626 capítulos
Medium 9788521625834

APÊNDICE A - DADOS DE PROPRIEDADES DE?FLUIDOS

FOX, Robert W.; PRITCHARD, Philip J.; McDONALD, Alan T. Grupo Gen PDF Criptografado

Apêndice

A

Dados de Propriedades de Fluidos

A.1 Densidade Relativa

Dados da densidade relativa para diversos líquidos e sólidos comuns estão apresentados nas Figs. A.1a e A.1b e nas Tabelas A.1 e A.2. Para líquidos, a densidade relativa

é uma função da temperatura. (Massas específicas da água e do ar são dadas como funções da temperatura nas Tabelas de A.7 a A.10.) Para a maior parte dos líquidos, a densidade relativa decresce com o aumento da temperatura. A água tem um comportamento singular: ela apresenta uma massa específica máxima de 1000 kg/m 3 a

4ºC. A massa específica máxima da água é usada como valor de referência para calcular a densidade relativa. Portanto

Consequentemente, a densidade relativa (SG) máxima da água é exatamente a unidade.

As densidades relativas para sólidos são relativamente insensíveis à temperatura; os valores dados na Tabela A.1 foram medidos a 20ºC.

A densidade relativa da água do mar depende tanto da temperatura quanto do grau de salinidade. Um valor representativo para a água do oceano é SG = 1,025, como dado na Tabela A.2.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521635017

29 - Movimento Harmônico Simples

BREITHAUPT, Jim Grupo Gen PDF Criptografado

369

UNIDADE

29

Movimento

Harmônico Simples

SUMÁRIO

OBJETIVOS

Depois de estudar esta unidade, você será capaz de:

• citar exemplos de sistemas oscilantes

• explicar o que significam a amplitude e o período de um sistema oscilante

• explicar qualitativamente a variação com o tempo da aceleração, da velocidade e do deslocamento em sistemas oscilantes

29.1

Movimento oscilatório

29.2

Funções senoidais

29.3

Forças em sistemas oscilantes

29.4 Ressonância

Resumo

• descrever o movimento harmônico simples e sua relação

Questões de revisão

com o movimento circular

• definir frequência angular e usá-la para relacionar a aceleração com o deslocamento de um objeto em movimento harmônico simples

• usar as fórmulas do período de um objeto suspenso em uma mola e de um pêndulo

• conhecer a diferença entre oscilações livres e oscilações amortecidas

• explicar o que significam os termos oscilações forçadas e ressonância

Ver todos os capítulos
Medium 9788521635024

CAPÍTULO 3 As interações fundamentais

CHABAY, Ruth W.; SHERWOOD, Bruce A. Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

3

Passo 3

Pa ss

o2

p

F

p

s

Pas

As interações fundamentais

p

o1

F

Sol

F

OBJETIVOS

Após estudar este capítulo, você deve ser capaz de

Calcular a força gravitacional ou elétrica, em 3 dimensões, exercida por um sistema sobre objetos em seu entorno.

Prever iterativamente, à mão ou no computador, o movimento de um objeto que interage gravitacional ou eletricamente com seu entorno.

Analisar colisões simples aplicando o Princípio do Momento a um sistema de mais de uma partícula.

+

+

3.1 AS INTERAÇÕES FUNDAMENTAIS

+

Figura 3.1 A interação elétrica: prótons repelem-se entre si; elétrons repelem-se entre si; prótons e elétrons atraem-se entre si.

Felét

Felét

Felét

Felét

Figura 3.2 A interação forte: os prótons no núcleo de um átomo exercem forças elétricas repulsivas uns sobre os outros, mas a interação forte (que envolve os nêutrons, além dos prótons) mantém o núcleo unido apesar dessa repulsão elétrica.

Ver todos os capítulos
Medium 9788580550948

Capítulo 10 - Rotação

Wolfgang Bauer, Gary D. Westfall, Helio Dias Grupo A PDF Criptografado

10

Rotação

O QUE APRENDEREMOS

313

10.1 Energia cinética de rotação

Partícula pontual em movimento circular

Várias partículas pontuais em movimento circular

10.2 Cálculo do momento de inércia

Rotação de um eixo em torno do centro de massa

313

313

Exemplo 10.1 Energia cinética rotacional da terra

Teorema do eixo paralelo

10.3 Rolamento sem deslizamento

Problema resolvido 10.1 Esfera rolando sobre um plano inclinado

Exemplo 10.2 Corrida sobre uma inclinação

Problema resolvido 10.2 Esfera rolando através de um “loop”

314

314

315

320

320

322

322

324

324

326

326

327

328

Exemplo 10.3 Papel higiênico

329

Máquina de Atwood

331

10.6 Trabalho realizado por um torque

332

Exemplo 10.4 Apertando um parafuso

333

Exemplo 10.5 Atarraxando um parafuso na madeira 333

Problema resolvido 10.3 Máquina de Atwood

Ver todos os capítulos
Medium 9788521606345

Capítulo 13 - Sistemas Eletroquímicos

Ira N. Levine Grupo Gen PDF Criptografado

13

C A P Í T U L O

Sistemas

Eletroquímicos

SUMÁRIO DO CAPÍTULO

Este capítulo estuda a termodinâmica de sistemas eletroquímicos, que são os sistemas em que existe uma diferença de potencial elétrico entre duas ou mais fases. (Um exemplo familiar

é a bateria.) O potencial elétrico é definido na Seção 13.1, que revê a eletrostática. Forças elétricas, campos, potenciais e energia potencial são importantes não apenas na termodinâmica dos sistemas eletroquímicos, mas em toda a química. As propriedades de um átomo ou molécula são o resultado de interações elétricas entre os elétrons e os núcleos. Para escrever a equação fundamental no caso de moléculas (a equação de Schrödinger), precisamos saber a equação para a energia potencial da interação entre duas cargas.

As forças entre as moléculas também são de natureza elétrica. Duas propriedades moleculares que determinam principalmente as forças intermoleculares são o momento de dipolo molecular e a polarizabilidade. Essas propriedades estão discutidas na Seção 13.14.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos