10 capítulos
Medium 9788521632535

Capítulo 1 - O Papel da Estatística em Engenharia

MONTGOMERY, Douglas C.; RUNGER, George C. Grupo Gen PDF Criptografado

1

O Papel da Estatística em

Engenharia

Sumário do Capítulo

1-1

1-2

O Método de Engenharia e o Pensamento Estatístico

Coletando Dados de Engenharia

1-2.1 Princípios Básicos

1-2.2 Estudo Retrospectivo

1-2.3 Estudo de Observação

Estatística é a ciência que nos ajuda a tomar decisões e tirar conclusões na presença de variabilidade. Por exemplo, engenheiros civis trabalhando no campo de transportes estão preocupados com a capacidade de sistemas regionais de rodovias. Um problema típico envolveria dados sobre o número de viagens de trailers, o número de pessoas por moradia e o número de veículos por moradia. O objetivo seria produzir um modelo de geração de viagens relacionando viagens com o número de pessoas por moradia e o número de veículos por moradia.

Uma técnica estatística chamada de análise de regressão pode ser usada para construir esse modelo. O modelo de geração de viagens é uma ferramenta importante para planejar sistemas de transporte. Métodos de regressão estão entre as técnicas estatísticas mais largamente usadas em engenharia. Elas são apresentadas nos Capítulos 11 e 12.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521614746

Capítulo 17 - Controle Estatístico da Qualidade e Engenharia de Confiabilidade

HINES, William W.; MONTGOMERY, Douglas C.; GOLDSMAN, Dave; BORROR, Connie M. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

17

Controle Estatístico da Qualidade e

Engenharia de Confiabilidade

A qualidade dos produtos e serviços usados por nossa sociedade tornou-se o principal fator de decisão do consumidor em muitos, se não na maioria, dos negócios hoje. Independentemente de o consumidor ser um indivíduo, uma corporação, um programa militar de defesa ou uma loja de varejo, é provável que ele dê à qualidade a mesma importância que se dá ao custo e ao prazo. Conseqüentemente, a melhoria da qualidade tornou-se uma das principais preocupações de muitas corporações americanas. Este capítulo trata dos métodos de controle estatístico da qualidade e da engenharia da confiabilidade, dois conjuntos de ferramentas que são essenciais nas atividades de melhoria da qualidade.

17-1 MELHORIA DA QUALIDADE E ESTATÍSTICA

Qualidade significa adequação para uso. Por exemplo, podemos comprar automóveis que esperamos não terem defeitos de fabricação e fornecerem transporte confiável e econômico; um varejista compra bens acabados com a expectativa de que eles sejam bem embalados e fáceis de armazenar e expor, ou um fabricante compra matéria-prima na expectativa de processá-la com um mínimo de retrabalho ou sobras. Em outras palavras, todos os consumidores esperam que os produtos e serviços que compram correspondam a suas especificações e que essas especificações definam a adequação para uso.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290703

Capítulo 02 - Materiais didáticos manipulativos para o ensino do Sistema de Numeração Decimal

Katia Stocco Smole; Maria Ignez Diniz Grupo A PDF Criptografado

Materiais didáticos manipulativos para o ensino do Sistema de

Numeração Decimal

O Sistema de Numeração Decimal

Os números e as operações ocupam boa parte dos currículos e do tempo das aulas de matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental. E saber se os alunos estão avançando em relação a esses conteúdos é muitas vezes confundido com o fato de eles saberem ou não fazer contas. No entanto, como pretendemos mostrar neste texto, muitos são os conceitos e procedimentos envolvidos na efetiva aprendizagem dos números e das operações.

O Sistema de Numeração Decimal (SND) é apontado como um relevante aspecto para a compreensão das quatro operações básicas.

O entendimento das regras que regem esse sistema necessariamente deve ser desenvolvido ao longo da Educação Infantil e do Ensino Fundamental. As pesquisadoras Lerner e Sadovsky (2008, p. 74) afirmam que “[...] as crianças parecem não entender que os algoritmos convencionais estão baseados na organização de nosso sistema de numeração” e que essa dificuldade não é particular dessa ou daquela criança, mas foi verificada por diversos pesquisadores de diferentes países.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521634287

CAPÍTULO 11 - Produção de Dados: Revisão da Parte II

MOORE, David S.; NOTZ, William I.; FLINGER, Michael A. Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

11

© p2121212121|iStockphoto.com

Produção de Dados:

Revisão da Parte II

Neste capítulo abordamos... n

Resumo da Parte II

n

Autoteste

n

Exercícios Suplementares

N

a Parte I deste livro, você dominou a análise de dados, o uso de gráficos e resumos numéricos para a organização e exploração de qualquer conjunto de dados. A

Parte II introduziu planejamentos para a produção de dados. A Parte III discutirá a probabilidade básica e os fundamentos da inferência. As Partes IV e V irão tratar, em detalhes, da inferência prática.

Planejamentos para a produção de dados são essenciais quando se pretende que os dados representem alguma população ou algum processo mais amplos. As Figuras 11.1 e 11.2 mostram as grandes ideias visualmente. Amostragem aleatória e experimentos comparativos aleatorizados representam, talvez, as invenções estatísticas mais importantes do século XX. Ambos demoraram a ser aceitos, e você verá ainda muitas amostras de resposta voluntária e experimentos não controlados. Você deve agora compreender bons planejamentos para a produção de dados, bem como saber por que maus planejamentos frequentemente produzem dados que não servem para inferência. O uso deliberado da chance na produção de dados é uma ideia central em estatística – não apenas reduz viés, mas permite o uso de probabilidade, a matemática da chance, como base para inferência. Felizmente, precisamos apenas de alguns fatos básicos sobre probabilidade para entender a inferência estatística.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521634287

CAPÍTULO 19 - Da Produção de Dados à Inferência: Revisão da Parte III

MOORE, David S.; NOTZ, William I.; FLINGER, Michael A. Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

19

© GoodLifeStudio | iStockphoto.com

Da Produção de

Dados à Inferência:

Revisão da Parte III

Neste capítulo abordamos... n

Resumo da Parte III

n

Autoteste

n

Exercícios Suplementares

N

a Parte I deste livro, você dominou a análise de dados, o uso de gráficos e resumos numéricos para a organização e exploração de qualquer conjunto de dados. A Parte

II introduziu planejamentos para a produção de dados. A Parte III introduziu probabilidade e o raciocínio da inferência estatística. As Partes IV e V irão tratar, em detalhes, da inferência prática.

A inferência estatística tira conclusões sobre uma população com base em dados amostrais e usa probabilidade para indicar o grau de confiabilidade das conclusões. Um intervalo de confiança estima um parâmetro desconhecido. Um teste de significância mostra quão forte é a evidência de alguma afirmativa sobre um parâmetro.

As probabilidades em ambos – intervalos de confiança e testes – nos dizem o que ocorreria se usássemos o método para o intervalo ou teste um grande número de vezes.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos