2709 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788536532202

6.3 EVOLUÇÃO DO ROTOR E DA PÁ AERODINÂMICA

Milton De Oliveira Pinto Editora Saraiva PDF Criptografado

O uso de quatro a cinco pás tem a desvantagem do alto custo, visto que o rotor corresponde a cerca de 20%, e cada pá, a cerca de 6% do custo total do equipamento, que, no entanto, não chega a ser compensado com maior eficiência. Por experiências práticas, por outro lado, comprovou-se que rotores com uma ou duas pás têm desvantagem no que diz respeito a dinâmica, vibrações e emissões acústicas, além de uma desvantagem ótica e estética, que culmina em uma menor aceitação por parte da população vizinha a turbinas e parques eólicos. Este último ponto só não tem relevância para instalações offshore. As vantagens correspondem à redução de massa e peso do rotor e de todo o conjunto rotor e nacele, visto que os componentes na nacele se beneficiam de um rotor mais leve. Cálculos levaram a uma redução de 20 a 25% na massa do conjunto rotor-nacele, vantagem que, no entanto, é compensada pela redução da eficiência aerodinâmica do rotor (HAU, 2013).

A solução com três pás mostra-se, assim, como o compromisso ótimo ao considerar todos esses requisitos. As TEC das classes Megawatt e Multi-MW com três pás apresentam um valor λ = 6 .. 9 no ponto ótimo de operação de projeto

Ver todos os capítulos
Medium 9788521620532

CAPÍTULO 7 - Óleo Diesel

Marco Antônio Farah Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

7

Óleo Diesel

7.1 DEFINIÇÃO

O óleo diesel é definido como o derivado do petróleo constituído por hidrocarbonetos de 10 a 25 átomos de carbono com faixa de destilação, comumente situada entre 150 oC e 400 oC, que apresenta um conjunto de propriedades que permite a sua adequada utilização, majoritariamente, em veículos movidos por motores que funcionam segundo o ciclo Diesel. Esse combustível destaca-se como o mais usado no país, principalmente no setor rodoviário, em função da matriz de transporte brasileira. O óleo diesel comercializado no Brasil recebe adição de biodiesel por força de lei federal, em porcentagem definida e regulamentada pela

ANP – Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

7.2 CONSTITUIÇÃO DO ÓLEO DIESEL

Os hidrocarbonetos parafínicos são os constituintes do óleo diesel que apresentam as melhores características de combustão, e, inversamente, os aromáticos são os hidrocarbonetos menos desejáveis, por apresentarem baixa qualidade de ignição, no motor diesel. Não há, atualmente, nas especificações do

Ver todos os capítulos
Medium 9788536526867

2 - Técnicas de Análise de Risco

CASTRO, Bruno Albuquerque de Editora Saraiva PDF Criptografado

2

Técnicas de

Análise de Risco

Para começar

Neste capítulo avançaremos o estudo da Segurança em Eletricidade, verificando aspectos da

Análise de Risco, seja por meio da documentação que a representa, seja analisando os métodos e sistemas de organização que podem ser empregados para mitigar seus efeitos ou mesmo evitá-los.

Inicialmente, é necessário definir o que é risco e distingui-lo de perigo, pois ambos são facilmente confundidos.

Risco é uma medida da perda ou dano, podendo ser econômico, ambiental ou da vida humana.

Relaciona-se diretamente à frequência dessa perda ou dano e à magnitude que atinge. Usualmente, o risco é definido como o produto da probabilidade de ocorrer um evento pela sua consequência

(VIANNA, 2015).

Já o perigo se refere a condições com possibilidade de causar danos, isto é, algumas vezes as próprias condições do ambiente e da natureza do trabalho podem ser classificadas como perigo, porém, o risco pode ser diminuído mediante medidas de segurança.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536526867

1 - Riscos em Instalações e Serviços comEletricidade

CASTRO, Bruno Albuquerque de Editora Saraiva PDF Criptografado

Riscos em

Instalações e

Serviços com

Eletricidade

1

Para começar

Este capítulo trata da importância, nos sentidos de valor e responsabilidade, das instalações elétricas, seus serviços correspondentes e os profissionais envolvidos, apresentando conceitos e os riscos subsequentes.

A eletricidade é algo essencial para a vida das pessoas, sem a qual não seria possível a criação de computadores, eletrodomésticos, aquecedores e outros avanços tecnológicos que auxiliam e melhoram a qualidade de vida do ser humano. Porém, a exposição diária à eletricidade pode resultar em alguns riscos para as pessoas quando utilizada de modo inadequado. Sendo o choque elétrico seu principal risco, cabe uma abordagem pormenorizada.

1.1 Choque elétrico

Para discorrer sobre choque elétrico é necessário, primeiro, elucidarmos o que é corrente elétrica.

Corrente elétrica é o deslocamento, em mesmo sentido e direção, de elétrons livres por um condutor, quando existe uma diferença de potencial entre seus polos (um polo apresenta maior potencial do que o outro). Exemplos em que podem ser facilmente observados esses polos são os geradores de eletricidade, como pilhas e baterias.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

1.2 Cenário atual e objetivos do eSocial

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

22

eSocial prático para Gestores

1.2 Cenário atual e objetivos do eSocial

Os empregadores cumprem uma série de atividades, sendo obrigados a preencher diversas declarações e documentos. Algumas dessas informações ocorrem mensalmente, outras anualmente, ou mesmo tempestivamente. Essa variação nos formatos dos dados e nas datas de envio torna a análise de dados difícil para o Fisco, além de provocar erros e facilitar fraudes. Para exemplificar, basta imaginar a quantidade de erros nos dados enviados da Guia de Fundo de Garantia e Informações à Previdência Social (Gfip)/Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS (Sefip) em relação as informações enviadas à

Previdência Social.

Em 2013, o Banco Mundial publicou um estudo com base em dados do ano anterior, que contemplou o tempo gasto pelas empresas para lidar com tributos diretos, indiretos e obrigações trabalhistas em diversos países. Dos 185 países analisados, o Brasil ficou em primeiro lugar como o país que mais gasta tempo para lidar com essas obrigações (2.600 horas/ano).

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

Vamos praticar!

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

O Que é eSocial?

31

Vamos praticar!

1. Quais órgãos do governo estão envolvidos no projeto eSocial?

2. Marque V para as sentenças verdadeiras e F para as falsas:

(    ) O eSocial unificará o envio de informações dos empregadores ao governo.

(    ) Todos os empregadores serão obrigados a implantar o eSocial, exceto o

Microempreendedor individual (MEI).

(    ) O eSocial possui a seguinte estrutura de eventos: eventos iniciais, eventos finais e eventos periódicos.

(    ) �Um dos objetivos do eSocial é reduzir os custos operacionais, por simplificar e padronizar a entrega das informações.

(    ) Entre os objetivos do eSocial está a redução da inadimplência, da incidência de erros, da sonegação e da fraude.

(    ) O eSocial deverá acarretar em redundância nas informações prestadas ao governo.

(    ) �Microempresas e empresas de pequeno porte terão à disposição um sistema eletrônico on-line gratuito, que possibilitará a geração e a transmissão dos arquivos do eSocial.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

Vamos praticar!

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

62

eSocial Prático para Gestores

Vamos praticar!

1. Quais são os primeiros eventos que devem ser transmitidos para implantação do eSocial? Explique.

2. Marque V para as sentenças verdadeiras e F para as falsas:

(    ) O agrupamento e a classificação das informações em eventos permitirão a criação de um sequenciamento dos dados com o relacionamento entre eles, de modo que, se um evento for enviado e depender de outro evento, ele será rejeitado pelo ambiente do eSocial.

(    ) Antes de aceitar o arquivo “admissão” (evento S-2200), será verificado pelo sistema do eSocial, entre outras informações, se o local de trabalho foi cadastrado no evento S-1005.

(    ) Os eventos periódicos têm periodicidade definida para a ocorrência e devem ser transmitidos até o 9o dia do mês seguinte.

(    ) Os eventos não periódicos são compostos por informações da folha de pagamento, fatos geradores de contribuições previdenciárias e retenção de impostos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

4.5 Declaração de débitos e créditos tributários federais (DCTF Web)

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

Como Ficam os Pagamentos?

83

4.4.1 Auditoria da folha de pagamentos

O eSocial permitirá aos empregadores um trabalho minucioso sobre a sua folha de pagamentos. Talvez seja a grande oportunidade de se fazer uma auditoria para avaliar o funcionamento dos pagamentos e sugerir melhorias. Tudo aquilo que interfere ou gera pagamentos poderá ser revisado, como registro do ponto, férias, folha de pagamento, admissão, rescisão, participação nos lucros, 13o salários etc.

Temos muitos detalhes que começam na admissão e vão passando pelas rotinas mensais, e que às vezes acabam para alguns trabalhadores no momento da rescisão. Como o eSocial absorverá diversas obrigações enviadas para o governo (Caged, Rais, Sefip,

INSS, FGTS, Dirf, IRRF) e o prazo para a entrega dessas informações ficará curto, o momento atual permitirá às organizações uma auditoria da folha de pagamentos.

Mas o que está envolvido em uma auditoria da folha de pagamentos?

• r evisar todos os documentos exigidos pelos entes participantes do projeto do eSocial atualmente;

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

Vamos praticar!

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

88

eSocial Prático para Gestores

Vamos praticar!

1. Marque V para as sentenças verdadeiras e F para as falsas:

(    ) A partir do momento em que o eSocial entrar em vigor, as informações da folha de pagamento continuarão a existir; o que mudará é a sequência e a forma de prestação dessas informações.

(    ) �Antes de enviar o primeiro arquivo de pagamento, recomenda-se que sejam enviadas as informações dos eventos periódicos, como é o caso dos afastamentos.

(    ) A abertura de um novo período de pagamento no eSocial ocorre com o primeiro envio do evento S-1200 (Remuneração de trabalhador vinculado ao Regime Geral de Previdência Social) ou mesmo dos eventos S-1210 a

S-1280.

(    ) O empregador deverá enviar o evento S-1200 para todos os trabalhadores remunerados no mês de competência, e esse evento deve ser transmitido até o dia 9 do mês seguinte ao da referência.

(    ) A legislação sobre a marcação de ponto também mudou com o advento do eSocial.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

5.2 Alterações cadastrais e contratuais

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

Histórico Laboral dos Trabalhadores

91

O evento S-2190 não permite nenhuma retificação e somente pode ser excluído. Caso esse evento seja enviado e a admissão informada não se efetive, o empregador terá até o final do dia correspondente à data de admissão informada nesse arquivo para fazer sua exclusão.

Esse evento não poderá ser enviado para trabalhadores sem vínculo empregatício, contratados com natureza permanente, como diretores não empregados, cooperados, autônomos, estagiários etc. Nesse caso, deve ser utilizado o evento S-2300 (Trabalhador Sem Vínculo de Emprego/Estatutário - Início).

Lembrando que o uso do evento S-2190 é opcional. Os empregadores que optarem somente pelo envio do evento S-2200 devem ficar atentos aos seguintes aspectos:

• matrícula do empregado, que deve ser única;

• as admissões devem ser enviadas utilizando-se o CNPJ raiz do empregador, sendo que no campo “nrInsc” deve-se informar o estabelecimento onde o trabalhador ficará locado;

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

6.1 Passo 1 – planejamento do projeto

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

112

eSocial Prático para Gestores

Quando decidimos implantar um projeto, geralmente ficamos mais motivados quando visualizamos os resultados positivos a serem alcançados depois da sua implantação. Em uma organização cuja cultura seja de melhoria contínua, projetos fazem parte do dia a dia. Alguns são mais simples, outros, mais complexos, exigindo planejamento e mais tempo para implantação. De toda forma, projetos mobilizam recursos (pessoas, equipamentos, materiais) e precisam ser implantados a partir de metodologias, a fim de garantir resultados eficazes.

Existem no mercado conceitos e guias que buscam compartilhar as melhores práticas em gestão de projetos (mas não discutiremos isso neste livro). Os passos que apresentaremos a seguir são sugestões que visam facilitar o entendimento e a implantação do projeto eSocial. São pontos importantes, pois todas as organizações, antes de enviar um arquivo, precisarão se organizar internamente, procurar as possíveis falhas e corrigi-las em seus sistemas ou processos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

Vamos praticar!

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

128

eSocial Prático para Gestores

Vamos praticar!

1. No Passo 1 foi sugerido que a alta direção promova o empowerment para que a implantação do eSocial tenha êxito. Quais são as quatro bases fundamentais citadas como parte desse processo?

2. Explique como funciona a matriz de responsabilidade Raci.

3. Qual é o objetivo da ferramenta 5W2H?

4. Para utilizar a metodologia 5W2H na implantação do eSocial, quais perguntas poderão ser feitas para cada um dos eventos?

5. Analisar se os exames admissionais são feitos internamente ou por empresa terceirizada é uma ação que faz parte de qual dos cinco passos apontados no capítulo?

6. Qual é o objetivo do quinto passo sugerido (saneamento de dados)?

7. Explique a aderência às normas trabalhistas e previdenciárias.

8. Qual o risco envolvido na mudança de configurações nos sistemas de folha de pagamento, visando atender às peculiaridades do empregador?

9. Quais são as vantagens das auditorias internas para o eSocial?

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

Apêndice - eSocial: Ameaça ou Oportunidade Para as Organizações?

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

Apêndice

eSocial: Ameaça ou

Oportunidade Para as Organizações?

As inovações trazidas pelo eSocial deverão acarretar grande mudança, pois afetarão a cultura das organizações, de todos os segmentos e tamanhos. Mudar não é fácil para o ser humano, mas ficar na “zona de conforto” é garantia de fracasso; por isso, precisamos estar sempre alertas a isso. Estimular os profissionais a analisar as ameaças e as oportunidades é uma missão dos agentes dessa mudança.

Para Olga Colpo, professora e sócia da PricewaterhouseCoopers,

Ameaça e oportunidade são duas faces da mesma moeda: enquanto uma repousa ao seu lado, a outra vem recebê-lo no amanhecer. Talvez procurar entender o lado da oportunidade como chamamento ao desafio e o caminho da esperança

ESOCIAL_PRATICO_PARA_GESTORES.indb 129

9/28/17 4:56 PM

130

eSocial Prático para Gestores

futura e o lado da ameaça como estímulo para gerar velocidade e o impulso para dimensionar riscos e prosseguir com maior segurança possa ser uma maneira saudável de conviver com essa dicotomia.(CEF),69

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

6.4 Passo 4 – revisar processos, sistemas e políticas de RH

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

Cinco Passos para a Implantação do eSocial

125

• revisar a folha de pagamento, para que os cálculos, recolhimentos dos encargos e contribuições estejam condizentes com a legislação;

• checar se a estrutura de cargos da organização possui correlação com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO);

• revisar os benefícios diretos e indiretos quanto à sua tributação;

• analisar as informações da Segurança e Medicina do Trabalho, em especial aquelas relacionadas às atividades insalubres e perigosas (verificar PPRA, PCMSO, sistemas de controle e fornecimento de EPIs etc.);

• revisar os serviços tomados e prestados, para identificar possíveis riscos de responsabilidade subsidiária e solidária para o empregador;

• analisar o atendimento atual às obrigações acessórias e possíveis correções a fazer nos dados enviados, como Manad, GFIP, Caged, Rais etc.;

• avaliar se as políticas de administração de pessoal, benefícios e remuneração podem continuar com a entrada do eSocial ou se precisam ser revisadas;

Ver todos os capítulos
Medium 9788536523866

6.5 Passo 5 – saneamento dos dados

Mardele Eugênia Teixeira Rezende, Marilene Luzia da Silva, Ricardo Alexander Gabriel Editora Saraiva PDF Criptografado

126

eSocial Prático para Gestores

Se não existe um processo desenhado para determinadas informações, é nesse momento que o processo deverá ser criado. Podemos citar como exemplos de processos que possivelmente foram mapeados nas fases anteriores e que serão corrigidos agora:

• criação de eventos na folha de pagamentos;

• geração da folha de pagamentos;

• processo de admissões, férias, rescisões e afastamentos.

Fique atento!

As auditorias internas, aliadas às ferramentas de qualidades, podem ser excelentes meios para se conhecer e melhorar tudo aquilo que os sistemas esconderam por muitos anos.

Assim, teremos as seguintes atividades neste passo:

• adequar os processos críticos para o eSocial, mapeados no passo anterior (admissão, férias, rescisão, pagamentos etc.);

• rever as políticas de RH, se for o caso;

• acompanhar as atualizações/aquisições de sistemas e corrigir as inconsistências levantadas nos passos anteriores;

Ver todos os capítulos

Carregar mais