218 capítulos
Medium 9788520437766

1. Controle total e garantia de qualidade de produtos farmacêuticos, correlatos e cosméticos

PINTO, Terezinha de Jesus Andreoli; KANEKO, Telma Mary; PINTO, Antonio F. Editora Manole PDF Criptografado

Controle total e garantia de qualidade de produtos farmacêuticos, correlatos e cosméticos

Introdução e evolução dos conceitos clássicos de qualidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1

Gestão da qualidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4

Sistemas de administração da produção: elo com a qualidade 4

Sistemas de gestão da qualidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8

International Standard Organization (ISO) . . . . . . . . . . . . 11

Sistemas de qualidade e qualidade por design (QbD) . . . . 13

INTRODUÇÃO E EVOLUÇÃO DOS CONCEITOS

CLÁSSICOS DE QUALIDADE

A preocupação relativa à qualidade, quando associada

à atividade produtiva, foi sempre aspecto inerente ao ser humano, que busca aperfeiçoar, desenvolver, superar limites, independentemente da atividade que exerça, a fim de atender aos anseios da sociedade como consumidora.

Evidentemente que sofre influências da cultura e dos conhecimentos de cada época, desde antes do período da industrialização. A proximidade existente entre produtor-artesão e consumidor favorecia a solicitação do item desejado com definição de características específicas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527728591

32 Chumbo | Determinação no Sangue por Espectrofotometria de Absorção Atômica; Determinação da Atividade da d-Aminolevulínico Desidratase Eritrocitária por Espectrofotometria; Determinação do Ácido d-Aminolevulínico em Urina por Espectrofotometria e Croma

MOREAU, Regina Lúcia de Moraes Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo 32

Chumbo | Determinação no Sangue por Espectrofotometria de Absorção Atômica; Determinação da Atividade da d‑Aminolevulínico Desidratase Eritrocitária por

Espectrofotometria; Determinação do Ácido d‑Aminolevulínico em Urina por Espectrofotometria e Cromatografia Líquida de

Alta Eficiência

José Salvador Lepera  Natália Valadares de Moraes

Introdução

O chumbo elementar é um metal de aparência acinzentada, classificado no grupo 14 da tabela periódica, cujo principal minério é a galena (PbS). Apresenta densidade de 11,35 g/cm³ a 20°C, funde a 327,5°C, entra em ebulição a 1.740°C e a pres‑ são de vapor tem valores significativos acima de 500°C (1,77 mmHg a 1.000°C).

Embora poucos compostos de chumbo sejam francamente solúveis em água, muitos são suficientemente solúveis nos fluidos biológicos para serem tóxicos, especialmente quando inalados como fumos ou particulados finamente divididos.

Trata‑se de um metal de amplo uso industrial, do qual se exploram as propriedades de maleabilidade, ductilidade, resis‑ tência à corrosão, densidade, baixo ponto de fusão e blinda‑ gem aos raios X e gama. É componente importante em ligas para solda, condutores elétricos, tipos para impressão, muni‑

Ver todos os capítulos
Medium 9788527718080

Capítulo 3 - A Vigilância Sanitária e a Política Nacional de Medicamentos no Brasil: Medicamentos Genéricos, Similares e Novos

Sílvia Storpirtis, José Eduardo Gonçalves, Chang Chiann, María Nella Gai Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO 3

A Vigilância Sanitária e a Política Nacional de Medicamentos no Brasil: Medicamentos

Genéricos, Similares e Novos

Sílvia Storpirtis e Márcia Martini Bueno

INTRODUÇÃO

O presente capítulo reúne informações sobre o processo de estabelecimento da Vigilância Sanitária no Brasil, destacando-se as transformações que ocorreram nessa área, principalmente durante e após o período de 1990 a 1999.

Pretende-se que, após sua leitura e reflexão, o leitor tenha ferramentas para melhor compreender o arcabouço regulatório sobre registro de medicamentos no país, a partir da criação da

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) em 1999.

Certamente não constitui texto que pretenda exaurir o tema em discussão, mas aguçar o interesse por maiores detalhes, a serem pesquisados, por exemplo, em obras citadas como bibliografia complementar ao final do capítulo.

A VIGILÂNCIA SANITÁRIA

As atividades ligadas à vigilância sanitária no Brasil foram estruturadas nos séculos XVIII e XIX, para evitar a propagação de doenças nos agrupamentos urbanos que estavam surgindo. A execução dessa atividade exclusiva do Estado, por meio da polícia sanitária, tinha como finalidade observar o exercício de certas atividades profissionais, coibir o charlatanismo, fiscalizar embarcações, cemitérios e áreas de comércio de alimentos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527728591

33 Cloranfenicol | Determinação em Alimentos de Origem Animal por Cromatografia Líquida Acoplada à Espectrometria de Massas Sequencial com Eletronebulização

MOREAU, Regina Lúcia de Moraes Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo 33

Cloranfenicol | Determinação em Alimentos de Origem Animal por Cromatografia Líquida Acoplada à Espectrometria de Massas

Sequencial com Eletronebulização

Felix Guillermo Reyes Reyes  Silvia Regina Rocha Siqueira  Patrícia Aparecida de Campos Braga 

Gilberto de Nucci  José Luiz Donato

Introdução

Várias classes de substâncias antimicrobianas têm sido uti‑ lizadas na produção animal em todo o mundo. O cloranfenicol

(CLF) (Figura 33.1), pertencente à classe dos anfenicóis, foi iso‑ lado de culturas de Streptomyces venezuelae, e 2 anos mais tarde foi obtido por síntese em escala industrial.1 Foi um dos primei‑ ros fármacos antimicrobianos de largo espectro a ser rotineira‑ mente empregado, e age principalmente como bacteriostático, interferindo na síntese proteica de bactérias gram‑positivas e gram‑negativas.2,3 O CLF induz sérios efeitos tóxicos em humanos, atuando como um inibidor da síntese de proteínas e, assim, provocando supressão da medula óssea, causando ane‑ mia aplásica – doença rara, mas fatalmente irreversível.4

Ver todos os capítulos
Medium 9788520428535

6. Abordagem sobre o erro com medicação na área hospitalar

CAVALLINI, Míriam Elias; BISSON, Marcelo Polacow Editora Manole PDF Criptografado

6

ABORDAGEM

SOBRE O ERRO

COM MEDICAÇÃO

NA ÁREA

HOSPITALAR

P

odemos definir os erros com medicações como eventos que podem causar uma situação inadequada com provável dano ao paciente, mas também como eventos que podem ser evitados.

Muitos dos erros ocorridos com medicamentos geralmente não são detectados, podendo levar a um significado clínico mínimo, mas outros podem trazer sérias consequências à vida do paciente.

Dados na literatura especializada mostram a importância econômica e humanística do impacto produzido pelos erros, além do grande número de erros evitáveis, que acabam contribuindo para o aumento da morbidade e mortalidade dos pacientes.

O cuidado com o uso de medicações deve ser contínuo, devendo fazer parte dos sistemas de saúde, além de envolver todos os profissionais que estejam direta ou indiretamente ligados aos medicamentos.

Os erros com medicamentos podem ocorrer em várias fases do processo hospitalar: prescrição, padronização

(seleção), preparo, dispensação e administração dos medicamentos.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos