971 capítulos
Medium 9788520434536

Posturas sentadas e torções

Abigail Ellsworth Editora Manole PDF Criptografado

POSTURAS SENTADAS

E TORÇÕES

As posturas sentadas e com torções são posturas de recuperação que contrabalançam os efeitos da má postura e da inércia da coluna. Manter o alinhamento adequado da coluna e firmar os ísquios no solo durante a realização das posturas sentadas resultará na extensão do quadril, virilha, pelve e região lombar. Estes asanas tendem a ser os mais estáveis, permitindo que você se concentre na respiração e postura.

Seus músculos contraem e alongam em lados opostos do corpo durante a realização das posturas com torções. Estes movimentos têm como alvo seus

órgãos internos e o sistema circulatório, tendo um efeito purificador. Seus

órgãos ficam comprimidos durante a realização da postura, porém se recuperam quando você sai dela e as toxinas são eliminadas. É fundamental alongar a coluna durante as torções, porque isto aumentará sua rotação.

POSTURA DO HERÓI

POSTURAS SENTADAS

E TORÇÕES

(VIRASANA)

❶ Ajoelhe-se com as mãos e os joelhos no chão. Suas coxas devem ficar perpendiculares ao solo e os pés devem formar um ângulo ligeiramente mais aberto do que o quadril.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520422496

Capítulo 1 - Aumentando a propulsão

Ernest W. Maglischo Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 1

Aumentando a propulsão

Novo nesta edição:

Reavaliação dos princípios da propulsão natatória hu­ mana. n  Maior ênfase na função propulsiva do braço. n  Respostas às dúvidas frequentes sobre a teoria da pro­ pulsão. n 

Quando a primeira edição deste livro, Nadando mais rápido, foi publicada no início dos anos 1980, eu acreditava que o efeito Bernoulli – que será explicado mais adiante – produzia as forças de sustentação principalmente responsáveis pela propulsão do nado. Nessa ocasião, eu sugeria uma mecânica para os quatro nados competitivos que envolvia movimentos de palmateios tridimensionais, nos quais os nadadores usavam os braços como hidrofólios a fim de maximizar a produção de forças de sustentação.

Eu ainda acreditava que as forças de sustentação eram um importante mecanismo propulsivo quando a segunda edição deste livro, Nadando ainda mais rápido, foi p­ ublicada no início dos anos 1990. Nessa época, entre­tanto, passei a ter dúvidas de que o efeito Bernoulli era de fato o responsável por essas forças. Sugeri, então, que a terceira lei do movimento de Newton, o princípio da ação e reação, era a principal lei da física responsável pela propulsão do nado. Passei a acreditar, inequivocamente, que os nadadores tinham que empurrar a água para trás para se deslocarem para frente. Ainda assim, continuei crendo que eles usavam os braços como hidro­fólios durante o palmateio na água para impulsionar o corpo para frente. A diferença era que eu pensava que esses movimentos de palmateio deslocavam a água para trás em vez de acreditar que os nadadores utilizavam o princípio de Bernoulli para criar forças de susten­tação.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520446867

Tríceps no banco

Craig Ramsay Editora Manole PDF Criptografado

108 • MUSCULAÇÃO – ANATOMIA ILUSTRADA

BRAÇOS

TRÍCEPS NO BANCO

1. Usando dois bancos retos ou um baixo reto e um step, sente-se no banco e segure na borda. Com cuidado, apoie os pés afastados, paralelos aos ombros, no banco ou step oposto.

FOCO MUSCULAR

• Tríceps braquial

• Deltoide (parte clavicular)

• Peitoral maior

• Romboide

• Levantador da escápula

• Latíssimo do dorso

• Bíceps braquial

• Trapézio

DICAS DO TREINADOR

ALVO

• Tríceps

PROCURE

• Manter o tórax elevado durante todo o exercício.

• Posicionar a cabeça de maneira adequada, com o queixo ligeiramente elevado.

EVITE

• Abaixar demasiadamente o corpo, muito abaixo de 90 graus – isso implica risco de tensão nos ombros ou de lesão no manguito rotador.

2. Com os cotovelos apontados diretamente para trás, abaixe os glúteos cerca de

10 a 20 cm.

3. Concentre-se em usar o tríceps para erguer o corpo de volta até a posição inicial.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520430941

FLEXÃO DA COXA (COM O JOELHO ESTENDIDO)

Len Williams, Derek Groves, Glen Thurgood Editora Manole PDF Criptografado

58

TREINAMENTO DE FORÇA

AGACHAMENTO

Mantenha os membros superiores estendidos e paralelos ao solo

Esse é um exercício fundamental de mobilização para a parte inferior do corpo e o core, além de ser um aquecimento básico para o movimento de agachamento, no qual grande parte do treinamento de força e potência é baseada. O segredo é manter a boa postura: mova-se o mais devagar possível a fim de melhorar sua amplitude de movimento e não

“rechace” o final do agachamento.

Mantenha o tórax levantado

Mantenha os membros superiores levantados, com a palma das mãos voltada para baixo

Movimente os quadris para trás devagar

Certifique-se de que os joelhos flexionados estejam alinhados com os pés

Mantenha os membros inferiores estendidos e os pés levemente abduzidos

Comece em pé, com a coluna neutra e os pés um pouco mais afastados que a largura dos ombros.

Inspire e flexione os joelhos e os quadris, deixando os quadris se deslocarem suavemente para trás. Mantenha a coluna neutra e o olhar para o horizonte.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520436936

7. Atividade física nos distúrbios neurológicos e musculares

Márcia Greguol, Roberto Fernandes da Costa Editora Manole PDF Criptografado

7 capítulo

Atividade física nos distúrbios neurológicos e musculares

Profª. Drª. Elisabeth Mattos

INTRODUÇÃO

Deficiência física (ou motora) refere-se aos problemas osteomusculares ou neurológicos que afetam a estrutura ou a função do corpo, interferindo na motricidade. Ela é caracterizada por um distúrbio da estrutura ou da função do corpo, que interfere na movimentação e/ou na locomoção do indivíduo.5 As pessoas que usam próteses, muletas, cadeira de rodas ou necessitam do auxílio de órteses carregam muitos rótulos: aleijado, deficiente, impedido, inábil. Cada um tem sua preferência pelo modo como deseja ser chamado, e isso deve ser perguntado à pessoa com deficiência física. Alguns autores descrevem leves diferenças de significado, mas deficiência física é a designação genérica.

Ficaria mais claro se fosse utilizada a designação “motora” em vez de “física”, indicando que existe um distúrbio especificamente nessa área.5

222

Atividade Física Adaptada

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos