143 capítulos
Medium 9788522481576

Parte III - 7 ASPECTOS DA REDAÇÃO TÉCNICA

ANDRADE, Maria Margarida de; HENRIQUES, Antonio Grupo Gen PDF Criptografado

7

ASPECTOS DA

REDAÇÃO

TÉCNICA

Carta comercial

Requerimento

Memorando

Ofício

Relatório

Curriculum vitae

Procuração

Livro 1.indb 129

3/11/2009 18:12:02

130

Língua Portuguesa • Andrade e Henriques

Carta Comercial

EXEMPLO DE CARTA COMERCIAL

1. São Paulo, 19 de julho de 1994.

(5 espaços)

2. Prezados Senhores:

(3 espaços)

3. Com referência à sua reclamação, na carta do dia 15 do mês em curso, levamos ao conhecimento de V. Sas. os necessários esclarecimentos.

(2 espaços)

O atraso na entrega da mercadoria solicitada ocorreu não por falha de nossos funcionários, mas por incúria da empresa entregadora.

Estamos tomando as devidas providências a fim de que as mercadorias sejam entregues rapidamente.

(2 espaços)

4. Escusamo-nos pelo ocorrido e continuamos à disposição de V. Sas.

(3 espaços)

5. Benevenuto Cascadura

Gerente de Vendas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597019452

42 - Hífen

MARTINS, Dileta Silveira; ZILBERKNOP, Lúbia Scliar Grupo Gen PDF Criptografado

42

Hífen

1 CONCEITO

Hífen é o sinal usado para ligar os elementos de uma palavra composta (couve-flor; ex-prefeito), o pronome pessoal átono ao verbo (atendê-lo-ei; oferece-me) ou, no final da linha, separando a palavra em duas partes, sempre obedecendo à separação das sílabas (quei-jo; ami-ga).

2 NORMAS PARA O EMPREGO DO HÍFEN

1.  Em primeiro lugar, só admitem hífen elementos morfologicamente individualizados, isto é, com integridade gráfica e semântica: bem-querer (mas benquisto sem hífen)

2.  Usa-se hífen quando a sua falta pode resultar pronúncia indevida ou falta de clareza: bem-aventurado (para não ficar be-ma-ven-tu-ra-do na leitura) bem-me-quer (para evitar que se juntem dois “m”, ou, excluindo-se um, que se leia be-me-quer) sobre-humano (para não se ler so-breu-ma-no) ad-rogar (para não ficar a-drogar)

3.  Em se tratando de palavras compostas, usa-se hífen sempre que os termos conservem integridade mórfica e tonicidade, passando aqueles a constituir um novo todo semântico: abaixo-assinado amor-perfeito redatores-chefes salário-mínimo porta-voz quarta-feira alto-falante arranha-céu sul-rio-grandense porto-alegrense

Ver todos os capítulos
Medium 9788597019452

30 - Parecer

MARTINS, Dileta Silveira; ZILBERKNOP, Lúbia Scliar Grupo Gen PDF Criptografado

30

Parecer

(Ver INFORMAÇÃO e EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS)

1 CONCEITO

Parecer é a análise de um caso que faz parte de um processo para o qual aponta uma solução favorável ou contrária, através de dispositivos legais e informações.

O parecer difere da informação, porque, enquanto o primeiro interpreta fatos, a segunda apenas os fornece.

O parecer, dependendo do assunto, pode ser técnico, administrativo ou científico.

A estrutura de um parecer compreende: a) Timbre b) No do parecer e ano c) Assunto (ementa) d) Contexto (exposição e apreciação da matéria) e) Conclusão: parecer do relator e da comissão (quando houver) f) Data e assinatura(s)

Portugues Instrumental.indb 165

14/12/2018 14:23:40

166

Capítulo 30

2 MODELO

INSTITUTO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

PARECER No 72/18

ASSUNTO: Al no 00000 de 15/03/18. Cláudio Rodrigues

1  –  Cláudio Rodrigues, a quem foi atribuída, neste Instituto, a inscrição 00.000.00000, foi autuado por infração do art. 79, inciso II, da Lei no X, de ....../....../......

Ver todos os capítulos
Medium 9788522485581

13 Procuração

MEDEIROS, João Bosco Grupo Gen PDF Criptografado

13

Procuração

1 Redação

1.1 Procuração

Procuração é um documento que uma pessoa passa a alguém para que possa tratar de negócios em nome de outra. É um documento em que se estabelece legalmente essa incumbência, se outorga o mandato e se explicitam os poderes conferidos.

252 

Português Instrumental  • Medeiros

Exemplo de texto específico de procuração

. . . . . . . . . para o fim de retirar do Banco . . . . . . . . . . agência . . . . . . . . . . ., na cidade de . . . . . . . . . . . . Estado de . . . . ., a quantia de R$ . . . . . (. . . . . . . . . ) de seu saldo em conta corrente nesse banco (conta nº . . . . . ), de uma só vez ou parceladamente, assinando cheques, recibos, livros e o que for necessário para esse fim.

Exemplo de fecho fixo de procurações particulares

. . . . . . . . . . o que tudo dará por firme e valioso, a bem deste mandato.

. . . . . . . . . . . . . . . ., . . . de . . . . . . . . . . . . de 200X.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522481590

Parte I - 12 Serviços da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos

MEDEIROS, João Bosco; HERNANDES, Sonia Grupo Gen PDF Criptografado

12

Serviços da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos

1 Observação

Para uso adequado dos serviços postais, é necessário que a secretária conheça os serviços que a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT) oferece.

Em primeiro lugar, o endereço deve estar corretamente grafado: nome do destinatário, rua, número e CEP. Certifique-se ainda de que tudo foi selado de acordo com a tarifa estabelecida e de que todos os volumes estão acondicionados segundo normas dos Correios.

Para sua carta chegar mais rapidamente ao destino, observe as seguintes normas: o selo no canto superior direito; o se houver mais de um selo, utilize a parte lateral direita superior do envelope; o endereço no centro do envelope, com uma informação em cada linha (na primeira linha, escreva o nome do destinatário; na segunda, a rua e o número; na terceira, a cidade e a sigla do Estado); o número do CEP; o não use cola em excesso; o use envelope de tamanho padronizado.

O CEP possibilita a identificação imediata do endereço e a distribuição da correspondência com maior rapidez.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos