1559 capítulos
Medium 9788521624332

3 - Limite e continuidade

BARBONI, Ayrton; PAULETTE, Walter Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

3

Limite e continuidade

3.1 Vizinhança

3.2 Ponto de Acumulação

3.3 Noção Intuitiva de Limite

3.4 Limite Finito

3.5 Limites Laterais

3.6 Teoremas

3.7 Propriedades Operatórias (1.ª parte)

3.8 Função Contínua

3.9 Limites Envolvendo Infinitos

3.10 Limites de Funções Compostas

3.11 Propriedades Operatórias dos Limites de Funções

Compostas (2.ª parte)

3.12 Formas Indeterminadas

3.13 Limites Fundamentais

O objetivo desta unidade consiste em investigar o comportamento de uma função, quando x se aproxima de um número finito, pertencente ao seu domínio ou junto a ele, ou, também, quando tende para valores infinitos.

3.1 Vizinhança

Definição 3.1

Dado a  , denomina-se Vizinhança de a, indicado por V(a), todo intervalo aberto que contém a.

Simbolicamente,

Figura 3.1a

V(a)  ] a − 1, a  2 [ , onde 1 e 2 são números reais positivos.



Ver todos os capítulos
Medium 9788521618102

Capítulo 6 - Pensando Através de Aplicação

HUNTER, David J. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo 6

Pensando Através de Aplicações dígitos binários — 0s e 1s. Um CD player é basicamente um computador capaz de ler esse código e de criar os sinais eletrônicos apropriados para enviar às caixas de som. Consequentemente, a mecânica de armazenamento e reprodução são, agora, processos discretos.

A transformação da tecnologia de gravação de som ilustra a mudança moderna do contínuo para o discreto.

O domínio da matemática contínua — principalmente o cálculo — lida com coisas que medimos: velocidade, distância, volume e temperatura. A matemática discreta, em contraste, é aplicada a coisas que podemos contar: cadeias binárias, sequências de operações, listas de dados e conexões entre objetos. Como os computadores se tornaram melhores e mais comuns, o ponto de vista discreto se tornou mais aplicável a problemas na ciência e na indústria.

Este capítulo final tem um caráter diferente dos demais. Nos Capítulos 1 a 5, estudamos os princípios essenciais da matemática discreta. A nossa perspectiva tem sido essencialmente matemática; os capítulos são organizados em torno de diferentes tipos de pensamento matemático. Neste capítulo, consideramos uma seleção de aplicações da matemática discreta para uma gama de

Ver todos os capítulos
Medium 9788521635567

2 - Funções

GUIDORIZZI, Hamilton Luiz Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

2

Funções

 2.1  �Funções de uma Variável Real a Valores Reais

vídeo 1.1

Entendemos por uma função f uma terna

(A, B, a A b) em que A e B são dois conjuntos e a A b, uma regra que nos permite associar a cada elemento a de A um único b de B. O conjunto A é o domínio de f e indica-se por Df , assim A 5 Df . O conjunto B é o contradomínio de f . O único b de B associado ao elemento a de A é indicado por f (a)

(leia: f de a); diremos que f (a) é o valor que f assume em a ou que f (a) é o valor que f associa a a.

Uma função f de domínio A e contradomínio B é usualmente indicada por f : A → B (leia: f de A em B).

Uma função de uma variável real a valores reais é uma função f : A → B, em que A e B são subconjuntos de R. Até menção em contrário, só trataremos com funções de uma variável real a valores reais.

Seja f : A → B uma função. O conjunto

denomina-se gráfico de f ; assim, o gráfico de f é um subconjunto do conjunto de todos os pares ordenados (x, y) de números reais. Munindo-se o plano de um sistema ortogonal de coordenadas cartesianas, o gráfico de f pode então ser pensado como o lugar geométrico descrito pelo ponto

Ver todos os capítulos
Medium 9788577806959

42: Números Aleatórios

Murray R. Spiegel; Seymour Lipschutz; John Liu Grupo A PDF Criptografado

42

Números Aleatórios

Ver todos os capítulos
Medium 9788521630241

9 - Gráficos de Controle da Soma Cumulativa e da Média Móvel Exponencialmente Ponderada

MONTGOMERY, Douglas C. Grupo Gen PDF Criptografado

9

Esquema

Gráficos de Controle da Soma Cumulativa e da Média Móvel

Exponencialmente

Ponderada do

Capítulo

9.1 O GRÁFICO DE CONTROLE DA SOMA

CUMULATIVA

9.1.1 Princípios Básicos: O Gráfico de

Controle CUSUM para Monitoramento

da Média do Processo

9.1.2 O CUSUM Tabular ou Algorítmico para

Monitoramento da Média do Processo

9.1.3 Recomendações para o Planejamento

do CUSUM

9.1.4 O CUSUM Padronizado

9.1.5 Melhorando a Sensitividade do CUSUM

para Grandes Mudanças

9.1.6 A Resposta Inicial Rápida ou a

Característica Headstart

9.1.7 CUSUM Unilateral

9.1.8 CUSUM para Monitoramento da

Variabilidade do Processo

9.1.9 Subgrupos Racionais

9.1.10 CUSUM para Outras Estatísticas

Amostrais

9.1.11 O Procedimento Máscara V

9.1.12 O CUSUM Autoiniciado

9.2 O GRÁFICO DE CONTROLE DA MÉDIA

MÓVEL EXPONENCIALMENTE

PONDERADA

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos