512 capítulos
Medium 9788541204392

1 - Introdução à Intervenção Cognitiva e à Avaliação Cognitiva Funcional

Noomi Katz Grupo Gen PDF Criptografado

Noomi Katz, Carolyn M. Baum e Adina Maeir

1

Introdução à Intervenção

Cognitiva e à Avaliação

Cognitiva Funcional

A

terapia ocupacional é uma das principais profissões com o conhecimento e as habilidades para tratar as conse­ quências de lesões cerebrais enfrentadas por pessoas que precisam de experiência e orientação para conse­ guir as habilidades de atender às demandas de sua família, trabalho e vida comunitária. Quando um terapeuta ocupacional utiliza interven­

ções cognitivas ou permite que uma pessoa aprenda novas estratégias, ele está usando princípios de reabilitação cognitiva, mas está fazendo esse trabalho como parte da terapia ocupacional.

Este capítulo apresenta o trabalho que terapeutas e cientistas ocupa­ cionais desenvolveram para orientar a avaliação e a prática da terapia ocupacional para tratar os déficits cognitivos que limitam o cotidiano das pessoas após uma lesão ou doen­ça, ou para aquelas com distúrbios de desenvolvimento que enfrentam problemas cognitivos que amea­

Ver todos os capítulos
Medium 9788520434383

7. Força e resistência musculares

Peggy A. Houglum Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo 7

Força e resistência musculares

OBJETIVOS

Após ler este capítulo, você deverá ser capaz de:

1. Descrever o sarcolema e sua função na atividade muscular.

2. Identificar os elementos de uma unidade motora.

3. Explicar como um potencial de ação é transmitido.

4. Explicar as diferenças características entre as fibras musculares de contração lenta e de contração rápida.

5. Discutir a relação entre a força, a resistência e a potência musculares.

6. Identificar os vários tipos de atividade dinâmica.

7. Discutir as diferenças entre as atividades de cadeia cinética aberta e fechada.

8. Identificar os vários tipos de teste muscular manual.

9. Discutir os tipos de atividade muscular.

10. Listar as técnicas de FNP comumente utilizadas na reabilitação e seus propósitos.

11. Identificar quatro princípios de exercícios de fortalecimento.

Exercicio terapeutico cap. 07.indd 187

19/2/15 5:26 PM

Ver todos os capítulos
Medium 9788527734066

18 - Recursos Eletrotermofototerápicos e Bandagem Neuromuscular em Oncologia

PINTO E SILVA, Marcela Ponzio; MARQUES, Andréa de Andrade; AMARAL, Maria Teresa Pace do Grupo Gen PDF Criptografado

18

Recursos

Eletrotermofototerápicos e

Bandagem Neuro­muscular em Oncologia

Mariana Maia Freire de Oliveira  •  Laura Ferreira de Rezende  • 

Marcela Ponzio Pinto e Silva  •  Maria Teresa Pace do Amaral

Fotobiomodulação | Laser de baixa potência

A primeira evidência do uso terapêutico da luz laser de baixa potência, ou fotobiomodulação, tem origem na Hungria, em 1967, na Semmelweis Medical University. Consiste na aplicação da luz com o objetivo de promover reparo te­ci­dual, estimular a angiogênese, diminuir o processo inflamatório e edematoso, além de produzir analgesia. Em função da baixa potência (em geral inferior a 500 mW), não há evidências de aumento de temperatura te­ci­dual e, por essa razão, nenhuma alteração significativa é observada na estrutura do tecido.1

A luz laser é caracterizada como coerente, colimada, monocromática e polarizada, com grande concentração de energia, capaz de provocar alterações físicas e biológicas no tecido.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435830

17. Cefaleia – Enxaqueca

Charlotte Michael Versagi, Rita D. Woods Editora Manole PDF Criptografado

Cefaleia – Enxaqueca

17

Informações gerais

• Etiologia desconhecida.

• Desencadeada por estresse; esforço físico, privação de sono; clima quente; certos alimentos, como chocolate, frutas cítricas, cebola, café, glutamato monossódico; qualquer forma de álcool; flutuações hormonais; traumatismo craniano.

• Início na infância, com maior frequência durante a puberdade, ocorrência mantida entre os 30 e 40 anos de idade, rara após os 50 anos.

• Duração que pode variar de horas a vários dias.

• Forte predisposição genética.

• Prevalência em mulheres.

• Dois tipos: enxaqueca com aura (enxaqueca clássica) e enxaqueca sem aura (enxaqueca comum, 80% dos diagnósticos de enxaqueca).

DEFINIÇÃO

Dor de cabeça periódica, inesperada, incapacitante, pulsante.

Morbidade e mortalidade

Aproximadamente 28 milhões de pessoas, ou 10-20% da população dos Estados Unidos, sofrem de enxaqueca, das quais 17% são mulheres e 6% são homens. Antes da puberdade, a incidência é maior em homens. Após o início da puberdade, a incidência e a prevalência aumentam em ambos os gêneros. Após os 40 anos de idade, a incidência tanto para homens como para mulheres diminui drasticamente. Sintomas persistentes após os

Ver todos os capítulos
Medium 9788520432334

4. Instrumentos de avaliação respiratória

Cristiane do Prado, Luciana Assis Vale Editora Manole PDF Criptografado

4

Instrumentos de avaliação respiratória

Natasha Nicholson de Santa Maria

Albert Bousso

Introdução

A monitoração respiratória é definida como a avaliação do comportamento do sistema respiratório. Essa monitoração é de grande importância para gerenciar a conduta e a evolução da doença. Vários métodos e instrumentos surgiram ao longo dos anos tornando mais sofisticado o conhecimento do sistema respiratório. Os objetivos deste capítulo são descrever as características e as evidências dos principais instrumentos de avaliação utilizados no cotidiano hospitalar que embasam a assistência da fisioterapia.

Oximetria de pulso

A oximetria de pulso é um dos métodos não invasivos de monitoração respiratória mais utilizados nas unidades de internação, principalmente nas unidades de terapia intensiva neonatal, pediátrica e adulta, em razão do baixo custo, da praticidade e da facilidade de manuseio.

Para compreender e aplicar a oximetria de pulso, é preciso relembrar dos princípios do transporte de O2 e a curva de dissociação da hemoglobina (Hb).

A simples equação deve ser considerada:

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos