4236 capítulos
Medium 9788527723855

4 - Citosol

De Robertis Grupo Gen PDF Criptografado

Citosol

4

4.1 Introdução

Na Seção 1.3 foi descrito que as células eucariontes têm algumas semelhanças com as procariontes. Assim, o citosol – ou matriz citoplasmática – da célula eucarionte contém muitos dos componentes encontrados no protoplasma da bactéria, como, por exemplo, diferentes complexos enzimáticos e moléculas de RNA ribossômico, mensageiro e transportador. As diferenças entre os dois tipos de células estão representadas pela existência, na célula eucarionte, de várias estruturas específicas, como o núcleo, o citoesqueleto, as organelas que integram o sistema de endomembranas, as mitocôndrias, os cloroplastos (na célula vegetal) e os peroxissomos.

A célula eucarionte divide-se em numerosos compartimentos, entre os quais o principal é o núcleo. A parte da célula que não corresponde ao núcleo – ou seja, o citoplasma – pode ser subdividida esquematicamente em dois espaços, correspondentes ao citosol e ao encontrado no interior das organelas. Nesse esquema, o citosol é considerado o verdadeiro meio interno da célula, que se estende desde o envoltório nuclear até a membrana plasmática e que preenche o espaço não ocupado pelo sistema de endomembranas, as mitocôndrias e os peroxissomos (Figura 1.6).

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605004

Volume III - Capítulo 7. A Dependência das Amplitudes com o Tempo

Richard Feynman; Robert Leighton; Matthew Sands Grupo A PDF Criptografado

7

A Dependência das Amplitudes com o Tempo

7–1  Átomos em repouso; estados estacionários

Queremos agora conversar um pouquinho sobre o comportamento das amplitudes de probabilidade no tempo. Dizemos um “pouquinho” porque o verdadeiro comportamento no tempo necessariamente envolve o comportamento no espaço também. Então, chegamos imediatamente à situação mais complicada possível se formos fazer isso corretamente e em detalhe. Estamos sempre em dificuldade, já que podemos ou tratar alguma coisa de uma forma logicamente rigorosa, mas bastante abstrata, ou podemos fazer alguma coisa que não é absolutamente rigorosa, mas que nos dá uma ideia da situação real – postergando um tratamento mais cuidadoso. Em consideração à dependência da energia, vamos tomar o segundo rumo. Faremos algumas afirmações. Não tentaremos ser rigorosos – mas apenas diremos a você o que foi descoberto, para lhe dar algum sentimento a respeito do comportamento das amplitudes em função do tempo. Ao longo do processo, a precisão da descrição aumentará, portanto não fique nervoso se parecer que estamos tirando coisas do ar. Elas são, é claro, todas do ar – o ar dos experimentos e da imaginação das pessoas. Levaria muito tempo para passar pelo desenvolvimento histórico, de modo que temos de começar de algum lugar. Poderíamos começar a partir de ideias gerais e deduzir tudo – o que você não entenderia –, ou passar por um grande número de experimentos para justificar cada afirmação. Escolhemos fazer algo intermediário.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522474400

3 - Pesquisa bibliográfica

DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (orgs.) Grupo Gen PDF Criptografado

Pesquisa bibliográfica

!

#�

Pesquisa bibliográfica

Ida Regina C. Stumpf 1

�...sem dúvida, os cânones metodológicos são muitas vezes expedientes técnicos e, ao mesmo tempo, obrigações morais...�

(Merton, 1970, p. 652)

P

esquisa bibliográfica, num sentido amplo, é o planejamento global inicial de qualquer trabalho de pesquisa que vai desde a identificação, localização e obtenção da bibliografia pertinente sobre o assunto, até a apresentação de um texto sistematizado, onde é apresentada toda a literatura que o aluno examinou, de forma a evidenciar o entendimento do pensamento dos autores, acrescido de suas próprias idéias e opiniões. Num sentido restrito, é um conjunto de procedimentos que visa identificar informações bibliográficas, selecionar os documentos pertinentes ao tema estudado e proceder à respectiva anotação ou fichamento das referências e dos dados dos documentos para que sejam posteriormente utilizados na redação de um trabalho acadêmico. Por vezes, trata-se da única técnica utilizada na elaboração de um trabalho acadêmico, como na apresentação de um trabalho no final de uma disciplina, mas pode também ser a etapa fundamental e primeira de uma pesquisa que utiliza dados empíricos, quando seu produto recebe a denominação de Referencial Teórico, Revisão da Literatura ou similar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527732826

6 - Antibacterianos | Mecanismos de Ação

APOLONIO, Ana Carolina Morais Grupo Gen PDF Criptografado

C A P Í T U LO

6

Antibacterianos | Mecanismos de Ação

Luciana Geralda de Souza Gaia | Simone Cristina Coutinho |

Ana Carolina Morais Apolônio | Kênia Valéria dos Santos

Introdução

Os antibacterianos são antimicrobianos que têm atividade especificamente contra bactérias. Essa atividade frente às bactérias, tanto Gram-positivas quanto Gram-negativas, é chamada espectro de ação. O espectro de ação, ou espectro de atividade, pode ser amplo (ou largo) ou estreito. Os antibacterianos considerados de estreito espectro de ação atingem somente um grupo de bactérias, sejam Gram-positivas (p. ex., vancomicina) ou Gram-negativas (p. ex., colistina e

ácido nalidíxico). Já os de amplo espectro de ação são aqueles que atuam tanto sobre bactérias Gram-positivas quanto Gram-negativas (p. ex., ampicilina, cloranfenicol e tetraciclina).

Além do espectro de ação, os antibacterianos são classificados em grupos, conforme seu alvo e, portanto, seu mecanismo de ação. Os antibacterianos podem ter como alvo: a síntese da parede celular, a síntese proteica, a síntese de ácidos nucleicos, a síntese de metabólitos essenciais ou a membrana celular

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435342

11. Posturas com apoio nos braços

KAMINOFF, Leslie; MATTHEWS, Amy Editora Manole PDF Criptografado

cAPÍtULo

PoStURAS com APoio noS BRAÇoS

11

A

pesar de suas semelhanças óbvias, os membros superiores e inferiores do corpo humano evoluíram para executar funções diferentes. As estruturas do pé, do joelho, do quadril e da pelve são voltadas para suas funções de apoio e locomoção.

As estruturas altamente móveis da mão, do cotovelo e do cíngulo do membro superior (ou cintura escapular) evoluíram para alcançar e segurar, e não são tão adequadas para a sustentação do peso. Na verdade, quando se comparam as estruturas proporcionais da mão e do pé, vê-se uma relação inversa entre estruturas de sustentação e estruturas articulares dentro delas.

No pé, os pesados e densos ossos tarsais abrangem metade do comprimento da estrutura.

Somando a isso a função de sustentação dos metatarsais, pode-se dizer que 4/5 da estrutura do pé são dedicados à sustentação de peso. As estruturas nas falanges do pé (dedos) contribuem apenas com 1/5 de seu comprimento total.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos