34 capítulos
Medium 9788520432488

17. Habilitação e reabilitação visual

Rodrigo Deamo Assis Manole PDF Criptografado

17

Habilitação e reabilitação visual

Marcia Caires Bestilleiro Lopes

INTRODUÇÃO

A visão é o sistema sensorial predominante e mais significativo para o desenvolvimento normal da criança. Quando a visão é deficiente, o desenvolvimento global e a capacidade de comunicação ficam prejudicados.

Na prática clínica, a eficiência visual é descrita como acuidade visual. No entanto, atualmente se sabe que, para mensurar a eficiência visual, é necessária a avaliação da funcionalidade visual. Esse procedimento é bastante complexo, pois compreende mecanismos aferentes, eferentes e cognitivos, além de fatores externos ao paciente examinado, como o tipo de estímulo e sua apresentação.

A experiência de enxergar depende de propriedades do sistema nervoso, em que redes neurais precisam estar conectadas a células especializadas em transformar energia luminosa em resposta neural, elétrica, denominadas fotorreceptoras e estão localizadas na retina. A interação entre os canais ligados a cada um dos tipos de fotorreceptor inicia a codificação da informação que atravessa os meios óticos até que haja a percepção no córtex.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520432488

8. Órteses

Rodrigo Deamo Assis Manole PDF Criptografado

8

Órteses

Ana Claudia Gomes Carreira

INTRODUÇÃO

Atualmente, o tratamento do paciente neurológico está direcionado à intervenção clínica enfocada pelo médico e à atuação de uma equipe interdisciplinar da qual o terapeuta ocupacional é um dos integrantes e é o responsável pela reabilitação funcional e pela melhora da qualidade de vida dos pacientes. Também é ele responsável por indicação, prescrição e confecção de órteses e adaptações que possam facilitar e possibilitar o desempenho funcional nas atividades da vida diária e da vida diária instrumental.

CONCEITO

Órtese, de acordo com a Organização de Normas Internacionais (International

Standards Organization), é um dispositivo aplicado externamente ao corpo usado para modificar as características estruturais ou funcionais do sistema neuromúsculo-esquelético. A órtese pode ser usada para estabilizar ou imobilizar, impedir evolução de deformidades, proteger contra lesão, promover a cura ou auxiliar a função.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520432488

9. Afasia

Rodrigo Deamo Assis Manole PDF Criptografado

9

Afasia

Silvana Oliva

Maria Carolina Lizana Monreal

Introdução

O objetivo deste capítulo é definir o que é afasia e suas principais manifestações e assim contribuir para um olhar mais amplo do fisioterapeuta no processo de reabilitação do indivíduo afásico. A comunicação é um fator essencial no contexto terapêutico e pode ocorrer de maneira insatisfatória por falta de conhecimento dos profissionais da área de saúde que atuam junto a indivíduos afásicos.

Cabe aqui ressaltar que o fonoaudiólogo é o profissional habilitado para o trabalho de linguagem. O fonoaudiólogo é um profissional de saúde e educação que atua em pesquisa, prevenção, avaliação e terapia na área da comunicação oral e escrita, da voz, da fluência, da articulação da fala, da função auditiva periférica e central, da função vestibular e dos sistemas miofuncional, orofacial, cervical e de deglutição.

O fonoaudiólogo pode atuar sozinho ou em conjunto com outros profissionais da área da saúde em unidades básicas de saúde, ambulatórios de especialidades, hospitais e maternidades, consultórios, clínicas, centros de reabilitação, home care, berçário de alto risco, escolas (regulares e especiais), empresas, indústrias, emissoras de rádio e televisão e teatro.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520432488

26. Terapia Cuevas Medek Exercises: método dinâmico de estimulação cinética

Rodrigo Deamo Assis Manole PDF Criptografado

26

Terapia Cuevas Medek Exercises: método dinâmico de estimulação cinética

Claudia Akemi Yamauti Rizzo

Renata Marques

“O maior erro que você pode cometer na vida é o de ficar o tempo todo com medo de cometer algum.”

(Elbert Hubbard)

INTRODUÇÃO

Paralisia cerebral

A paralisia cerebral (encefalopatia crônica não progressiva) é um dos diagnósticos médicos mais frequentes no âmbito da pediatria neurológica. Em razão disso, são imprescindíveis a renovação e a ampliação constante dos horizontes médicos, visando a um único objetivo: o progresso do paciente. A seguir, apresenta-se um método, em crescente desenvolvimento e ampliação no Brasil, assegurado pelos 30 anos de existência e prática clínica.

Cuevas Medek Exercises

O método Cuevas Medek Exercises (CME) é uma abordagem fisioterapêutica utilizada para o tratamento de crianças que apresentam alguma alteração no desenvolvimento motor.

O CME foi idealizado por Ramón Cuevas, fisioterapeuta chileno, durante a década de 1970. A criação desse método surgiu da necessidade de estimular de maneira mais objetiva o aparecimento de respostas motoras automáticas na criança com atraso motor. A nomenclatura atual é conhecida mundialmente como Cuevas Medek

Ver todos os capítulos
Medium 9788520432488

1. Aprendizagem motora – implicações para a reabilitação neurológica

Rodrigo Deamo Assis Manole PDF Criptografado

1

Aprendizagem motora – implicações para a reabilitação neurológica

Camila Torriani-Pasin

INTRODUÇÃO

A aplicação de conhecimentos acadêmico-científicos na intervenção é necessária para consolidar as profissões academicamente orientadas (Tani, 2008) e para garantir a elas uma identidade profissional. Todavia, é importante reconhecer que, especialmente naquelas profissões ainda incipientes, não se pode esperar a existência de um corpo de conhecimentos organizado e robusto que respalde métodos, programas e procedimentos de intervenção profissional de uma forma abrangente.

A fisioterapia, que receberá maior foco de atenção neste capítulo, e outras profissões irmãs da reabilitação, tais como fonoaudiologia e terapia ocupacional, são áreas de intervenção recentes em comparação às mais tradicionais, como a medicina. Tal fato implica uma atuação profissional na qual os conhecimentos adquiridos pela experiência clínica dos terapeutas ainda ocupe um lugar de destaque nos procedimentos terapêuticos selecionados pelos profissionais. Assim, conforme descreve Sackett et al. (2003), o estreitamento entre a ciência e a prática clínica baseado na tríade composta pelo conjunto de evidência científica, experiência do profissional e preferência do paciente deve ser o caminho para a consolidação de uma profissão orientada academicamente.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos