22629 capítulos
Medium 9788536320946

Capítulo 5: Perseguidores: Para Sempre Seu

Robert I. Simon Grupo A PDF Criptografado

5

Perseguidores

Para Sempre Seu

Se você me abandonar, eu vou te encontrar e vou te matar.

— Ameaça profética de um perseguidor contra uma mulher que ele acabou assassinando

K

ristin Lardner, uma universitária de 21 anos, de Boston, conheceu Michael Cartier, de 22 anos, em janeiro de 1992, quando ele era segurança de uma boate.

Eles começaram a namorar. Em 16 de abril de 1992, tiveram uma discussão e ele a agrediu com uma bofetada, jogou-a no chão, chutou-a várias vezes e disse:

“Levanta ou eu te mato”. Quando Kristin finalmente conseguiu se erguer, Michael havia sumido. Dois motoristas pararam e a ajudaram a voltar para casa. Ela decidiu que nunca mais o veria.

Mas Kristin teve muita dificuldade para se livrar de Michael. Rejeitado, ele voltava ao apartamento dela 10 vezes por dia e vivia aparecendo na loja de bebidas onde ela trabalhava meio turno. Lá, ele alternava entre o choro e a violência, dizendo a ela que não sabia por que sempre magoava as pessoas que amava. Talvez fosse porque sua mãe nunca o amara. Ele sabia que precisava de ajuda.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527731836

14 - Doença Cardiovascular | Fibrilação Atrial

FREITAS, Elizabete Viana de; MOHALLEM, Kalil Lays; GAMARSKI, Roberto; PEREIRA, Silvia Regina Mendes (eds.) Grupo Gen PDF Criptografado

14

Doença Cardiovascular |

Fibrilação Atrial

Kalil Lays Mohallem | Elizabete Viana de Freitas |

Roberto Gamarski

Fibrilação atrial

Arritmias são frequentes em idosos, e sua prevalência aumenta tanto em cardiopatas como em não cardiopatas, em razão de alterações fisiológicas e estruturais decorrentes do envelhecimento (enrijecimento arterial, hipertensão arterial sistólica, hipertrofia ventricular com consequente aumento atrial esquerdo). Nesse contexto, a fibrilação atrial (FA) é a arritmia mais encontrada na prática clínica, chegando a uma prevalência em torno de 9% nos pacientes com mais de 80 anos de idade.1 Sua incidência tem aumentado progressivamente em todo o mundo, em todas as faixas etárias, provavelmente relacionada com aumento dos níveis de catecolaminas relacionadas com o estresse urbano.2 Ela pode ser desencadeada por medicamentos (broncodilatadores, anfetaminas, descongestionantes nasais), substâncias como álcool, cafeína e cocaína, por doenças da tireoide, infecções, embolia pulmonar isquemia miocárdica.

Ver todos os capítulos
Medium 9788541202336

Capítulo 17 - Lesões Ósseas Pseudotumorais

FENYO-PEREIRA, Marlene; CRIVELLO JR., Oswaldo Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

17

Lesões Ósseas

Pseudotumorais

Andréa Mantesso e Ricardo Raitz

Lesões Ósseas Pseudotumorais

Neste capítulo discutimos as lesões chamadas pseudotumorais. O termo pseudotumoral significa falso tumor, ou seja, essas lesões não são neoplasias verdadeiras, mas por vezes se parecem, pois exibem um crescimento expansivo até com conotações agressivas. Dentro desse grupo encontram-se as lesões que têm como componente histológico as células gigantes multinucleadas, as lesões de origem idiopática e as lesões fibro-ósseas benignas.

São apresentadas as lesões descritas em seguida:

––

––

––

––

––

Lesão central de células gigantes.

Tumor marrom do hiperparatireoidismo .

Querubismo.

Osteíte deformante (doença de Paget).

Lesões fibro-ósseas benignas.

– Displasia fibrosa:

 Monostótica;

 Poliostótica.

– Displasias cemento-ósseas.

Lesão Central de Células Gigantes

Ver todos os capítulos
Medium 9788581142999

60 Hidradenitis

LUPI, Omar; CANDIANI, Jorge Ocampo; GATTI, Carlos Fernando Grupo Gen PDF Criptografado

60

Hidradenitis

García Vargas, Alejandro

Introducció­n

Hidradenitis ecrina neutrofílica

Se refiere a un grupo de enfermedades inflamatorias de las glándulas ecrinas y apocrinas, de causa multifactorial, con distribució­n y cuadro clínico característicos. Entre ellas la hidradenitis ecrina neutrofílica que se ha reportado con predominio en pacientes bajo quimioterapia, la hidradenitis ecrina infecciosa con un cuadro dermatológico semejante, con la distinció­n de que se aisla un agente etiológico infeccioso. Por otra parte, la hidradenitis supurativa o acné inversa predomina en mujeres, con daño importante a la calidad de vida del paciente, para su manejo y tratamiento se han implementado numerosas medidas terapéu­ticas con resultados variables

Su nombre proviene del el griego hidros: agua y adenos: glándula, e “itis” inflamació­n, inflamació­n de la glándula sudoral. De acuerdo al tipo de glándula afectada (Figura 60.1), se puede clasificar en

■■ Hidradenitis ecrina neutrofílica

Ver todos os capítulos
Medium 9788582711156

Capítulo 20 - Mirtazapina

Benjamin J. Sadock Grupo A PDF Criptografado

20

Mirtazapina

A mirtazapina é um medicamento singular entre os utilizados para tratar o transtorno depressivo maior, pois aumenta tanto a noradrenalina quanto a serotonina por meio de um mecanismo alternativo ao bloqueio da recaptação (como no caso dos agentes tricíclicos ou dos inibidores seletivos da recaptação de serotonina [ISRSs]) ou

à inibição da monoaminoxidase (como no caso da fenelzina ou da tranilcipromina).

A mirtazapina também tem maior probabilidade de reduzir, em vez de produzir, náuseas e diarreia, resultado de seus efeitos sobre os receptores serotonérgicos 5-HT3.

Seus efeitos colaterais característicos incluem aumento do apetite e sedação.

AÇÕES FARMACOLÓGICAS

A mirtazapina é administrada via oral (VO), sendo rápida e completamente absorvida. Sua meia-vida é de cerca de 30 horas. O pico de concentrações é alcançado dentro de 2 horas após a ingestão, e o estado de equilíbrio estável é atingido após seis dias. A depuração plasmática pode reduzir em até 30% em indivíduos com função hepática comprometida. Essa depuração é até 50% mais lenta nos pacientes com função renal prejudicada; até 40% mais lenta em homens idosos; e até 10% mais lenta em mulheres idosas.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos