5 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788553131815

2.7 COMO MENSURAR O DESEMPENHO FINANCEIRO E O VALOR DE UMA EMPRESA

ASHLEY, Patrícia Almeida Editora Saraiva PDF Criptografado

 37

Capítulo 2 | Responsabilidade social corporativa e o valor das empresas

e de mudanças climáticas. O ISE tem por finalidade apoiar os investidores na tomada de decisão de investimentos socialmente responsáveis e induzir as empresas a adotar as melhores práticas de sustentabilidade empresarial.

A nova carteira do ISE44 reúne 33 ações de 30 companhias. Além disso, representa

12 setores e soma R$ 1,28 trilhão em valor de mercado. Esse montante equivale a

41,47% do total do valor das companhias com ações negociadas na B3, com base no fechamento de 21 de novembro de 2017.

Compõem o índice até 40 empresas entre as emissoras das 200 ações mais líquidas.

A representatividade do ISE para o mercado pode ser medida por fatores que indicam que empresas de sua carteira têm valor de mercado de 10% a 19% maior do que as do grupo de controle correspondente. Outro aspecto positivo que demonstra o valor do

ISE é que nos dias próximos ao anúncio da carteira, as ações das empresas participantes apresentam retorno acumulado anormal de 1,9% em relação às empresas do mesmo setor. Resultados de estudos divulgados pela B3 indicam que bom desempenho socioambiental influencia positivamente o desempenho financeiro (retorno sobre patrimônio e retorno sobre ativos) e vice-versa. O fato de uma empresa estar no ISE é critério para alocação de 5% do total de ativos sob gestão dos principais fundos de pensão do Brasil.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522466023

Parte V - 12 Os Processos de Comunicação de Massa e a Sociedade Contemporânea

FERREIRA, Delson Grupo Gen PDF Criptografado

12

Os Processos de Comunicação de Massa e a Sociedade

Contemporânea

1 2.1 QUE É COMUNICAÇÃO: ORIGEM E

DESENVOLVIMENTO DO CONCEITO

Já não existem controvérsias teóricas quanto ao fato de a comunicação e a informação constituírem uma das bases fundamentais de todos os contatos sociais.

Desde o tempo das inscrições rupestres pré-históricas até o das redes computacionais virtuais, os seres humanos comunicam seus sentidos, anseios e necessidades, construindo, assim, a teia relacional que sustenta os processos sociais. Não é novidade nenhuma, portanto, dizer que vivemos em uma sociedade da comunicação e da informação e que, devido a isso, a comunicação é crucial para o estabelecimento e continuidade da vida social. A questão que se coloca para os primeiros dias do século XXI, por meio desse título, vai além dessas constatações e é mais ampla: dada a profusão no século XX, sem precedentes na história humana, de meios para secomunicar, estes dois elementos, comunicação e informação, tornaram-se imprescindíveis para a compreensão dos problemas relativos à rede de complexidade, que boje envolve todos os âmbitos das relações sociais.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522466023

Parte V - 14 As Instituições Sociais e os Meios de Comunicação de Massa

FERREIRA, Delson Grupo Gen PDF Criptografado

213

214

215

216

217

218

219

Ver todos os capítulos
Medium 9788520441459

21. Manifestar-se é direito e dever de todos

MATOS, Gustavo Gomes de Editora Manole PDF Criptografado

21. Manifestar-se é direito e dever de todos

Figura do consumidor passivo está em vias de extinção

“O cliente tem sempre razão.”

Provérbio popular

Faz parte do passado, cada vez mais, empresas que manipulam a informação e divulgam o que querem a seus usuários e consumidores, e não o que interessa a eles. Esse cenário vem se transformando, gradativamente, impulsionado pela conscientização da sociedade quanto aos conceitos de cidadania, ética, governança corporativa, responsabilidade social e ambiental.

O consumidor não quer apenas a satisfação de seu desejo ou de sua necessidade imediata, mas a certeza de ser atendido com serviços e produtos de qualidade, produzidos e comercializados por empresas que respeitam os valores humanos e o bem comum. Essa tendência se reflete na crescente demanda da sociedade por ética, comunicação e transparência.

O cidadão está se tornando cada dia mais consciente e exigente de seus direitos, ao mesmo tempo em que assume atitudes e iniciativas de cumprimento de seus deveres nos contextos social e político. A figura do consumidor passivo e pouco exigente, que aceita qualquer coisa que lhe é oportunamente oferecida, é cada vez menos presente no cenário de mercado global da atualidade.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521635406

Capítulo 3 - Valor de uso e valor de troca – o trabalho socialmente necessário

MARX, Karl Grupo Gen PDF Criptografado

capítulo

3

Valor de Uso e Valor de Troca – O Trabalho

Socialmente Necessário*

A mercadoria é de início um objeto externo, uma coisa que satis‑ faz para seus proprietários uma necessidade humana qualquer. Toda a coisa útil, tal como o ferro, o papel etc., deve ser considerada sob um duplo aspecto: a qualidade e a quantidade. Cada uma é um conjunto de qualidades numerosas e pode ser útil às mais diversas finalidades. É a utilidade de uma coisa que lhe dá um valor de uso.

Mas essa utilidade não surge no ar. É determinada pelas proprieda‑ des físicas das mercadorias e não existe sem isso. A mercadoria em si, tal como o ferro, o trigo, o diamante etc., é, pois, um valor de uso, um bem.

O valor de troca aparece de início como a relação quantitativa pela qual os valores de uso de uma espécie se trocam pelos valores de uso de outra. Uma quantidade tal de mercadoria troca‑se regu‑ larmente por outra tal quantidade de outra mercadoria: é seu valor de troca – relação que varia com tempo e lugar. O valor de troca

Ver todos os capítulos