60 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788566103113

Capítulo 14 - Inovações Disruptivas

LANGRAFE, Taiguara Editora Empreende PDF Criptografado

Capítulo 14

Inovações

Disruptivas

ADM_.indb 161

03/08/2018 17:15:28

| 162 |  

ADMINISTRAÇÃO

14. �Inovações

Disruptivas

ADM_.indb 162

03/08/2018 17:15:28

• Conceituar Disrupção.

• Descrever o que é Inovação Disruptiva.

• Conhecer casos de empresas que utilizaram a inovação disruptiva.

Ouça a síntese deste capítulo em menos de 5 minutos.

Professor, acesse www.empreende.com.br para obter material complementar com sugestões de atividades e suas aplicações.

Há muitos anos, um jovem chamado Clayton fundou uma startup atuando no mesmo mercado de empresas gigantes, como

DuPont e Alcoa. Ao contrário do que era esperado, a empresa de Clayton, chamada Ceramics Process Systems Corporation, foi a única que teve sucesso no nicho de mercado em que ele atuava. Ou seja, por incrível que pareça, as empresas gigantes do setor não conseguiam ter sucesso, mesmo com muito mais recursos humanos e financeiros. Por que isso aconteceu?

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103205

8. Economia Circular e as Práticas Verdes

YUH CHING, Hong Editora Empreende PDF Criptografado

Capítulo 8

Economia

Circular e as

Práticas

Verdes

ADMINISTRAÇÃO EM PRODUÇÃO E OPERAÇÕES

| 108 |  

8. ��Economia

Circular e as

Práticas Verdes

• Entender a importância da economia circular e da adoção de práticas verdes para a sociedade e para as organizações.

• Saber da existência do sistema de compensação – crédito carbono e a emissão de certificados.

Ouça a síntese deste capítulo em menos de 5 minutos.

Professor, acesse www.empreende.com.br para obter material complementar com sugestões de atividades e suas aplicações.

O tema sustentabilidade começou a chamar a atenção da população a partir da definição de desenvolvimento sustentável elaborada em 1987 pela Comissão Brundtland, da ONU: “O desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações”. O princípio da sustentabilidade aplica-se a um único empreendimento, a uma pequena comunidade e ao planeta inteiro, está em todos os níveis. Para que um empreendimento humano seja considerado sustentável, é preciso que ele seja:

Ver todos os capítulos
Medium 9789724419268

Prefácio

Stuartmill, John Grupo Almedina PDF Criptografado

Prefácio

Em 1806, ano em que John Stuart Mill nasceu em Londres, a Europa encontrava-se quase completamente dominada por

Napoleão. Pode dizer-se que a Inglaterra era o único foco de resistência às pretensões napoleónicas de domínio europeu.

Era de lá que partia sempre a contra-ofensiva; a Inglaterra era, de facto, a alma de todas as coligações diplomáticas e militares contra o expansionismo francês. Neste país, poucas instituições e altas-personalidades foram tocadas pelas ideias da Revolução

Francesa (sabemos bem porquê) ou pelo prestígio pessoal da grande figura de Napoleão, a que, no entanto, não puderam fugir alguns dos grandes homens do século xix, como Dostoievski,

Stendhal, Hegel, etc. Na Autobiografia não há a mais pequena referência à pessoa de Napoleão, um dos ingleses mais típicos do século xix mostra-se de todo indiferente à sua personalidade.

A Autobiografia ajuda-nos a compreender a razão deste alheamento. A educação de John Stuart Mill, sem que ele se aperceba disso, é feita à margem da vida social inglesa, em qualquer dos seus aspectos. E mais tarde, quando já formado intelectualmente, podendo, portanto, orientar-se como entendesse, continua à margem da vida da grande massa da nação. Isto não é desmentido pela atitude que tomou quando membro dos Comuns, muito pelo contrário: é sempre como protector, portanto, como aristocrata que se apresenta. Ora, durante os três primeiros quartéis do século xix em que Stuart Mill vive, a Europa atravessa uma das fases mais críticas do seu desenvolvimento.

Ver todos os capítulos
Medium 9789724419268

CAPÍTULO II. Influências morais que formaram o ambiente dos primeirosanos da minha juventude. Carácter e opiniões de meu pai

Stuartmill, John Grupo Almedina PDF Criptografado

CAPÍTULO II

Influências morais que formaram o ambiente dos primeiros anos da minha juventude.

Carácter e opiniões de meu pai

Na minha educação, como aliás na de toda a gente, as influências morais que maior papel desempenham são as mais complexas e aquelas cuja explicação cabal se torna mais difícil. Não empreenderei a tarefa, quase impossível, de descrever com minúcia as circunstâncias que contribuíram para facetar o meu carácter do ponto de vista moral; limitar-me-ei a tocar em alguns pontos principais que tiveram lugar importante na minha educação e a fazer a sua descrição fiel.

Fui educado sem nenhuma crença religiosa, no sentido que se dá ordinariamente a estas duas palavras. Meu pai tinha sido formado no credo da Igreja Presbiteriana da Escócia, mas, sob a influência dos seus estudos e reflexões, pôs de parte não só a crença na revelação, mas também no que vulgarmente se designa por religião natural. Ouvi-lhe dizer que a revolução operada no seu espírito no domínio religioso datava da época em que tinha lido a Analogia, de Butler. Jamais deixou de falar deste livro e costumava dizer que lhe devia a conservação durante bastante tempo da crença na autoridade divina do Cristianismo; nele encontrava a demonstração de que, se é muito difícil acreditar que o Antigo e o Novo Testamento são, ao mesmo tempo, a obra e a história de um ser soberanamente prudente e bom, mais difícil ainda é acreditar que um ser desta natureza seja o criador do universo. Meu pai considerava o argumento de Butler

Ver todos os capítulos
Medium 9789724419268

Nota à edição portuguesa

Stuartmill, John Grupo Almedina PDF Criptografado

Nota à edição portuguesa

Esta edição de Autobiografia, de John Stuart Mill, recupera, numa versão corrigida e aperfeiçoada, a tradução de Flausino

Torres, publicada originalmente em 1946 pela Editorial Gleba e acompanhada por uma introdução do tradutor que a Edições

70 decidiu preservar.

O título dado a essa edição, Memórias, terá sido provavelmente escolhido por ser o nome da colecção dedi­cada a textos biográficos na qual foi editado, embora tudo nos leve a crer que o título preferido de Flausino Torres fosse efectivamente

Autobiografia, uma vez que esta designação alternativa ocorre ocasionalmente no prefácio da sua autoria. O título que se fixou, quer na tradição editorial quer no comentário filosófico ao pensamento de Mill, foi Autobiografia, aquele que a Edições

70 também prefere.

John Stuart Mill escreveu os seis primeiros capítulos e os doze primeiros parágrafos do capítulo vii deste texto entre 1853 e

1854, sendo o manuscrito posteriormente sujeito à leitura crítica e revisão aprofundada por parte da mulher, Harriet Taylor, que fez cortes no texto, acrescentou comentários e sugeriu alterações. Este trabalho de colaboração excedeu largamente o que seria um processo normal de revisão, conforme o próprio Mill explica, e tornou-se uma tarefa comum de dois autores. Desta colaboração intensa viria a resultar o manuscrito final, que Mill deixou pronto a editar, o qual contém diversas alterações em relação ao manuscrito anterior, como, por exemplo, a exclusão de vários trechos de cariz familiar ou sentimental, seguindo com frequência as indicações da mulher. Em 1870, já depois

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103281

4. OPPA em Ação: Estratégias para Inovação no Ensino – PREMIADO COM LOUVOR

SADAO, Edson Editora Empreende PDF Criptografado

OPPA em Ação:

4 Estratégias para

Inovação no Ensino –

PREMIADO COM

LOUVOR

Coordenadora Ana Carolina Kruta de Araújo Bispo

Resumo

A partir de estudos e pesquisas envolvendo docentes e discentes, e do acompanhamento de disciplinas e atividades em face do processo de ensino e aprendizagem, pesquisadores do

Núcleo de Estudos em Aprendizagem e Conhecimento – NAC, em articulação com a Coordenação do curso de Administração da Universidade Federal da Paraíba – UFPB, identificaram situações problemas relacionadas à prática docente, principalmente no que concerne à utilização de metodologias de ensino nos últimos anos. Os resultados possibilitaram o desenvolvimento de ações para a difusão de estratégias inovadoras para a aprendizagem dos discentes, e uma delas foi a implantação do Observatório de Pesquisa e Prática em Administração (OPPA), que envolve um ambiente de aprendizagem ativa e estimula a integração e reflexão dos alunos e pesquisadores por meio de ações que potencializam a relação entre a teoria e a prática profissional. A atuação do OPPA está voltada para as áreas de ensino e aprendizagem e fomenta ações de capacitação, como Minicursos, Oficinas e Seminários direcionados à comunidade acadêmica. Os alunos e os docentes têm a oportunidade de vivenciar as estratégias ativas e verificar o impacto gerado por elas. Todas as ações empreendidas para viabilizar a implantação do OPPA tiveram apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq na operacionalização do Projeto de Implantação de um Sistema de

Ver todos os capítulos
Medium 9789724419268

CAPÍTULO V. 1826–1832Uma crise no meu pensamento. Um progresso

Stuartmill, John Grupo Almedina PDF Criptografado

CAPÍTULO V

1826–1832

Uma crise no meu pensamento.

Um progresso

Durante os anos que se seguiram a esta época escrevi pouco para o público e de maneira irregular; mas foram grandes os benefícios que retirei desta abstenção. Não deixava de ter importância, o ficar-me tempo para amadurecer e assimilar completamente as minhas ideias, sem ser obrigado a torná-las públicas. Se tivesse continuado a escrever, a transformação profunda que se operou no meu pensamento e no meu carácter durante estes anos teria sido seriamente abalada. Para explicar a origem desta transformação, ou, pelo menos, das meditações que a prepararam, sou obrigado a voltar um pouco atrás.

A partir do Inverno de 1821, em que li Bentham pela primeira vez, e sobretudo desde os primeiros números da Westminster

Review, eu tinha um objectivo, aquilo a que se pode chamar uma finalidade na vida — queria trabalhar para reformar o mundo.

A ideia que tinha da minha própria felicidade confundia-se inteiramente com este objectivo. As pessoas cuja amizade procurava conquistar eram aquelas que poderiam colaborar comigo na prossecução desta empresa. Procurava tornar o caminho o mais agradável possível, mas a única satisfação pessoal séria e duradoira, com a qual contava para a minha felicidade, era a confiança na realização deste objectivo. Orgulhava-me com a certeza de desfrutar de uma vida feliz, se fizesse concordar a minha felicidade com qualquer objectivo longínquo e duradoiro

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103281

26. Modelo Inovador Uniamérica

SADAO, Edson Editora Empreende PDF Criptografado

Modelo Inovador

26 Uniamérica

Coordenador Fausto Fava de Almeida Camargo

Resumo

Ao conversar com alunos sobre os modos de ensinar e aprender, percebe-se que o ensino essencialmente transmissivo, centrado unicamente no conhecimento do professor, é motivo de muitas insatisfações. Reclamam de ficar horas ouvindo, da rigidez dos horários, do distanciamento do conteúdo proposto com a vida pessoal e profissional e dos recursos pedagógicos pouco atraentes. Ao conversar com professores, a recíproca também é verdadeira.

Mesmo diante de tantos avanços tecnológicos e científicos, o modelo de aula continua, predominantemente, oral e escrito, bem como os recursos utilizados. Têm se mantido intactos: muito giz, caderno e caneta. Quando mudam, ganham uma nova roupagem por meio da utilização dos instrumentos audiovisuais. Já os alunos aprendem a receber o conteúdo passivamente e cada vez mais esperam tudo produzido pelos professores.

Diante desse contexto, o problema/desafio percebido centrou-se nos questionamentos: como modificar os modos de aprender e ensinar para gerar resultados mais positivos? Como garantir que os alunos se apropriem do conhecimento e o relacionem com o cotidiano profissional?

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103281

2. Consultoria na Prática – Pré-Consultoria Unifesspa

SADAO, Edson Editora Empreende PDF Criptografado

Consultoria na Prática –

2 Pré-Consultoria

Unifesspa

Coordenador Rogério Ruas Machado

Resumo

No curso de Administração, é preciso novas metodologias e práticas de ensino que possibilitem a aplicação dos conteúdos aprendidos em sala de aula. O problema encontrado é que o curso de Administração permite ao aluno cursar toda a graduação sem aplicar o conteúdo na prática.

Nesse sentido, a presente iniciativa teve como objetivo contribuir para a aprendizagem prática dos alunos de Administração. Tal aprendizagem se dá por meio de vivência empresarial com a prestação de pré-consultorias para empreendedores da comunidade da região de Rondon do Pará. Pretende-se também proporcionar aos discentes dos cursos da área de gestão em negócios do Instituto de Ciências Sociais e Aplicadas (ICSA) a vivência no contexto empresarial, promovendo o alinhamento da teoria à prática. Mais especificamente, pretende-se: promover a interação entre alunos e empreendedores da região de influência do ICSA; auxiliar os potenciais empreendedores da região de influência do ICSA na criação de novos negócios; auxiliar os empreendedores da região de influência do ICSA na gestão do seu negócio; proporcionar aos alunos a aplicação prática de ferramentas de gestão aprendidas no decorrer do curso; promover a aproximação da Unifesspa com a comunidade local, com instituições de fomento ao empreendedorismo e com as micro e pequenas empresas locais; fomentar o empreendedorismo universitário e a criação de spin-offs acadêmicos. As atividades do projeto contribuíram para que a Unifesspa se aproximasse da comunidade local, das instituições de fomento ao empreendedorismo e das micro e pequenas empresas locais, incentivando o empreendedorismo universitário e a conscientização dos alunos quanto à importância da consultoria organizacional como ferramenta complementar de aprendizagem. O referido projeto envolve 4 docentes; 4 disciplinas; 71 discentes, dentre eles 1 bolsista; 23 empresas que tiveram, aproximadamente, 171 ações de gestão sugeridas e implementadas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103281

3. O Prêmio Angrad e os Projetos da Região Nordeste do Brasil

SADAO, Edson Editora Empreende PDF Criptografado

O Prêmio Angrad

3 e os Projetos da Região

Nordeste do Brasil

Profa. Doutoranda Ana Carolina Peixoto Medeiros

Instituto Federal de Pernambuco – IFPE

Profa. Dra. Fernanda Roda Cassundé

Universidade Federal do Vale do São Francisco – Univasp

A região Nordeste do Brasil é composta por nove estados da federação, sendo eles Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio

Grande do Norte e Sergipe. A população corresponde a cerca de 56,72 milhões de habitantes, sendo a segunda mais populosa do território brasileiro (IBGE,

2018). Existe uma irregularidade considerável em relação à distribuição demográfica dentro desse território em face da concentração da população nos grandes centros urbanos desses estados, sobretudo nas áreas do Agreste e da

Zona da Mata. Muitos apontam que a seca e a ausência de infraestrutura em regiões sertanejas e no meio-norte promovem a migração da população para as grandes cidades em busca de oportunidades de trabalho e sobrevivência.

Ver todos os capítulos
Medium 9789724419268

CAPÍTULO IV. O proselitismo da minha Juventude.A Westminster Review

Stuartmill, John Grupo Almedina PDF Criptografado

CAPÍTULO IV

O proselitismo da minha Juventude.

A Westminster Review

A atenção que consagrava aos meus trabalhos predilectos não se atenuava e nunca me dediquei mais vigorosamente a eles, apesar de os afazeres da repartição absorverem grande parte do meu tempo. Foi por esta época que comecei a escrever para os periódicos. Os meus dois primeiros trabalhos impressos foram duas cartas, que apareceram no fim de 1822, num jornal da tarde, o Traveller. Este jornal, que depois da fusão com o Globe se passou a chamar Globe and the Traveller, era propriedade de um economista bem conhecido, o coronel Torrens, e tinha como director Walter Coulson, um homem competente que, depois de ter sido secretário particular de Bentham, se fizera jornalista, chegando a director do jornal; mais tarde foi advogado e conveyancer (*), e, quando morreu, era conselheiro do Home Office.

O Traveller tinha-se tornado um dos órgãos mais importantes da política liberal. O coronel Torrens, que costumava escrever muito sobre economia política no seu jornal, tinha naquele momento atacado uma opinião defendida por meu pai e por David Ricardo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103281

25. A Formação do“Administrador do Futuro” por meio do Ensino Híbrido, Metodologias Ativas e Leituras Contemporâneas

SADAO, Edson Editora Empreende PDF Criptografado

A Formação do

25 “Administrador do

Futuro” por meio do Ensino Híbrido,

Metodologias

Ativas e Leituras

Contemporâneas

Coordenadora Gabriella Depiné Poffo

Resumo

Diante dos impactos disruptivos causados pela Quarta Revolução Industrial em todos os setores, o curso de Administração da Faculdade Avantis, localizada no município de Balneário

Camboriú (SC), com 15 anos dedicados à formação de administradores, há algum tempo sentiu a necessidade de rever as metodologias de ensino-aprendizagem de modo que pudesse não apenas deslizar os seus estudantes, mas, sobretudo, “encantar” os seus alunos por meio de um sistema inovador e criativo, buscando, dessa forma, que sejam críticos e desenvolvam as competências e habilidades exigidas não apenas pelo mercado de trabalho, mas pela sociedade como um todo. A necessidade de mudanças no processo de ensino-aprendizagem era tida como premente, porém sempre pairava a dúvida de como poderíamos superar o modelo tradicional – em que o professor era o centro das atenções e o detentor de todos os saberes

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103281

24. Modelo Educacional Perspectivação – PREMIADO COM DISTINÇÃO

SADAO, Edson Editora Empreende PDF Criptografado

Modelo Educacional

24 Perspectivação –

PREMIADO COM

DISTINÇÃO

Coordenador Norman de Paula Arruda Filho

Uma experiência brasileira na formação de lideranças responsáveis para o futuro do planeta

Resumo

O modelo educacional Perspectivação nasceu com o objetivo de suplementar o escopo tradicional dos cursos oferecidos na Instituição (Graduação, Pós-graduação, MBA, Mestrado, Cursos de Curta e Média Duração) como uma importante estratégia para a formação de lideranças engajadas na busca por superar os desafios para o desenvolvimento global.

Realizadas paralelamente aos programas, as atividades do Perspectivação promovem o desenvolvimento pessoal e profissional por meio da inter-relação das competências. Com isso, proporciona uma visão sistêmica dos processos corporativos e do mercado de trabalho, valorizando a formação holística que um líder globalmente responsável deve ter.

Composto por um conjunto de atividades extracurriculares, o modelo tem na capacitação do corpo docente seu ponto-chave. Com os professores como “agentes provocadores”, os alunos têm acesso a 13 atividades diferenciadas, como: orientação personalizada; receptivo especial; seminário de contextualização (Welcome to the Global Mindset); plano de desenvolvimento pessoal; arquitetura do conhecimento corporativo; coaching; oficinas de aprendizagem para desenvolver habilidades transversais; desafios experienciais e atividades em grupo; atividades de pesquisa e estudo sobre sustentabilidade; visitas técnicas a empresas; trabalho voluntário; acesso a módulos internacionais; aceleradora de startups.

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103281

10. Conecta UDF: DesenvolvendoHabilidades, GerandoDiferenciais

SADAO, Edson Editora Empreende PDF Criptografado

Conecta UDF:

10 Desenvolvendo

Habilidades, Gerando

Diferenciais

Coordenador Sandson Barbosa Azevedo

Resumo

O curso de Administração presencial do Centro Universitário UDF estava passando por uma diminuição de estudantes matriculados, decorrente do aumento de cursos tecnológicos, de cursos a distância, e da crise educacional do período.

De forma paralela, o mundo atual, em mudança exponencial, busca indivíduos que possuam competências empreendedoras, tais como liderança, mobilização de recursos, criatividade etc.

Esse movimento está ligado primeiramente à área de tecnologia, porém se retomou internamente o forte vínculo e referência com a Administração. Para atender a tal demanda, o UDF entendeu que seria necessário um ambiente inovador que facilitasse e estimulasse o desenvolvimento de competências empreendedoras e que não atendesse somente ao curso de

Administração, mas que fosse usado de forma interdisciplinar, disruptiva e criativa.

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103205

1. Administração da Produção e Operações: Uma Visão Estratégica

YUH CHING, Hong Editora Empreende PDF Criptografado

Capítulo 1

Administração da Produção e

Operações:

Uma Visão

Estratégica

ADMINISTRAÇÃO EM PRODUÇÃO E OPERAÇÕES

| 12 |  

1. ��Administração da Produção e

Operações: Uma

Visão Estratégica

Ao final deste capítulo, o aluno deverá ser capaz de:

• Conceituar a administração da produção e operações.

• Identificar as principais decisões operacionais de uma empresa.

• Representar um processo produtivo por meio do modelo input-output.

• Compreender a estratégia operacional de uma empresa.

Ouça a síntese deste capítulo em menos de 5 minutos.

Professor, acesse www.empreende.com.br para obter material complementar com sugestões de atividades e suas aplicações.

Administração da Produção e Operações e as

Decisões Operacionais

A administração da produção e operações diz respeito à forma como as empresas produzem seus produtos e prestam seus serviços. Todo produto que compramos – uma cerveja, um carro ou uma residência – possui uma operação desenha-

Ver todos os capítulos

Carregar mais