maiores desafios para a realização de programas públicos concernentes à formação profissional no Brasil.

Discutir as principais questões envolvidas no processo de monitoramento e avaliação de programas relativos à formação e à qualificação profissional.

INTRODUÇÃO

O mundo do trabalho está em mutação. Fenômenos como a globalização, a terceirização, os novos modelos de gestão, os avanços tecnológicos, o crescimento do desemprego e a automação têm provocado significativas mudanças nas organizações e nas formas de trabalho. Os profissionais que trabalham com a gestão de pessoas nas organizações buscam novos pilares que possibilitem a reestruturação das relações de trabalho e da própria concepção do mesmo diante dessas transformações.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536307442

Capítulo 9 - Competência técnica e política do profissional de TD&E

Borges-Andrade, Jairo E. Grupo A PDF Criptografado

TREINAMENTO, DESENVOLVIMENTO E EDUCAÇÃO EM ORGANIZAÇÕES E TRABALHO

9

177

Competência técnica e política do profissional de TD&E

Jairo E. Borges-Andrade

Objetivos

Ao final deste capítulo, o leitor deverá:

Analisar criticamente as competências esperadas do profissional de TD&E.

Analisar criticamente as práticas usuais de TD&E.

Descrever a tecnologia instrucional de TD&E com base em sistemas.

Descrever as competências técnicas e políticas esperadas desse profissional.

INTRODUÇÃO

Este capítulo tem como função despertar o leitor para alguns aspectos críticos relativos àquilo que é feito e o que deveria ser feito pelos profissionais de treinamento, desenvolvimento e educação (TD&E) nas organizações. O que deveria ser feito é sintetizado na penúltima seção do capítulo, que vai ao mesmo tempo remetendo o leitor para as Partes II e III deste livro, cujos capítulos detalham como isso deveria ser realizado. Antes, porém, o capítulo analisa, muitas vezes de forma contundente, os problemas que freqüentemente são observados na forma como TD&E são operacionalizados nas organizações e discute a relação entre esses problemas e questões concernentes às competências que deveriam possuir os profissionais de

Ver todos os capítulos
Medium 9788536307442

Capítulo 18 - Construção de medidas e delineamentos em avaliação de TD&E

Borges-Andrade, Jairo E. Grupo A PDF Criptografado

18

TREINAMENTO, DESENVOLVIMENTO E EDUCAÇÃO EM ORGANIZAÇÕES E TRABALHO

359

Construção de medidas e delineamentos em avaliação de TD&E

Ronaldo Pilati e Jairo E. Borges-Andrade

Objetivos

Ao final deste capítulo, o leitor deverá:

Identificar os principais problemas relativos às medidas de variáveis nos modelos de avaliação de TD&E.

Descrever os princípios de construção de medidas nas ciências sociais e comportamentais.

Descrever os tipos de medidas utilizadas em avaliação de TD&E e as questões relativas à validade e à fidedignidade.

Identificar características de algumas medidas já desenvolvidas em avaliação de TD&E.

Definir fontes de informação para as medidas de avaliação.

Descrever o método experimental aplicado à avaliação de TD&E, ressaltando suas vantagens e desvantagens.

Descrever o método correlacional aplicado à avaliação de TD&E, ressaltando suas vantagens e desvantagens.

INTRODUÇÃO

O processo de mensuração é básico em ciências e de especial importância para as ações de treinamento, desenvolvimento e educação (TD&E). Avaliar demanda o estabelecimento de um juízo sobre uma ação ou evento, e o ato de medir embasa esse juízo. Por esse motivo, um livro sobre ações de TD&E em organizações deve versar sobre processos de mensuração de resultados, discutindo e debatendo sobre aspectos de construção de medidas e delineamento de pesquisa sobre avaliação de ações de capacitação. É nesse contexto que este capítulo se situa, pois seu objetivo principal é apresentar e discutir os principais fundamentos da construção de medidas e dos delineamentos metodológicos em avaliação de TD&E.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536307442

Capítulo 23 - Medidas de aprendizagem em avaliação de TD&E

Borges-Andrade, Jairo E. Grupo A PDF Criptografado

23

TREINAMENTO, DESENVOLVIMENTO E EDUCAÇÃO EM ORGANIZAÇÕES E TRABALHO

469

Medidas de aprendizagem em avaliação de TD&E

Gardênia da Silva Abbad, Maria Fernanda Borges-Ferreira e Rommel Nogueira

Objetivos

Ao final deste capítulo, o leitor deverá:

• Definir aprendizagem e seus componentes;

• Definir o papel das medidas, instrumentos, fontes, meios e procedimentos de avaliação;

• Descrever os passos da construção e aplicação de instrumentos de medida de avaliação de aprendizagem, de acordo os objetivos instrucionais e taxonomia de resultados de aprendizagem;

• Analisar situações de aplicação de medidas de aprendizagem em pesquisas sobre avaliação de treinamento, descrevendo resultados e discutindo relações teóricas e empíricas de aprendizagem com os demais níveis de avaliação;

• Discutir a importância da avaliação de aprendizagem em avaliação de TD&E.

INTRODUÇÃO

Neste capítulo, será tratada a avaliação de aprendizagem, componente resultados imediatos do Modelo de Avaliação Integrativo e Somativo (MAIS) (ver

Ver todos os capítulos
Medium 9788536304489

5 - Informação

Nicolas Audy, Jorge Luis Grupo A PDF Criptografado

93

ORGANIZAÇÕES

5

Informação

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

1.

conceituar os termos dados, informação, conhecimento e competências;

2.

caracterizar os aspectos estratégicos da informação;

3.

identificar a relação entre sistemas de informação, tecnologia da informação e processos de negócios em uma organização;

4.

identificar a evolução das tecnologias e seu uso ao longo do tempo;

5.

analisar a aplicação da curva de aprendizagem na área de SI;

6.

caracterizar a importância da abordagem.

DADOS, INFORMAÇÃO, CONHECIMENTO E COMPETÊNCIA

A informação é um conceito central na área de sistemas de informação. A informação é o recurso mais valioso e importante nas organizações na sociedade atual, também conhecida como sociedade da informação. Entretanto, é fundamental definir claramente esse conceito, bem como outros que estão fortemente relacionados: dados, conhecimento, competências e inovação.

Dados

O dado consiste em um fato bruto (nome de um funcionário, número de matrícula de um aluno, código de um produto, etc.) ou suas representações (imagens, sons, números, etc.) que podem ou não ser úteis ou pertinentes para um processo em particular. Diversos tipos de dados podem ser utilizados para representar esses fatos (ver Tabela 5.1).

Ver todos os capítulos
Medium 9788536304489

7 - Implementação de sistemas de informação

Nicolas Audy, Jorge Luis Grupo A PDF Criptografado

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

135

7

Implementação de sistemas de informação

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

1.

caracterizar as etapas do ciclo de vida dos sistemas de informação;

2.

conceituar implementação de sistemas de informação;

3.

caracterizar as abordagens de implementação de sistemas de informação adotadas pelas organizações;

4.

mostrar o sucesso da implementação de sistemas de informação;

5.

caracterizar as medidas de avaliação do sucesso de sistemas de informação;

6.

assinalar as principais áreas de problemas dos sistemas de informação;

7.

caracterizar um modelo de avaliação da efetividade dos sistemas de informação.

O CICLO DE VIDA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

A necessidade de informações faz com que a organização implemente sistemas de informação que, com o passar do tempo, podem não mais atender às necessidades organizacionais, fazendo com que novas soluções tenham de ser buscadas, num processo denominado “ciclo de vida”. O ciclo de vida do sistema é o processo evolucionário constituído de fases pelas quais um sistema passa desde seu planejamento até sua obsolescência e conseqüente necessidade de replanejamento, originando um novo sistema.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577808397

5 Como fazer a transformação

Ulrich, Dave Grupo A PDF Criptografado

92

Parte I – Um Manual para a Transformação do RH

Nas linhas horizontais, agrupamos o trabalho de RH em quatro categorias: pessoas, desempenho, comunicação e trabalho. Essa tipologia sintetiza a variada e complexa série de práticas de RH que representam o manual de estratégia de RH para hoje e para amanhã. Se o RH deve ser uma ciência de decisão, como John Boudreau e Peter Ramstad o descrevem, todos esses domínios da prática de RH precisam ser refinados e uma pesquisa deve ser feita, organizada e reunida. Nas colunas identificamos três maneiras de reformular as práticas de RH: alinhamento, integração e inovação. Quando combinadas, essas duas dimensões traçam um plano ou roteiro de como melhorar as práticas de RH. Transformar o RH é melhorar todas as práticas de RH de maneira alinhada, integrada e inovadora. Como observamos no Capítulo 1, quando as práticas de

RH são minuciosamente definidas, a transformação fica limitada (por exemplo, focando só no talento ou só na pessoa), ou quando as práticas de RH são alinhadas com a estratégia, mas não são expressas como um todo integrado.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577808397

12 Takeda North America: Criando capacitações em uma subsidiária de crescimento acelerado

Ulrich, Dave Grupo A PDF Criptografado

TAKEDA NORTH AMERICA:

CRIANDO CAPACITAÇÕES

EM UMA SUBSIDIÁRIA DE

CRESCIMENTO ACELERADO

12

Laurene Bentel

Sandy Mitsch

Antecedentes

H

á mais de dois séculos, uma pequena farmácia foi aberta em Doshomachi, Osaka, Japão, para fornecer medicamentos aos comerciantes e médicos locais. Este foi o começo da atual Takeda Pharmaceutical Company Limited, a maior indústria farmacêutica do Japão. Muitas gerações mais tarde, em 1998, foi criada a Takeda Pharmaceuticals North America,

Inc. (TPNA), subsidiária da Takeda Pharmaceutical Company Limited.

Fundada para acelerar a expansão global da Takeda no mercado dos

Estados Unidos, a TPNA começou com três funcionários e hoje emprega mais de 5.000 pessoas. A TPNA foi criada com a introdução de ACTOS®*, um antidiabético oral. Nossa missão é simples e estimulante. Dedicamo-nos a atender os pacientes fornecendo produtos inovadores para melhorar sua qualidade de vida com melhor assistência médica. Nosso compromisso com os pacientes, funcionários, parceiros e a grande comunidade sustenta o objetivo de ampliar o tremendo sucesso de que desfrutamos como uma das quinze maiores indústrias farmacêuticas dos Estados Unidos. Este capítulo apresenta uma perspectiva única da transformação do RH em uma pequena mas progressiva subsidiária de uma grande empresa internacional.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536303062

1. Introdução aos Eventos

Watt, David C. Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

1

Introdução aos Eventos

O dicionário define evento como sendo “qualquer coisa que aconteça, diferentemente de qualquer coisa que exista” ou “uma ocorrência, especialmente de grande importância”. Essas definições especificam o assunto deste texto – eventos – como coisas importantes que acontecem. As definições são bastante amplas, mas devem ser abrangentes para permitir sua universalidade, inata no caso do campo de lazer e turismo, que será abordado a seguir. Podemos tratar desde eventos realizados em pequenas comunidades até espetáculos internacionais com participantes de todo o mundo.

Outras definições:

Um evento especial é um fato que ocorre uma vez na vida, voltado a atender necessidades específicas em um determinado momento.

Os eventos de comunidades locais podem ser definidos como atividades estabelecidas para envolver a população local em uma experiência compartilhada, visando seu benefício mútuo.

(Wilkinson)

Ou ainda, tomemos a definição de Goldblatt:

Um evento especial reconhece um momento único no tempo, com cerimônia e ritual, para satisfazer necessidades específicas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536303062

7. Práticas de Gestão de Eventos

Watt, David C. Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

7

Práticas de

Gestão de Eventos

Este capítulo descreve alguns casos de organização de eventos, assim como dispositivos e procedimentos para a sua implementação prática. Os primeiros seis capítulos já apresentaram estruturas gerenciais, organizacionais e financeiras que devem ser consideradas. Aqui, ilustraremos a forma como o processo é desenvolvido, apresentando estudos de caso e métodos utilizados por profissionais em atividades concretas.

Os dados apresentados foram obtidos a partir de diversas fontes; muitos deles foram elaborados por mim, outros foram produzidos por pessoas que trabalham na área. Todas as autorias estão devidamente registradas, mas devo agradecer sinceramente a cada indivíduo e organização por permitir que seu trabalho seja publicado, contribuindo com outros profissionais e estudantes na busca de excelência na produção de eventos. Este capítulo visa a apresentar a boa prática bem como dados reais àqueles que trabalham com eventos, para que tais experiências possam ser adequadamente adaptadas à sua própria situação.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577808380

5. O Setor Alimentício se Adapta

Aaker, David Grupo A PDF Criptografado

122

Relevância de Marca

Além de cientistas e gurus da saúde, o governo tem uma função no discurso, pois ele valida ou se opõe a certas posições, comunica ideias e regula produtos. Um estudo da função de gurus, cientistas e governos, além de ajudar e dar contexto às estratégias das empresas do setor alimentício, também demonstra por que não é fácil prever e interpretar tendências. As tendências são poderosas, ambíguas e complexas e costumam flutuar.

As lições do setor alimentício sobre como lidar com tendências podem ser aplicadas a outras atividades. Todos os setores enfrentam o desafio de identificar, compreender, prever e às vezes influenciar as tendências que afetam os mercados. Os lojistas lidam com as tendências da moda, o desenvolvimento de materiais em vestuário, as preferências dos consumidores e assim por diante. A indústria automobilística precisa enfrentar questões de tecnologia, regulamentações governamentais, tendências de estilo, preferências dos consumidores, demografia e muito mais.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577808380

10. Mantendo a Relevância em meio à Dinâmica do Mercado

Aaker, David Grupo A PDF Criptografado

266

Relevância de Marca

Walmart

Em 2005, a Walmart estava em ascensão.1 Suas vendas chegavam a quase 300 bilhões de dólares, quase três vezes o valor de 10 anos antes. No mesmo período, o número de lojas tinha passado de 3 mil para cerca de 5 mil, e a área média de cada loja também crescera. Entretanto, a empresa enfrentava algumas dificuldades persistentes, às vezes acompanhadas de boicotes e processos judiciais, que estavam sempre na mídia.

Quatro pontos se destacavam. Primeiro, a Walmart tinha a reputação, alimentada pelos sindicatos, de tratar seus funcionários de modo injusto, com programas de seguro de saúde inadequados, salários baixos (descritos por algumas pessoas como abaixo do nível de subsistência) e discriminação contra trabalhadores do sexo feminino, uma série de políticas que, segundo os críticos, incentivava ou até forçava a concorrência a fazer o mesmo. Segundo, a aquisição de produtos na China e em outros países, que afetava o déficit comercial dos EUA, exportava empregos e evocava o espectro da exploração dos trabalhadores, era resultado em parte do foco da Walmart em custos baixos, considerado uma obsessão por alguns críticos. Terceiro, alguns eleitores e políticos locais acreditavam que a chegada da Walmart em uma região fazia com que pequenos comerciantes fossem à falência e criava aumentos indesejáveis no trânsito e no crescimento urbano. Quarto, havia histórias sobre como a Walmart fazia exigências em termos de preços e marcas que os fornecedores que dependiam das compras da rede eram forçados a fazer concessões em suas marcas e produtos, transferir a produção para o exterior e até fechar as portas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577808380

Epílogo: O Yin e o Yang da Batalha por Relevância

Aaker, David Grupo A PDF Criptografado

Epílogo

O Yin e o Yang da Batalha por Relevância

Não acabou até ter acabado.

—Yogi Berra

A

s dinâmicas do mercado e as opções estratégicas discutidas neste livro precisam ser colocadas em perspectiva. A batalha pela criação e manutenção da relevância de marca e por deixar os concorrentes para trás está ligada a um yin e a um yang. Precisamos analisar o lado ruim de uma estratégia orientada por relevância, não apenas o bom.

É verdade que a criação de novas categorias e subcategorias costuma envolver recompensas enormes. A concorrência sem concorrentes, ou então com adversários reduzidos ou enfraquecidos, é muito mais lucrativa do que uma guerra por preferência de marca, além de muito mais agradável. Mesmo que o período favorável na área competitiva seja limitado, ele ainda pode criar um fluxo de lucros, momento de mercado e base de clientes muito vantajosos

à medida que os concorrentes se tornam relevantes.

Também é verdade que o índice de empresas que têm sucesso na criação de espaços com pouca ou nenhuma concorrência é alta. Este livro explorou dezenas de casos do tipo, mas estes representam apenas uma pequena parcela do total. Podemos encontrar uma série de casos semelhantes aos da minivan da Chrysler, da Enterprise Rent-A-Car, da Go-Gurt da Yoplait, da SoBe, da

Ver todos os capítulos

Carregar mais