40 capítulos
Medium 9788520431672

9. Treinamento corporal global

HAAS, Jacqui Greene Editora Manole PDF Criptografado

C

9

O

TREINAMENTO

CORPORAL GLOBAL

P Í T U

L

A

O

campo da anatomia e da pesquisa em dança tem apresentado enorme crescimento, o que é um fator de motivação para todos aqueles que se dedicam a essa área.

Excelentes especialistas em medicina da dança podem ser encontrados em todo o mundo, e sua paixão por auxiliar os dançarinos continua a crescer. No entanto, o real valor desse desenvolvimento está em benecifiá-lo, quer você seja dançarino ou professor. Pesquisas em andamento publicadas em jornais médicos fornecem informações aos especialistas em medicina da dança para ajudar você. Por exemplo, estudos têm mostrado que incluir simples exercícios de condicionamento dos flexores do quadril em sua rotina diária pode melhorar a altura de seu développé. Pesquisas também concluem que o uso excessivo do quadríceps femoral com rotação lateral deficiente pode causar dor e lesão no joelho. Adicionar exercícios específicos para dança ao seu treinamento aumentará seu desempenho e diminuirá os riscos de lesão.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520433027

4. Flexibilidade relaxada

FRANKLIN, Eric Editora Manole PDF Criptografado

CAPÍTULO4

Flexibilidade relaxada

R

itmo, fluxo, postura e liberdade de movimento são conceitos-chave de dança relacionados ao nível de tensão e flexibilidade do seu corpo. Por exemplo, o músculo trapézio conecta a cabeça à coluna e às escápulas.

Quando ele é habitualmente encurtado, ele puxa a cabeça para trás e as escápulas para trás e para cima. Para encontrar o eixo central e liberar as pernas, você precisa relaxar esse músculo. É difícil realizar piruetas ou se equilibrar bem se o trapézio estiver tenso, mas ter o trapézio contraído é comum em muitos dançarinos.

Estar livre de tensão não representa apenas um sentimento agradável; isso é essencial para a dança. Este capítulo tem como objetivo ajudar a experimentar a relação entre flexibilidade e tensão e melhorar a técnica ao reduzir a tensão. O capítulo também descreve os princípios básicos do alongamento seguro e explica como acentuar o alongamento com a imagem corporal, abordando as principais áreas do corpo que sofrem tensão, como os ombros e pescoço, e descrevendo o papel dos órgãos na flexibilidade.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520436271

3. Estruturando um programa de dança

CONE, Theresa Purcell; CONE, Stephen L. Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo

3

Estruturando um programa de dança

O

ensino da dança não é apenas desafiador, é também muito gratificante. A escolha da melhor maneira para apresentar uma experiência de dança, ou de uma unidade de estudo, é um processo de aprendizagem contínuo. Em cada uma das aulas que ensina, você aprende algo novo sobre o conteúdo, a sequência da tarefa e a resposta esperada de seus alunos. É uma atividade dinâmica, através da qual você está constantemente avaliando suas aulas e introduzindo modificações para a próxima seção. Neste capítulo, apresentamos ideias para o desenvolvimento de um programa anual, assim como para unidades de estudo e aulas individuais. É possível que sua escola já conte com um currículo de dança que sirva de diretriz para suas aulas, mas também pode ser que a estruturação desse currículo dependa de você. Nas duas situações, o planejamento é essencial. Para começar, você deve procurar conhecer seus alunos, compreender os objetivos da escola e identificar os elementos fundamentais do programa de dança. Leve em conta os parâmetros educacionais em nível nacional, estadual e local, necessários

Ver todos os capítulos
Medium 9788520440018

7. Punho e mão

STAUGAARD-JONES, Jo Ann  Editora Manole PDF Criptografado

Punho e mão

7

O punho e mão são compostos por 27 ossos, inúmeros ligamentos e muitos músculos e tendões, que fornecem motricidade aos dedos. O punho e a palma da mão abrigam os oito ossos do carpo, cuja fileira proximal compreende o escafoide, o semilunar, o piramidal e o pisiforme, articulando-se com o rádio e a ulna para formar a articulação radiocarpal.

É aqui que ocorrem as principais ações do punho; como uma articulação condiloide (elipsoide), pode realizar a flexão, a extensão, a abdução e a adução. A combinação dessas quatro ações é a circundução.

Cap. 7ok.indd 117

13/8/15 11:19 AM

118

Exercício e movimento: abordagem anatômica

PUNHO E MÃO

A fileira distal dos ossos carpais, que compreende o trapézio, o trapezoide, o capitato e o hamato, une-se aos cinco metacarpais, que se articulam com as falanges proximais. Do mínimo ao indicador, cada dedo tem três falanges, enquanto o polegar só tem duas. Essa articulação metacarpofalângica também é uma articulação condiloide. As articulações interfalângicas são articulações em dobradiça, em que ocorrem a flexão e a extensão dos dedos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520440018

6. Articulações do cotovelo e radiulnar

STAUGAARD-JONES, Jo Ann  Editora Manole PDF Criptografado

Articulações do cotovelo e radiulnar

6

Articulação do cotovelo

A articulação do cotovelo é composta pelo úmero (osso do braço), rádio e ulna (os dois ossos do antebraço, sendo a ulna o mais medial). Na extremidade distal do úmero estão a tróclea e o capítulo, que juntos formam parte da articulação do cotovelo com o rádio e a ulna.

Articulação radiulnar

Muitas vezes confundida com a articulação do cotovelo, a articulação radiulnar é uma articulação rotatória distinta, classificada como uma articulação em pivô. É uniaxial, atuando apenas no plano horizontal/transversal, realizando os movimentos rotacionais de supinação e pronação.

Cap. 6ok.indd 105

13/8/15 11:17 AM

106

Exercício e movimento: abordagem anatômica

ARTICULAÇÕES DO COTOVELO E RADIOULNAR

Articulação do cotovelo

O cotovelo é uma articulação em dobradiça verdadeira (gínglimo), o que significa que atua apenas no plano sagital e pode realizar apenas as ações de flexão e extensão. Os ligamentos e músculos trabalham em conjunto para fornecer estabilidade e mobilidade à articulação.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos