6 capítulos
Medium 9788521622895

Capítulo 12 - Controle do Movimento de Ar: Contenção, Visualização e Recuperação

WHYTE, William Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

12

Controle do Movimento de Ar:

Contenção, Visualização e Recuperação

Será necessário, ao testar uma sala limpa, demonstrar que o fluxo de ar dentro da sala limpa ou entre salas limpas está correto. Isso pode ser realizado por meio dos seguintes ensaios:

1. Ensaio da integridade da contenção para mostrar que nenhuma contaminação em suspensão no ar vem de áreas menos limpas para a sala limpa;

2. Métodos de visualização para mostrar que o ar se movimenta na direção correta;

3. Ensaios de recuperação para mostrar que, em salas limpas de fluxo de ar não unidirecional, a contaminação em suspensão no ar é rapidamente removida após contaminação.

Vamos agora analisar estes ensaios.

12.1

ENSAIO DE INTEGRIDADE DA CONTENÇÃO DE SALAS

LIMPAS

Para mostrar que uma sala limpa está funcionando corretamente, é necessário demonstrar que a contaminação não se infiltra na sala limpa oriunda de áreas adjacentes mais

123

Ver todos os capítulos
Medium 9788577802364

3 Lei de Ohm e Potência

Milton Gussow Grupo A PDF Criptografado

Capítulo 3

Lei de Ohm e Potência

O CIRCUITO ELÉTRICO

Na prática um circuito elétrico é constituído de pelo menos quatro partes: (1) uma forma de força eletromotriz

(fem), (2) condutores, (3) uma carga e (4) instrumentos de controle (Figura 3-1). A fem é a bateria, os condutores são os fios que interconectam as várias partes do circuito e conduzem a corrente, o resistor é a carga e a chave é o dispositivo de controle. As fontes mais comuns de fem são as baterias e os geradores. Os condutores são fios que oferecem uma baixa resistência à passagem da corrente. O resistor de carga representa um dispositivo que utiliza energia elétrica, como por exemplo uma lâmpada, uma campainha, uma torradeira de pão, um rádio ou um motor.

Os dispositivos de controle podem ser chaves, resistências variáveis, fusíveis, disjuntores ou relés.

Condutor (fio)

Carga

(resistor)

Força eletromotriz

(bateria)

Controle (chave)

Condutor (fio)

Figura 3-1 Circuito fechado.

Um circuito fechado ou completo (Figura 3-1) consiste num percurso sem interrupção para a corrente; desde a fem, passando pela carga e voltando à fonte. Um circuito é denominado de incompleto ou aberto (Figura 3-2a) se houver uma interrupção no circuito que impeça a corrente de completar o seu percurso.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521615361

CAPÍTULO 3 - CORRENTE ELÉTRICA E LEI DE OHM

Silva Filho Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

CORRENTE ELÉTRICA E LEI DE OHM

3.1 MATERIAIS CONDUTORES E MATERIAIS ISOLANTES

A força de atração entre o núcleo e os elétrons das órbitas mais externas de determinados átomos é muito fraca. Esses elétrons podem ser facilmente libertados dos átomos, e por isto são chamados de elétrons livres.

Um material condutor possui elétrons livres em grande quantidade, gastando-se pouca energia para colocá-los em movimento. A qualidade de um condutor é avaliada em função do número de elétrons livres que podem ser deslocados, para uma dada energia fornecida.

São exemplos de materiais condutores: ouro, prata, cobre, alumínio, zinco, ferro etc. Em sua maioria, os metais comuns são relativamente bons condutores. O carvão também é um bom condutor.

Os materiais que têm um número muito pequeno de elétrons livres são os isolantes. Nesses materiais, é necessário gastar muito mais energia para libertar os elétrons de suas órbitas externas nos átomos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521617594

6. Cerâmicas e Materiais à Base de Carbono

James A. Newell Grupo Gen PDF Criptografado

6

Cerâmicas e Materiais à

Base de Carbono

PhotoAlto /

SUPERSTOCK

006newlNOVO.indd 162

5/30/10 12:53:19

S U M Á R I O

O que São Materiais Cerâmicos?

6.1

Estruturas Cristalinas em Cerâmicas

Quais São os Usos Industriais das Cerâmicas?

6.2

6.3

6.4

6.5

6.6

6.7

6.8

Abrasivos

Vidros

Cimentos

Refratários

Argilas Estruturais

Louças Brancas

Cerâmicas Avançadas

O que Acontece com os Materiais Cerâmicos ao Final de Suas Vidas Úteis?

6.9

Reciclagem dos Materiais Cerâmicos

O Grafite É um Polímero ou uma Cerâmica?

6.10

Grafite

Outros Materiais à Base de Carbono Apresentam Propriedades Incomuns?

6.11

6.12

6.13

Diamante

Fibras de Carbono

Fulerenos e Nanotubos de Carbono

Objetivos do Aprendizado

Ao final deste capítulo, um estudante deve ser capaz de:

• Definir um material cerâmico e identificar características físicas e mecânicas comuns às cerâmicas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521615361

CAPÍTULO 11 - FORÇA ELETROMOTRIZ INDUZIDA E LEI DE LENZ

Silva Filho Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

11

Força Eletromotriz Induzida e Lei de Lenz

11.1 FORÇA ELETROMOTRIZ INDUZIDA

A corrente elétrica pode, também, ser produzida a partir do magnetismo.

Se um condutor é submetido a um campo magnético variável, entre suas extremidades aparece uma diferença de potencial que é chamada força eletromotriz induzida.

A força eletromotriz induzida surge, por exemplo, quando um condutor é aproximado ou afastado de um

ímã em repouso e também se o condutor for mantido estacionário e o ímã se aproximar ou se afastar dele.

Há, então, um movimento relativo entre o condutor e o campo magnético. Isto produz um deslocamento das cargas elétricas no condutor: em um de seus terminais há excesso de elétrons e, no outro, deficiência

— caracterizando-se, portanto, uma diferença de potencial.

Esse fenômeno recebe o nome de indução eletromagnética, e sua descoberta coube a Michael Faraday, em 1831.

11.2 LEI DE LENZ

Heinrich Lenz estudou o sentido da f.e.m. induzida descoberta por Faraday. Sua conclusão, conhecida como lei de Lenz, diz que:

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos