839 capítulos
Medium 9788582603901

Capítulo 12 - Fundamentos de eletroquímica

Silvio Luis Pereira Dias; Júlio César Pacheco Vaghetti; Éder Cláudio Lima; Jorge de Lima Brasil; Flávio André Pavan Grupo A PDF Criptografado

Capítulo 12

Fundamentos de eletroquímica

Neste capítulo você estudará:

As reações de oxidação-redução, ou reações redox, e seu funcionamento.

As características dos processos redox e suas especificidades.

As reações de oxidação-redução, ou reações redox, são reações químicas que envolvem a transferência de elétrons entre espécies químicas iônicas, moleculares ou entre ambas. Na prática, todas as reações redox são processos que ocorrem de maneira simultânea envolvendo duas reações parciais (semirreações ou pares redox) que ocorrem ao mesmo tempo. Isso significa que, se uma espécie química sofre um processo de oxidação com perda de elétrons, obrigatoriamente e no mesmo tempo decorrido, outra espécie química sofre um processo de redução com ganho de elétrons.

DEFINIÇÃO

As reações de oxidação-redução, ou reações redox, são reações químicas que envolvem a transferência de elétrons entre espécies químicas iônicas, moleculares ou entre ambas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521621737

PARTE II - CAPÍTULO 7 - Medidores de Vazão

TERRON, L.R. Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO 

7

Medidores de Vazão

Over 4,000 years ago, the Romans measured water flow from their aqueducts to each household to control allocation. The early Chinese measured salt water to control flow to brine pots to produce salt used as a seasoning.

In each case, control over the process was the prime reason for measurement… Flow measurement has probably existed in some form since man started handling fluids

(Upp e LaNasa, 2002, Chap. 1, item 3).1

 7.1 

 7.2 

 7.3 

 7.4 

 7.5 

 7.6 

 7.7 

Introdução

Medidor de Tubo Venturi

Medidor de Orifício

Tubo Pitot

Adendo: Medição da Pressão

Medidores de Área — Rotâmetros

B

� ibliografia Recomendada para

Aprofundamento dos Estudos

 7.8  Nomenclatura

 7.9  Bibliografia

Há mais de 4.000 anos, os romanos mediam o fluxo de água de seus aquedutos que ia para os lares de modo a controlar a alocação do líquido. Na China antiga, a quantidade de água salgada era medida para controlar o fluxo que ia para potes de salmoura, usada como tempero. Em cada caso, o controle sobre o processo foi a principal razão para a medição [da vazão].... A medição de vazão provavelmente existe, de alguma forma, desde que o homem começou a manipular fluidos. (Tradução do autor.)

Ver todos os capítulos
Medium 9788521625797

4 Estatística: introdução à quimiometria

VOGEL, Arthur Israel; MENDHAM, J.; DENNEY, R.C.; BARNES, J.D.; THOMAS, M. Grupo Gen ePub Criptografado

A função do analista é obter resultados os mais próximos possíveis dos valores verdadeiros através da utilização correta dos métodos analíticos. O nível de confiança que os analistas podem ter nos resultados de seu trabalho é relativamente pequeno se eles não conhecerem a acurácia e a precisão do método que usaram, e se não tiverem consciência das fontes de erros que podem afetar os resultados. A análise quantitativa não se limita à coleta da amostra, à execução de uma única determinação e à admissão tácita de que o resultado obtido está correto. Ela exige também o conhecimento da química envolvida e das possíveis interferências de outros íons, elementos e compostos, bem como da distribuição estatística dos resultados numéricos obtidos.

São objetivos deste capítulo:

1. Explicar alguns dos termos normalmente usados e descrever os procedimentos estatísticos clássicos aplicáveis aos resultados analíticos.

2. Introduzir algumas técnicas de planejamento e otimização de métodos analíticos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582604076

Capítulo 4 - Projeto e avaliação de instalações de produção de óleo e gás

Douglas L. Erwin Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

4

Projeto e avaliação de instalações de produção de

óleo e gás

Nomenclatura

μ

μg

A

Cd

CD, CD

Cm

Cp

CRE d

Dg

Dl dm

DM, DM

Dm1%

DMW

Dp

DPRT

Dv

DV exp

FRCT

G

HOIL

L ln

LRATE

LWO

MW

viscosidade do óleo, cP viscosidade do gás, cP

área de seção transversal do vaso vertical, ft² percentual em massa de sal contido na água de dilução coeficiente de arraste, adimensional concentração de sal da mistura aquosa, percentual mássico concentração de sal da água de produção, percentual mássico número de Reynolds, adimensional diâmetro do vaso, in massa específica do vapor à temperatura e pressão do sistema, lb/ft3 massa específica do líquido à temperatura e pressão do sistema, lb/ft3 tamanho de partícula da água exigido para o cálculo de Wc, μm diâmetro da partícula de água, gás ou óleo, μm tamanho das partículas de água para fração de água de 1%, μm diâmetro da gotícula de água em óleo, μm tamanho da partícula, ft diâmetro da partícula, ft parte do diâmetro do vaso livre de líquido, ft diâmetro do vaso horizontal, ft função exponencial com base e, 2,7183 fração da área de seção transversal do vaso a ser preenchida com líquido vazão de gás, lb/h profundidade de óleo, ft comprimento efetivo do vaso para a separação de água do óleo, ft logaritmo neperiano ou natural com a base e (=2,71828) produção de óleo, lb/h comprimento do vaso requerido para a separação óleo-água massa molar

Ver todos os capítulos
Medium 9788565837026

Os estados padrão e as tabelas de referência

Jerome L. Rosenberg; Lawrence M. Epstein; Peter J. Krieger Grupo A PDF Criptografado

250

QUÍMICA GERAL

de processos reversíveis. Contudo, a variação na entropia pode também ser relacionada às propriedades moleculares da matéria. Algumas premissas genéricas e exemplos relacionados à entropia são dados a seguir:

1. O estado líquido de uma substância tem entropia maior que os cristais da mesma substância no estado sólido.

Em um cristal, os átomos ou moléculas ocupam uma posição definida na rede. Em um líquido, essas posições não são definidas. Muitos líquidos são compostos por átomos ou moléculas com pouca atração mútua dispostos em uma estrutura cristalina, mas essa estrutura não se estende por toda a massa do líquido, ao contrário do observado em sólidos.

2. Os gases têm entropia maior que seus líquidos correspondentes (ou sólidos, quando a mudança de fase é a sublimação). Embora as moléculas de um líquido sejam livres para ocupar uma variedade de posições, elas são mantidas em contato estreito com as moléculas mais próximas na matéria. Em um gás, as posições que uma molécula pode ocupar são muitas, pois o espaço disponível por molécula é maior.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos