345 capítulos
Medium 9788522478415

4 Passado Cultural do Homem

Marina de Andrade Marconi, Zélia Maria Neves Presotto Grupo Gen PDF Criptografado

Passado Cultural do Homem

4

Hoebel e Frost (1981:77) afirmam que “para compreender a cultura humana devem-se conhecer as fases pelas quais a humanidade se transformou, do antropóide dominado pelo instinto ao ser humano adaptável culturalmente.

Desde o tempo das origens primitivas da cultura, todo desenvolvimento humano foi biológico e cultural. Nenhuma tentativa de estudar a humanidade pode ignorar este fato”.

Ao fazerem essas considerações, os autores desenvolveram a idéia da evolução biocultural da humanidade e, conseqüentemente, das inter-relações entre os antepassados fósseis hominídeos e suas produções culturais. Em concordância com as proposições acima, deve-se reconhecer que o estudo do passado cultural do homem requer, para a sua mais fácil compreensão, que se conheçam as diversas fases adaptativas homem-meio.

4.1 Fases Evolutivas do Homem

O homem, através dos processos adaptativos, sofreu transformações que o levaram de um primata desenvolvido ao homem moderno.

Ver todos os capítulos
Medium 9788580555707

Capítulo 2 - Cultura e Socialização

Richard T. Schaefer Grupo A PDF Criptografado

c

t u p í l

2

o

a

CULTURA E SOCIALIZAÇÃO

O QUE É CULTURA?

DESENVOLVIMENTO DA CULTURA

AO REDOR DO MUNDO

VARIAÇÃO CULTURAL

LÍNGUA E CULTURA

NORMAS E VALORES

GUERRA CULTURAL GLOBAL

CULTURA E IDEOLOGIA DOMINANTE

CULTURA E SOCIALIZAÇÃO

SELF E SOCIALIZAÇÃO

AGENTES DE SOCIALIZAÇÃO

SOCIALIZAÇÃO E CURSO DA VIDA

Em maio de 2012, Mark Zuckerberg, fundador e principal executivo do Facebook, pegou um avião e foi a Manhattan promover a abertura de capital da sua empresa. Celebridade antes dos 30, Zuckerberg já fora a personalidade do ano da revista Time. Porém, em vez de ir devidamente trajado para impressionar os banqueiros de Wall Street, Zuckerberg apareceu de camiseta escura por baixo do seu indefectível moletom com capuz. Para um desavisado, Zuckerberg mais parecia um ciberpirata do que o dono de uma empresa de bilhões de dólares. No entender de um observador, Zuckerberg não iria mudar “só porque a empresa dele está abrindo o capital e ele está prestes a embolsar um zilhão de dólares” (McGregor, 2012).

Ver todos os capítulos
Medium 9788597018639

Glossário

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade Grupo Gen PDF Criptografado

Glossário

AÇÃO SOCIAL. De forma ampla, pode ser conceituada como um esforço organizado, visando alterar as instituições estabelecidas. De forma particular, é conceituada pelos autores que utilizam a abordagem da ação na análise sociológica da sociedade, os principais representantes são Max Weber e Talcott Parsons. Para Weber, a ação social seria a conduta humana, pública ou não, a que o agente atribui significado subjetivo; portanto, é uma espécie de conduta que envolve significado para o próprio agente. Por sua vez, Parsons tem como ponto de partida a natureza da própria ação; toda ação é dirigida para a consecução de objetivos. Um indivíduo (ator), esforçando-se para atingir determinado objetivo, tem de possuir algumas ideias e informações sobre os “objetos” que são relevantes para a sua consecução, além de ter alguns sentimentos a respeito deles, no que concerne a suas necessidades; e, finalmente, tem de fazer escolhas. Outro aspecto é a necessidade de possuir certos padrões de avaliação e seleção. Todos esses elementos ou aspectos de motivação e avaliação podem tornar-se sociais por intermédio do processo de interação (veja

Ver todos os capítulos
Medium 9788597021875

15 Culturas Negras no Brasil

Marina Marconi, Zelia Maria Presotto Grupo Gen ePub Criptografado

O Brasil recebeu diversos grupos étnicos que contribuíram fundamentalmente para a estruturação da cultura brasileira em valores específicos e modelos sui generis que a caracterizam. Desses grupos, é indiscutível o importante papel que o negro teve na formação da sociedade, no povoamento e na Economia. Devido aos africanos, o território nacional obteve valores, crenças, costumes e hábitos (CARRIFO E BARBOSA, S/D).

A etnia negra teve, desde o início, papel de grande relevância nos destinos do povoamento, da Economia e da formação da sociedade. Genericamente considerados, é muito comum, praticamente em todo o território nacional, a presença de valores, crenças, costumes e hábitos derivados de padrões africanos, mesclados com elementos culturais das demais etnias. São os afro-brasileirismos que persistem, embora redefinidos por força do complexo cultural em formação.

Em algumas regiões, as influências africanas imprimiram à subcultura regional traços extremamente marcantes nas expressões materiais, espirituais e simbólicas, que a diferenciam, nitidamente, de outras subculturas regionais. Constituem exemplo dessa afirmativa os contrastes dos padrões culturais da região Nordeste, especialmente da Bahia, marcadamente de influência da África Ocidental, com os da região Sul, de colonização europeia.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536317113

21. Dados multifocais: uma visão geral

Uwe Flick Grupo A PDF Criptografado

254

Uwe Flick

21

Dados multifocais: uma visão geral

Primeiro ponto de referência: comparação das abordagens com base em critérios, 255

Segundo ponto de referência: seleção do método e verificação de sua aplicação, 255

Terceiro ponto de referência: apropriabilidade do método ao assunto, 258

Quarto ponto de referência: ajuste do método no processo de pesquisa, 260

OBJETIVOS DO CAPÍTULO

Após a leitura deste capítulo, você deverá ser capaz de:

comparar as diversas abordagens aos dados visuais. avaliar sua decisão à luz de suas (primeiras) experiências ao aplicar os métodos que escolher. compreender o seu método dentro do contexto do processo de pesquisa e de outras etapas de seu plano de pesquisa.

Os dados multifocais tornam-se cada vez mais relevantes na pesquisa qualitativa. Os dados visuais passam por uma fase de crescente redescobrimento nesse campo da pesquisa. A observação e a etnografia são a principal tendência. A internet se transforma, ao mesmo tempo, em fonte e em tema para a pesquisa qualitativa. As razões para utilizar os dados multifocais, em lugar dos dados verbais ou somados a estes, são diversas. Em primeiro lugar, existe um desejo por parte do pesquisador de ultrapassar os limites da palavra falada e do relato sobre ações, em favor da análise das próprias ações na forma como naturalmente ocorrem. Em segundo, há a vantagem proporcionada pelo fato de que algumas formas de observação funcionam sem a necessidade de o pesquisador realizar qual-

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos