668 capítulos
Medium 9788582714560

Capítulo 114. Cuidando do coração – nos dois sentidos

Daniel Martins de Barros Grupo A PDF Criptografado

114

CUIDANDO DO CORAÇÃO –

NOS DOIS SENTIDOS

Uma criança deprimida é de partir o coração. Literalmente. Ela e os pais têm mais riscos de infarto e outros problemas cerebrovasculares do que as crianças (e seus pais) que não tiveram depressão.

Hoje já não existe dúvida de que a depressão e infartos agudos do miocárdio (IAMs) ou acidentes vasculares cerebrais (AVCs) têm uma relação direta. Já se sabia que infartados ficavam deprimidos e também que os deprimidos tinham mais chance de enfartar, mas é recente a constatação de que ambos os problemas têm fatores de risco em comum. O estado inflamatório acima do normal que ocorre em situações como obesidade e tabagismo, por exemplo, aumenta tanto a chance de lesões nas artérias como a de alterações cerebrais, elevando o risco de IAMs e depressão, respectivamente.

Os riscos não param por aí, como demonstra uma pesquisa publicada em 2014. Os pesquisadores avaliaram quase 600 adolescentes, dividindo-os em três grupos: os que tiveram depressão na infância, os irmãos de quem teve depressão e um grupo-controle saudável. Embora 85% desses adolescentes já não estivessem deprimidos quando foram avaliados, os resultados foram preocupantes. Aqueles que tinham ficado deprimidos quando criança fumavam quase treze vezes mais do que os outros, pratica­

Ver todos os capítulos
Medium 9788527734202

31 - Tratamentos Biológicos em Psiquiatria

MELEIRO, Alexandrina Maria Augusto da Silva Grupo Gen PDF Criptografado

31

Tratamentos Biológicos em Psiquiatria

Moacyr Alexandro Rosa  Mercêdes J. O. Alves  Andre Russowksy Brunoni

Eletroconvulsoterapia

A eletroconvulsoterapia (ECT) é o tratamento biológico mais antigo e, talvez, o mais polêmico na psiquiatria, apesar da excelência absolutamente comprovada ao lon­ go de anos.

Seu surgimento se deu em 1934, quando Ladislas

Von Meduna (1896-1964), acreditando no antagonis­ mo biológico entre esquizofrenia e epilepsia, adotou o método das convulsões induzidas por cânfora. Em

1938, Ugo Cerletti (1877-1963) e Lúcio Bini (1908-1964) iniciaram o uso do estímulo elétrico para indução de convulsões terapêuticas e foram incentivados por

Meduna: “Não é a cânfora ou o metrazol que curam, mas a convulsão. Se você consegue produzir uma con­ vulsão com a eletricidade, vá em frente.”1 Em 1940,

Bennet usou o curare, pela primeira vez, durante a ECT.2

A ECT consiste na indução de crises convulsivas por meio da passagem de corrente elétrica pelo cére­ bro, com fins terapêuticos. Segundo Prudic, a ECT é o tratamento mais efetivo para depressão, atualmente disponível, já que nenhum outro se mostrou superior a ela, tratando-se de depressão maior em estudos con­ trolados.3

Ver todos os capítulos
Medium 9788582714263

C. Diagnóstico Diferencial de Transtornos Psicóticos

Michael B. First; Janet B. Williams; Rhonda S. Karg; Robert L. Spitzer Grupo A PDF Criptografado

196  DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE TRANSTORNOS PSICÓTICOS

C. DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE TRANSTORNOS PSICÓTICOS

Se nenhum dos itens relacionados aos Transtornos PsicóƟcos do Módulo B jamais foi apresentado, siga para D1 (DiagnósƟco

Diferencial de Transtornos do Humor), página 204.

Ao fazer as classificações para C1–C20, se não for possível determinar se uma classificação é “SIM” ou “NÃO”, pule para C22

(Outro Transtorno PsicóƟco Especificado), página 201.

C1

Os sintomas psicóƟcos ocorrem em momentos fora do período dos Episódios Depressivos Maiores (A12/A26) ou Maníacos (A40/A65).

A pergunta a seguir pode ser feita para maior esclarecimento: SE UM EPISÓDIO DEPRESSIVO MAIOR

OU MANÍACO JÁ FOI APRESENTADO: Já houve alguma vez que você teve (SINTOMAS PSICÓTICOS) e não estava (deprimido/elevado/irritável/TERMOS DO PRÓPRIO PACIENTE)?

SIM

NÃO

CRITÉRIOS PARA ESQUIZOFRENIA

Transtorno do Humor PsicóƟco

Vá para D1 (DiagnósƟco Diferencial de Transtornos do Humor), página 204.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527727211

10 - Reabilitação Neuropsicológica nas Alterações de Memória

MIOTTO, Eliane Correa Grupo Gen PDF Criptografado

10

Reabilitação

Neuropsicológica nas

Alterações de Memória

Eliane Correa Miotto

JJ

Introdução

As alterações de memória estão entre os problemas cognitivos mais comuns no contexto da prática clínica, especialmente em casos de lesões cerebrais adquiridas. Podem ser decorrentes da lesão per se, que afeta as estruturas límbicas cerebrais, ou secundárias a outros fatores, como déficit de atenção e de funções executivas, alteração do humor (ansiedade e depressão) e uso de medicações que afetam a cognição. As queixas de memória e os episódios de esquecimento apresentados pelos pacientes com mais frequência podem ser elencados a seguir:

• Esquecimento de fatos e conversas recentes

• Informações lidas em jornal, revista ou livro

• Local onde se guardam objetos pessoais (chaves, óculos, agenda), ou onde estacionou o carro etc.

• Trajetos a serem percorridos

• Nomes e faces de pessoas conhecidas

• Novas habilidades aprendidas

Ver todos os capítulos
Medium 9788527726955

10 - Anfetaminas

FIGLIE, Neliana Buzi; BORDIN, Selma; LARANJEIRA, Ronaldo Grupo Gen PDF Criptografado

10

Anfetaminas

Selma Bordin, Daniel Cruz Cordeiro, Neliana Buzi Figlie e

Ronaldo Laranjeira

Introdução

Dede outubro de 2011, a Agência Nacional de

Vigilância Sanitária (ANVISA) proibiu o mercado dos remédios emagrecedores. Até então, estudos mostravam que o Brasil correspondia a

50% da produção e consumo de anfetaminas de todo o planeta. A resolução da ANVISA surgiu após estudos mostrarem que esses remédios apresentavam baixa eficácia no tratamento da obesidade e alto potencial para causar dependência. As mulheres de maior escolaridade e poder aquisitivo eram as principais consumidoras desta substância.1

As anfetaminas são potentes estimulantes do sistema nervoso central, capazes de criar dependência em razão de seus efeitos euforizantes e de sua habilidade de reduzir a fadiga e aumentar o estado de alerta.2 São substâncias sintéticas; deste grupo fazem parte, além da própria anfetamina, vários outros derivados, como femproporex, metilfenidato, pemolina, mazindol, dietilpropiona e metanfetaminas.3 Apesar de seus efeitos capazes de causar dependência química, as anfetaminas podiam ser prescritas para fins clínicos. Atualmente, com sua venda proibida, o abuso dessas substâncias é cometido por pessoas que as conseguem de forma ilegal.2

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos