1510 capítulos
Medium 9788527731096

35 - Coroa Total Estética

MONDELLI, José Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

35

Coroa Total Estética

Materiais e instrumentos necessários yy Toalha plástica para bancada yy Espelho clínico plano yy Pinça clínica yy Sonda exploradora no 5 yy Micromotor com contra-ângulo convencional yy Adaptador metálico para contra-ângulo yy Escova para limpeza de brocas yy Porta-matriz com matriz de aço de 5,0 mm yy Cunhas de madeira pré-fabricadas yy Mandril para discos de lixa yy Disco de lixa de granulação grossa yy Pontas diamantadas (Figura 35.1):

XX

XX

XX

XX

A

Esféricas nos 1014 e 1015

Cilíndricas com extremidade ogival nos 2214,

2215, 3215, 3216 e 4219

Cilíndricas com extremidade arredondada nos 2143 e 3145

Troncocônicas com extremidades em forma de chama ou ponta de lápis nos 3195, 3203 e 3205

possibilidade de realizar restaurações totais sem infraestrutura metálica, com resinas de laboratório e cerâmica é, sem dúvida, uma grande vantagem do ponto de vista estético, comparada às restaurações metalocerâmicas. Dissimular a presença de metal é uma das tarefas mais difíceis para o técnico de laboratório e para o clínico, pois o metal modifica completamente a maneira como a luz que incide sobre a restauração é refletida.

Ver todos os capítulos
Medium 9788541202596

16 Tratamento Restaurador Atraumático (ART)

MASSARA, Maria de Lourdes de; RÉDUA, Paulo César Barbosa Grupo Gen PDF Criptografado

Tratamento Restaurador

Atraumático (ART)

16

Capítulo

Maria de Lourdes de Andrade Massara

Denise Stadler Wambier

Daniela Prócida Raggio

José Carlos P. Imparato

Introdução

A Associação Brasileira de Odontopediatria (abo-odontopediatria), em sintonia com a Organização Mundial de Saúde e com o Ministério da Saúde, reconhece a importância do Tratamento Restaurador Atraumático (ART), proposto por Dr. Jo E. Frencken (Universidade de Nijmegen, Holanda) e seus colaboradores, em meados dos anos 1980, dentro de um programa de atenção à saúde bucal implantado na

Faculdade de Odontologia de Dar ES

Salaam, na Tanzânia. Esta proposta surgiu da necessidade de se encontrar um método de controle do processo carioso e preservação de dentes cariados, em pessoas de todas as idades, de comunidades carentes, onde o único tratamento então oferecido era a exodontia1. Inclui um conjunto de medidas educativas e preventivas associadas às restaurações atraumáticas e tornou-se internacionalmente conhecida pela sigla ART (Atraumatic Restorative Treatment).

Ver todos os capítulos
Medium 9788541200844

Capítulo 12 - Traumatismo dentário

DUQUE, Cristiane Grupo Gen PDF Criptografado

Parte 2 - Capítulo 12

Andreza Maria Fábio Aranha | Jacques Eduardo Nör

Traumatismo dentário

2w

Duque_6p_12.indd 157

04/04/2013 11:31:17

Odontopediatria ♦ Uma visão contemporânea

Introdução

Os traumas dentários são injúrias frequentes em crianças e adolescentes, e sua prevenção tem sido um problema em função da etiologia e do grupo de idade em que ocorrem. Quando as lesões traumáticas afetam os dentes decíduos, o principal objetivo

é evitar maiores consequências ao dente afetado e, principalmente, sequelas nos germes dos dentes permanentes sucessores. Os traumas dentários na infância e adolescência são particularmente relevantes em termos de saúde pública, pelo custo do tratamento, pela necessidade de acompanhamento durante um tempo relativamente extenso visto as consequências das injúrias e pela possibilidade de prevenção.1

Aproximadamente 40% das crianças têm o seu primeiro contato com o odontopediatra em função de uma lesão traumática.2 Em vista disto, este capítulo visa fornecer informações importantes para a capacitação profissional no atendimento a crianças e adolescentes vítimas de lesões traumáticas nas dentições decídua e permanente. Serão abordados estudos epidemiológicos, fatores etiológicos, diagnóstico, tratamento das injúrias traumáticas em dentes decíduos, avulsão e reimplante de dentes permanentes jovens, e uma seção especial sobre novas perspectivas surgidas com o avanço no conhecimento sobre os mecanismos moleculares na Biologia Pulpar e sobre os tecidos de sustentação do órgão dentário.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536701936

Capítulo 5 - Dores Bucofaciais

Eduardo Grossmann; Helson José de Paiva; Angela Maria Fernandes Vieira de Paiva Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

DORES BUCOFACIAIS

Eduardo Grossmann

Aq

Aderência • Fenômeno transitório de fixação do disco à fossa mandibular ou à cabeça mandibular, devido a uma sobrecarga contínua e constante ao sistema articular. Pode ocorrer quando está presente um fenômeno que limita a abertura da boca. Por exemplo, fratura do processo condilar, no qual se estabelece um bloqueio maxilomandibular por um curto período (12 dias). Caso o indivíduo permaneça por um período mais prolongado pode ocorrer adesividade.

Adesividade • Clinicamente, pode-se observar limitação no movimento translatório. A abertura bucal oscila entre 25 e 30 mm, similar ao deslocamento do disco sem redução (DDSR). A diferença entre ambos é que, ao se fazer a manipulação mandibular (força da mandíbula para baixo), não se observa, no caso da adesividade, dor. Pode ocorrer, dependendo do caso, alteração oclusal durante o fechamento bucal.

Tal distúrbio interno pode ser visto mediante exame de ressonância magnética nuclear

Ver todos os capítulos
Medium 9788541202336

Capítulo 6 - Técnicas Radiográficas Extrabucais

FENYO-PEREIRA, Marlene; CRIVELLO JR., Oswaldo Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

6

Técnicas Radiográficas

Extrabucais

Marcelo de Gusmão Paraíso Cavalcanti, Evângelo T. Terra Ferreira,

Luciana Cardoso Fonseca e Roberto Saade

Introdução

As técnicas radiográficas denominadas extrabucais são todas aquelas nas quais o filme é posicionado fora da boca do paciente, possibilitando a realização de radiografias que favoreçam uma avaliação mais ampla das regiões craniofaciais.

Elas são utilizadas, muitas vezes, associadas às técnicas intrabucais para a obtenção de uma imagem mais rica em detalhes.

Sua indicação, em algumas situações, é imprescindível como auxiliar para um diagnóstico mais conclusivo.

Assim como em todas as radiografias, o ideal da imagem

é que ela tenha uma melhor definição possível, densidade e contraste de grau médio. Para tal resultado, precisamos conhecer bem os fatores que interferem na formação da imagem, no processamento químico adequado das películas, no posicionamento do paciente e nas medidas de proteção às radiações ionizantes.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos