5394 capítulos
Medium 9788521627210

6 - GESTÃO DE DESEMPENHO

José Ranieri Ribeiro Cavalcante Grupo Gen PDF Criptografado

6

GESTÃO DE

DESEMPENHO

6.1 Introduç ão

A denominação genérica gestão de desempenho

é utilizada em telecomunicações comumente para designar um conjunto de atividades que visam estabelecer e/ou medir a qualidade do sistema de telecomunicações colocado à disposição dos usuários e do negócio.

Essas medidas têm a função de mostrar para a

área de telecomunicações, proativa ou reativamente, os problemas a serem tratados e as oportunidades de melhoria.

O ambiente de telecomunicações ao qual nos referimos no Capítulo 4 (Figura 4.1, reproduzida aqui como Figura 6.1) deve ser visto e tratado como um sistema.

Book Cavalcante.indb 74

15/08/14 12:40

G ESTÃO DE DESEMP EN HO

75

Figura 6.1 Ambiente típico de empresa usuária de telecomunicações.

Essa abordagem admite a utilização de conceitos e metodologias para tratamento de sistemas, o que nos permitirá contar com uma forma consistente de abordar o assunto.

Segundo Churchman (1971),

Ver todos os capítulos
Medium 9788536530413

Capítulo 15: Junções do Eixo Árvore com o Cubo

Sarkis Melconian Editora Saraiva PDF Criptografado

Corrente ASA D 50

Engrenagens

Pinhão: do1 = 136,75mm dk1 = 145,59

dg1 = 135,82mm df1 = 126,49

Coroa:

do2 = 267,98mm dg2 = 266,17mm dk2 = 277,12mm

df2 = 257,71mm

Lubrificação:

p = 3,63kgf/mm2

Óleo a ser utilizado:

318

v = 60 cSt

Elementos de Máquinas

15

Junções do Eixo

Árvore com o Cubo

15.1  Valores de Referência

Valem para eixos com material ST 42.

Comprimento do cubo

 = 2x ⋅ 3 M T

Espessura do cubo

 = 2y ⋅ 3 M T

Em que: l -

MT - x e y -

S -

comprimento do cubo [mm] torque [N.mm] fatores de serviço espessura do cubo [mm]

15.1.1 Fatores x e y

Tabela 15.1

Material do cubo

Tipo de ajuste

Fofo cinzento x

Aço y

x

y

Ajuste a quente, prensado ou cônico

0,42 - 0,53

0,21 - 0,30

0,21 - 0,35

0,18 - 0,26

Ajuste de cunha de mola ou de aperto

0,53 - 0,70

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532936

ANEXO C

André Nunes de Souza, José Eduardo Rodrigues, Reinaldo Borelli, Benjamim Ferreira de Barros Editora Saraiva PDF Criptografado

ANEXO207

Apêndice A – Ensaio de Continuidade Elétrica das Armaduras

C

208

SPDA – Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas

Item/Subitem

Código

Infração

10.2.3

210.003-7

3

10.2.4

210.045-5

4

10.2.4 “b”

210.006-1

2

10.2.4 “f”

210.125-4

2

10.3.4

210.135-1

3

10.3.8

210.003-9

2

10.3.9 “a”

210.139-4

2

10.4.4

210.046-0

3

10.9.1

21091-6

3

10.9.2

210.161-0

3

10.9.3

210.162-9

3

10.9.4

210.094-0

3

10.14.5

210.169-6

1

[...]

10.2.3 As empresas estão obrigadas a manter esquemas unifilares atualizados das instalações elétricas dos seus estabelecimentos com as especificações do sistema de aterramento e demais equipamentos e dispositivos de proteção.

10.2.4 Os estabelecimentos com carga instalada superior a 75 kW devem constituir e manter o

Ver todos os capítulos
Medium 9788536512143

Agora é com você!

Sarkis Melconian Editora Saraiva PDF Criptografado

Fique de olho!

Nunca é demais prestar atenção na hora de comprar cabos de aço. Sua segurança e a segurança de seu trabalho têm de estar acima de tudo!

Vamos recapitular?

Neste capítulo você aprendeu a composição dos diferentes tipos de cabos, as indicações de cada tipo para o projeto que está sendo elaborado, bem como os conceitos para o dimensionamento visando a segurança no transporte de cargas.

Agora é com você!

1) A ponte rolante representada na figura será projetada para deslocar carga de 30 tf.

Dimensionar o cabo de levantamento da carga. O projeto prevê o trabalho com cargas frias. Utilizar cabo 6 × 41 Warrington Seale (AF) IPS. Dimensionar o tambor utilizando a relação recomendada para o projeto.

Qual o coeficiente segurança (k) do cabo? t f ≅ 10 kN

Moitão

Guincho

Cabos de Aço

159

2) O guindaste da figura, será projetado para transportar uma carga máxima Qmáx = 2 tf.

O cabo recomendado é 6 × 25 Filler AACIPS.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715253

7.4 Processamento por campo elétrico pulsado

P. J. Fellows Grupo A PDF Criptografado

380   PARTE II   Processamento em temperatura ambiente

UV e feixes de elétrons) que aumentam a produção de radicais hidroxila foi investigada para melhorar a eficácia da desinfecção (Sommer et al., 2004). Um tratamento combinado de ozônio e peróxido de hidrogênio durante 4 min produziu uma redução de 6 log em três vírus e em E. coli, mas um tratamento de 10 min foi necessário para fornecer uma redução de 1,5 log em esporos de

B. subtilis. O tratamento combinado de ozônio e UV reduziu o tempo de tratamento necessário para inativar os esporos de quatro cepas de Bacillus spp. e seis cepas de Clostridium spp.

(Urakami et al., 1997). Uma ação sinergética antimicrobiana também foi encontrada quando células de E. coli 0157:H7, Listeria monocytogenes e Lactobacillus leichmannii foram pré-tratadas com ozônio, seguido de processamento por campo elétrico pulsado (PEF, do inglês pulsed electric field) (Unal et al., 2001). Mahapatra et al. (2005) fizeram uma revisão sobre o uso combinado de ozônio, bacteriocinas e irradiação durante o processamento.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos