917 capítulos
Medium 9788520439180

5. Exercício físico na doença arterial periférica

LANCHA JR., Antonio Herbert; LANCHA, Luciana Oquendo Pereira Editora Manole PDF Criptografado

5

E� xercício físico na doença arterial periférica

Raphael Mendes Ritti-Dias

Claudia Lúcia de Moraes Forjaz

Introdução

A doença arterial periférica (DAP) compreende uma série de disfunções na estrutura e na função das artérias que irrigam as regiões periféricas do corpo humano. Essas disfunções podem ter diferentes etiologias, no entanto, a formação de placas de aterosclerose é a mais comum. A presença de uma placa aterosclerótica faz com que haja uma redução no fluxo sanguíneo nos tecidos distais à obstrução arterial, gerando um desequilíbrio entre a oferta e a demanda de oxigênio nesses tecidos.

O índice tornozelo braço (ITB) é o método mais utilizado para o diagnóstico da DAP. Para a obtenção desse índice, a pressão arterial sistólica do braço e do tornozelo são medidas e o cálculo é feito pela

84

Avaliação e prescrição de exercícios físicos: normas e diretrizes

divisão da pressão arterial sistólica do tornozelo de cada membro pela maior pressão arterial sistólica medida nos dois braços. ITBs inferiores a 0,90 em um ou nos dois membros caracterizam a presença da doença. Além disso, estudos mostram que o prognóstico do paciente com DAP está diretamente relacionado aos valores do ITB. Um estudo observou que indivíduos com ITBs inferiores a 0,30 tinham o risco de mortalidade 84% maior que os indivíduos com ITB entre 0,50 e 0,91.1 Assim, além de fornecer dados sobre a presença de DAP, o ITB fornece indicativo sobre a severidade da doença.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291304

Capítulo 15 - Letramento corporal, promovendo atributos e planejando o currículo

Margaret Whitehead Grupo A PDF Criptografado

15

Letramento corporal, promovendo atributos e planejando o currículo

Elizabeth Murdoch e Margaret Whitehead

Introdução

Este capítulo preocupa-se em examinar as maneiras pelas quais os atributos do letramento corporal podem ser promovidos a partir da seleção de material adequado para a interação entre profissional e participante. O que é apresentado ou ensinado pode influenciar o aumento da competência incorporada e a pronta interação com uma variedade de ambientes. Pode também suscitar a motivação, a autoconfiança, a autoexpressão e relações eficazes com o outro. Além disso, o conteúdo e sua apresentação podem garantir que todos os indivíduos tenham oportunidade para adquirir conhecimento e compreensão do movimento e de questões relativas à relação entre a atividade física e a saúde. Noções de equilíbrio e amplitude estão por trás de boa parte do debate.

O Capítulo 14 examinou importantes questões que dizem respeito às abordagens de ensino que afetam a promoção do letramento corporal. Porém, esses insights não abordam todos os atributos envolvidos no letramento corporal. Este capítulo prossegue com o debate e examina a forma com que o conteúdo pode desempenhar seu papel na promoção dessa capacidade. Será desvelado que embora o como ensinar e orientar sejam essenciais ao letramento corporal, particularmente no que tange ao desenvolvimento e à manutenção da motivação e da autoconfiança, o quê da interação profissional/participante tem um potencial relevante na promoção desses atributos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582713891

Capítulo 4 - Integração de Outros Componentes da Aptidão Física

Steven J. Fleck; William J. Kraemer Grupo A PDF Criptografado

4

Integração de Outros

Componentes da Aptidão Física

Após o estudo deste capítulo você deverá ser capaz de:

1. discutir as vantagens e desvantagens do treino concorrente, além de como elas podem in­ fluenciar, de forma diferente, populações específicas;

2. explicar os mecanismos fisiológicos por trás das adaptações ao treino concorrente;

3. explicar as várias formas de treino cardiovascular;

4. discutir os métodos utilizados para determinar a intensidade do treino cardiovascular e como eles se relacionam com a prescrição de programas de exercício;

5. demonstrar as várias formas de alongamento; e

6. compreender como a flexibilidade e o alongamento afetam no desempenho nos esportes.

Integrar uma variedade de componentes da atividade f­ísica a um programa de condicionamento total exige um exame criterioso das prioridades do treino. A com­pa­ tibili­dade dos vários modos de exercício também deve ser con­siderada em relação às metas de condi­cio­na­ mento ou de­sem­penho. O momento certo, a sequência e a ênfase do pro­­gra­­ma também influenciarão a capaci­ dade do organis­mo de se adaptar e alcançar as metas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788573078688

Capítulo 4. Princípios do Treinamento Avançado

Arnold Schwarzenegger Grupo A PDF Criptografado

C A P Í T U L O

4

Princípios do

Treinamento Avançado

A

intensidade é fundamental para fazer com que o treinamento de resistência progressiva funcione para você. O que é intensidade? Um tipo diz respeito ao quão arduamente você acha que está tentando. Essa é a intensidade de esforço. Outro é a quantidade de estímulo que você é capaz de provocar nos músculos, fazendo com que respondam e se desenvolvam. Isso é intensidade de efeito. É importante compreender a diferença entre esses dois tipos de intensidade, do contrário é provável que você apenas continue tentando muito (muitas vezes a ponto de lesionar-se) em vez de dominar os tipos de técnicas de intensidade descritas neste capítulo que produzem o progresso de treinamento máximo.

AUMENTANDO A INTENSIDADE DE

TREINAMENTO

Aumentar a intensidade no início não é tão difícil. Você aprende a realizar mais exercícios e a como executá-los corretamente; fica mais forte e em melhor condição, e assim pode trabalhar mais arduamente e por mais tempo e submeter os músculos a um estresse maior. Contudo, uma vez que o corpo acostume-se a esse esforço, fica mais difícil continuar a escalar a intensidade no mesmo ritmo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520430941

SUPINO PLANO COM HALTERES

WILLIAMS, Len; GROVES, Derek; THURGOOD, Glen Editora Manole PDF Criptografado

110

TREINAMENTO DE FORÇA

SUPINO PLANO COM BARRA

MÚSCULOSALVO

▪ Peitorais

Extensor dos dedos

Peitorais

• Peitoral maior

• Peitoral menor

▪ Tríceps braquial

▪ Parte clavicular do deltoide

Parte clavicular do deltoide

Bíceps braquial

Braquial

Esse exercício clássico para tórax

é um grande motivador, pois pode ajudar muito no aumento da força, permitindo assim que a maior parte das pessoas progrida rapidamente para pesos maiores.

Tríceps braquial

SUPINO PLANO COM HALTERES

MÚSCULOSALVO

▪ Peitorais

▪ Tríceps braquial

▪ Parte clavicular do deltoide

Peitorais

• Peitoral maior

• Peitoral menor

Extensor dos dedos

Bíceps braquial

Braquial

Tríceps braquial

Trabalhando os principais músculos do tórax, o supino plano com halteres proporciona maior amplitude de movimento que o supino com barra, de modo que consegue estimular ainda mais o crescimento muscular.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos