142 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788582714683

Capítulo 2. O ambiente físico

Michael L. Cain, William D. Bowman, Sally D. Hacker Grupo A PDF Criptografado

2

CONCEITOS-CHAVE

CONCEITO 2.1  O clima é o componente mais importante do ambiente físico.

CONCEITO 2.2  Os ventos e

as correntes oceânicas resultam de diferenças na radiação solar ao longo da superfície terrestre.

CONCEITO 2.3  Os padrões de circulação atmosférica e oceânica de larga escala estabelecem os padrões globais de temperatura e precipitação.

CONCEITO 2.4  Os climas

regionais refletem a influência de oceanos e continentes, montanhas e vegetação.

CONCEITO 2.5  As variações climáticas sazonais e de longo prazo estão associadas a variações na posição da Terra em relação ao Sol.

CONCEITO 2.6  Salinidade, acidez e concentração de oxigênio são os principais determinantes do ambiente químico.

O ambiente físico

A variação climática e a abundância do salmão: Estudo de Caso

Os ursos-pardos da costa noroeste do Pacífico presenteiam-se sazonalmente com os salmões que chegam em grandes números para se reproduzir nos riachos da região (Figura 2.1). Os salmões são anádromos, isto

Ver todos os capítulos
Medium 9788521634478

CAPÍTULO 12 Habitats Oceânicos e Suas Biotas

Paul R. Pinet Grupo Gen PDF Criptografado

Oh! Houve no Grande Atlântico,

Em meio às tempestades equinociais,

Um jovem que caiu no mar

Entre os tubarões e baleias.

Como um raio de luz ele caiu,

Tão rapidamente para baixo ele foi,

Até que uma sereia o acudiu

No fundo do mar azul profundo.

— Oh! Houve no Grande Atlântico

~ Anônimo

Habitats Oceânicos e Suas Biotas

12

Apresentação

Neste capítulo, apresentamos uma visão geral da vida marinha e alguns dos seus habitats que se estendem pela plataforma continental e no mar aberto. Começamos o estudo examinando alguns padrões gerais de distribuição e comportamento dos plânctons e peixes que habitam a água da plataforma. Então, investigamos a natureza física do fundo do mar da plataforma e, em particular, o caminho no qual a energia de fundo controla o tamanho do grão do substrato e, assim, a composição das comunidades bentônicas. Em seguida, investigamos a coluna de água do oceano aberto, focando nas suas populações planctônicas e em seus peixes pelágicos de aparência estranha. Por fim, exploramos as notáveis diversidades de espécies do fundo do mar profundo e examinamos o efeito que a alta pressão hidrostática exerce nas velocidades de decomposição bacteriana.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582714683

Capítulo 8. Ecologia comportamental

Michael L. Cain, William D. Bowman, Sally D. Hacker Grupo A PDF Criptografado

8

CONCEITOS-CHAVE

CONCEITO 8.1  Uma

abordagem evolutiva ao estudo sobre o comportamento leva a predições testáveis.

CONCEITO 8.2  Animais fazem escolhas comportamentais que aumentam seu ganho energético e reduzem seu risco de se tornarem presas.

CONCEITO 8.3 

Os comportamentos de acasalamento refletem os custos e os benefícios do cuidado parental e da defesa do parceiro.

CONCEITO 8.4  Existem vantagens e desvantagens na vida em grupos.

Ecologia comportamental

Assassinos de filhotes: Estudo de Caso

Leões são únicos entre os felinos, pois vivem em grupos sociais (prides).

Um grupo típico de leões contém de 2 a 18 fêmeas adultas e seus filhotes, junto com alguns machos adultos. As fêmeas adultas são o núcleo do grupo e têm parentesco próximo: são mães, filhas, tias e primas. Os machos adultos em um grupo também podem ser parentes próximos (p. ex., irmãos ou primos), ou podem formar uma coalizão de indivíduos sem parentesco, que ajudam uns aos outros.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532233

7.5 Avaliação de Desempenho Ambiental

Rildo Pereira Barbosa, Paulo Roberto Barsano Editora Saraiva PDF Criptografado

são conhecidos como autodeclarações, porque a parte que realiza a reivindicação ambiental a faz sem verificação independente.

�� Programas de 2ª- parte

São os programas que envolvem a rotulagem para produtos ou embalagens concedida por associações comerciais, que não estão ligadas à fabricação ou venda direta do produto. As categorias de informação desses programas podem ser estabelecidas pelo setor industrial ou por organismos independentes.

�� Programas de 3ª- Parte

São os programas que envolvem a rotulagem de produtos ou embalagens, independentemente da produção ou venda dos produtos, não estão ligados à sua fabricação ou venda. Como exemplo, temos as instituições governamentais, as instituições do setor privado e as organizações sem fins lucrativos.

7.4  Avaliação do Ciclo de Vida

A Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) é uma excelente forma de examinar o impacto total de um produto em cada etapa de sua vida, desde a obtenção de matéria-prima até o seu descarte final, passando pela forma como é fabricado, a venda no mercado e seu uso domiciliar. tento!

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532233

6.7 Sustentabilidade cívica

Rildo Pereira Barbosa, Paulo Roberto Barsano Editora Saraiva PDF Criptografado

instituiu, em 1995, um instrumento legal de regulamentação para a liberação de financiamentos. Trata-se de um documento chamado

Protocolo Verde, que atende ao artigo 12 da Política Nacional do Meio

Ambiente (Lei nº 6.938/81), que especifica: “As entidades e órgãos de financiamento e incentivos governamentais condicionarão a aprovação de projetos habilitados a esses benefícios ao licenciamento, na forma desta Lei, e ao cumprimento das normas, dos critérios e dos padrões expedidos pelo Conama.”

O documento é o resultado do grupo de trabalho formado pelo governo brasileiro e os principais bancos nacionais (Caixa Econômica

Federal, Banco do Brasil, Banco da Amazônia, entre outros), responsáveis pela concessão de linhas de crédito; os Ministérios do

Meio Ambiente, Agricultura, do Abastecimento e Reforma Agrária, e Recursos Hídricos; e outros órgãos públicos ligados à União, com diretrizes, objetivos e princípios gerais de compromisso público, sendo eles:

�� financiar o desenvolvimento com sustentabilidade, por meio de linhas de crédito e programas que promovam a qualidade de vida da população, o uso sustentável dos recursos naturais e a proteção ambiental;

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532233

10.1 Introdução

Rildo Pereira Barbosa, Paulo Roberto Barsano Editora Saraiva PDF Criptografado

10.1  Introdução

O homem é parte integrante de um todo. Partindo desse princípio, a educação ambiental tem como finalidade não só integrar o ser humano nas questões que tratam do meio ambiente, mas delegar as responsabilidades que lhe cabem na sua preservação e a garantia dos recursos necessários para a sobrevivência das gerações futuras, o que não é possível alcançar mediante retórica acadêmica e datas comemorativas.

Negligência

Falta de cuidado ou de atenção; em que há descuido ou desatenção.

A educação ambiental é importante, pois se trata de um processo com dimensões abrangentes que aborda os temas ambientais de forma globalizada, considerando que o nosso planeta é um ser vivo que reage a transformações de acordo com as ações antrópicas a que está sujeito.

Ou seja, os impactos (negativos ou positivos) estão diretamente relacionados às alterações realizadas pelo homem, que, por sua vez, sofrerá proporcionalmente as consequências de sua negligência, imprudência ou imperícia no trato com o meio ambiente em que vive.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532233

PARA EXERCITAR

Rildo Pereira Barbosa, Paulo Roberto Barsano Editora Saraiva PDF Criptografado

FIGURA 6.6  �Incentivar a plantar é uma atividade saudável e que ajuda a natureza.

158

Meio Ambiente

Guia Prático e Didático

PARA EXERCITAR

1

Trabalho em grupo. Cada aluno do grupo deve escolher um dos 10 princípios de orientação do Pacto Global e escrever suas conclusões quanto ao princípio escolhido no contexto do desenvolvimento sustentável.

2

Casos de trabalho escravo e infantil são uma realidade em algumas regiões remotas de nosso planeta, infelizmente. Pesquise casos do tipo, inclusive, relacionando os produtos, as atividades e como a situação foi resolvida. É importante lembrar a importância de se boicotar e denunciar empresas e serviços que comprovadamente exerçam essa prática em seus negócios.

3

Pesquise corporações que foram agraciadas com certificados oficiais de responsabilidade social e quais foram as suas contribuições para que conseguissem a certificação. Escreva os principais pontos.

4

A finalidade dos relatórios da GRI é: a) Adotar a coleta seletiva no lixo doméstico. b) Financiar o desenvolvimento da sustentabilidade. c) Declaração Universal dos Direitos Humanos. d) Desenvolver relatórios de sustentabilidade.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532233

8.2 Ecoeficiência

Rildo Pereira Barbosa, Paulo Roberto Barsano Editora Saraiva PDF Criptografado

�� Produtos: reduzir os impactos negativos ao longo do ciclo de vida dos produtos até um design adequado.

�� Serviços: incorporar as preocupações ambientais aos projetos e fornecimentos de serviços.

Para alcançar os objetivos da PML, o empresariado deve conscientizar todo o seu corpo de funcionários sobre a essência do programa e praticá-lo, de modo a se alcançar uma padronização de conduta e procedimentos. Para isso, é necessário informação e capacitação para assimilação dessas diretrizes, o que deve ser feito por meio de orientação especializada. Essa orientação é oferecida pelos Centros Nacionais para a Produção Mais Limpa de cada país, que atuam em conjunto com a

Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial.

No Brasil, essa atribuição institucional está delegada ao SENAI/RS, que

é incorporado à Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul e tem como finalidade fornecer suporte técnico para a implantação do PML.

Para que se adequem à legislação ambiental, as pequenas e médias empresas que necessitam de recursos financeiros para investir em equipamentos e projetos que visem redução, controle e reciclagem dos resíduos e eficiência energética podem usar as linhas de crédito disponíveis em várias instituições bancárias. O Centro Nacional para Produção

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532233

PARA EXERCITAR

Rildo Pereira Barbosa, Paulo Roberto Barsano Editora Saraiva PDF Criptografado

PARA EXERCITAR

1

Pesquise empresas e produtos que se adequaram à ecoeficiência, tomando como parâmetros as seguintes diretrizes: a) reorientação dos processos industriais; b) revalorização dos subprodutos; c) redesenho dos produtos; d) recolocação no mercado.

2

Sua empresa é ecoeficiente? Faça uma análise do seu local de trabalho e um relatório dos pontos positivos e negativos.

3

A Lei nº 15.374 2011, que proibiu a venda e a distribuição de sacolinhas plásticas nos supermercados, repercutiu na mídia e dividiu opiniões por causa dos aspectos ambientais, econômicos e sociais envolvidos no tema. Faça um levantamento sobre os seguintes aspectos citados para a defesa de sua opinião: a) aspectos ambientais; b) aspectos econômicos; c) aspectos sociais.

4

O coprocessamento, a pirólise e a compostagem são exemplos de mecanismos de desenvolvimento limpo que foram citados neste capítulo. Você conhece outros? Pesquise e descreva como funcionam e qual é a sua finalidade.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532233

2.3 Legislação Federal do Meio Ambiente

Rildo Pereira Barbosa, Paulo Roberto Barsano Editora Saraiva PDF Criptografado

2.3  Legislação Federal do

Meio Ambiente

A legislação ambiental brasileira3 é considerada uma das mais bem elaboradas e completas do mundo. Abrange leis, decretos, resoluções e demais regulamentos que tratam do assunto. Segue um apanhado bastante completo de leis e outras normas que definem as obrigações, as responsabilidades e as atribuições tanto de empregadores e empregados quanto do Poder Público nas várias esferas (federal, estadual e municipal).

1. Lei nº 5.197, de 3 de janeiro de 1967: dispõe sobre a proteção à

fauna e dá outras providências.

2. Lei nº 5.318, de 26 de setembro de 1967: institui a Política

Nacional de Saneamento e cria o Conselho Nacional de Saneamento.

3. Lei nº 6.535, de 15 de janeiro de 1978: inclui no rol das áreas

de preservação permanente as florestas situadas em Regiões

Metropolitanas.

4. Lei nº 6.607, de 7 de dezembro de 1978: declara o pau-brasil

como “árvore nacional”, institui o Dia do Pau-Brasil e dá outras providências.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582714683

Capítulo 22. Oferta e ciclagem de nutrientes

Michael L. Cain, William D. Bowman, Sally D. Hacker Grupo A PDF Criptografado

22

CONCEITOS-CHAVE

CONCEITO 22.1  Aportes

nutricionais em ecossistemas ocorrem por meio da decomposição química dos minerais das rochas ou por meio da fixação de gases atmosféricos.

CONCEITO 22.2 

Transformações químicas e biológicas nos ecossistemas alteram a forma química e a oferta de nutrientes.

CONCEITO 22.3 

Os nutrientes circulam através dos componentes dos ecossistemas.

CONCEITO 22.4 

Os ecossistemas de água doce e marinhos recebem aporte de nutrientes dos ecossistemas terrestres.

Oferta e ciclagem de nutrientes

Uma crosta frágil: Estudo de Caso

O Planalto do Colorado no oeste da América do Norte inclui vastas extensões de montanhas isoladas, formações de arenito detalhadamente recortadas, cânions multicoloridos e profundamente escavados. Uma das feições mais raras dessa região bela e acidentada, no entanto, ocorre em uma escala muito pequena: trata-se de uma área com solo convoluto e escuro (Figura 22.1). Examinando mais de perto, o solo se parece com a miniatura de uma paisagem de montanhas e vales, cobertos com manchas pretas, verde-escuras e brancas semelhantes a líquens. A comparação é apropriada, pois essa crosta na superfície do solo, conhecida simplesmente como crosta biológica (ou crosta criptobiótica), é composta por uma mistura de centenas de espécies de cianobactérias, líquens e musgos

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532233

3.5 Políticas Internacionais

Rildo Pereira Barbosa, Paulo Roberto Barsano Editora Saraiva PDF Criptografado

3.5  Políticas Internacionais

As ações governamentais voltadas ao melhor aproveitamento dos recursos naturais, à preservação do meio ambiente e a melhorias na qualidade de vida ambiental são muito importantes. Cada país deve adotar um modelo de gestão conforme suas particularidades geográficas, mas sempre em consonância com os objetivos comuns a todos os demais. Partindo do princípio de que o planeta Terra funciona como um todo e os seus ecossistemas estão interligados, a preservação da vida e dos recursos que ela oferece é responsabilidade de todas as nações, portanto, é necessário que haja uma força conjunta que estabeleça as diretrizes para resolver os problemas da degradação ambiental.

Assim, é importante que todos os países participem dos esforços internacionais e das políticas globais de desenvolvimento sustentável, tendo em vista que essas iniciativas não focam apenas na questão ambientalista (no sentido da preservação dos recursos naturais apenas), mas também nos aspectos sociais e culturais de cada localidade.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582713662

Capítulo 17 - Embriogênese

Lincoln Taiz, Eduardo Zeiger, Ian Max Møller, Angus Murphy Grupo A PDF Criptografado

17

Embriogênese

A

s plantas mostram um intrigante contraste no desenvolvimento em relação aos animais, não somente com respeito às suas diversas formas, mas também em como essas formas surgem. Uma sequoia, por exemplo, pode crescer por milhares de anos antes de alcançar um tamanho suficientemente grande para um automóvel passar através de seu tronco. Por outro lado, um indivíduo de Arabidopsis pode completar seu ciclo de vida em pouco mais de um mês, dificilmente produzindo mais do que um punhado de folhas (Figura 17.1). Mesmo sendo diferentes, as duas espécies utilizam mecanismos de crescimento comuns a todas as plantas multicelulares, nas quais a forma é elaborada gradualmente por meio de processos adaptativos de crescimento pós-embrionário. Animais, em comparação, em geral têm um padrão de desenvolvimento mais previsível, no qual o plano básico corporal é amplamente determinado durante a embriogênese.

Essas diferenças entre plantas e animais podem ser compreendidas parcialmente em termos de estratégias de sobrevivência contrastantes. Sendo fotossintéticas, as plantas dependem de padrões de crescimento flexíveis que permitem a elas se adaptar a locais fixos onde as condições podem ser inferiores ao ideal, especialmente em relação à luz solar, e variar com o tempo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532233

PARA EXERCITAR

Rildo Pereira Barbosa, Paulo Roberto Barsano Editora Saraiva PDF Criptografado

FIGURA 1.23  �Logomarca do Ibama.

Para o desempenho de suas funções, o Ibama poderá atuar em articulação com os órgãos e as entidades da administração pública federal, direta e indireta, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios integrantes do Sistema Nacional de Meio Ambiente (Sisnama) e com a sociedade civil organizada, para a consecução de seus objetivos, em consonância com as diretrizes da política nacional de meio ambiente.

O Ibama tem como principais atribuições:

�� exercer o poder de polícia ambiental;

�� executar ações das políticas nacionais de meio ambiente, referentes às atribuições federais, relativas ao licenciamento ambiental, ao controle da qualidade ambiental, à autorização de uso dos recursos naturais e à fiscalização, ao monitoramento e ao controle ambiental;

�� executar as ações supletivas de competência da União de conformidade com a legislação ambiental vigente;

�� propor e editar normas e padrões de qualidade ambiental;

Ver todos os capítulos
Medium 9788536532233

10.3 Educação ambiental e cidadania

Rildo Pereira Barbosa, Paulo Roberto Barsano Editora Saraiva PDF Criptografado

Veja a seguir significado e o objetivo da educação ambiental descritos nos artigos da referida lei:

Art. 1º Entendem-se por educação ambiental os processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade.

[...]

Art. 5º São objetivos fundamentais da educação ambiental:

I - o desenvolvimento de uma compreensão integrada do meio ambiente em suas múltiplas e complexas relações, envolvendo aspectos ecológicos, psicológicos, legais, políticos, sociais, econômicos, científicos, culturais e éticos;

II - a garantia de democratização das informações ambientais;

III - o estímulo e o fortalecimento de uma consciência crítica sobre a problemática ambiental e social;

IV - o incentivo à participação individual e coletiva, permanente e responsável, na preservação do equilíbrio do meio ambiente, entendendo-se a defesa da qualidade ambiental como um valor inseparável do exercício da cidadania;

Ver todos os capítulos

Carregar mais