3456 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788536309255

Capítulo 06 - A mente ética

Howard Gardner Grupo A PDF Criptografado

A mente ética

Em que tipo de mundo gostaríamos de viver se não conhecêssemos nossa posição nem nossos recursos antecipadamente? Falando por mim � mas, creio, não somente por mim � eu gostaria de viver em um mundo caracterizado pelo �bom trabalho�: trabalho que seja excelente, ético e envolvente. Por mais de 10 anos, Mihaly Csikszentmihalyi, William Damon e eu temos investigado a natureza do bom trabalho. Particularmente, nós e nossos colegas temos buscado determinar quais fatores contribuem para o bom trabalho, quais militam contra ele e como melhor aumentar a incidência desse bom trabalho. Dado que nossas descobertas iluminam a mente ética, irei descrevêlas com algum detalhe.

Como muito bem entenderam os cientistas sociais fundadores do final do século XIX, o trabalho está no centro da vida moderna. Émile Durkheim apontou o papel indispensável e convincentemente demonstrado da divisão do trabalho nas sociedades complexas; Max Weber descreveu os alicerces religiosos de uma �vocação� que vai além do desempenho superficial e reflete nossa resposta sincera ao chamamento divino; Sigmund Freud identificou o amor e o trabalho como fatores fundamentais para uma boa vida. Convenientemente, a palavra bom capta três facetas distintas do trabalho. O trabalho pode ser bom no sentido de ser excelente em qualidade � em nossos termos, é altamente disciplinado. Esse tipo de trabalho pode ser bom no sentido de ser responsável � leva em conta suas implicações para toda a comunidade na qual está inserido. E pode ser bom no sentido de a pessoa que o realiza se sentir bem � é envolvente e dotado de sentido, proporcionando o sustento, mesmo em condições difíceis. Se a educação é preparação para a vida, ela é, em muitos aspectos, a preparação para uma vida de trabalho. Os educadores devem

Ver todos os capítulos
Medium 9788536309255

Capítulo 05 - A mente respeitosa

Howard Gardner Grupo A PDF Criptografado

A mente respeitosa

O JOGO DE CONTAS ORIGINAL

Há cem mil anos, ancestrais do homo sapiens já se enfeitavam com contas coloridas. Na visão dos estudiosos, membros de um grupo humanóide diferenciavam-se de outro grupo através de uma decisão consciente de se embelezar de uma maneira prescrita.1 Não se pode saber ao certo se esse tipo de adorno era realizado exclusiva ou fundamentalmente com propósitos de formação de grupo, nem se nossos ancestrais já estavam conversando uns com os outros por meio de algum tipo de língua ou protolíngua, nem como esse tipo de marca estava relacionada a outros tipos de simbolismo, de ritos funerários a pinturas de animais em cavernas. Parece claro que a aplicação de marcas que diferenciassem grupos entre si é uma característica importante e duradoura de nossa espécie.

Antropólogos e arqueólogos estudaram o pertencimento a grupos a partir de vários ângulos. Muitos artefatos humanos � como máscaras, totens e escudos � são decorados com sinais distintivos. Os padrões de parentesco costumam ser exógamos: os homens escolhem parceiras de tribos próximas, com nomes de filhos e padrões de residência sendo preocupações antigas e importantes. A troca de presentes entre grupos marca ocasiões cerimoniais, mas essas características identificadoras raramente se restringem a situações de paz ou celebração. Grupos tribais muitas vezes envolvem-se em guerras rituais, combates armados, que vão até que um determinado número de indivíduos tenha sido morto de um lado ou de outro. Nos últimos tempos, os aspectos ritualísticos dos conflitos foram atrofiados: é isso que se quer dizer com expressões assustadoras como guerra total, guerra mundial, conflito global ou destruição mútua garantida.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536309255

Capítulo 04 - A mente criadora

Howard Gardner Grupo A PDF Criptografado

A mente criadora

Em nossa sociedade global, conectada, a criatividade é buscada, cultivada, valorizada. O visionário do mundo empresarial John Seely Brown disse, com presença de espírito, que, no mundo de amanhã, as pessoas dirão: �Crio, logo, existo�. Quando dou palestras sobre inteligência, costumam me perguntar como se pode cultivar a criatividade. Os públicos esperam que eu venha a defender totalmente a criatividade e revele (definitivamente e sem cobrar!) o segredo de sua aquisição.

Nem sempre foi assim. Na maioria das sociedades, durante grande parte da história humana, a criatividade não foi buscada nem recompensada. Assim como os seres humanos têm uma tendência conservadora que milita contra a inovação educacional e os grandes saltos interdisciplinares, as sociedades humanas também se esforçam para manter sua forma atual. Ficamos impressionados com as realizações da sociedade do antigo Egito, mas nos esquecemos, convenientemente, de que a sociedade evoluiu em ritmo muito lento. Homenageamos cientistas como Galileu Galilei, mas é necessário que nos lembremos de que ele foi denunciado e aprisionado, e que Giordano Bruno, seu predecessor científico, foi morto na fogueira. Nem Johann Sebastian Bach, nem

Ver todos os capítulos
Medium 9788536309255

Capítulo 01 - As mentes vistas do ponto de vista global

Howard Gardner Grupo A PDF Criptografado

As mentes vistas do ponto de vista global

UMA INTRODUÇÃO PESSOAL

Há várias décadas, como pesquisador da psicologia, venho refletindo sobre a mente humana. Estudei como se desenvolve, como se organiza, como é formada em toda sua amplitude. Estudei como as pessoas aprendem, como criam, como lideram, como mudam as mentes de outros ou suas próprias. Em grande parte, tenho me contentado em descrever as operações típicas da mente � o que já é, em si, uma tarefa assustadora � mas, em algumas ocasiões, também apresentei visões sobre como deveríamos usar nossas mentes.

Em Cinco mentes para o futuro, arrisquei-me a ir mais longe. Ao mesmo tempo em que afirmo não ter bola de cristal, trato dos tipos de mentes de que as pessoas vão necessitar para prosperar no mundo � para prosperarmos � nos tempos que se avizinham. A maior parte de minha iniciativa permanece descritiva, ou seja, especifico as operações das mentes de que vamos precisar.

Contudo, não posso esconder o fato de que também me dedico a um �empreendimento de valores�: as mentes que descrevo também são aquelas que acredito que devamos desenvolver no futuro.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536309255

Capítulo 03 - A mente sintetizadadora

Howard Gardner Grupo A PDF Criptografado

A mente sintetizadora

O inferno é um lugar onde nada se conecta com nada.

Vartan Gregorian, citando Dante

Na tradição sacra do Ocidente, a história da humanidade começa no jardim do Éden, quando Adão foi seduzido a dar uma primeira mordida na fruta da árvore do conhecimento. Para as gerações que se seguiram imediatamente ao Adão bíblico, o conhecimento acumulou-se a um ritmo suficientemente lento que pudesse ser passado adiante de forma oral (embora, talvez, não em nacos do tamanho de maçãs), de pais para filhos e a cada nova geração. Mas os seres humanos diferenciam-se pelo fato de que continuam a acumular conhecimento em ritmos cada vez mais acelerados. Na verdade, a própria Bíblia representa um esforço para organizar o conhecimento mais importante surgido até então, o qual, é claro, tendia muito em direção a mensagens religiosas e morais.

Quando as sociedades adquiriram consciência do conhecimento que se havia acumulado, uma ocorrência que pode ter sido associada ao advento da alfabetização, grupos tentaram estabelecer o que era conhecido de maneiras que fossem claras, sistemáticas e facilmente entendidas pela geração seguinte. Na tradição ocidental secular, os filósofos pré-socráticos foram os primeiros indivíduos a buscar ordenar o conhecimento existente. Seus sucessores � Sócrates, Platão e, mais especialmente, Aristóteles � esforçaram-se para organizar não apenas o conhecimento sobre como vivemos, mas também, talvez especialmente, o conhecimento existente sobre o mundo como ele era entendido na época. Os livros de Aristóteles � Física, Metafísica, Poética, Retórica, entre muitos outros � repre-

Ver todos os capítulos
Medium 9788536309255

Capítulo 02 - A mente disciplinada

Howard Gardner Grupo A PDF Criptografado

A mente disciplinada

A mais importante descoberta científica em relação à aprendizagem nos

últimos anos vem de pesquisadores da cognição que examinaram a compreensão por parte dos alunos. Em um paradigma típico, um aluno de ensino médio ou de faculdade deve elucidar uma descoberta ou um fenômeno que não conhece, mas que se presta a ser explicado a partir de um conceito ou de uma teoria já estudados. Os resultados são surpreendentes, constantes e desalentadores. A maioria dos alunos, incluindo os que freqüentam nossas melhores escolas e recebem as notas mais altas, não conseguem explicar o fenômeno sobre o qual estão sendo questionados. Ainda mais preocupante, muitos deles dão exatamente a mesma resposta daqueles que nunca cursaram disciplinas relacionadas ao tema e supostamente nunca tiveram contato com os conceitos relacionados a uma explicação adequada. Usando a terminologia sobre a qual falarei posteriormente, esses alunos podem ter acumulado muito conhecimento factual ou temático, mas não aprenderam a pensar de maneira disciplinada.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536309255

Capítulo 07 - Conclusão: Rumo ao cultivo das cinco mentes

Howard Gardner Grupo A PDF Criptografado

Conclusão

Rumo ao cultivo das cinco mentes

O projeto apresentado neste livro é ambicioso, até mesmo grandioso.

Algumas vezes, eu me senti sufocado pelo desafio de desenvolver esse quinteto de mentes e depois orquestrar sua interação harmônica em uma pessoa

(ou uma população) que vive em nosso mundo global. Mesmo assim, pareceu valer a pena. É melhor que uma meta exceda nosso alcance do que ter um objetivo muito reduzido ou muito estreito.

Agora, chegou a hora de avaliar � repassar as principais afirmações e esclarecer algumas questões que permanecem abertas. Neste livro, falei muito de síntese. Não hesitei em elogiar algumas delas, enquanto expressava reservas acerca de outras. Dessa forma, o desafio da síntese está em minhas mãos. Na série de quadros a seguir, de configuração semelhante, recapitulo as principais características de cada tipo de mente. Após, discuto alguns dos obstáculos à formação dessas mentes, especulo sobre a ordem em que elas devem ser desenvolvidas e depois apresento sugestões sobre como o conjunto de mentes pode ser melhor cultivado.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715802

Capítulo 55. Por que brigamos tanto nas eleições? a psicologia da discórdia

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A ePub Criptografado

Os últimos tempos não têm sido muito fáceis, e, assim como eu, você também já deve ter percebido isso. Como se não bastassem as inquietudes pessoais e os dilemas da vida cotidiana, sempre tão intensos, agora também se somam as questões políticas, que contribuem de maneira marcante para que o presente fique ainda mais conturbado.

São opiniões incessantes sobre as eleições enviadas pelos aplicativos de mensagens, redes sociais que transbordam afirmações de rancor e de indignação, matérias na mídia que expõem essa “ferida social” aberta, etc., e mesmo que não deseje participar dessa correnteza turbulenta, não há muita escolha, você será arrastado.

Do ponto de vista da saúde mental, ninguém se deu conta, ainda, de que esse bombardeamento de informações negativas inevitavelmente cria efeitos bastante nocivos à nossa mente. Não é de hoje que se sabe que, quanto mais notícias ruins são veiculadas, maiores serão as chances de o nosso cérebro reagir de forma protetora, liberando hormônios do estresse que aceleram nossos batimentos cardíacos, aumentam a pressão sanguínea, mudam os padrões de alimentação e de sono e alteram de maneira expressiva o nosso humor.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715802

Capítulo 26. Entender que a vida é feita de ciclos pode reduzir o estresse no fim do ano

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A ePub Criptografado

No período de fim de ano, temos que superar uma das fases mais turbulentas: as festas comemorativas. Elas podem começar com os fatídicos amigos secretos do trabalho e chegar, inevitavelmente, ao encontro das celebrações do Natal.

Talvez até existam pessoas que nem comemorem essas festas, mas uma coisa é certa: há uma mudança clara no comportamento de todos e é quase impossível não ser afetado por ela.

O primeiro passo é manejar a contagem regressiva dos dias que se aproximam dessas datas de recesso. Sabemos, por experiências anteriores, que, no fim do ano, fazemos um balanço mental das conquistas e dos fracassos que obtivemos.

Como nosso cérebro não tem muita facilidade para deixar as situações e os eventos “em aberto”, nossa biologia nos empurra, portanto, para fazer certas avaliações finais, quer desejemos ou não. Assim, o cansaço físico e mental já interfere, de maneira expressiva, para não termos uma perspectiva muito animadora. E esse processo de verificações pessoais, devo dizer, não é das tarefas mais fáceis.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715802

Capítulo 36. A perda de peso e a mudança nos relacionamentos afetivos

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A ePub Criptografado

É de conhecimento geral o impacto da obesidade em todo o mundo. Considerada uma epidemia global, afeta uma em cada dez pessoas. No Brasil, a obesidade chega a 53,9% da população em geral, levando-se em conta crianças e adultos. Entre os adultos, pouco mais de 50% já são obesos.1, 2

Ao criar desdobramentos em praticamente todas as esferas de nossa existência, a obesidade interfere nas relações sociais, impacta a economia e se faz notar de maneira expressiva em nossa saúde e em nosso bem-estar mais imediato.3 De todas as tentativas de controle, a cirurgia bariátrica tem sido uma das opções mais discutidas quando o assunto é o alto índice de massa corporal (IMC).4

Para saber seu IMC, divida seu peso pela sua altura, depois divida o resultado novamente pela altura. Se o resultado estiver entre 18,5 e 24,9, seu IMC está dentro da normalidade. IMC ≥ 25 indica sobrepeso; ≥ 30 indica obesidade. Com um IMC ≥ 35, você pode ser um candidato para cirurgia bariátrica, caso tenha diabetes; com um resultado ≥ 40, porém, a cirurgia seria recomendada mesmo sem nenhuma doença.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715802

Capítulo 19. Por que adiamos algumas atitudes? entenda os mecanismos da procrastinação

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A ePub Criptografado

Todos nós, diariamente, fazemos planos para modificar nossa vida. Planejamos começar um certo regime, ler um determinado livro, fazer algum exame e, claro, atingir o desejado equilíbrio financeiro.

Não estamos falando aqui apenas das coisas mais significativas, mas também das situações corriqueiras de resolução de problemas menores do cotidiano, como, por exemplo, arrumar uma gaveta que acumula todo tipo de objetos ou, ainda, fazer a limpeza de nosso armário de roupas, dispensando aquilo que não usamos, pois é notável esse tipo de acomodação. E, como resultado, algo bem conhecido por todos nós sempre acontece, ou seja, passa-se o tempo e, simplesmente, não realizamos as pendências.

E vamos deixando para a próxima semana, ou seja, o velho autoengano de insistirmos ingenuamente que, “em breve”, tudo estará sendo resolvido. E, assim, passam-se semanas, meses e, muitas vezes, anos, e os problemas continuarão por lá, assombrando nossa consciência.

Caso você não saiba, esse mecanismo mental tem um nome clássico na psicologia: chama-se procrastinação, ou seja, o ato de deixar para depois, de adiar resoluções que precisariam ser tomadas no momento presente, mas que, por alguma razão, acabam sendo esquecidas e perpetuadas indefinidamente.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715802

Capítulo 39. A atenção dos pais pode influenciar no desenvolvimento do bebê

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A ePub Criptografado

Não é novidade para nenhum de nós que a primeira infância é de vital importância para o desenvolvimento do cérebro de uma criança.

Investigações já comprovaram que ser criado em um ambiente familiar com mais tranquilidade e equilíbrio tem o poder de transmitir uma dose positiva de segurança emocional às crianças, o que favorece a construção de uma autoestima mais fortalecida e uma melhor capacidade para lidar com o estresse à medida que se desenvolvem, além de boas habilidades para o manejo das situações interpessoais futuras.

Assim, aqueles filhos que são criados em ambientes com mais atenção parental se sentirão mais seguros, aumentando progressivamente a construção da autonomia e da independência, que ainda estão em formação nas fases iniciais da vida.

E o oposto é igualmente verdadeiro: crianças criadas em ambientes caóticos e desorganizados desenvolvem maiores vulnerabilidades emocionais, o que resulta em uma infância e adolescência mais problemáticas; em uma grande parcela dos casos, essas dificuldades ainda são perceptíveis na vida adulta.1

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715802

Capítulo 38. O açúcar consumido durante a gravidez pode causar impactos severos nas crianças

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A ePub Criptografado

Não é de hoje que algumas pesquisas se debruçam sobre os efeitos que certos alimentos consumidos pelas mães durante a gestação podem criar na saúde do feto. Cafeína, gordura, alguns queijos não pasteurizados (como camembert e brie) e carne crua, entre outros, já foram objetos de estudos e de reiterados avisos sobre os impactos na formação do bebê.1

Também é de amplo conhecimento que uma alimentação desbalanceada durante a gravidez pode privar o organismo de cálcio, ferro, iodo e outras vitaminas, o que, após o nascimento, leva a deficiências significativas na capacidade de aprendizagem da criança, cria problemas comportamentais que provocam atraso no desenvolvimento da linguagem e causa piora expressiva no desenvolvimento de certas habilidades motoras, se comparadas às de crianças que foram bem nutridas e alimentadas.2

Um novo estudo, no entanto, procurou examinar a possível associação entre o consumo de açúcar (sacarose, frutose, bebidas adoçadas, refrigerantes dietéticos e sucos de frutas) e as habilidades futuras de raciocínio, exibidas após o nascimento da criança.3 Embora isso já tenha sido pesquisado anteriormente, os achados agora vão um pouco mais além. Ainda que o material não tenha sido publicado, já podemos analisar com mais cuidado os resultados.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715802

Capítulo 57. Por que existem pessoas preconceituosas? entenda por que julgamos o outro

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A ePub Criptografado

Imagine uma criança que acabou de nascer e, sem experiências anteriores, começa a interagir com o meio ambiente. Como se sua mente fosse ainda um papel em branco, sem qualquer registro anterior, as vivências vão, aos poucos, criando um pequeno rastro de experiências, que vai sendo registrado. É dessa forma que a vida compila as primeiras memórias no cérebro infantil.

Obviamente, a consciência, como a entendemos na idade adulta, está longe de existir, e apenas as impressões do que estamos passando são vagarosamente catalogadas. Como estamos em pleno crescimento, ainda não enxergamos bem, não ouvimos corretamente e nossa coordenação motora ainda não é satisfatória.

Apenas próximo aos 2 anos de idade é que a nossa autoconsciência surge e, com ela, seguimos a passos largos, aprendendo e aprimorando as experiências de vida pelas quais vamos nos submetendo.

É assim que adquirimos repertórios dos mais variados comportamentos, como, por exemplo, como reagir frente às pessoas conhecidas, como interagir com os estranhos, como obter o que desejamos de nossos pais (p. ex., fazendo “gracinhas” ou birra), e compomos, assim, um esquema mental maior de ações, sempre à disposição para ser consultado quando uma nova situação se apresenta.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715802

Capítulo 2. Estresse na gravidez? o trauma pode ser herdado pelos filhos?

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A ePub Criptografado

Já se tornou um clássico, em praticamente todas as narrativas de saúde mental, associar experiências de privação e de abuso vividas nos primeiros anos de vida à (quase) inevitável ocorrência de dificuldades na vida adulta.

Existe muitos textos e investigações científicas a esse respeito e, se eu fosse listá-los, ainda que de maneira genérica, levaria alguns meses para explicá-los por completo.

Claro, desde cedo, a costumeira má relação com algum membro da família, que se arrasta por toda uma existência, é, possivelmente, apontada como a base das mazelas e das inquietudes pessoais da maturidade. Prato cheio para terapeutas e analistas de todos os gostos e espécies.

Pois bem, para além das teorias mais atuais, entretanto, há certas pesquisas que têm analisado alguns elementos que fogem dessa “paisagem psicológica” mais tradicional e que merecem sua atenção: existiriam fatores que podem impactar na saúde mental antes mesmo do nascimento do bebê?

Descobriu-se que o período pré-natal do desenvolvimento humano é, na verdade, um momento em que o meio ambiente exerce uma influência significativa na modelação da fisiologia do feto.

Ver todos os capítulos

Carregar mais