3822 capítulos
Medium 9788521622895

Capítulo 9 - Filtragem de Ar de Alta Eficiência

WHYTE, William Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

9

Filtragem de Ar de

Alta Eficiência

9.1

FILTROS DE AR UTILIZADOS EM SALAS LIMPAS

O ar fornecido a uma sala limpa precisa ser filtrado para assegurar a remoção de todas as partículas e os microrganismos. Até o início dos anos 1980, somente filtros de alta eficiência (HEPA) eram utilizados para filtrar o ar de salas limpas, já que estes eram os filtros de ar mais eficientes disponíveis. Um filtro HEPA eliminaria pelo menos

99,97% das partículas de maior penetração. Hoje, filtros HEPA ainda são utilizados na maioria das salas limpas para remover microrganismos e partículas inertes no ar insuflado.

A produção de circuitos integrados e outros dispositivos evoluiu de tal forma que filtros mais eficientes do que filtros HEPA são necessários para assegurar que menos partículas passem pelos filtros de ar e para dentro da sala limpa. Filtros mais eficientes são utilizados e estes são conhecidos como Filtros de Ar de Ultrabaixa Penetração (ULPA).

Ver todos os capítulos
Medium 9788521622857

1 - Contexto de Instrumentação

BHUYAN, Manabendra Grupo Gen PDF Criptografado

1

Contexto de Instrumentação

1.1 Introdução

Devido à necessidade e à curiosidade, o homem tenta aprender e entender o ambiente onde vive. A necessidade vem da vontade de tornar a vida do homem confortável, ao passo que a curiosidade leva à exploração de fatos desconhecidos. No mundo científico e tecnológico, a aprendizagem e a compreensão dos diversos fenômenos da natureza, do universo, do espaço, ou de objetos de origem humana exige a compreensão do estado, quantidade e valor de vários fatores que afetam seu fenômeno. Adquirir o conhecimento do estado, da quantidade e do valor de vários fatores é denominado medição. Os fatores não podem ser explorados plenamente a menos que a necessidade ou requisito possam ser quantificados.

Do mesmo modo, uma sensação de alívio não pode ser obtida por uma mente curiosa, a menos que os fatos possam ser explorados. Exploração precisa da quantificação da informação. No entanto, a quantificação, precisa, rápida e inteligente é sempre apreciada e, portanto, o homem sempre se esforça para obtê-la.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536317724

Capítulo 25. Regulação da osxidação de ácidos graxos: recrutamento de ácidos graxos do tecido adiposo

J. G. Salway Grupo A PDF Criptografado

Regulação da oxidação de ácidos graxos: recrutamento de ácidos graxos do tecido adiposo

25

carboxilase-α pela fosforilação da serina 77. Também, a proteína-cinase dependente de AMP, que é ativada ao perceber o baixo estado energético das células quando o ATP é hidrolisado a AMP, fosforila as serinas 79, 1.200 e 1.215. Além disso, como uma adaptação a longo prazo a jejum prolongado, o cortisol estimula a síntese de HSL, desse modo aumentando sua concentração e atividade.

Já em estado pós-prandial, HSL é inibida pela insulina.

Durante exercícios, períodos de estresse ou jejum prolongado, as reservas de triacilglicerol do tecido adiposo são mobilizadas sob a forma de ácidos graxos para a oxidação como combustível da cadeia respiratória. Esse processo é análogo à mobilização de glicogênio como unidades de glicose; isso ocorre sob circunstâncias similares e sob controle hormonal semelhante.

Ácido graxo é um substrato energético muito importante no músculo vermelho. No fígado, são metabolizados a corpos cetônicos. Dado serem hidrofóbicos, os ácidos graxos são transportados no sangue ligados a albumina.

Ver todos os capítulos
Medium 9788580552010

Capítulo 3: Propriedades das Substâncias Puras

Yunus A. Çengel; Michael A. Boles Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

3

P ropriedades das

S ubs tâncias P u ra s

OBJETIVOS

I

niciamos este capítulo com a introdução do conceito de substância pura e com uma discussão sobre a física dos processos de mudança de fase. Em seguida, ilustramos os diversos diagramas de propriedades e as superfícies P-v-T das substâncias puras. Após a demonstração do uso das tabelas de propriedades, discutimos a substância hipotética gás ideal e a equação de estado do gás ideal.

Apresentamos o fator de compressibilidade, que leva em conta o desvio entre o comportamento dos gases reais e o do gás ideal, e algumas das equações de estado mais conhecidas, como as equações de van der Waals, Beattie-Bridgeman e

Benedict-Webb-Rubin.

Ao término deste capítulo, você será capaz de:

Apresentar o conceito de substância pura.

Discutir a física dos processos de mudança de fase.

Ilustrar os diagramas de propriedades P-v, T-v e P-T e as superfícies P-v-T das substâncias puras.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521625940

13 Noções de Luminotecnica

CREDER, Hélio Grupo Gen PDF Criptografado

Creder — Prova 4 — 23/7/2015 — Maluhy&Co. — página 345



Noções de Luminotécnica

. Lâmpadas e Luminárias

As lâmpadas fornecem a energia luminosa que lhes é inerente com auxílio das luminárias, que são os seus sustentáculos, através das quais se obtêm melhor distribuição luminosa, melhor proteção contra as intempéries, permitem ligação à rede, além de proporcionarem aspecto visual agradável e estético.

Basicamente, as lâmpadas elétricas pertencem a três tipos:

• incandescentes;

• descargas;

• estado sólido – LED (Light Emitting Diode).

As lâmpadas incandescentes de uso geral, devido ao baixo rendimento luminoso, estão sendo retiradas do mercado mundial. Para tanto os Ministérios de Minas e Energia, de Ciência e Tecnologia e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior editaram a Portaria Interministerial no- ., de //, que prevê a retirada progressiva dessas lâmpadas.

A portaria previu que, a partir de  de junho de  até  de junho de , e não surgindo nenhuma nova tecnologia que permita que essas lâmpadas se tornem mais eficientes, as lâmpadas incandescentes serão paulatinamente descontinuadas no mercado brasileiro.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos